Ainda não é assinante? Assine. Não custa nada.

 
 


17 de outubro de 2018
Consultar edições passadas

Com cenas de tortura, Haddad parte contra Bolsonaro na TV


A propaganda gratuita de TV começa a queimar. Bolsonaro abriu a sua, ontem, com o discurso inflamado de Cid Gomes contra o PT. Haddad foi mais longe: cenas de tortura e depoimento de uma vítima do coronel Ustra — herói declarado do capitão de reserva. A promessa, ao menos no flanco petista, é de que a intensidade aumentará nos próximos dias.

Pois é. Gleisi Hoffmann, presidente do PT, não gostou do discurso de Cid. “Não dá para pedir desculpas porque venceu”, afirmou, se referindo à chegada ao segundo turno. “O PT tem 30% dos votos desse país. É uma força social. Podem ter críticas, é natural que tenham. Agora, não dá para pedir que o PT peça desculpas.” O PDT dos irmãos Gomes não esteve presente na reunião de aliados para planejamento das últimas duas semanas de campanha. (Globo)

Cid, diga-se, foi ao TSE reclamar. Bolsonaro não poderia usar sua imagem, já que não são aliados. (Folha)

Aliás... Do general Mourão, vice de Bolsonaro, ouvido por Andréia Sadi: “Tem aquela frase antiga, de que a esquerda só é unida na cadeia, porque é obrigada a andar junta.”

Na ausência de um debate real, Jair Bolsonaro e Fernando Haddad bateram-boca via Twitter. “Senhor Andrade”, escreveu com ironia o capitão reformado, “quem conversa com poste é bêbado. Existe um que está preso e você vai toda semana na cadeia visitá-lo.” O petista respondeu de bate-pronto. “Tuitar e fazer live é fácil, deputado. Vamos debater frente a frente, com educação, em uma enfermaria se precisar.” Sem resposta, Haddad enviou ainda mais um. “Te espero aqui, deputado.” Na imagem, o cenário de debates da TV Globo.

As primeiras consequências da cláusula de barreira no Parlamento começam a se mostrar. PPS, Rede e PV estão negociando fusão, informa Natuza Nery. Daí sairia um partido liberal progressista. Pode ser que movimentos como RenovaBR e Agora se juntem à nova sigla. A conversa, neste caso, ainda é inicial.

A TV Record divulgou as pesquisas para governo estadual que contratou à RealTime Big Data. Nos três casos, a margem de erro é de dois pontos percentuais.

São Paulo: João Doria tem 48%, no limite do empate técnico com Márcio França, 44%.

Rio de Janeiro: Wilson Witzel está com 51% e, Eduardo Paes, 29%.

Minas Gerais: Romeu Zema parte de 67%, o governador Antonio Anastasia tem 21%.

O ministro Luís Roberto Barroso autorizou, e a Polícia Federal indiciou o presidente Michel Temer, sua filha Maristela de Toledo, o ex-deputado Rodrigo Rocha Loures e o coronel reformado da PM João Baptista Lima Filho nas investigações a respeito de favorecimento de empresas em troca de suborno no decreto dos Portos, assinado em 2017. Ao todo, são onze os indiciados. Os bens de todos, inclusive do presidente da República, foram bloqueados. Barroso ainda aguarda parecer da Procuradoria Geral da República para decidir pela prisão preventiva de quatro dos suspeitos, entre eles o coronel Lima. A partir de janeiro, Temer não tem mais qualquer imunidade. (Estadão)


Um dos homens que a Turquia identificou como suspeito do assassinato do jornalista Jamal Khashoggi é ligado ao príncipe saudita Mohammed bin Salman (MBS), descobriu o New York Times. Repórter do Washington Post, Khashoggi vivia em exílio nos EUA e foi visto pela última vez em 2 de outubro, quando entrou no Consulado de seu país, em Istambul. Pelo menos nove dos 15 suspeitos identificados pelo governo turco são ligados ao serviço secreto de Ryadh. Por enquanto, tanto MBS quanto seu pai, o rei Salman, negam envolvimento — e o governo Trump não sabe como agir.

É um problema diplomático gigante: no comando do país, MBS vem enfrentando o clero ultraconservador. O Islã radical saudita inspirou o Onze de Setembro, o Talibã, a al-Qaeda e o Isis. Mas agora seu governo aparentemente assassinou — brutalmente — um jornalista protegido por Washington. “MBS, não importa sua capacidade de conduzir reforma social e religiosa, acabou. Ele se tornou radioativo sem uma explicação para o desaparecimento e possível assassinato de Jamal”, escreve Thomas Friedman. “Ele talvez consiga manter poder na Arábia Saudita, mas seu programa de reformas exigia investimento estrangeiro — e o dinheiro está saindo do país, não entrando. Agora, vai piorar. Quando seu aliado faz algo tão estúpido quanto os sauditas aparentemente fizeram, não há conserto simples.” (New York Times)

Cotidiano Digital


O YouTube saiu do ar, ontem, por volta das 22h20, hora de Brasília. Não só: YouTube TV e YouTube Music o acompanharam. A rede ficou mais de uma hora desconectada — fenômeno raríssimo para um dos serviços de grande porte da internet. Ainda não há declaração oficial sobre os motivos.

Bill Gates lembra Paul Allen, morto segunda: “Conheci Paul quando estava no sétimo ano, e isso mudou minha vida. Ele estava dois anos à frente, na escola, era muito alto. Passávamos todo nosso tempo livre com qualquer computador em que pudéssemos tocar. Mesmo ainda no colégio, antes que soubéssemos o que era um PC, ele previa que os chips ficariam poderosos e deles nasceria uma indústria. Este insight foi a base para tudo o que construímos juntos. Um dia, ele veio me buscar, me mostrou a edição de janeiro de 1975 da Popular Electronics, com um Altair 8800 na capa. ‘Isso está acontecendo sem a gente!’ Aquele momento marcou o fim de minha carreira universitária e o início de nossa companhia, a Microsoft. Aconteceu por causa do Paul. Ele era mais legal do que eu. Gostava de Jimi Hendrix quando adolescente. Era esse tipo de pessoa. Adorava a vida e as pessoas ao seu redor. Quando penso nele, lembro de um homem apaixonado, muito próximo da família e dos amigos. Também lembro do tecnólogo brilhante que queria conquistar grandes coisas. Conseguiu. Merecia mais tempo de vida. Aproveitaria cada segundo. Sentirei imensa falta.”

Cultura


Uma das pinturas mais importantes do mundo, A ronda noturna, de Rembrandt, será restaurada aos olhos do mundo inteiro. O projeto inédito começará em julho de 2019, no Rijksmuseum, em Amsterdã, e permitirá que se acompanhe os bastidores do processo geralmente feito de forma reservada. Os trabalhos ainda poderão ser acompanhados pela internet, em transmissão ao vivo. (Globo)

Elza Soares, Karol Conká, Maiara e Maraisa, Tiê, Martnália, Lan Lanh, As Baianas e a Cozinha Mineira e o grupo Mulamba se reuniram para cantar juntas em uma música que destaca a luta feminina por igualdade. Elas encabeçam o projeto Escuta as Minas, do Spotify, que reuniu as artistas em um clipe e um documentário que trazem, além da música inédita, depoimentos das artistas sobre feminismo e a carreira. A canção original criada para a campanha reúne trechos de músicas de várias épocas, e suas intérpretes também são homenageadas pelas artistas. O clipe com a música e o documentário podem ser vistos no site do projeto. Também há uma playlist.

Morreu, aos 78 anos, o jornalista Gil Gomes, conhecido pelo tom de suspense ao narrar crimes na televisão. Gomes sabia como poucos contar um fato, reforçando elementos trágicos e de suspense a cada reportagem. Sua maior escola foi o rádio. Como jornalista, enfrentou censura e até prisões por conta de reportagens que desagradavam poderosos no contexto da ditadura militar. Na década de 1990, foi convidado pelo SBT para integrar o noticiário Aqui Agora, onde viveu o auge da sua carreira. Nos últimos anos de vida, ele lutou bravamente contra o mal de Parkinson. (Folha)

Para os saudosos: Uma de suas narrações de crimes, na Rádio Globo, em 1955.

Viver


Durante oito dos últimos 10 anos, o mundo tornou-se progressivamente um lugar menos pacífico — em grande parte devido ao aumento do terrorismo e dos conflitos internos. Quem diz é o Global Peace Index (GPI). Mas há 13 países no topo do índice anual, onde o estado de paz é ‘muito alto’. Mais uma vez, a Islândia é o país mais pacífico do mundo, posição que ocupa desde 2008. Em seguida aparecem Nova Zelândia e Áustria.

Após a divulgação do relatório do IPCC apontando 2030 como o prazo máximo para conter o aquecimento abaixo de 1,5 grau Celsius em relação ao período pré-industrial, líderes globais lançaram ontem uma comissão para escalar e acelerar soluções de adaptação às mudanças climáticas. A Comissão Global de Adaptação é liderada pelo ex-secretário das Nações Unidas Ban Ki-moon, pelo cofundador da Microsoft Bill Gates, e pela diretora executiva do Banco Mundial, Kristalina Georgieva. A iniciativa reúne 17 países e 28 comissários. (Globo)

Aliás... Pesquisadores dinamarqueses concluíram que os humanos farão com que tantas espécies de mamíferos sejam extintas nos próximos 50 anos que a diversidade evolutiva do planeta não se recuperará por 3 a 5 milhões de anos. A Terra pode estar entrando em sua sexta extinção em massa: uma era na qual os ambientes do planeta mudam tanto que a maioria das espécies animais e vegetais morrem.

Uma equipe de nutricionistas da Universidade Federal de Santa Catarina criou um sorvete que alivia sintomas em pacientes que estão passando pelo tratamento de quimioterapia — como náuseas, feridas na boca e a sensação de boca seca. O objetivo era criar um alimento que contemplasse não apenas a questão nutricional — ele tem alta densidade energética e é fonte de fibras e de proteínas — mas que também fosse saboroso — considerando que durante o tratamento o paladar encontra-se alterado e são inúmeras as queixas de falta de apetite. A opção também levou em conta estudos prévios que demonstraram que pacientes em quimioterapia apresentam entre seus principais desejos alimentares a ingestão de frutas, sucos e sorvete.

Usain Bolt está sendo disputado — no futebol. Pois é. O ex-velocista estreou como titular na última sexta-feira nos campos. Foi em um amistoso do Central Coast Mariners, da Austrália, no qual marcou dois gols. Por lá, ele ainda está em fase de testes. Mas não demorou muito para que ele recebesse uma proposta de contrato profissional de um time europeu: o FC Valletta, campeã nacional de Malta. A equipe conta com o apoio financeiro de um grupo de investimentos para garantir a contratação.

Em vídeo: os gols do ídolo.

 



Share Tweet


Assine o Meio: notícia confiável para quem não tem tempo de ler jornal.





17 de outubro de 2018
Consultar edições passadas