Ainda não é assinante? Assine. Não custa nada.

 
 


23 de outubro de 2019
Consultar edições passadas

Congresso aprova reforma da Previdência


O Senado Federal concluiu ontem a votação da reforma da Previdência. Foram, ao todo, 244 dias de trâmite no Congresso e o texto como está resultará numa economia de R$ 800 bilhões aos cofres públicos nos próximos dez anos. O ministro da Economia, Paulo Guedes, procurava inicialmente R$ 1 tri. Dentre os senadores, 60 votaram a favor e 19, contra — eram precisos 49 votos nesta que foi a votação em segundo turno do texto principal. Faltam ainda dois destaques, que serão votados nesta quarta-feira. Um deles trata de uma dúvida a respeito do adicional de periculosidade — se é uma questão previdenciária ou trabalhista. O último ato do Poder Legislativo será o de promulgar. Aí, acaba. Davi Alcolumbre, que preside o Senado, afirmou que esperará o retorno do presidente Jair Bolsonaro para que ele esteja presente no momento final. (Poder 360)

As regras entram em vigor no momento da promulgação. A idade mínima para aposentadoria de homens passa a ser 65 anos e, mulheres, 62. O tempo mínimo de contribuição é de 20 anos para homens e 15, para mulheres. Para quem já está no mercado, há cinco regras distintas de transição, que valerão ao longo dos próximos 14 anos, quando todos já estarão dentro da nova previdência. A aposentadoria nunca será superior ao teto do INSS — hoje de R$ 5.839,45 — tampouco inferior ao salário mínimo — R$ 998. (Estadão)

Veja: Como votaram os senadores. Veja também um resumo do que foi aprovado. (G1)

O novo líder do PSL na Câmara, o deputado Eduardo Bolsonaro, saiu correndo de jornalistas e fotógrafos, atravessando três anexos do Congresso Nacional. Não queria falar de jeito algum. Ele desistiu oficialmente de se tornar embaixador em Washington. (Congresso em Foco)

A partir das 9h30 de hoje, o STF retomará o julgamento que definirá se uma pessoa condenada em segunda instância começa ou não a cumprir sua pena. Os advogados das causas já se manifestaram, a partir de hoje falam Procuradoria Geral da República, Advocacia Geral da União — e aí votam os ministros, com Marco Aurélio Mello, que é relator, dando o primeiro voto. (G1)

Elio Gaspari: “Pelo andar da carruagem o Supremo derrubará a prisão dos condenados numa segunda instância. Tradução: quem tem dinheiro para pagar advogados fica solto, quem não tem, rala. Uma banda do debate diz que deve ser assim porque isso é o que diz a Constituição. Não é. Se fosse, o mesmo Tribunal não teria decidido duas vezes que o condenado na segunda instância deve ficar preso. O Supremo está dividido à maneira dos jogos de futebol, com um time ganhando e outro perdendo. No balcão da lanchonete entende-se esse critério, o que não se entende é que o time derrotado em fevereiro e outubro de 2016 por 7x4 e 6x5 possa mudar o resultado num replay. Afinal, futebol é coisa séria. A Operação Lava Jato perdeu a túnica de vestal que cobria o juiz Sergio Moro e o trabalho de seus procuradores, mas sua essência persiste: ela botou na cadeia gente que praticava crimes na certeza da impunidade. Revogada a segunda instância, restabelece-se o sistema que, há dez anos, num passe de mágica, esfarelou a Operação Castelo de Areia.” (Globo ou Folha)

Aliás... O ex-ministro do governo Temer Geddel Vieira Lima e seu irmão, Lúcio Vieira Lima, foram condenados ontem pela Segunda Turma do Supremo por lavagem de dinheiro e associação criminosa no caso do apartamento em Salvador onde foram encontrados R$ 51 milhões em notas. Geddel pega 14 anos e dez meses de prisão, inicialmente regime fechado. Para Lúcio, 10 anos e seis meses. (Jota)


Boris Johnson conseguiu, enfim, uma vitória na Câmara dos Comuns. Por 329 a 299, seu plano negociado para a saída da União Europeia foi aceito pelos parlamentares. Mas, na sequência, os deputados rejeitaram o trâmite acelerado da legislação. Em termos práticos, não dará tempo para a aprovação final até 31 de outubro, o prazo com que trabalha o premiê. O presidente da Comissão Europeia, Donald Tusk, fez hoje sua recomendação para que a UE aceite o pedido de uma extensão de prazo para o Brexit até 31 de janeiro. BoJo começou a falar em convocar eleições gerais, para que um novo parlamento seja formado e, quem sabe, permitir com que um consiga formar maioria. (Guardian)

Testemunhando ontem perante os deputados, o embaixador americano na Ucrânia, William Taylor, afirmou que o presidente Donald Trump chantageou o governo em Kiev. Segundo Taylor, por ordens de Trump, verbas de segurança destinadas pelo Congresso dos EUA à Ucrânia foram contingenciadas até que fossem iniciadas, por lá, investigações sobre a família de Joe Biden, um dos pré-candidatos democratas. O depoimento, oficial, é o mais próximo que os parlamentares chegaram de comprovar que Trump usou sua força como chefe de Estado para obter vantagens eleitorais, a acusação que justifica seu impeachment. O Senado, porém, que é a Casa que teria poder de afastá-lo do cargo, tem maioria republicana — partido do presidente. (New York Times)

Cultura


Uma minissérie da HBO sobre o assassinato de um jovem palestino na esteira do massacre de três jovens israelenses, que ocorreu cinco anos atrás, está despertando lembranças dolorosas em famílias em luto dos dois lados do conflito. Coproduzido pela HBO e pela israelense Keshet International e produzido pela Movie Plus, Our Boys gira em torno de Mohammed Abu Khdeir, palestino de 16 anos que foi sequestrado perto de sua casa, em Jerusalém Oriental, e já está disponível pela HBO GO no Brasil.

O documentário Chorão: Marginal Alado, que resgata a figura intensa do vocalista do Charlie Brown Jr, estreou ontem na 43ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo. “Acompanhamos a repercussão da morte dele e entendemos que a discussão estava muito maniqueísta”, diz o diretor, Felipe Novaes. “Entendíamos que ele era um personagem com mais complexidade, que merecia um retrato mais aprofundado.”

Por falar em cinema...foram filmados três finais diferentes para o próximo filme de James Bond, Sem Tempo para Morrer. Segundo o portal Mirror Online, nem Daniel Craig sabe como ele deixará a franquia de filmes. O ator está se preparando para deixar o papel de 007.

Os 250 anos de Beethoven serão comemorados em 2020. E duas caixas com mais de 200 discos chegam ao mercado internacional em novembro. A data já agita o mundo musical e há quem diga que o ano apenas inaugura um ciclo que só vai se encerrar em 2027, quando se completam os 200 anos de morte do compositor.

Um teste: o que você sabe sobre Beethoven?

O alemão radicado na Áustria deixou cerca de 240 obras, entre as quais sinfonias, concertos, quartetos de cordas e outras peças de câmara, assim como lieder e uma ópera. Sua produção tem caráter narrativo. Como o inconfundível "tá-tá-tá-tãããã" que lança e permeia a Quinta sinfonia.

Viver


Óleo nas praias do Nordeste: 200 localidades em 78 municípios de 9 estados já foram afetadas. As manchas foram avistadas pela primeira vez em 30 de agosto, na Paraíba e, desde então, 900 toneladas de petróleo foram recolhidas das praias por mutirões que contaram com ajuda de voluntários, que dedicam tempo livre e arriscam a própria saúde para limpar águas.

No Ceará, um estudante de medicina veterinária sofreu intoxicação após contato. O G1 conversou com pessoas que estão dedicadas à limpeza das praias, sem receber dinheiro ou recompensa pelo serviço. Elas acreditam que a preservação do meio ambiente e a redução do impacto ambiental recompensam o esforço e trazem retorno para todos.

Jaílson da Silva, eletricista e voluntário. "Essa [Rio Mamucabas] foi uma das áreas mais atingidas pelo óleo. Foi um pedido de socorro feito pelo meio ambiente que me levou a sair de casa para trabalhar aqui. A gente está arriscando a vida para remover o óleo. Foram mais de três toneladas nessa área, só hoje [segunda-feira, 21 de outubro]. Vi um desespero grande das pessoas para ajudar a vida marinha e o ecossistema. Também vi as pessoas sem suporte e o mangue muito poluído, pedindo socorro". Ele participou da limpeza do Rio Mamucabas, entre Tamandaré e Barreiros (PE). Outros depoimentos.

O presidente interino, Hamilton Mourão, afirmou ontem que o governo vai analisar a possibilidade de declarar estado de emergência ambiental no Nordeste para ajudar na limpeza e na contenção das manchas de óleo.

Um fenômeno meteorológico conhecido como “nuvem rolo” chamou a atenção em Ourinhos (SP). As imagens mostram uma grande nuvem em formato de rolo tomando o céu da cidade e foram feitas na passarela da Raposo Tavares, na Vila Esperança, e também do alto de um prédio empresarial da cidade. O vídeo, que está com a velocidade aumentada, mostra o deslocamento da nuvem, como se fosse uma grande onda que percorre o céu. Além disso, a nuvem pode ficar a apenas 100 metros do solo, o que dá a impressão de que ela está bastante próxima das pessoas, cobrindo a cidade como se fosse uma onda.

E as paisagens do norte da Noruega que inspiraram Frozen II, a sequência de um dos maiores sucessos da Disney. Filme estreia em novembro nos EUA e em janeiro no Brasil.


NBA 2019/20: as previsões para a temporada feitas por 8 jornalistas dos EUA. Sopan Deb, repórter de esporte do NYT, crava que Os Knicks vão vencer de 35 a 40 jogos.

Projeto de decreto legislativo sobre o acordo de salvaguardas tecnológicas assinado por Brasil e Estados Unidos para permitir o uso comercial da base de Alcântara (MA) foi aprovado ontem pela Câmara dos Deputados. Projeto segue para o Senado.

Cotidiano Digital


A SoftBank, um dos principais fundos de investimento do mundo, deve colocar US$ 9,7 bilhões na WeWork, a companhia internacional de coworking que oferece espaço compartilhado de escritórios em todo o mundo. É a segunda rodada de investimentos do fundo japonês — já havia posto outros US$ 10 bi. É uma operação de takeover. A SoftBank está assumindo o negócio após a desastrada tentativa, por parte do CEO e fundador Adam Neumann, de tentar abrir capital da companhia e desistir porque o mercado rejeitou o plano. Do total investido, Neumann receberá quase US$ 1,7 bi, outros US$ 3 bi servirão para a compra de ações de funcionários e os US$ 5 bi finais cobrirão as dívidas.

O AliExpress, site de compras chinês com presença no Brasil, trará para o país promoções do Dia dos Solteiros, comemorado lá em 11 de novembro. Prometem, no período entre 4h do dia 11 e 3h59 de 13, os maiores descontos do ano. Maiores, inclusive, que os da Black Friday. Se a tradição comercial americana pegou, por que não a chinesa?

O Tinder é, hoje, o app em celular de maior faturamento no mundo — tem mais de cinco milhões de assinantes pagos. Tem também seus problemas. No app, cujo objetivo é promover encontros, dois terços dos usuários — dentre eles os que em geral pagam — são homens. E nem sempre o comportamento é ideal. Homens mandam com alguma frequência fotos de seus pênis, mesmo que não solicitadas. Assim como tratam mal mulheres que encontram e consideram não corresponder às expectativas. Utilizando-se de inteligência artificial, aos poucos o mau comportamento está sendo punido. Inclui a exclusão de quem é recorrente. Segundo os executivos da empresa, abusos costumam vir de homens mais velhos. Os jovens diferenciam menos a vida digital da no mundo real. Por isso, se comportam de forma parecida em ambos.





Bem-vindo ao Meio. A assinatura básica é gratuita, comece agora mesmo.




23 de outubro de 2019
Consultar edições passadas