Assine o Meio: notícia confiável para quem não tem tempo de ler jornal.





31 de julho de 2018
Consultar edições passadas

Ciro faz últimas apostas para atrair PSB


A costura para uma aliança do PSB com o PDT de Ciro Gomes está com vento a favor. De acordo com Sonia Racy, no Estadão, os trabalhistas abririam mão de candidatos ao governo de Piauí e Distrito Federal para apoiar socialistas. Segundo apuração de Rosália Rangel, no Diário de Pernambuco, o PDT oferece, também, apoio ao paulista Márcio França — mesmo que, por fidelidade pessoal, o ex-vice de Alckmin prefira frequentar o palanque tucano. E Márcio Lacerda, que tem planos de concorrer ao governo mineiro, receberia o convite para vice, informa Gustavo Uribe, na Folha. Está disposto a aceitar. Caso a aliança se concretize, será a primeira vez em quase trinta anos que a vontade do PSB pernambucano não será vitoriosa. Candidato à reeleição, Paulo Câmara gostaria de uma aliança com o PT.

Pois é. O PT ainda trabalha duro para conseguir, ao menos, a neutralidade do PSB. Mas ao menos uma decisão parece já ter sido tomada. Fernando Haddad será o candidato do PT, segundo o BR18. Caso Lula não possa concorrer.

Mais dois que recusaram a vice. O ator Marcos Palmeira se esquivou de Marina Silva; a senadora gaúcha Ana Amélia, de Geraldo Alckmin. (Estadão)

Mas... A advogada Janaína Paschoal está acenando para Jair Bolsonaro. Só que, segundo Lauro Jardim, o príncipe Luiz Philippe de Orléans e Bragança, tetraneto de D. Pedro II, ainda segue como opção.

Compartilhe:

Para ouvir com calma: O novo episódio do podcast Presidente da Semana reconstrói o governo João Goulart e como, devagar, com um erro após o outro de personagens distintos, se criou o ambiente no qual ocorreu o Golpe de 1964. O programa de áudio tem 52 minutos e conta uma história particularmente equilibrada. (Folha)

E por falar em Golpe... Após a Corte Interamericana de Direitos Humanos condenar o Brasil por não ter investigado, julgado e punido os assassinos do jornalista Vladimir Herzog, o MPF-SP reabriu as investigações. Herzog, que dirigia o jornalismo da TV Cultura, morreu dentro do DOI-CODI em 28 de outubro de 1975. O Regime Militar alegou suicídio. Para a OEA, com todos os indícios de tortura, sua morte cumpre os requisitos para ser qualificada crime contra a humanidade, o que extingue qualquer possibilidade de prescrição ou anistia.

Compartilhe:

A China está para colocar em prática o que talvez seja o mais ambicioso plano de infraestrutura jamais realizado. A Iniciativa Um Cinturão, Uma Rota foi anunciada em 2013 e se tornou um projeto global. Compreende a construção de estradas de rodagem e de ferro, portos e aeroportos, interligando principalmente Ásia e África. O País do Centro financia, mão de obra chinesa é usada, mas o dinheiro ajuda a bombar economias várias. São países pobres que criarão dívidas com Beijing — e, por isso mesmo, ficarão sob sua influência. Os críticos apontam que, na prática, o governo chinês está é gerando imensa corrupção entre políticos de vários cantos. Mas, em 2017, 24 chefes de Estado visitaram o país manifestando interesse neste novo Plano Marshall. Ao todo, 70 nações deverão ser tocadas.

A tecnologia que será empregada é nova, criada no período de intensas obras dentro da China. Uma máquina chamada Monstro de Ferro, já em operação, constrói as ferrovias — transporta, posiciona e fixa os trilhos conforme anda. Os tatuzões para perfurar túneis são de fabricação própria. E a operação é eficiente, anda num ritmo acelerado. A ferrovia Mombaça-Nairóbi, inaugurada no ano passado, ficou pronta com 18 meses de antecedência. A BBC Brasil tem um especial sobre os métodos de construção.

Compartilhe:

HealthTech


A Suprema Corte britânica decidiu ontem que não será mais preciso consultar um juiz nos casos em que um paciente estiver sem consciência, mantido vivo por eletrônicos, e médicos e família decidirem em conjunto desligar as máquinas. “A decisão desta Corte reconhece o fato de que às vezes, com tristeza, é melhor para uma pessoa cessar o tratamento”, afirmou Lady Black of Derwent, uma das ministras. “Isto permitirá que aqueles mais próximos — os que a amam e a equipe médica — sintam-se confortáveis para tomar a decisão correta, mesmo que difícil.” A Justiça continua à disposição quando familiares ou médicos não tiverem chegado a um consenso.

Há, porém, um receio: segundo o NHS, equivalente ao SUS britânico, há 24 mil pacientes em estado vegetativo nos hospitais dos quatro países. O número pode chegar a 64 mil se forem incluídas as casas de repouso. Pode ocorrer um desligamento em massa.

Compartilhe:

Um repórter do Guardian acompanhou a cirurgia para retirada de uma próstata com câncer num hospital londrino. A diferença: um robô a fez. A poucos metros, cabeça enfiada num monitor como fotógrafo de lambe-lambe, o cirurgião guiava com joystick e pedais a máquina. São necessárias apenas pequenas incisões, ao invés de abrir por completo o corpo. Variando entre imagem em vídeo com zoom e um modelo 3D, o médico é também capaz de ser muito mais preciso. Pode, por exemplo, sequer tocar em toda a estrutura nervosa ao redor da glândula, preservando ao máximo a capacidade sexual do paciente. (Após a próstata ser retirada, é preciso analisar se há células cancerosas no exterior. Se não houver, todos estes nervos podem ser mantidos pois não há risco de metástase.) Com o robô guiado, a cirurgia é também mais rápida, e menos cansativa. Um cirurgião poderia fazer mais delas durante o dia.

Compartilhe:

A 23AndMe é uma empresa um quê diferente para os padrões do Vale do Silício. Fundada por Anne Wojcicki, ex-mulher de Sergey Brin, do Google, vende o mapeamento personalizado de DNA. O cliente recebe um tubo no qual cospe, devolve pelo correio e pouco mais de um mês após tem acesso a um sistema pelo qual pode navegar em seu código genético. Aprende sobre sua ancestralidade, mas também sobre a predisposição genética a determinadas doenças. Sistematicamente, o site faz perguntas rápidas a seus clientes: Sonolência pela manhã? Já teve a doença x ou y? Alguém da família tem tal característica? A partir do conjunto das respostas, genes específicos vão sendo relacionados a características ou doenças. Vários estudos científicos já saíram de lá. E, na última semana, a empresa assinou um acordo de colaboração com a farmacêutica GlaxoSmithKline. Os britânicos injetaram US$ 300 milhões na empresa do Vale em troca de ações e o acordo vale por quatro anos. Durante este período, utilizando-se do conhecimento acumulado em genética e vasculhado por inteligência artificial e big data, vão desenvolver remédios juntos.

Há uma polêmica aí. Peter Pitts, do Centro por uma Medicina no Interesse Público, argumenta que as empresas deveriam pagar aos clientes da 23AndMe pelo uso de seu código genético. Este debate — quem pode lucrar a partir do mapa genético que não lhe pertence — está apenas começando na medicina do futuro.

O foco inicial da colaboração é o Mal de Parkinson.

Compartilhe:

Viver


Para o próximo encontro com a Copa do Mundo ainda faltam quatro anos. Mas para rever um de seus personagens principais falta pouco — bem pouco. Isso porque entra em campo amanhã, no primeiro jogo das quartas de final da Copa do Brasil, o VAR. Isso mesmo. O árbitro de vídeo. Pois é. A tecnologia será utilizada até a final do torneio, com 14 a 16 câmeras e custando R$ 50 mil por partida. Bráulio Machado será o primeiro árbitro de vídeo a atuar na história do futebol brasileiro, na partida entre Santos e Cruzeiro.

Compartilhe:

Daqui a quatro bilhões de anos, Andrômeda vai colidir com a Via Láctea. Modelos matemáticos e imagens de telescópios preveem a fusão entre as duas maiores galáxias do Grupo Local. Mas isso não será uma grande novidade para Andrômeda. Um grupo de cientistas acaba de publicar um estudo em que concluem que há dois bilhões de anos ela cometeu um outro ato de canibalismo galáctico. Naquele tempo, havia uma terceira grande galáxia no Grupo Local: a M32p foi despedaçada por Andrômeda, mas deixou um rastro de pistas agora reconstruído por astrônomos da Universidade de Michigan.

E os acontecimentos astronômicos desta semana ainda não acabaram: hoje é o grande dia para ver Marte a olho nu — ele estará o mais próximo da Terra em 15 anos.

Compartilhe:

Um grupo de ciclistas liderado por 13 mulheres pedalou os 3,3 mil quilômetros da Tour de France durante 23 dias sem estarem inscritas ou receberem qualquer premiação. Tudo para mostrar aos organizadores da corrida que não concordam com as regras do evento. Desde 2014 elas cobram a inclusão de mulheres na prova — que só pode ser disputada por atletas homens. O objetivo do ato era demonstrar que as profissionais do ciclismo têm condições de estar na Tour de France — ou em uma prova equivalente voltada para mulheres —, tanto quanto seus colegas masculinos. (Nexo)

Compartilhe:

Cultura


Os atores de Guardiões da Galáxiaentre eles Chris Pratt, Zoe Saldana, Bradley Cooper e Vin Diesel — assinaram uma carta em defesa do diretor James Gunn, que foi afastado do comando da próxima sequência após comentários antigos sobre pedofilia e estupro feitos por ele no Twitter virem à tona. No texto, o elenco diz ter refletido por 10 dias antes de dar uma declaração. “Não estamos aqui para defender suas piadas de anos atrás, mas sim para compartilhar nossas experiências de muitos anos juntos no set de Guardiões da Galáxia 1 e 2. A personalidade que ele mostrou ao lidar com a demissão é consistente com o homem que ele era todos os dias no set, e acreditamos que suas desculpas, de agora e de anos atrás, quando ele foi inicialmente confrontado com suas afirmações, sejam de coração.”

Compartilhe:

Lista: As 200 melhores músicas das mulheres do século 21, pela NPR.

Compartilhe:

Na semana passada, o G1 publicou uma matéria em que dizia que Medicina (Spotify), o último single de Anitta, já estava em primeiro lugar no Brasil, mas nem havia entrado nas paradas do resto da América Latina — a música é cantada em espanhol. A cantora não gostou. Disse, no Twitter, que seu projeto de carreira fora do país não é feito com pressa e que qualquer gráfico de crescimento mostra que há picos de sucesso seguidos de pequenas quedas no caminho. Pediu, inclusive, para que esses dados fossem analisados. Pois é. Agora, de maneira bem-humorada, foi exatamente isso o que o portal fez: mostrou a trajetória da cantora com dados de rádio e internet durante sete anos, desde as primeiras faixas no funk carioca até seu último sucesso.

Compartilhe:


Share Tweet


Ainda não é assinante? Assine. Não custa nada.





31 de julho de 2018
Consultar edições passadas