Ainda não é assinante? Assine. Não custa nada.





Share Tweet
6 de outubro de 2016
Consultar edições passadas

6 de outubro de 2016

Bom advogado e lentidão do STF não garantem mais liberdade a condenados

No Supremo Tribunal Federal, o placar foi de 6 a 5. E, assim, uma decisão de fevereiro foi confirmada. Mais do que isso, tornou-se vinculante. A partir de agora, todo réu condenado em segunda instância passará a cumprir a pena. Antes, predominava a compreensão de que o direito de inocência pressupõe que, enquanto houver possibilidade de recurso, ninguém pode ir para a cadeia.
 
Mais de um ministro, ao longo da votação, lembrou que a regra só valia para quem tem bons advogados. Metade dos presos no Brasil, afinal, sequer foram condenados ainda em primeira instância.
 
A decisão é importante por dois motivos. Muitos dos réus da Lava Jato devem ser condenados pelo juiz Sergio Moro. A expectativa é de que várias destas condenações sejam confirmadas pela segunda instância. Não vai dar para protelar em liberdade. Para além da Lava-Jato, a Justiça começa a ficar um pouco mais igual para todos.

Três leituras

“A ciência política mostra que escândalos ‘só pegam mesmo’ em ciclos econômicos de baixa.” Fernando Canzian, da Folha de S. Paulo, analisa as origens econômicas da guinada à direita do Brasil.
 
“Se a maioria da população desaprova a gestão do prefeito é porque ela não está sentindo melhoras na vida. O eleitor é pragmático, vota naquele em que enxerga condições de resolver os problemas.” Marcia Cavallari, do Ibope, numa entrevista sobre as dificuldades dos institutos de pesquisa perante a maior volatilidade do eleitorado.

“Fernando Holiday – negro, pobre, de direita e primeiro gay assumido eleito como vereador em São Paulo – é ostensivamente chamado de ‘fantoche’ pela esquerda branca e rica, e por todas as outras esquerdas. Kim Kataguiri, seu correligionário de MBL, não tem esse problema na vida: quem não gosta dele chama cara de ‘imbecil’ pra baixo, mas não de ‘manipulado’.” Alexandre Versignassi, da Superinteressante, sobre dois pesos, duas medidas.

Programas de governo

Ao registrar suas candidaturas a um cargo Executivo, políticos devem encaminhar um programa de governo. Estes são documentos públicos, armazenados no formato PDF. O Meio põe, hoje, links para os arquivos oficiais dos candidatos das capitais de sul e sudeste onde há segundo turno. Amanhã seguiremos com os candidatos do nordeste.

Porto Alegre: Nelson Marchezan JúniorSebastião Melo.
Florianópolis: Angela AminGean Loureiro.
Curitiba: Ney LeprevostRafael Greca.
Rio de Janeiro: Marcelo Crivella e Marcelo Freixo.
Belo Horizonte: João Leite e Alexandre Kalil.
Vitória: Amaro Neto e Luciano Rezende.

A primeira-dama Marcela Temer estreou no palco político. Em vídeo. Ela aparecerá mais e mais.

Dos 25 candidatos que votaram contra o impeachment, só 2 foram eleitos.

Ulysses Guimarães faria 100 anos.

Parece que o novo secretário-geral da ONU falará português.

Viver

O motor que valeu um Nobel

Máquinas moleculares são pequenas. Medem um bilionésimo de metro e estão na base do que chamamos nanotecnologia. Os químicos que deram os primeiros passos para construir estas máquinas minúsculas, entre 1983 e 91, foram o francês Jean-Pierre Sauvage, o escocês J. Fraser Stoddart e o holandês Bernard L. Feringa. O primeiro conseguiu construir dois elos entrelaçados como os de uma corrente microscópica; o seguinte aproveitou as técnicas para erguer um círculo que ao invés de abraçar outro círculo deslizava ao longo de um eixo. O último conseguiu dar movimento ao mecanismo utilizando um feixe de luz, produzindo um rotor. Dividem, por isso, o Nobel de Química deste ano.

O maior brasileiro de todos os tempos

Ele se chama Austroposeidon magnificus, tinha 25 metros de comprimento e viveu em Presidente Prudente (SP). É, oficialmente, o maior dinossauro brasileiro. Herbívoro, daqueles com pescoço imenso. Pedaços de seus ossos foram escavados nos anos 1950 e esquecidos numa gaveta de museu.  Sem verba para pesquisa, demorou para que alguém encarasse o desafio de identifica-lo. Os paleontólogos acreditam que o bichão tinha predador. Então houve um carnívoro grande no Brasil, ainda sem pistas. Acreditam, também, que com seus 25 metros andava em bando e corria. Daí a referência ao deus Poseidon, que entre suas habilidades estava a de provocar terremotos.

Você sabia?

7,53% da eletricidade consumida no Brasil entre outubro de 2015 e setembro de 2016 foi produzida com vento

Da lata

Arqueólogos descobriram o túmulo de um homem enterrado há quase três mil anos na província chinesa de Xingiang, próxima à Rússia. Estava coberto com treze grandes pés de maconha. Há inúmeros indícios de convívio antigo com a planta, mas nunca havia sido vista antes utilizada ritualmente em funerais. Não se sabe se a cannabis era valorizada naquela cultura pela fibra do cânhamo ou pelas propriedades entorpecentes.

Cultura

A principal estreia da semana nos cinemas é o argentino Ao Fim do Túnel. Trailer. Crítica.

Saiu o trailer de El Comandante, a série que conta a história de Hugo Chávez.

Saiu também o trailer de Jackie, em que Natalie Portman faz Jacqueline Kennedy. Parece muito bom.

A trupe do Porta dos Fundos dublou o desenho animado adulto Festa da Salsicha.

Morreu Rod Temperton, o compositor de Thriller.

E fizeram oitenta anos Luís Fernando Veríssimo e Domingos de Oliveira.

Cotidiano Digital

A velocidade da internet no Brasil é uma das piores do mundo, segundo a Netflix. Dentre 41 países em que a empresa se encontra, é a 9º pior.

Mas será Galvão Bueno? Não. É Tony Blackberry.

Ainda não é assinante? Assine. Não custa nada.





Share Tweet



Consultar edições passadas