Assine o Meio: notícia confiável para quem não tem tempo de ler jornal.





1 de agosto de 2018
Consultar edições passadas

PT sem vice, Ciro espera PSB, Centrão não se decide e Janaína ainda pensa


Este, de 2018, é um pleito diferente de todos os anteriores. Nunca foi tão difícil emplacar um vice e nesta que é a última semana de convenções, os candidatos dançam, por vezes desgastando-se em público. Nenhum vice, porém, é mais importante do que o do PT. Afinal, é quem provavelmente disputará a eleição quando o TSE negar a candidatura Lula. Segundo o Painel, da Folha, o partido provavelmente encerrará a convenção de sábado sem designar um nome, permitindo que a executiva nacional decida. Tem até 15 de agosto, data final do registro da chapa no TSE.

Com o mineiro Márcio Lacerda tendo recusado a vaga, o PDT de Ciro Gomes busca dentro do PSB outro nome. Prefere que venha do sul ou sudeste e cogita Luciano Ducci, ex-prefeito de Curitiba. Mas não está garantida a aliança com os socialistas — o PSB pernambucano ainda resiste, e é forte. Os pedetistas ofereceram apoio ao PSB em sete estados. (Estadão)

Por sua vez, Jair Bolsonaro cedeu em alguns pontos para atrair a advogada Janaina Paschoal. De acordo com o Painel, recuou da ideia de aumentar para 21 o número de ministros do STF e de reduzir para 16 a maioridade penal. O consenso ficou em 17. Há, informa o Estadão, um plano B que retorna à lista. O presidente do Clube Militar, general da reserva Hamilton Mourão. Formariam uma chapa militar puro-sangue.

Puro-sangue não deverá ser a chapa de Alckmin. Chegou-se a sugerir uma composição com o senador Tasso Jereissati. “É mais provável que a chapa contemple outros partidos”, afirmou o candidato. Enquanto Marina Silva iniciou uma conversa com um ex-presidenciável: Eduardo Jorge, do PV. (Estadão)

Compartilhe:

DataPoder360, pesquisa realizada por telefone: Bolsonaro lidera com 20% (e 65% de rejeição). Ciro mantem os 13% em segundo. Alckmin, que tinha 7% em maio, chega a 9%. Com rejeição de 63%. Marina, 6%; Haddad, 5%.

Compartilhe:

A Justiça Eleitoral do Paraná retirou pela segunda vez, em menos de uma semana, o inquérito que investiga o ex-governador tucano Beto Richa das mãos do juiz Sérgio Moro, transferindo-o para o TRE. A decisão já havia sido revertida pelo STJ na quinta, então o desembargador Luiz Fernando Penteado tentou outro argumento. Denunciado na delação da Odebrecht por desvio de dinheiro público, o caso de Richa foi para a primeira instância quando ele renunciou ao governo para concorrer nas eleições. (Estadão)

Segundo apurou Claudio Dantas, do Antagonista, a filha do desembargador é filiada ao PSDB e foi indicada para um cargo comissionado no governo por Richa.

Compartilhe:

Hélio Bicudo morreu ontem, às 10h30, em sua casa nos Jardins, São Paulo. Tinha 96 anos. E ele já vinha de uma carreira sólida de décadas, tendo passado até por ministro interino, quando foi indicado pelo Colégio dos Procuradores de São Paulo para investigar e escrever um relatório, em pleno governo Médici, sobre o Esquadrão da Morte. A banda da polícia comandada pelo delegado Sergio Fleury, um dos principais torturadores do regime. Nenhuma editora teve coragem de publicar o texto. Em 1972, foi a Igreja Católica que trouxe à tona o livro de Hélio, por decisão do cardeal dom Paulo Evaristo Arns. Começava ali o foco da resistência pacífica à Ditadura que marcou a década. Bicudo foi filiado de primeira hora do PT e serviu de vice para a candidatura Lula ao governo paulista, em 1982. Deputado federal, vice-prefeito no governo Marta Suplicy, presidente da Comissão Interamericana de Direitos Humanos. Em 2005, quando uma leva de petistas históricos deixou o partido após o Mensalão — também Bicudo foi. E foi um dos três autores, com Miguel Reale Júnior e Janaina Paschoal, do pedido de impeachment de Dilma Rousseff. Ontem, na internet, foi mais celebrado pela direita do que pela esquerda, embora nunca tenha sentido ter se movido politicamente.

Compartilhe:

O governo elevou mais uma vez o limite para financiamento habitacional com FGTS. Os brasileiros que quiserem usar os recursos para adquirir a casa própria voltarão a poder financiar imóveis de até R$ 1,5 milhão. As novas regras entram em vigor em 1º de janeiro de 2019. (Estadão)

Compartilhe:

Cultura


O mercado editorial brasileiro encolheu 21% desde 2006. Perdeu-se, entre 2006 e 2017, R$ 1,4 bilhão. E o maior problema está na concentração do mercado de livrarias em três cadeias — Saraiva, Fnac e Cultura — que devem, juntas, R$ 38 milhões às editoras. Vendem os livros, não pagam. As empresas estão quebradas. Um bom naco da dívida — R$ 28 milhões — é da Saraiva. Muitas editoras médias se deparam com um problema: se processam para cobrar a dívida, perdem o principal mercado de venda. A crise dos livreiros, portanto, faz editoras demitirem e diminuírem o número de lançamentos. (Época)

Compartilhe:

Bad Romance, de Lady Gaga, é o melhor clipe do século 21, segundo a Billboard. A publicação listou os cem melhores projetos desde o ano 2000. (Folha)

Compartilhe:

A Fox está trabalhando em um spin-off de 24 Horas. A ideia é contar a origem de seu protagonista, Jack Bauer. Os criadores da série original, Joel Surnow e Bob Cochran, trabalharão juntos novamente e já estão escrevendo o roteiro. Ainda não se sabe quem interpretará Bauer na juventude. O seriado, que estreou em novembro de 2001, teve oito temporadas e 76 indicações ao Emmy — o prêmio foi conquistado na categoria de drama, em 2006. (Estadão)

Compartilhe:

E um pesquisador brasileiro mostra, no livro Iron Maiden. A Journey Through History (Amazon), como a lendária banda britânica de heavy metal narra em suas músicas episódios que mudaram o mundo. O trabalho foi destaque na Modern Heavy Metal Conference, o principal evento de pesquisa sobre música metal do mundo.

Compartilhe:

Viver


O que você fala para si mesmo antes de comer? Pesquisadores recrutaram participantes de diferentes pesos e pediram que eles pensassem em uma dessas três coisas ao pegaram uma porção de comida: os efeitos daquela refeição sobre a sua saúde, o prazer que sentiriam ao comer, ou a intenção de ficar satisfeito do almoço até o jantar. Os resultados mostraram que a maioria das pessoas, independentemente do peso, escolheu porções menores quando lhes foi dito para pensar sobre os efeitos dos alimentos na saúde. Quando a escolha era por prazer, os participantes obesos pegaram porções maiores. Já quando eles escolheram pensando em estarem satisfeitos até a noite, a maioria dos participantes optou por porções maiores. Parece óbvio, mas pensar sobre os efeitos do que estamos prestes a comer na nossa saúde é uma forma eficaz de reduzir os excessos. Vale a pena ter uma pequena conversa pré-refeição consigo mesmo para pensar sobre o que a comida vai fazer com seu corpo.

Compartilhe:

Na Argélia, no norte da África, Abdelmalek Ibek Ag Sahli teve que deixar mais cedo o trabalho em uma plataforma de petróleo no dia 5 de julho, quando os termômetros chegaram a marcar 51 graus Celsius. No fim de abril, em Nawabshah, no Paquistão, Riaz Soomro teve que vasculhar a vizinhança para encontrar um táxi que pudesse levar seu pai de 62 anos, com insolação, para o hospital — com o calor de 50 graus, os taxistas não aguentavam ficar na rua. Em julho, os 30 graus fizeram os incêndios florestais se multiplicarem em Oslo, na Noruega. Enquanto isso, os Estados Unidos tiveram seu mês mais quente de maio e o terceiro mês mais quente de junho. O New York Times perguntou às pessoas que viveram esses dias de extremo calor como foi passar por eles.

Pois é. No que diz respeito à Europa, pode ser que não haja saída a não ser se acostumar com o calor. Cientistas constaram que o aquecimento global mais que dobrou as chances de acontecer uma onda de calor como a que sufoca hoje o velho continente.

Mas o lugar mais mortífero do planeta para esses eventos climáticos será o norte da China, uma das regiões mais densamente povoadas do mundo, além da mais importante área produtora de alimentos do país. Novas pesquisas científicas mostram que as ondas de calor úmidas que matam até pessoas saudáveis em poucas horas atingirão a área repetidamente no final do século, graças às mudanças climáticas.

Compartilhe:

Enviar um astronauta para Marte já não é fácil. Povoar o planeta, muito menos. Mas se quisermos realmente fazê-lo, vamos precisar de mais do que foguetes — precisaremos de ferramentas para construções reais. Nos últimos cinco anos, uma equipe de engenheiros do Centro Espacial Kennedy, da NASA, adotou uma abordagem diferente para solucionar esse problema: eles estão projetando robôs que usam materiais locais — como o regolito, que é abundante tanto na Lua quanto em Marte — para construir estruturas que possam suportar ambientes extremos, micrometeoritos e a radiação do sol.

Compartilhe:

Cotidiano Digital


O discurso é parecido com aquele feito, no Brasil, quando baniu uma rede ligada ao MBL. Pois o Facebook anunciou ter excluído, ontem, 32 páginas e contas, tanto na sua rede quanto no Instagram, que agiam de forma coordenada usando perfis falsos. Estariam sendo usadas para incitar grupos radicais na campanha eleitoral americana. “Este tipo de comportamento”, explicou no comunicado oficial, “não é permitido pois não queremos que pessoas ou organizações criem redes de perfis que enganem os outros a respeito de quem são, camuflando o que estão fazendo.” A empresa não identificou, ainda, quem são os responsáveis, mas afirma que os responsáveis usam técnicas para disfarçar sua origem mais sofisticadas do que as empregadas pelos russos no pleito de 2016.

Porém... Diferentemente do que ocorreu no Brasil, antes de tornar o anúncio público o Facebook explicou o que pretendia fazer a um grupo de parlamentares americanos. A desconfiança é de que o Kremlin esteja, novamente, por trás da ação. Esta nova rede não chegou a ganhar músculo. Gastou ao todo US$ 11 mil em publicidade, tentou agregar pessoas para que fossem às ruas criando 30 eventos de grupos ultranacionalistas. O maior deles despertou o interesse de 4.700 usuários. Pouco. (New York Times)

Compartilhe:

No ano passado, a Apple contratou dois executivos com experiência em televisão. “Estão já há vários meses conosco”, contou o CEO Tim Cook, “e vêm trabalhando em um projeto cujos detalhes não vou revelar ainda. Mas eu não poderia estar mais animado.” Os homens são Jamie Erlicht e Zack Van Amburg, vieram da Sony e foram responsáveis pelo lançamento de séries como Breaking Bad e The Crown.

Aliás... A chinesa Huawei vendeu 54 milhões de smartphones no segundo trimestre. E, assim, pela primeira vez, ultrapassou a Apple, tornando-se a segunda na lista de fabricantes de celulares. A Samsung continua na cabeça, com 70 milhões de unidades.

Compartilhe:

Mandy Ginsberg é CEO do Match Group. O nome da holding esconde a maior potência online no negócio do amor. Entre suas propriedades estão os sites Match.com, OKCupid e, a estrela do momento, o app Tinder. “O maior mercado, o que cresce mais”, ela conta a Kara Swisher, “é o de quem tem mais de 50. Ninguém pensava em programas de encontro nesta faixa há dez anos, mas as pessoas foram se habituando a interagir em sistemas como o Facebook.” E o Facebook é chave no ramo porque a grande rede social pretende iniciar um sistema de encontros similar ao Tinder. Noutras redes, a entrada do Face representou uma queda violenta dos outros. “As pessoas usam mais de um app”, afirma Ginsberg. “Se você tem 23 usará dois ou três apps de encontros e um certamente será dos nossos, provavelmente o Tinder. Não queremos desmerecer o Facebook, mas não conseguimos imaginar um mundo no qual pessoas de 23 anos vão aposentar todos os apps para ficar exclusivamente lá.”

Compartilhe:


Share Tweet


Assine o Meio: notícia confiável para quem não tem tempo de ler jornal.





1 de agosto de 2018
Consultar edições passadas