Curadoria de vídeos

Trailer de Memória em Verde e Rosa

31 de março de 2017



Trailer de Ghost in the Shell - Vigilante do Amanhã

31 de março de 2017



Primeiro teaser da sétima temporada de Game of Thrones

30 de março de 2017

A HBO divulgou o primeiro teaser da sétima temporada de Game of Thrones.
A série volta dia 16 de julho.



Trailer Amaluna, Cirque du Soleil

28 de março de 2017

 



Operação Carne Fraca ameaça comércio exterior

20 de março de 2017

20 de março de 2017

Operação Carne Fraca ameaça comércio exterior

O presidente Michel Temer passou o domingo dedicado à crise que explodiu na pecuária brasileira. Após uma série de reuniões, pediu urgência nas inspeções dos 21 frigoríficos citados na Operação Carne Fraca da Polícia Federal e levou embaixadores, à noite, para a churrascaria Steak Bull, de Brasília, para comerem um rodízio. A situação é delicada. Os embaixadores da União Europeia e da China cobram relatórios técnicos que tragam detalhes, pois não bastam as garantias das autoridades brasileiras. Em 2016, o Brasil exportou US$ 12,6 bilhões em carnes e subprodutos. O item ocupa o terceiro lugar em relevância na balança comercial, após grãos e minério. O país é o maior exportador mundial de frango (US$ 5,9 bilhões do montante total), que tem por destino principal o Oriente Médio. A venda de carne bovina para o exterior vinha crescendo ano a ano, chegando a US$ 4,33 bilhões no último, e já tendo ultrapassado a venda de aviões. (Estadão)
 
A churrascaria visitada pelo presidentevende carne estrangeira, diga-se. Mas garante ter aberto uma exceção para Temer e seus convidados. (Estadão)
 
Durante sua investigação, a Polícia Federal só analisou realmente os alimentos de um dos frigoríficos acusados de irregularidades. (Folha)
 
Especialistas ouvidos pela BBC acusam a Polícia Federal de ter sido sensacionalista na maneira como divulgou a Operação Carne Fraca. Como não deixou claro quais irregularidades ocorreram onde, passou a impressão de que os problemas eram mais generalizados do que de fato são. Papelão, por exemplo, que aparece em um dos grampos, pelo contexto foi usado para embalagem, e não para mistura. (O uso de papelão para embalar em certas áreas de frigoríficos é irregular.) Ácido ascórbico, que a PF afirma ser usado para maquiar a aparência de carnes estragadas, faz parte da composição de embutidos. Trata-se de vitamina C e realmente contribui para a aparência de salsichas, por exemplo. Para estes especialistas, faltam detalhes para compreender a real dimensão do problema.

Uma negociação que envolve o TCU e a Força Tarefa da Lava Jato pode poupar da declaração de inidoneidade as empreiteiras que colaboraram com as investigações. Assim, Odebrecht, Andrade Gutierrez e Camargo Corrêa poderiam continuar disputando obras públicas. Outras, como OAS, Engevix e Mendes Júnior seriam excluídas. Embora o acordo seja coerente, há críticos. O temor é de que a decisão termine por concentrar o mercado nas mãos de poucos. O contra-argumento é de que a lenta abertura para empresas estrangeiras pode trazer reequilíbrio. (Globo)

O juiz Sérgio Moro publicou no Facebook um vídeo de agradecimento “ao apoio” que recebe de brasileiros através da página Eu MORO com ele, gerenciada por sua mulher.

Os ex-presidentes Lula e Dilma fizeram uma inauguração simbólica da transposição do rio São Francisco, na Paraíba. Foi um comício de candidato à presidência. (Globo)

Para ler com calma: Maria Cristina Fernandes, do Valor, passou uma manhã com Dilma Rousseff, no apartamento em Porto Alegre da ex-presidente. A delas é uma conversa profunda. Dilma tenta analisar o que foram as jornadas que levaram milhões de brasileiros às ruas em 2013, mas reconhece a falta de distância histórica. “Tem uma explicação simples, mas não responde tudo. É mais fácil distribuir renda do que ampliar serviços. Como de fato o fim da miséria é só o começo, as pessoas querem mais.” Ela também analisa os conflitos com Eduardo Cunha que levaram à instauração do processo de impeachment. “Não existe acordo com ele. Existe submissão. As perguntas que ele enviou ao Temer, o que você acha que são, querida? Você está falando de um gângster inteligente. Devia ajoelhar e aceitar as condições?” Dilma resiste a reconhecer erros de seu governo e do PT.

Angela Merkel, a chanceler alemã, é uma especialista em desmontar líderes rufiões. Arrancou respeito e acordos de Silvio Berlusconi, Recep Erdogan e Vladimir Putin. Na semana passada, escreve Dorrit Harazim, esteve com Donald Trump. Será uma relação interessante de acompanhar. (Globo)

O G-20 retirou duas frases da declaração que assinaria no fim de semana. Uma condena o protecionismo e, outra, declara apoio ao Acordo do Clima de Paris. Em ambos os casos, saíram por pressão dos EUA, sob nova administração.

 

Cultura

Ídolo fundador do rock’n’roll, Chuck Berry morreu aos 90 anos, no último sábado. Soube misturar blues com country e dar nova vida ao rock’n’roll. Berry foi o consolidador do estilo, diz a Folha. Compôs cânones do rock, como Roll Over Beethoven e Johnny B. Goode. Foi, como defende o New York Times, a primeira estrela de fato do rock’n’roll. 

Chuck Berry influenciou todo mundo. Sem ele, talvez não houvesse os Beatles. Ou os Rolling Stones. Ou os Beach Boys. Sem ele, talvez não houvesse nem mesmo a adolescência. “O grande tema musical de Chuck Berry foi o próprio rock’n’roll. Ele percebeu, antes de todos, que o adolescente precisava de uma música para chamar de sua, algo com que se identificasse e que o diferenciasse de seus pais”, escreve André Barcinski.

Uma seleção das 15 grandes músicas de Chuck Berry, para ler e ouvir, no New York Times.

A BBC vai descontinuar suas operações na América Latina. O canal BBC Earth não chegou a completar dois anos por aqui. Substituiu o BBC HD, que chegou em 2012. Agora, diz a empresa, o foco é a busca por plataformas digitais para o conteúdo. (Estadão)

Netflix muda sistema de avaliação de filmes e séries. Usuários não vão mais dar notas (de zero a cinco estrelas), mas apenas um like ou não. (Globo)

Filme sobre a primeira geração de travestis artistas do Brasil, o documentário de Leandra Leal, Divinas Divas, foi eleito o melhor longa no festival South by Southwest. Veja o trailer.

O Rock in Rio anunciou que terá Pet Shop Boys na mesma noite de Lady Gaga e Ivete Sangalo, 15 de setembro. Também anunciou Titãs para o mesmo palco de The Who e Guns N’Roses.

Viver

Para quem quer tentar o veganismo, depois da crise da carne, duas dicas, de livro e de site.

Os postos de saúde do Rio deverão aplicar 250 doses da vacina contra a febre amarela por dia. É o número mínimo de aplicações exigido pela subsecretaria municipal de Vigilância em Saúde do Rio. O órgão alerta para o fato de que casas próximas a matas correm mais riscos. (Globo)

Vídeo: Milhares de filmes de testes nucleares feitos pelos Estados Unidos nos anos 1940 e 1960 deixaram de ser confidenciais — e, agora, já tomam o YouTube.

Para ler com calma: O conceito de heterossexualidade como orientação sexual é mais recente do que pensamos. Até os anos 1930, era entendido como “apetite anormal ou pervertido” por alguém do outro sexo. A BBC conta a história da orientação sexual até a forma como a entendemos hoje. E crava: a invenção da heterossexualidade é fruto do crescimento da classe média.

Cotidiano Digital

Jeff Jones, presidente da Uber, está deixando o cargo – menos de um ano depois de tê-lo assumido. Ele diz que suas “crenças e abordagens de liderança” são “inconsistentes” com relação às experiências que teve na Uber.  A empresa, por outro lado, diz que ele teria ficado melindrado com o anúncio da contratação de um COO.

Lembra do Shazam? O app que ajuda a identificar uma música que está tocando? Pois agora há um app semelhante para identificar obras de arte. Basta enquadrar a peça (ou a imagem dela num livro ou num postal, por exemplo), e o Smartify busca as informações sobre autor, período, técnica e afins.

A Nintendo anunciou a data em que o Super Mario Run vai chegar para Androids – 23 de março. No mesmo dia, o game para iOS também será atualizado e ganhará novos personagens.

Para tentar “supervisionar” o que crianças fazem em seus celulares, o Google lançou um aplicativo. Pelo Family Link, um pai consegue ver quais apps a criança usou, quais conteúdos acessou e por quanto tempo. Por enquanto, só é compatível com a versão 7 do sistema Android.



Aos três anos, Lava Jato se aproxima de seu clímax

17 de março de 2017

17 de março de 2017

Aos três anos, Lava Jato se aproxima de seu clímax

A Operação Lava Jato completa hoje três anos. Ao todo, já levou a 746 buscas e apreensões, 153 acordos de delação premiada e 56 acusações criminais em primeira instância contra um total de 260 pessoas. Destas, 130 já foram condenadas em 26 sentenças a penas que, somadas, passam de 1,3 mil anos. O levantamento é do procurador Deltan Dallagnol para a coluna Painel, da Folha. Acusados e condenados já se comprometeram a devolver mais de R$ 10 bilhões que reconheceram ter desviado dos cofres públicos.  “Seu maior mérito”, diz Dallagnol, “foi ter feito um retrato de uma corrupção que tem raízes profundas em nossa história e tentáculos que abraçam uma multidão de órgãos públicos.” Outro mérito é ter deixado clara a natureza da caixa dois. O Globo destrinchou ao menos quatro tipos distintos. O mais prosaico é a doação legal de campanha que o candidato decide não declarar. Há também a doação declarada que tem, subentendida, a prestação de um favor pelo político. Por vezes, os dois se juntam, a doação não é declarada e vem atrelada à prestação de serviços. Por fim, no quarto tipo, o dinheiro doado e não registrado serve não à campanha e sim ao enriquecimento pessoal do candidato. Agora que os julgamentos disparados pela operação se aproximam do núcleo do poder político, no STF, o Congresso reage com, por exemplo, o projeto de uma reforma política. “A discussão sobre reforma eleitoral não devia ser feita nesta legislatura”, afirma também no Globo de hoje o cientista político Jairo Nicolau. “Um bom momento para mexer é depois que as apurações forem realizadas, que tiver um controle de como isso eventualmente contaminou o processo de eleição de deputados, saber quantos estão envolvidos.”

A lista de Janot deve passar por todos os trâmites no Supremo até o fim do dia de hoje. Chega às mãos do ministro Edson Fachin na segunda-feira. Ele deve ser rápido. (Estadão)

O senador Randolfe Rodrigues já tem o número de assinaturas suficientes para colocar em votação a PEC do fim do foro privilegiado. (Globo)

Enquanto isso… É missão do senador Romero Jucá, líder do governo na Casa, a produção de quatro projetos para, em suas palavras, “que nós tenhamos menos penalidades, mais transparência e menos burocracia na relação dos partidos com o TSE”. Devem ser apresentados na semana que vem com votação em urgência. (Estadão)

E… José Serra quer tirar da Constituição o conjunto de regras que regulamenta eleições. Facilitaria mudanças futuras. (Estadão)

Pela primeira vez após 22 meses, contratou-se mais gente com carteira assinada do que se demitiu, no Brasil de fevereiro. Ainda assim, só no acumulado do ano, há um déficit de 5.475 vagas formais.

Quatro aeroportos foram privatizados, ontem, em leilão. O grupo alemão Fraport arrematou os de Fortaleza e Porto Alegre; a suíça Zurich levou o de Florianópolis e, o de Salvador, ficará nas mãos da francesa Vinci. A Infraero, diferentemente das privatizações anteriores, não entrou de sócia. O governo arrecadará R$ 3,72 bilhões com ágio de 23% sobre o esperado inicialmente. (Globo)

Steve Bannon, empresário e documentarista, feito estrategista-chefe por Donald Trump, é o principal ideólogo do novo governo americano. Analisando seus filmes, a Quartz encontrou uma visão soturna da história, marcada por uma contínua luta do bem contra o mal. O site explica sua ideologia num vídeo curto, com legendas em inglês.

Tony de Marco
Nossa bandeira jamais será… não, pera!

 

 

Cultura

Em São Paulo, as dicas culturais da Bravo! incluem a primeira edição do Women’s Music Event, que ocupa o CCSP, a Casa 92 e o Espaço 555, além da Mostra Internacional de Teatro, que apresenta espetáculos nacionais e internacionais.

No Rio, os destaques são o festival Super Violão Mashup, no Oi Futuro, e a volta do espetáculo Simplesmente Eu, Clarice Lispector, estrelado por Beth Goulart.

No cinema, estreiam A Bela e A Fera (trailer), com Emma Watson, Fátima (trailer), vencedor do prêmio César, e O Filho de Joseph (trailer), do cultuado cineasta Eugène Green, entre outros. Veja a lista completa de estreias do fim de semana.

Diretor do elogiado Aquarius, Kleber Mendonça Filho vai presidir o júri da Semana da Crítica, mostra paralela ao Festival de Cannes, destinada aos filmes de diretores emergentes. O cineasta pernambucano concorreu, no ano passado, à Palma de Ouro com Aquarius. (Folha)

Os cortes no orçamento anunciados por Donald Trump vão afetar a cultura. A tradicional Rádio Pública Nacional (NPR) e o Sistema Público de Radiodifusão (PBS) devem sofrer com a redução de recursos. “O custo da radiodifusão pública é pequeno”, diz a CEO da PBS, Paula Kerger, “apenas US$ 1,35 por cidadão por ano, e os benefícios são tangíveis”. (Globo)

A trilogia Matrix deve ganhar uma continuação. A Warner Bross planeja fazer um novo longa, que, especula-se, teria roteiro de Zack Penn e o ator Michael B. Jordan. (Estadão)

Galeria: recém-publicadas, fotos de Billie Holiday revelam outro lado da diva do jazz, dois anos antes de sua morte.

Ouça Billie Holliday, no Spotify ou no YouTube.

Viver

“Parecia um resfriado comum. Eu não tinha noção da gravidade do que estava acontecendo dentro de mim.” Alessandro Valença é um dos dois casos de febre amarela no estado do Rio — o outro era seu vizinho, que morreu na semana passada. Gabriela Goulart conta, no Globo, como Alessandro recebeu diferentes diagnósticos até ser informado, por telefone, sobre a febre amarela.  

Aliás, tanto Alessandro quanto a vítima fatal da doença vivem em Casimiro de Abreu, potencial foco da febre amarela. A prefeitura local criou uma força-tarefa para imunizar toda a população até este sábado. (Globo)

Em São Paulo, foi confirmada, ontem, a oitava morte pela doença. (Estadão)

Veja os postos de vacinação contra a febre amarela em São Paulo e no Rio.

Para ler com calma: Está se sentindo sozinho? Existe um aplicativo para ajudar. Jornalista da Nautilus conta, em primeira pessoa, sua experiência com o app Happy, que conecta o solitário a alguém disposto a conversar. Há outros mais especializados, como o Talkspace, que liga pacientes e terapeutas, ou o Priori, específico para bipolares, que rastreia, a partir de ligações e mensagens do usuário, se ele está em mania ou em depressão.  

E se a entrevista de uma mulher fosse “invadida” pelos filhos, como o que ocorreu com o especialista Robert Kelly, em entrevista à BBC, nesta semana? Comediantes da Nova Zelândia fizeram uma paródia do vídeo original, desta vez com uma mulher no lugar de Kelly, dando entrevista via Skype para uma emissora de TV. Na versão feminina, ela pega a filha nos braços, brinca com um chocalho, depois passa roupa, avalia o assado do almoço, limpa uma privada — e, claro, segue respondendo seriamente às perguntas sobre o impeachment da Coréia do Sul.

Cotidiano Digital

O mercado de celulares no Brasil dá sinais de melhora. No quarto trimestre de 2016, as vendas de aparelhos mostraram recuperação de 15% em relação ao trimestre anterior. (Folha)

As mulheres são maioria entre os gamers no Brasil. Segundo a Pesquisa Game Brasil 2016, elas já representam 52,6% dos jogadores brasileiros. As gamers, no entanto, ainda sofrem preconceito e assédio. Primeiro lugar no ranking mundial do Super Street Fighter IV: Arcade Edition, a paulista Cristina Santos, conta que passou maus bocados: “Sofri ataques em redes sociais e até na vida pessoal”.

O Facebook começou a testar a ferramenta Stories no Brasil. A função é semelhante à do Instagram, que, por sua vez, foi criada para competir com o Snapchat. O conteúdo fica no ar por 24 horas. Para usar a ferramenta no celular, é preciso se inscrever no programa de testadores da rede social.



Esperando Janot

13 de março de 2017

13 de março de 2017

Esperando Janot

Brasília espera para esta semana a lista do procurador-geral da República, Rodrigo Janot. Nela estarão, provavelmente, dezenas de pedidos de abertura de inquérito contra autoridades, todos baseados nas diversas delações feitas por executivos da Odebrecht. A expectativa é de que, entre os nomes, apareçam os ex-presidentes Lula e Dilma, os ministros Moreira Franco e Eliseu Padilha, além de José Serra, Aécio Neves, Guido Mantega e Antonio Palocci. O presidente Michel Temer, segundo vazamentos, também foi citado nas denúncias. Mas a lei impede que presidentes sejam investigados por crimes cometidos fora do mandato. A dúvida é se o atual mandato inclui o período como vice ou não. Janot pode pedir, também, que inquéritos em curso sejam arquivados, ou incluir novos pedidos relativos a investigações que já ocorrem. É possível que ele requeira ao Supremo que partes das delações sejam tornadas públicas. Causa ansiedade, na capital, uma dúvida sobre as autoridades que não têm mais direito ao foro. Janot pode encaminhar seus nomes ao STF para que o tribunal os redistribua para as cortes inferiores, ou fazer os pedidos direto à primeira instância. Se passarem antes pelo Supremo, os advogados têm chance de retardar o processo.
 
Aliás… A avaliação no PT, PMDB e PSDB é a mesma. Com líderes políticos de todos os partidos se misturando, aumentam as chances de Lula argumentar que está sendo perseguido. Mas, ainda assim, a estratégia de tucanos e peemedebistas passa pelo argumento de que seus pecados são menores que os dos petistas, se resumem ao uso do caixa dois. (Folha)

E… Lula e Fernando Henrique estão se aproximando. Segundo Jorge Bastos Moreno, os dois ex-presidentes conversaram longamente ao telefone. Ficaram de incluir Temer no assunto. (Globo)

Repórteres do Estadão conversaram com cinco dos sete ministros do TSE. Ouviram que as delações da Odebrecht reforçam, do ponto de vista legal, a cassação da chapa Dilma-Temer. Mas ouviram também que eles vão levar em consideração a estabilidade do país.

Rigoroso, referência em direito ambiental e do consumidor, com planos de fazer história. Conheça o ministro Herman Benjamin, relator do processo que pode derrubar Temer no TSE. (Folha)

Eliseu Padilha retorna hoje a Brasília mas ainda não está claro se volta ao governo. (Globo)

Lula deve sair candidato à presidência no mês que vem. Seu próximo depoimento ao juiz Ségio Moro está marcado para 3 de maio. Já seria pré-candidato. (Folha)

Em palestra na Suíça, a ex-presidente Dilma declarou que foi um erro a promoção de desonerações fiscais, em 2014. “Acreditava que, se diminuísse impostos, teria um aumento de investimentos. No lugar de investir, eles aumentaram a margem de lucro.” (Estadão)

“Delação quando nasce / esparrama um montão. / O Temer quando ouve / fala: Imagina, eu não.” Os versos são de Eduardo Cunha, cujo livro Diário da Cadeia chega às livrarias no dia 27. Ou quase. Embora estampe o nome do ex-presidente da Câmara na capa, trata-se de pseudônimo, já que o livro, na verdade, foi escrito por autor secreto, conta Lauro Jardim, no Globo.

Enquanto isso… Uma fotografia do professor-pop Leandro Karnal, na qual jantava com Moro, causou alvoroço nas redes sociais. Entre a patrulha de quem considera Moro o grande vilão da pátria e a euforia de quem o acha seu maior herói, o tema dominou as linhas do tempo. “Tenho imensa curiosidade em conversar com pessoas que fazem parte da história”, escreveu Karnal em seu Facebook. “Lamento a polarização no Brasil. O momento brasileiro é estranho e há uma vontade nacional de crucificar.”

O Partido da Liberdade, da direita radical holandesa, deve sair o mais votado nas eleições de quarta-feira. Seu principal líder, Geert Wilders, faz um discurso de rejeição à imigração islâmica. Ainda assim, dificilmente conseguirá formar alianças o suficiente no Parlamento para montar gabinete e assumir o governo.

O senador John McCain, ex-candidato à presidência pelo Partido Republicano, cobra de Donald Trump: ou ele apresenta provas de que Obama plantou grampos ilegais para espioná-lo ou deve uma retratação pública.

 

Cultura

“A primeira casa modernista foi construída no Brasil. Le Corbusier chegou 10 anos mais tarde.” A afirmação é de um papa da arquitetura moderna, o britânico Kenneth Frampton, em entrevista ao El País. Aos 86 anos, ele faz críticas à sua principal obra, o livro História Crítica da Arquitetura Moderna, traduzido para 11 idiomas. O arquiteto diz que o livro é eurocêntrico e que, na nova edição, precisa incluir, por exemplo, construções de China, Índia e África.

Se, nos Estados Unidos, a crise política e seu protagonista Donald Trump engrossam a pauta dos talk shows, no Brasil, os programas exploram mal a crise brasileira e seus personagens. “Por opção ou injunção, os programas têm optado pela irrelevância. O que é um desperdício”, escreve o colunista Mauricio Stycer, na Folha.

The Velvet Underground & Nico, álbum de estreia do Velvet Underground, completou 50 anos ontem. Mais conhecido como “o disco da banana”, foi quase todo gravado em uma semana, em Nova York, e amado por poucos no lançamento, em 1967.

Para os fãs de Velvet: dez curiosidades sobre o primeiro disco da banda, segundo a revista Rolling Stone.

Ouça The Velvet Underground & Nico no Spotify ou no YouTube.

Conheça a “antiajuda”, um novo gênero literário, segundo o New York Times. Dois livros com o estilo já são best-sellers nos Estados Unidos. Em vez de exaltar sucesso e felicidade, os autores pedem que o leitor reconheça que, não, ele não é tão especial e que, sim, a vida é mesmo dura. 

Viver

Renildo Silva Santos passou por uma amputação severa: perdeu 40% do corpo, ou tudo o que havia abaixo do umbigo. Agora, vive processo inédito de reabilitação ao ganhar prótese que lhe fará voltar a caminhar. O repórter Jairo Marques acompanha os testes conta a saga. (Folha)

“Um bon-vivant que podia tanto beber champanhe com um figurão da República quanto tomar cachaça com um pescador.” Era assim o dono do grupo Emiliano, Carlos Alberto Filgueiras, perfilado por Eliane Trindade, na Folha. O empresário morreu em janeiro na queda do avião que matou também o ministro Teori Zavascki. Nasceu pobre, foi dono de boteco e de garimpo em Minas Gerais, até lançar mais de cem prédios em São Paulo, onde fez sua fortuna.

Malária de macacos infecta pessoas no Rio. São 49 casos, registrados em 2015 e 2016. Até então, acreditava-se que a doença não era transmitida a pessoas. “Não acreditamos que provocará uma epidemia agora, mas é um alerta”, diz o geneticista da UFRJ Mariano Zalis, um dos autores da descoberta. (Globo)

Para ler com calma: longo especial do New York Times retrata a via-crúcis de três família com crianças vítimas da zika em busca de tratamento (e acolhimento) no nordeste do Brasil.

Há quem diga que Diego teve 350 filhos. Há, do outro lado, quem defenda que são 800 os filhos dele. Fato é que Diego, centenária tartaruga da Ilha de Galápagos, é responsável por ter salvo sua espécie, que caminhava para a extinção desde os anos 1970. Antes de seu furor sexual, o número de tartarugas não passava de uma dúzia, quase todas fêmeas.

Único brasileiro a conquistar três medalhas na mesma Olimpíada, o canoísta Isaquias Queiroz luta em busca de patrocínio. Os contratos acabaram junto com a Rio-2016. “Por enquanto, nada mudou desde que conquistei as medalhas. Sobre as questões de apoio da confederação com os atletas, está tudo normal”, diz o atleta, em entrevista ao Globo.

Aliás… Mais da metade das confederações esportivas brasileiras perdeu patrocínio desde o fim dos Jogos Olímpicos do Rio, segundo levantamento da Folha. Os investidores alegam duas razões: crise econômica e fragilidade administrativa das confederações. 

Cotidiano Digital

A velocidade média da internet no Brasil aumentou — 6,4 Mbps no quarto trimestre de 2016, segundo relatório State of Internet, da empresa Akamai. Trata-se de um crescimento de 55% com relação ao período anterior. É, no entanto, abaixo da média mundial, de 7 Mbps.

A SoundCloud está em crise. Vem tentando conseguir uma nova rodada de investimento de US$ 100 milhões. Ao mesmo tempo, avalia a opção de vender a empresa e andou conversando com possíveis compradores, como o Spotify, mas ainda sem acordo. Pode acabar negociada, enfim, por preço muito abaixo dos US$ 700 milhões de sua última avaliação.

Um dos maiores festivais de música, cinema e tecnologia do mundo, o South by Southwest (SXSW) segue até o próximo domingo, em Austin, no Texas. Foi lá que Twitter e Foursquare, por exemplo, tiveram seus lançamentos nos anos 2000. É, como diz um de seus fundadores à Folha, uma plataforma para pessoas criativas.

Veja uma lista de recomendações do que acompanhar nesta edição do festival.

Ainda não é assinante do Meio? Faça sua inscrição no nosso site.
Não custa nada: www.canalmeio.com.br



Câmara vai tentar anistia ao caixa dois. De novo.

10 de março de 2017

10 de março de 2017

Câmara vai tentar anistia ao caixa dois. De novo.

Já estão se articulando novamente. Os deputados federais aproveitarão a ordem do Supremo de votar novamente as Dez Medidas de Combate à Corrupção para incluir a anistia às doações de caixa dois. Depois que o senador Valdir Raupp foi transformado em réu pelo STF por uma doação registrada em caixa um mas delatada como fruto de corrupção, bateu pânico no Congresso. Há um argumento novo, segundo a coluna Panorama Político, do Globo. Liberar o caixa dois passado é exatamente como foi a repatriação de recursos que estavam não declarados no exterior. Não se sabe a origem do dinheiro, mas optou-se por anistiar. No Senado, são PMDB e PSDB que mais pressionam para fazer este movimento. (Globo)
 
Aliás… A briga interna do PMDB tem razões mais prosaicas. É, segundo a repórter Andréia Sadi, disputa pela divisão do fundo partidário. Os deputados menos conhecidos temem ficar sem dinheiro para suas campanhas em 2018. Contar com doações de empresas, afinal, será mais difícil.

Renan Calheiros tem outros problemas em mente. Tanto ele quanto Renan Filho, governador de Alagoas, temem a próxima eleição por conta da Lava Jato. E, diz Vera Magalhães, querem indicar um nome para a Secretaria dos Portos, o que lhes ajudaria em Alagoas. (Estadão)

No conjunto das crises, os sinais para a reforma da Previdência não são bons nesta primeira semana de trabalhos pós-carnaval. Ao Estadão, o novo líder da maioria na Câmara, Lelo Coimbra, admite que não tem os 308 votos para aprovar em dois turnos a emenda constitucional. Já a Folha documenta a insatisfação dos tucanos com o texto. O PSDB tem a terceira maior bancada e prepara sugestões de mudanças para enviar ao Planalto. Os deputados querem regras de transição mais amenas. Além disso, defendem que não é hora de igualar os critérios de aposentadoria para trabalhadores rurais e urbanos.

O governo rejeitou a proposta de acordo de leniência da OAS. Considera que a empreiteira trouxe pouco de novo em relação ao que já era conhecido na Lava Jato. (Estadão)

Após ser atacado pela esquerda nas redes, o deputado Chico Alencar, do PSOL, pediu desculpas públicas por ter estado num mesmo jantar com o presidente da República e ter brincado com Aécio Neves. (Globo)

A eleição francesa, que parecia rumar para a extrema direita há um mês, virou. Na segunda pesquisa seguida, Emmanuel Macron, que migrou da esquerda ao centro, se põe a caminho de uma vitória tranquila contra a radical Marine Le Pen, tanto no primeiro quanto no segundo turno. (Globo)

A presidente sul-coreana Park Geun-hye, primeira mulher a governar o país, deixou o cargo após ter seu impeachment confirmado pelo tribunal superior do país. Ela já estava afastada desde dezembro, pelo parlamento.

Tony de Marco
Software da CIA coleta suas opiniões, segredos e seus nudes.

 

Cultura

Em São Paulo, os destaques culturais da Bravo! incluem o Festival de Clipes e Bandas, com shows de Marina Lima e As Bahias e a Cozinha Mineira, e a exposição de Paulo Pasta, que usa tecnologia digital para experimentar novas cores.

No Rio, estão entre as dicas o show de Moraes Moreira, também pelo Festival de Clipes e Bandas, e a peça Gisberta, com o ator Luis Lobianco. 

No cinema, chegam às telas o blockbuster Kong: A Ilha da Caveira (trailer) e o thriller francês Personal Shopper (trailer), entre outros. Veja mais estreias do fim de semana.

O historiador Arno Wehling foi eleito, ontem, para suceder Ferreira Gullar na Academia Brasileira de Letras. O novo imortal é presidente do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro. (Folha)

“O Oscar só tem quatro vagas para melhor atriz — e uma delas é sempre reservada para Meryl Streep.” De Sônia Braga, estrela de Aquarius, em entrevista ao Guardian. Segundo ela, os atores hispânicos têm poucas chances no cinema americano, por causa do sotaque. “É muito injusto”, defende.

Num presídio do Rio de Janeiro há quatro anos, Thiago Castilho escreveu um livro de ensaios sobre liberdade, política e a vida no cárcere. Agora busca na internet arrecadar recursos para publicar a obra. (Globo)

Game of Thrones divulgou a data de estreia da sétima temporada. Será um longo inverno até o lançamento, em 16 de julho.

Vídeo: em animação, Bill Murray canta com Paul Shaffer, músico que por anos acompanhou David Letterman, no Late Show, e que agora lança disco novo.

Gregorio Duvivier fará uma versão nacional de Last Week Tonight, comandado por John Oliver na TV americana. O programa será lançado pela HBO, que anunciou ainda série sobre Santos Dumont e nove documentários. (Folha)

Para ouvir no fim de semana: o New York Times faz um especial com 25 hits que explicam para onde vai a música nos dias de hoje. De Leonard Cohen a Metallica.

Falando em música, o Black Sabbath confirmou o fim da banda. Em fotos, o Guardian repassa os 50 anos do grupo liderado por Ozzy Osbourne. Ouça no Youtube ou no Spotify.

Viver

O Ministério da Educação anunciou mudanças no Enem. A maior delas diz respeito à divulgação do ranking por escolas, que, anualmente, trazia as notas das instituições cujos alunos realizaram o teste. Vai acabar. A lista, segundo o governo, vinha sendo mal utilizada — virava, principalmente, publicidade para escolas particulares.

Torturada, apedrejada e morta a tiros. O terrível assassinato da transexual Dandara dos Santos, de 42 anos, no Ceará, foi gravado em vídeo e chocou o país. Ela não está só. Em 2016, foi recorde o número de transexuais assassinados (144). Eram 57 casos em 2008, quando a Rede Trans passou a monitorar os ataques desse tipo. O New York Times lembra que a popularidade de figuras como Jair Bolsonaro ilustra o crescente conservadorismo que legitima a violência no país. 

“Sou a prova viva de que a PM não respeita a democracia nem a liberdade de expressão”. A frase é do ex-policial Darlan Menezes Abrantes, que, depois de escrever livro sobre a PM, foi banido da corporação. Segundo a ONG Human Rights Watch, 436 mil policiais militares do Brasil estão sujeitos a punições desproporcionais por falar publicamente suas opiniões.

Lista de Schindler vai a leilão — por 2,2 milhões de euros. O documento tem 14 páginas e é uma das listas feitas por Oskar Schindler em sua missão para salvar judeus do Holocausto. Ao todo, ele criou sete delas, mas apenas quatro ainda existem.

O que aconteceu desde que você nasceu? A Atlantic criou um especial interativo para responder.

Galeria: os cinco objetos mais simétricos do mundo e por que é tão difícil criá-los, segundo a revista Nautilus.

Um sismógrafo detectou um “terremoto” na comemoração do sexto gol do Barcelona contra o Paris Saint-German. Um terremoto minúsculo, é fato, mas mostra a empolgação da torcida no momento já histórico. 

Não à toa um locutor espanhol perdeu o controle quando saiu o último gol. “Já posso morrer!”, gritava repetidamente. Veja o vídeo.

Falando em narração emocionada, vale lembrar aquela do gol de Maradona contra a Inglaterra em 1986. 

Cotidiano Digital

Em sua busca por se tornar lucrativo, o WhatsApp iniciou os testes para incluir anúncios no app. Segundo documento interno da empresa, a ideia é permitir que o anunciante segmente a publicidade com base nos perfis dos usuários.

Google é eleita melhor empresa para se trabalhar nos Estados Unidos. A gigante da tecnologia já recebeu o título seis vezes seguidas. Entre as razões, estariam os mimos dados a funcionários — de comida gratuita a cortes de cabelo —, o aumento da licença-maternidade e sua política de inclusão de transgêneros.

Um app para fugir de papo chato. É assim o Nope, uma extensão criada para o Google Chrome. Num clique, o usuário recebe uma ligação falsa no celular e, em seguida, ouve instruções para driblar o interlocutor indesejado.



Michel Temer fala na TV sobre FGTS

6 de março de 2017



Odebrecht deu dinheiro para todo mundo

3 de março de 2017

3 de março de 2017

Odebrecht deu dinheiro para todo mundo

Ao todo, pelas contas de Marcelo Odebrecht, ele repassou ao PT cerca de R$ 300 milhões entre 2008 e 2014. O dinheiro era gerenciado principalmente por Antonio Palocci e, depois, Guido Mantega. O empreiteiro afirmou também que a ex-presidente Dilma Rousseff tinha conhecimento sobre a ajuda financeira, mas que jamais lhe pediu diretamente qualquer contribuição. (Globo)

No Planalto, a avaliação é de que o depoimento de Odebrecht à Justiça Eleitoral já é suficiente para garantir a cassação da chapa Dilma-Temer. A única salvação do mandato do presidente, de acordo com o Painel, seria conseguir que o TSE avaliasse como separadas as contas da candidata a presidente e as de seu vice. (Folha)

Ainda em seu depoimento, Odebrecht afirmou ter usado a Cervejaria Itaipava como laranja para o pagamento de doações políticas. Pelo menos R$ 30 milhões foram desviados para partidos através da empresa. (Estadão)

Não custa lembrar: a Itaipava, conforme apuração de 2016 do repórter investigativo Chico Otávio, é ligada ao presidente da Assembleia Legislativa do Rio, Jorge Picciani. (Globo)

Tem para todo mundo. Benedito Júnior, ex-presidente da Odebrecht Infraestrutura, declarou ao TSE ter repassado R$ 9 milhões ao caixa dois de campanhas eleitorais do PSDB. O pedido teria partido do próprio candidato ao Planalto em 2014, Aécio Neves. (Folha)

Segundo o chefe de Benedito, Aécio não parou naqueles nove. Odebrecht afirmou ter recebido pessoalmente um pedido de R$ 15 milhões ao final do primeiro turno. Este pagamento não se concretizou. (Estadão)

Para o PDT foram R$ 4 milhões da empreiteira.

Aliás… O ex-presidente da Câmara Henrique Eduardo Alves afirmou estar surpreso com a descoberta de depósitos no valor de R$ 2,5 milhões em uma conta sua na Suíça.

Enquanto isso, o ex-tesoureiro do PT, Delúbio Soares, foi condenado a cinco anos de prisão pelo juiz Sérgio Moro. É acusado de participar da lavagem de R$ 6 milhões que partiu de um empréstimo fraudulento concedido pelo Banco Schahin. (Estadão)

E o Brasil volta a ter chanceler. O senador tucano Aloysio Nunes Ferreira foi indicado pelo presidente Michel Temer para assumir a diplomacia. Segundo Clóvis Rossi, o país não tem política externa clara (seja boa ou má) desde o fim do governo Lula. A dúvida é se passará a ter. (Folha)

Com uma inflação projetada de 3,8% neste ano — a meta oficial é 4,5% —, o BC deu sinais de que pode acelerar a queda da taxa básica de juros. Para o consumidor, porém, o efeito da queda que já houve é pouco sentido. O crédito continua caro. (Estadão)

Para assistir com calma: o historiador israelense Yuval Noah Harari, autor do excelente Sapiens e, mais recentemente, Homo Deus, é entrevistado por Chris Anderson, curador do TED, por uma hora. É a estreia de um novo formato — sai a palestra curta, entra a conversa de fôlego. Harari defende que o verdadeiro embate político, hoje, não se dá mais entre esquerda e direita, e sim entre globalistas e nacionalistas. Em inglês, com legendas em inglês.

Para ler com calma: Na revista Piauí de outubro último, Ruy Fausto (USP) defende uma reconstrução da esquerda para além do que chama “discurso Marilena Chauí”. Na de dezembro, Samuel Pessôa (FGV) lhe responde dizendo que não há alternativa fora do projeto social-democrata — ou neoliberal — proposto pelo governo FHC. Na edição de fevereiro veio a tréplica de Fausto. O quanto a globalização faz parte do projeto neoliberal — e o quanto não pode ser vista, também, num projeto de esquerda? O debate segue para além dos slogans fáceis das redes sociais.

O secretário de Justiça dos EUA, Jeff Sessions, decidiu abster-se das investigações a respeito da influência do Kremlin na eleição e, posteriormente, sobre alguns dos assessores do presidente americano Donald Trump. Sessions tomou a decisão após o jornal Washington Post revelar que ele próprio manteve contato com o embaixador russo em Washington, coisa que vinha negando.

Tony de Marco
A ponta do iceberg “Mineirinho”.

Cultura

Em São Paulo, os destaques sugeridos pela Bravo! são o show da pernambucana Alessandra Leão, hoje, no Auditório Ibirapuera, e a exposição em homenagem a Laura Cardoso, no Itaú Cultural, entre outros.

No Rio, as indicações culturais incluem o show de João Bosco, no sábado, no Teatro Rival, e a mostra dedicada ao cineasta Jean Renoir, no CCBB.

Nos cinemas, estreiam Logan (trailer), despedida de Hugh Jackman do papel de Wolverine, e o documentário nacional Waiting for B. (trailer). Veja todos os lançamentos deste final de semana.

De Brigitte Bardot, sobre o tempo que viveu em Búzios: “Era apenas uma aldeia de pescadores sem água encanada ou eletricidade. Vivíamos como Robinson Crusoé em praias selvagens e desertas. As ruelas eram cheias de leitões pretos e galinhas. Nós vivíamos de pesca, farofa, mangas e muito sol”. A atriz, aos 82 anos, é tema de livro que sai esta semana na França. (Folha)

Em meio a uma crise, o Metropolitan Museum, de Nova York, perde seu diretor. Thomas P. Campbell, que estava no cargo havia oito anos, renunciou. (Globo)

A casa em que cresceu Nina Simone surgiu à venda no início deste ano. Por US$ 95 mil. Para preservar a memória da cantora e ícone do movimento negro nos Estados Unidos, quatro artistas decidiram comprar a modesta casa de madeira — que agora pode ser vista em vídeo 360º no New York Times.

Vale ver (ou rever): o documentário sobre Nina Simone na Netflix.

Lou Reed completaria 75 anos ontem. Sua ex-mulher, a artista Laurie Anderson, decidiu doar à Biblioteca Pública de Nova York o acervo completo do músico. São papéis, fotos e gravações, cerca de 600 horas delas, conta o Globo. A New Yorker visitou o acervo e traz detalhes, como uma carta de Martin Scorsese para Lou Reed dizendo que ele precisa conhecer Johnny Depp ou fitas que o cantor mandava por Correio para si mesmo nos anos 1960.

Ouça Lou Reed, no Spotify ou no Youtube.

Alec Baldwin se tornou o rosto de Donald Trump na comédia americana. Em vídeo, o ator conta que até se sentar diante da câmera do Saturday Night Live não tinha ideia de como iria fazer a imitação ‚— já clássica — do presidente.

Viver

“Fui estuprada, abusada sexualmente quando criança e, depois, demitida porque não quis dormir com meu chefe. Sempre pensei que era minha culpa.” A atriz Jane Fonda revelou agora, aos 79 anos, o momento do doloroso passado — sua mãe, também vítima de estupro, cometeu suicídio quando ela tinha 12 anos.  Ativista dos direitos da mulher, ela disse que teve “homens maravilhosos, mas todos vítimas do sistema patriarcal”.

Uma mulher foi agredida a cada quatro minutos no Carnaval do Rio. Segundo a Polícia Militar carioca, entre a sexta e a Quarta-feira de Cinzas, mais de 2.000 chamadas foram pedidos de socorro por violência contra a mulher.

O que nos leva a compartilhar posts nas redes sociais? Segundo estudo recente, a resposta não está no conteúdo da notícia, mas no cérebro de quem compartilha.

Os números sobre a imigração vêm sendo mal interpretados. É o que diz a Nature. Segundo a revista, o número de imigrantes entrando na Europa é baixo comparado à população do continente. Nações na África e na Ásia estão recebendo muito mais.

Para ler com calma: Por que as notícias ainda surgem durante a noite? A Atlantic explica (em inglês).

Cotidiano Digital

A transmissão exclusiva via internet do Atletiba, clássico do futebol paranaense, gerou 3,7 milhões de visualizações. Foi a primeira transmissão online de um jogo no país.

Mas a notícia do dia foi o IPO da Snap. A empresa, dona do Snapchat e do óculos de realidade virtual Spectacles, colocou ações à venda pela primeira vez. Começou o dia avaliada em US$ 33 bilhões. Captou US$ 3,4 bilhões.

Durante o dia, as ações subiram 44%.

Aliás, a Snap é a primeira das chamadas ‘unicórnios’, as startups avaliadas em bilhões de dólares, a abrir capital na Bolsa de Valores. A boa recepção dos investidores pode criar caminho para outras empresas de tecnologia, como AirBnB e Uber — esta última, antes, precisa se livrar da crise que enfrenta.

O próximo pesadelo da segurança tecnológica podem ser os aparelhos médicos. Instrumentos como desfibriladores são cada vez mais hackeados, conta a Wired. Podem ser a porta de entrada para as redes de grandes hospitais.



Aliado de Cunha é o novo ministro da Justiça

24 de fevereiro de 2017

Caros leitores, prezadas leitoras –
 
Esta é a edição de número 100 cá do
Meio. O número de assinantes aumenta a cada dia por conta das melhores recomendações que podemos ter: as de vocês.
 
Agora, com o Carnaval à porta, daremos uma pausa. A próxima edição chegará a suas caixas postais na quinta-feira, 2 de março. E a newsletter terá uma cara diferente. Nestes últimos meses, o
Meio cresceu, formou equipe, e é hora de ter marca. Muda a cara, ganha alguma cor, mas ficam a legibilidade da fonte e, principalmente, a personalidade.
 
O Carnaval, como sempre acontece, passará. É quando o ano brasileiro começa. Todos os dias, nos esforçamos para lhes apresentar de forma sucinta aquilo que é essencial. Se o
Meio faz parte de sua vida, espalhe para os amigos, grupos de Facebook e de WhatsApp. Para nós, faz toda diferença.
                                                                                                            
Evoé Momo! — E muitíssimo obrigado pela leitura diária =)

24 de fevereiro de 2017

Aliado de Cunha é o novo ministro da Justiça

Paranaense, o peemedebista Osmar Serraglio está no quinto mandato como deputado federal e tem 68 anos. Entre 2005 e 2006, ganhou destaque ao relatar a CPMI dos Correios, que terminou investigando o Mensalão. Aliado do ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha, presidia a Comissão de Constituição e Justiça no período de sua cassação. Manobrou o quanto pode para evitar qualquer pena a seu correligionário e defendeu abertamente que Cunha fosse anistiado. Votou a favor da emenda que pune juízes e procuradores por abuso de autoridade assim como quis urgência para o projeto que tira poderes do Tribunal Superior Eleitoral. O novo ministro declarou que não tocará nas investigações ligadas à Lava Jato. “Não cabe a mim interferir em algo que é conduzido por outro Poder, o Judiciário”, disse. A Polícia Federal está sob comando de seu ministério. (Globo)

A escolha não pacificou o PMDB. O primeiro-vice-presidente da Câmara, Fábio Ramalho, rompeu com o governo porque reivindicava o cargo para o braço mineiro do partido. Outros se queixam de que Serraglio não tem influência real sobre a bancada e, por isso, não poderia garantir seus votos. (Estadão)

O presidente Michel Temer destituiu André Moura (PSC) do cargo de líder do governo. Aguinaldo Ribeiro, do PP, assume a função. A troca havia sido negociada para que o PP votasse em Rodrigo Maia para a presidência da Casa. (Folha)

Ninguém ficará sem cargo ou um naco de poder. O PSDB seguirá na chancelaria, apesar do pedido de demissão de José Serra. O novo ministro das Relações Exteriores deverá mesmo ser o senador Aloysio Nunes Ferreira. E Temer segue com sua maioria parlamentar cambaleante. (Estadão)

Serra, por sua vez, vê no retorno ao Senado uma chance de reavivar seu potencial eleitoral em São Paulo. No Itamaraty, envolvia-se demais com a política do mundo, sem poder frequentar a política no estado. Até pelas dores na coluna, considerava que o custo físico do cargo não valia os poucos frutos que colhia. (Folha)

E no jogo jogado dos votos por cargo, sobram também ameaças. O PMDB mineiro, que comanda Furnas, pode ficar sem nada pela ameaça de infidelidade. (Estadão)

Enquanto isso… José Yunes, que foi assessor especial de Temer até dezembro, disse ao Ministério Público que recebeu ‘documentos’ do doleiro Lucio Funaro a pedido do ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, em 2014. De acordo com a delação Odebrecht, o que ele recebeu foram R$ 4 milhões. O ex-assessor e amigo do presidente esteve com Temer para uma conversa, ontem à tarde.

Mario Vargas Llosa: “Algum dia teremos de erigir um monumento em homenagem à Odebrecht. Nenhum governo ou partido fez tanto desvelando a corrupção que corrói os países da América Latina.” (Estadão)

O ex-presidente uruguaio Pepe Mujica tornou-se colunista de vídeo da Deutsche Welle. Nos 11 filmetes até aqui, apresenta sua visão de mundo.

Conheça Mar-a-Lago, a Casa Branca paralela de Donald Trump.

Tony de Marco
NASA protesta, mas Senado sabatina e aprova um oitavo planeta.

 

Cultura

Em São Paulo, as indicações culturais da Bravo! contemplam foliões e os que fogem do Carnaval. Hoje, ocorre o desfile do bloco Ilú Obá de Min, na Praça da República, e, no sábado, Tulipa e Céu, entre outros, se revezam nos bailes de Carnaval do Largo da Batata. No Itaú Cultural, tem início a Ocupação Laura Cardoso, que conta os 75 anos de carreira da atriz.

No Rio, os destaques incluem o eclético baile de Carnaval do Circo Voador, no domingo, e o Samba do Trabalhador, na segunda, no Renascença Clube do Andaraí. Para os não foliões, o Ateliê da Imagem, na Urca, apresenta individual de Monica Barki.

Encontre o seu bloco: o G1 disponibilizou um bom guia para pesquisar blocos no Rio e em São Paulo. E o Google está prometendo mostrar os percursos e interdições no Google Maps.

Ainda o Carnaval: às vésperas da folia, Lira Neto lança Uma História do Samba? — ?As Origens, primeiro de uma série de volumes dedicados ao gênero. Neste, o autor vai da formação do samba urbano, no Rio do fim do século 19, ao início década de 30, quando surgiram os primeiros desfiles de escolas. Em entrevista, ele conta que o samba é uma criação “essencialmente coletiva, produzida ao longo de gerações” e defende: “O samba se reinventa. Agoniza, mas não morre”.

Nos cinemas, estreiam A Grande Muralha (trailer), com Matt Damon, e o drama Moonlight (trailer), com oito indicações ao Oscar. Veja mais estreias do fim de semana.

O palco do Oscar já serviu para muitos discursos políticos — desde a Grande Depressão até, provavelmente, esta edição, marcada para domingo. Com o passar dos anos, a cerimônia se tornou cada vez mais politizada e serviu de palanque para cineastas e atores marcarem seus posicionamentos. O Washington Post conta como o Oscar, desde 1930, responde à política fora das telas.

Vídeo: uma compilação de discursos políticos do Oscar desde 1973, quando Marlon Brando mandou uma ativista indígena para discursar em seu lugar. 

A cerimônia, aliás, não será transmitida pela Globo, que vai apresentar os desfiles das escolas de samba na Sapucaí. Na TV a cabo, a TNT fará a transmissão ao vivo, a partir de 21h30 de domingo.

Ainda o Oscar: para quem quer se refugiar da folia no cinema, veja onde ver aos filmes indicados. Para quem quer assistir à cerimônia, as emissoras que vão transmitir.

E para quem quer ficar em casa no Carnaval, 21 séries do Netflix para fazer binge.

Viver

Quando começa a trabalhar para o Uber, o funcionário deve abraçar 14 valores essenciais da empresa, entre eles, ser “obcecado” com o cliente e acreditar que o esforço leva ao crescimento — mesmo que, para isso, seja preciso pisar em companheiros de trabalho. Os valores eram restritos ao Vale do Silício até que uma funcionária os descreveu num site, em detalhes, e disparou uma crise na empresa nesta semana. O New York Times conta que o ambiente de trabalho é, de fato, pautado pela agressividade.

Mais de 30% dos presos no Brasil são provisórios. A pesquisa do Conselho Nacional de Justiça foi elaborada a pedido da presidente do STF, Cármen Lúcia, após a crise carcerária que marcou o início do ano no país. Dos 654.372 detentos no Brasil, 34% são provisórios. Do total de presos, 13% respondem por homicídio. O crime mais frequentemente imputado aos réus detidos é o tráfico de drogas.

Não à toa… relatório da ONG Human Rights Watch aponta a necessidade de uma revisão da Lei de Drogas, que endureceu as penas para traficantes, mas não descriminalizou o usuário. Anteontem, na sabatina de Alexandre de Moraes, o novo ministro do STF afirmou que a lei só aumenta as prisões.

Vídeo: na China, uma reserva de tigres siberianos usa drones para que os animais se exercitem.

Cotidiano Digital

Enquanto o Brasil pula o Carnaval, a indústria de celulares se reúne em Barcelona para o Mobile World Congress. É a maior feira de celulares do mundo e palco de lançamento dos novos modelos para quase todas as fabricantes. A feira começa na próxima segunda e vai até quinta. O Engadget listou alguns dos aparelhos que devem ser apresentados. LG, Sony e Huawey estão prometendo grandes novidades. A Lenovo deve anunciar um sucessor para o Moto G. Já Nokia e Blackberry tentam voltar ao jogo. A Samsung focará nos tablets, e não deve anunciar celular novo.

Falando em Nokia, há algumas semanas rolam boatos de que, além de uma nova linha de celular Android, a empresa finlandesa vai relançar seu aparelho mais bem sucedido de todos os tempos, o Nokia 3310. Será?

E, falando em saudosismo, um dos editores do Boing Boing colocou no ar o txt.fyi, uma plataforma de publicação de textos totalmente minimalista, remontando aos primórdios da web. Sem layout, sem anúncios, sem estatísticas. É só escrever e publicar.

Ainda não é assinante do Meio? Faça sua inscrição no nosso site.
Não custa nada: www.canalmeio.com.br



Moraes mais próximo do STF

22 de fevereiro de 2017

22 de fevereiro de 2017

Moraes mais próximo do STF

O ministro licenciado Alexandre de Moraes foi aprovado pela Comissão de Constituição e Justiça do Senado por 19 votos a 7. Ainda hoje, seu nome deve ser levado ao plenário da Casa e, caso a aprovação se confirme, ele segue para ocupar uma cadeira no Supremo Tribunal Federal. O candidato se declarou a favor da Lava Jato, do uso de delações premiadas e da prisão de réus condenados em segunda instância. Foi pressionado a explicar por que aceitava o convite após ter condenado, em sua tese de doutorado, indicações de quem exerce cargo de confiança. Se esquivou declarando que não sente dever favor político. Ele afirmou que considera o foro privilegiado “extremamente generoso”, mas deu a entender que deve ser o Legislativo, e não o Judiciário, a mudar. Daí, disse ver um “ativismo judiciário” quando o STF normatiza aquilo que o Congresso não legislou. A sessão para avaliar o nome está marcada para 11h. Será transmitida ao vivo pela TV Senado, no YouTube. (Estadão)
 
Moraes explicou, também, que considera o bloqueio de sistemas como o WhatsApp legal e uma opção razoável para juízes que sintam a necessidade de pressionar empresas da internet.

Checando os fatos ditos por Moraes e senadores: segundo a Lupa e a Agência Pública.

O ministro foi aprovado em clima amistoso. Até porque senadores que costumam ser críticos ao governo, como Roberto Requião, Jorge Viana e Humberto Costa, se ausentaram da sessão. (Folha)

Imperdível a fotografia de Dida Sampaio, do Estadão, capturada durante a sabatina.

Enquanto isso, no outro lado da Praça dos Três Poderes, o ministro Celso de Mello voltou a se posicionar contra o foro privilegiado. (Globo)

Sérgio Moro não poderá usar a delação de Sérgio Machado contra José Sarney. Por decisão da 2ª Turma do STF, o ex-presidente será investigado no Supremo. Foi a primeira derrota do ministro Edson Fachin como relator da Lava Jato.

Tem um grupo no PT querendo Dilma candidata ao governo gaúcho. (Estadão)

E… a turma do Piauí Herald imagina como seriam as novas conversas gravadas de Jucá…

A intervenção do governo Dilma no setor elétrico para baixar o valor das contas custará caro. A Aneel definiu em R$ 62,2 bilhões a indenização às transmissoras de energia. A conta será dividida pelos consumidores em lentas parcelas até 2025. (Globo)

A afirmação é do ministro da Fazenda, Henrique Meirelles: “Essa recessão já terminou.” A ver. Mas, esteja certo ou não, é a mais longa da história da República brasileira. (Globo)

A Ternium, sócia da Usiminas, comprará da alemã Thyssenkrupp a siderúrgica CSA. (Globo)

Embora os votos no Equador ainda não tenham sido todos contados, o Conselho Nacional Eleitoral afirmou hoje que o segundo turno é inevitável. Disputarão Lenín Moreno, o candidato do presidente Rafael Correa, e Guillermo Lasso. Acionista de um dos principais bancos do país, Lasso é supernumerário da Opus Dei. Apesar de boa parte da carreira ter sido no setor privado, foi governador de Guayas e ministro da Fazenda.

Cultura

Charles Cosac vai bancar sala infantil na Biblioteca Mário de Andrade, em São Paulo. O empresário, que fechou as portas de sua editora no ano passado, doará os R$ 350 mil do projeto, que buscava, até ontem, financiamento via crowdfunding — e só alcançou pouco mais de R$ 25 mil.

Aliás… No Brasil, ainda engatinhamos no mundo de crowdfunding. Para incentivar campanhas filantrópicas eficientes, a praxe lá fora é um benfeitor rico oferecer de casar um dólar para cada dólar doado até determinado limite. Estimula participação.

Há 40 anos, Caetano Veloso lançava a música Odara, dentro do álbum Bicho. No Suplemento Pernambuco, Fred Coelho conta como a canção se tornou tanto um ícone do desbunde do grupo liderado por Caetano, quanto um marco na carreira do cantor. E conclui: Odara é capaz de instaurar, mesmo que por apenas sete minutos, uma “saúde solar em meio ao período de trevas que se espraia entre nós”.

A propósito: ouça o álbum Bicho, de Caetano, no Spotify.

O número de mulheres atuando em filmes foi recorde em 2016. Segundo pesquisa, elas estão em 29% dos 100 longas que mais arrecadaram no ano passado, crescimento de 7% com relação a 2015. A autora do estudo, porém, vê os dados com olhar crítico: “É possível que introduzir mulheres como protagonistas seja mais fácil e menos ameaçador do que contratar mulheres diretoras e roteiristas”. Apenas 7% dos filmes feitos no ano passado foram dirigidos por mulheres.

Caio Blat será gângster em série da BBC. O ator vai interpretar Antonio Mendez, bandido de um cartel mexicano, em McMafia, produção sobre o crime organizado.

O elenco do filme de Han Solo se reuniu ontem, num estúdio em Londres, e divulgou a primeira foto, marcando o início das gravações. O segundo spin-off de Star Wars nos cinemas está previsto para 2018.

Viver

Uber vive segunda crise em menos de um mês. Em janeiro, a empresa foi alvo da campanha #DeleteUber, por reduzir a tarifa em concorrência aos taxistas de Nova York, que então faziam greve de protesto contra Donald Trump. Agora, é a vez de a empresa ser acusada de sexismo por uma ex-funcionária. A engenheira Susan Fowler disse que foi sistematicamente assediada por um gerente e afirmou que o Uber limita o potencial de crescimentos das mulheres. Em seguida, o CEO da empresa, Travis Kalanick, pediu desculpas e anunciou comitê para investigar as acusações. 

Rebaixado em 2006, Plutão pode voltar a ser um planeta. Cientistas da Nasa acabam de publicar um manifesto sobre a revisão do conceito. Se a proposta for adotada, 100 novos planetas serão alçados imediatamente ao Sistema Solar, incluindo Plutão e até a Lua. No cerne do manifesto está a ideia de que, para ser um planeta, uma massa cósmica não precisa necessariamente orbitar em torno do Sol. Para os pesquisadores, as propriedades físicas do ‘candidato’ a planeta são mais importantes do que sua interação com outras estrelas.
 
Para ler com calma:
Eliane Brum escreveu sobre turbantes, moças brancas e apropriação cultural — a polêmica do momento nas redes. Defende que o movimento negro precisa ser respeitado e que brancos não deviam usar a indumentária. No Medium, Guilherme Assis lhe respondeu ponto por ponto.

Papa diz que proteger imigrantes é “imperativo moral” das autoridades. Outra vez, não citou nomes, muito embora o assunto venha dominando seus discursos desde a posse de Donald Trump. O pontífice disse que as nações devem integrar imigrantes num “trabalho bidirecional” de reconhecimento de outras culturas.

O papa, aliás, foi pop dias atrás. Tratou de assunto mundano: o uso dos celulares à mesa de jantar. O gesto, disse a uma plateia jovem na Itália, “é o início da guerra”, porque impede o diálogo.

Cotidiano Digital

Divulgar fotos ou vídeos, sem autorização, com nudez ou sexo, pode se tornar crime. A Câmara dos Deputados aprovou ontem projeto de lei que deverá ser votado pelo Senado.  

Estatísticas de um mundo digital: somos 4,7 bilhões de usuários de internet no mundo. Já os sites, que passaram de 1 bilhão em 2014, hoje são 966 milhões. Veja a coletânea de dados.

O Medium está fechando o escritório no Brasil e acabando com a curadoria de conteúdo em português. É parte do processo de reinvenção pelo qual a empresa está passando.

O Google anunciou ontem que vai acabar com os anúncios de 30 segundos que não permitem pular no YouTube. Mas só em 2018.