Assine o Meio: notícia confiável para quem não tem tempo de ler jornal.



1 de junho de 2021
Consultar edições passadas



Bolsonaro aceita Copa América, recua após indignação das redes


Foi num tom celebratório que a Confederação Sul-Americana de Futebol, a Conmebol, anunciou ontem, no final da manhã, que a Copa América ocorreria no Brasil. Àquela altura, primeiro Colômbia, depois Argentina, haviam se recusado a sediar a competição por cuidados com a crise da Covid. A notícia pegou a todos de surpresa. “Quero agradecer muy especialmente ao presidente Jair Bolsonaro por receber o torneio”, publicou no Twitter o líder da entidade, Alejandro Domínguez. Nas redes e sites da imprensa, a notícia foi recebida com ampla indignação. E, dada a reação, o ministro da Casa Civil, Luiz Eduardo Ramos, sinalizou recuo. Afirmou que a realização da competição ainda não está certa e que o governo faz algumas exigências, como estádios sem torcida e todos os jogadores vacinados. Os jogos estão previstos para acontecerem entre 13 de junho e 10 de julho. (Globo)

O Brasil é o segundo país com mais mortes e terceiro com mais casos da doença. (Johns Hopkins University)

A notícia repercutiu muito mal também entre os governadores, especialmente por conta do agravamento da Covid-19, com ocupação crescente de UTIs. Pernambuco, Rio Grande do Norte e Rio Grande do Sul já avisaram que não sediarão jogos, enquanto São Paulo e Bahia disseram que podem receber partidas desde que em estádios vazios. E o deputado Júlio Delgado (PSB-MG) avisou que vai ao STF contra o evento. (Estadão)

Aliados estão pressionando o governador João Doria (PSDB) para que rejeite os jogos em São Paulo, mesmo sem torcida. Eles alertam para a possível repercussão negativa do torneio no Brasil e para o número crescente de casos de Covid. O diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, é um dos críticos. (Folha)

Já o governador do Rio, Cláudio Castro (PL), que não perde uma oportunidade de se alinhar ao Planalto, disse ser “futebolisticamente favorável” à realização da final da na capital, mas vai discutir com o prefeito Eduardo Paes (DEM). (CNN Brasil)

Enquanto isso... O vice-presidente da CPI da Pandemia, senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), quer convocar o presidente da CBF, Rogério Caboclo, para explicar os motivos de a entidade ter se oferecido para sediar o torneio. (Poder360)

Igor Gielow: “Jair Bolsonaro se mostra pouco supersticioso com sua intempestiva e populista decisão de abraçar a Copa América deixada na sarjeta pela crise política colombiana e pela pandemia na Argentina. Afinal de contas, mal se passaram 48 horas desde que dezenas de milhares de manifestantes contrários ao governo enfim decidiram ir à rua contra Bolsonaro, mesmo arriscando aglomerações e perder a superioridade moral ao falar sobre estímulo a contágio. Do ponto de vista político, Bolsonaro dobra a aposta na provocação contra seus opositores.” (Folha)

Só para lembrar... Na última sexta-feira o boletim semanal da Fundação Oswaldo Cruz alertou para o agravamento da pandemia no Brasil “nas próximas semanas”. A Copa América começa em 13 dias. (Estadão)

Da Cepa América ao mascote Cloroquito, os memes não poderiam faltar. (Globo)

A Procuradoria-Geral da República (PGR) enviou ontem ao Supremo Tribunal Federal (STF) um pedido de investigação do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, por suspeita de favorecer o comércio ilegal de madeira. O pedido foi baseado na denúncia do ex-superintendente da PF no Amazonas, Alexandre Saraiva, afastado após fazer acusações contra o ministro. (Estadão)

O comandante do Exército, general Paulo Sérgio Nogueira, tem até o dia 7 para decidir o que fazer com o também general Eduardo Pazuello, ex-ministro da Saúde, que violou as regras da corporação ao participar de um ato político com Jair Bolsonaro. Integrantes do Alto Comando acham que Nogueira vai chamar o ex-ministro a se explicar pessoalmente, o que já é desabonador e poderia aplicar uma punição em caráter reservado. Bolsonaro não aceita qualquer castigo ao ex-ministro. (Estadão)

Então... Segundo Lauro Jardim, não há general de quatro estrelas que veja chance de Pazuello passar incólume. (Globo)

O presidente, aliás, anunciou que vai fazer outro passeio de moto, desta vez em São Paulo, no próximo dia 12. Falando a apoiadores, ironizou as manifestações em mais de 200 cidades no sábado. “Tinha uma pelada, outras mulheres cabeludas pintando, não tinha ninguém.” (UOL)

A convenção nacional do Patriota, realizada ontem, teve bate-boca e pode acabar no TSE. Tudo porque o presidente do partido, Adilson Barroso, anunciou de surpresa a filiação do senador Flávio Bolsonaro (RJ), sinalizando que o presidente da República também deve se filiar para concorrer à reeleição. Segundo integrantes da legenda, Barroso impôs mudanças no estatuto à revelia dos demais filiados. Eles negam serem contra a entrada do clã Bolsonaro, mas querem que o TSE anule a convenção e as mudanças. (Globo)

Meio em vídeo. Foram grandes as manifestações de sábado. Bem grandes. Mas por enquanto nada sugere impeachment. Os motivos são muitos — mas dá para reduzir em três jogos políticos em curso neste momento. Não bastasse, ao topar de sopetão realizar a Copa América, Bolsonaro pode ter dado um tiro no pé. Quer entender? Confira o Ponto de Partida no YouTube.

A edição de sábado do Meio, exclusiva para assinantes premium, vai além de um tema principal e mergulha em outros assuntos como tecnologia, música e literatura. Quer um exemplo? Já falamos do impacto do ano 1959 na história do jazz, dos rituais diários de artistas, do fotógrafo que popularizou o slogan Black is Beautiful, e até mesmo sobre Computação Quântica. É uma edição feita para ser curtida com calma, no fim de semana. Assine você também.

TRANSFORMANDO NEGÓCIOS

Transformando Negócios


Com as redes sociais cada vez mais inseridas no dia a dia dos usuários, as oportunidades de negócios só crescem. Estima-se o social commerce, compras feitas pelas redes sociais, crescerá 29% ao ano entre 2020 e 2028. As vantagens são muitas. Do lado do consumidor, ganha-se conveniência com toda a jornada, desde a descoberta do produto até a finalização da compra, dentro da plataforma. Do lado da empresa, pode significar menos interrupção na compra, permitindo que as transações sejam finalizadas com menos cliques. Ainda cria uma comunicação mais engajada com o usuário e mais dados que podem contribuir para conhecer melhor seu público-alvo.

As mudanças nas políticas do Google e Apple de rastreamento dos usuários já tem levado empresas a realizarem parcerias com adtechs para aplicar novas ferramentas para atingir os consumidores. Algumas dessas soluções têm sido plataformas de conexão com influenciadores e identificação de conteúdo que mais resulta em venda. Para as marcas, os métodos tradicionais já não são serão mais tão funcionais: as mudança de privacidades vão aumentar o custo de achar um novo consumidor no Facebook e diminuir a efetividade de segmentação. (Bloomberg)

Pois é… O Google está eliminando os cookies de rastreamento online de terceiros e a Apple começou a exigir que os proprietários de aplicativos peçam permissão explícita para rastrear usuários em aplicativos de outras empresas. Segundo recente pesquisa, apenas 13% dos usuários aceitaram ser rastreados.

Um portal com conteúdos para entender como o fim dos cookies impactará os negócios. Confira.

Viver


A Pfizer pediu ontem à Anvisa autorização para incluir na bula de sua vacina contra Covid-19 indicação para maiores de 12 anos, como já acontece nos EUA. No Brasil, a recomendação é para maiores de 16 anos. (G1)

O laboratório americano informou ainda que vai entregar 2,4 milhões de doses de sua vacina na segunda semana de junho. (UOL)

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) ultrapassou o Instituto Butantan como maior fornecedor de vacinas contra a Covid-19 no Brasil. Com a entrega de um novo lote nesta segunda, a fundação chegou a 47,6 milhões de doses, contra 47,2 do instituto. (Folha)

E hoje a Fiocruz assina, em Brasília, o contrato para transferência de tecnologia que lhe permitirá produzir no Brasil o insumo farmacêutico ativo (IFA) da vacina de Oxford/AstraZeneca, diminuindo a dependência de material importado. (Estadão)

Graças à vacinação em massa, o número de casos graves de Covid-19 no Xingu vem caindo. Incluídos no grupo prioritário, cerca de 84% dos indígenas da região já foram imunizados. (UOL)

Porém... No resto do país, o ritmo da vacinação em maio foi 16,5% menor do que em abril, devido a atrasos na produção e distribuição de vacinas. (Veja)

Nesta segunda-feira o Brasil registrou 874 mortes por Covid-19, elevando o total a 462.966. A média móvel em sete dias foi de 1.849 óbitos, a quarta alta seguida. Em relação aos 14 dias anteriores, houve redução de 5%, o que indica estabilidade. (G1)

Pois quem ligou o alerta foram os médicos em Manaus devido à morte de um homem por mucormicose, o chamado “fungo preto”, que atingiu milhares de pacientes com Covid-19 na Índia. O paciente, porém, havia testado negativo para Covid. (Globo)

Entenda o que é a mucormicose e a relação dela com a Covid-19. (G1)

Antes de ser preso em junho de 2019 com 39kg de cocaína no avião presidencial, o sargento da FAB Manuel Silva Rodrigues traficou drogas em pelo menos sete voos oficiais. O relatório da PF com essa informação diz ainda que o esquema continuou a funcionar mesmo depois da prisão de Rodrigues na Espanha. (UOL)

O ministro da Educação, Milton Ribeiro, anunciou, via Twitter, que as provas do Enem 2021, tanto impressas quanto digitais, vão acontecer nos dias 21 e 28 de novembro. (Poder360)

Morreu em Natal, aos 81 anos, o locutor esportivo Januário de Oliveira, famoso por bordões como “é disso que o povo gosta” e “cruel, muito cruel”. Ele estava internado desde o dia 11 tratando um quadro de pneumonia e sofreu uma parada cardíaca. (Globo Esporte)

Panelinha no Meio. Ok, não tem nada mais brasileiro que feijão com arroz. Mas variar sempre é bom, especialmente com algo simples como lentilhas na pressão com cominho. Não precisa deixar de molho, fica pronto com cinco minutos de pressão.

Cultura


Morreu nesta segunda-feira, vítima de uma hemorragia cerebral, o cantor e compositor Dominguinhos do Estácio, de 79 anos, um dos mais respeitados intérpretes de sambas enredo do Brasil. Domingos da Costa Ferreira nasceu no Morro do Estácio e começou a cantar na avenida a Unidos de São Carlos, depois chamada Estácio de Sá. Foi responsável pelos microfones também na Imperatriz Leopoldinense, na Grande Rio e na Viradouro. Um de seus sucessos mais marcantes foi Liberdade, Liberdade... Abre as Asas Sobre Nós (YouTube), que deu à Imperatriz o título do carnaval de 1989. (Globo)

O cineasta polonês Roman Polanski é conhecido por sua notável filmografia, a trágica morte de sua mulher Sharon Tate, e seus problemas com a justiça americana por abuso sexual. Agora, um documentário revela outra faceta: o sobrevivente do Holocausto. Polanski, Horowitz. Hometown estreou neste domingo em Cracóvia e mostra o cineasta e o fotógrafo Ryszard Horowitz visitando a cidade e lembrando do horror nazista. Os dois se conheceram crianças no gueto e juntos sobreviveram. (Folha)

Lulu Santos está de volta e bem acompanhado. O cantor e guitarrista lançou nas plataformas a canção Hit (YouTube), um aperitivo do EP que está produzindo. Uma das novidades, além da música em si, é a parceria com o produtor Liminha, seu amigo há 50 anos e piloto da mesa de som em alguns de seus maiores sucessos nos anos 1980. Lulu também está se aventurando pelos caminhos da independência. Hit é o primeiro lançamento pelo selo Pancho Sonido, administrado por Clebson Teixeira, marido do cantor. (Estadão)

Cotidiano Digital


O Brasil ganhou o primeiro cabo submarino de alta capacidade que liga o país à Europa. De fibra óptica, deve reduzir pela metade a latência da conexão atual ao não precisar mais passar pelos EUA para chegar ao continente europeu, como ocorre atualmente com a maior parte das transmissões. O cabo serve para o transporte de todo tipo de informação digital, como telefone, internet e demais dados.

Facebook, Google, Telegram e LinkedIn são algumas das big techs que já cumpriram total ou parcialmente as novas regras mais rígidas contra as empresas de tecnologia na Índia. Anunciadas em fevereiro, a regulamentação do governo indiano tem gerado críticas. Exige, por exemplo, que as redes sociais aceitem pedidos de remoção de conteúdo ilegal ou fake e compartilhem com o governo dados dos funcionários encarregados pela mediação. Algumas, no entanto, já se colocaram contra, como o Twitter e o WhatsApp, que recentemente processou o governo indiano sobre a exigência de rastrear a origem das mensagens dos usuários.





Bem-vindo ao Meio. A assinatura básica é gratuita, comece agora mesmo.



1 de junho de 2021
Consultar edições passadas