Assine o Meio: notícia confiável para quem não tem tempo de ler jornal.





27 de novembro de 2020
Consultar edições passadas

Prezadas leitoras, caros leitores —

Teorias conspiratórias não são novas, mas vivemos um tempo particularmente farto delas. Há as contra vacinação. As sobre George Soros. O QAnnon. Uma turma acredita que o presidente nunca levou facada. Outros, que houve algum grande plano por trás da facada.

Nenhuma destas são histórias reais. Num mundo cada vez mais complexo, há conforto em sentir-se por dentro do esquema de quem tudo controla. A alternativa é aceitar o caos, a falta de controle. A realidade.

A edição deste sábado do Meio será sobre teorias conspiratórias. Algumas bem antigas e outras novas, a ciência que explica o que leva alguns a acreditarem, e por que em certos momentos da história elas são mais fortes do que noutros.

Muitos de nossos leitores nos dizem que as Edições Sábado são o que fazemos de melhor. De nossa parte, nelas vemos nossa aliança com aqueles que apostam no Meio. Por isso, sempre mergulhamos nelas com prazer. Assine. É pouco, mas vale tanto.

E domingo, a quem tem segundo turno, bom voto. É hora de apostarmos em nossas cidades. E investirmos na democracia.

— Os editores.


Bolsonaro mente e nega ter chamado Covid de ‘gripezinha’


Em pelo menos dois momentos registrados em vídeo (Youtube) ao longo do ano Jair Bolsonaro se referiu à Covid-19 como ‘uma gripezinha’. Está documentado, é fato. Entretanto, com o número de mortos acima de 170 mil e subindo, o presidente mentiu ontem, dizendo jamais ter se referido assim à doença. “O pessoal da mídia, grande mídia, falando que chamei de gripezinha a questão do covid. Não existe um vídeo ou áudio meu falando dessa forma”, disse Bolsonaro. O nome disso é pura e simplesmente mentira. (Estadão)

A polêmica envolvendo testes de coronavírus em vias de perder a validade foi só mais um item no depósito de mágoas acumulado pelo ministro da Saúde, Eduardo Pazuello. Queixando-se de sofrer “pancadaria”, ele disse a amigos que, se deixasse o governo, “sairia feliz”, segundo o Estadão. Nomeado após dois ministros médicos se rebelarem contra as visões de Bolsonaro sobre a Covid-19, o ministro general começou a se desgastar ao anunciar que o país compraria a CoronaVac e ser em seguida desautorizado pelo presidente, que é contra a 'vacina chinesa de João Dória'.

As última dores de cabeça de Pazuello são o vazamento de informações de 16 milhões de pacientes de Covid-19, incluindo autoridades, e a descoberta de que sua pasta tem R$ 3,4 bilhões para o combate à pandemia parados desde maio. (Globo)

Anunciada no início da semana passada como eficaz, barata e de fácil armazenamento, a vacina da AstraZeneca e da Universidade de Oxford terá de passar por novos testes devido a erros na dosagem, segundo Pascal Seriot, CEO do laboratório. A notícia é ruim para o Brasil, pois esta é a única vacina para a qual o governo federal já tem contrato de compra. Ela deve ser produzida aqui pela Fiocruz.

Mesmo sem qualquer vacina aprovada, clínicas particulares de imunização já têm fila de espera. (Folha)

Como se tornou comum nas últimas semanas, a média móvel de mortes por Covid-19 em sete dias no Brasil cresceu na quinta-feira em relação ao período de 14 dias anterior, confirmando a tendência de alta. Foram 698 óbitos e 37.672 casos em um único dia. Apesar disso, o ministro Pazuello diz que o país não enfrenta uma segunda onda, e sim “um repique” da pandemia.

Chegou a Black Friday e este ano deve ser a mais digital de todas. Segundo a GfK, 54% dos consumidores trocarão as lojas físicas por compras em sites e redes sociais. E a pandemia não deve atrapalhar o fluxo: o brasileiro deve gastar, em média, R$ 1.728,32, uma cifra 30% maior que 2019, segundo a Sociedade Brasileira de Consumo e Varejo (SBVC). Porém, esta também deve ser a Black Friday dos menores descontos já ofertados. Especialistas avaliam que com falta de matéria-prima e insumos mais caros, as ofertas serão maiores em produtos encalhados e a variedade de itens também será menor. Comprar online, no entanto, é vantagem — na média, é 16,14% mais barato do que no físico, aponta o JáCotei.

Os eletrônicos continuam na lista dos itens mais procurados, com os smartphones liderando, seguidos de TVs e computadores, segundo a GfK. O Estadão montou um manual por categoria. Confira.

Mas não tem só eletrônico. Uma plataforma com promoções que vão de roupa a decoração. As redes de fast food também estão com ofertas e parcerias com empresas de delivery pra evitar aglomerações nas suas lojas.

Antes de comprar é importante pesquisar pra saber se está fazendo realmente um bom negócio. Uma lista de 10 sites comparadores de preços.

Mas com uma variedade de ofertas tem que tomar cuidado pra não cair em golpes. O site Posso Confiar identifica se uma página da internet é segura. O Procon-RJ criou uma lista de 200 sites pra ficar longe. Tem uma lista de empresas que se comprometeram a oferecer ofertas de verdade. Só procurar o selo Compromisso Black Friday de Verdade nos seus sites. E conheça os seus direitos de consumidor.

Já se tiver algum problema, o Procon-SP criou um seção específica pra registrar uma reclamação. Também é possível acionar suas redes sociais no Facebook, Instagram ou Twitter.

Meio em vídeo. No episódio desta semana, Cora Rónai e Pedro Doria falam do predomínio cada vez maior do ecommerce, do Brasil no meio da briga entre EUA e China pelo 5G e entrevistam Luiz Antonio Secco, um dos maiores especialistas do país em varejo. Assista a partir do meio-dia no Youtube e ouça no Spotify.

Não faltou confusão no velório de Diego Maradona na Casa Rosada, sede do governo argentino. Com muita aglomeração e poucas máscaras, milhares de fãs esperavam a chegada do corpo e acabaram furando o cordão de isolamento montado pela polícia, que reagiu. E a encrenca não se limitou ao público. Rocio Oliva, ex-mulher de Maradona, disse que foi impedida de entrar na área íntima do velório. Com esse clima, a família decidiu antecipar para a noite de ontem o sepultamento, que aconteceria no fim de semana.


O adeus da Mão de Deus

Tony de Marco

Maradona

Política


A três dias do segundo turno, nova rodada de pesquisas do Datafolha indica um cenário emocionante em São Paulo e no Recife. Na capital paulista, a distância entre Bruno Covas (PSDB) e Guilherme Boulos (PSOL) encolheu para oito pontos percentuais, com 54% dos votos válidos para o primeiro e 46% para o segundo. É a metade da diferença apontada no primeiro levantamento, logo após o pleito do dia 15. (Folha)

No Recife, a corrida está cabeça a cabeça. Marília Arraes (PT) lidera com 52% dos votos válidos, contra 48% de seu primo João Campos (PSB), o que qualifica empate técnico. Mas, em relação à pesquisa anterior, Marília caiu três pontos e João subiu três. (Folha)

Quem parece não ter muito com o que se preocupar é Eduardo Paes (DEM), que tenta voltar à prefeitura do Rio. Segundo o Datafolha, ele tem 70% dos votos válidos, com uma vantagem de 40 pontos sobre o atual prefeito, Marcelo Crivella (Repulicanos), com 30%. O cenário é de estabilidade em relação ao levantamento anterior. (Folha)

E a TV Globo e suas afiliadas realizam hoje debates em 35 cidades.

Uma das boas novidades desta eleição, o fim das coligações proporcionais mostrou a força real de cada partido e diminuiu a pulverização nas câmaras. Foi tão bom que as legendas nanicas já se articulam para derrubá-lo. (Globo)

Meio em vídeo. Voto nulo invalida a eleição? Voto em branco vai para o primeiro colocado? De onde vem essas informações falsas que circulam na internet? Saiba a resposta para essas e outras perguntas na estreia da coluna Meio Explica, no Youtube. Assista.

Jair Bolsonaro avisou ao STF, por meio da AGU que não vai depor no inquérito que apura a suposta interferência dele na PF para proteger parentes e aliados. O caso estava parado desde setembro exatamente por conta da indefinição quanto ao depoimento do presidente. A AGU pediu o fim das investigações.

Gerson Camarotti: “Interlocutores políticos do presidente Jair Bolsonaro avaliaram ao blog nesta quinta-feira que Bolsonaro fez um cálculo pragmático ao desistir de prestar depoimento no inquérito que apura se ele tentou interferir na Polícia Federal. Para esses interlocutores, Bolsonaro preferiu o desgaste político com a decisão ao risco jurídico do depoimento. Até mesmo auxiliares de Bolsonaro reconhecem o risco de contradições num depoimento presencial, até porque contaria com a possibilidade de questionamentos da defesa do ex-ministro da Justiça Sérgio Moro.” (G1)

No próximo dia 4 o STF vai julgar se Rodrigo Maia (DEM-RJ) e Davi Alcolumbre (DEM-AP) podem concorrer à reeleição para as presidências da Câmara e do Senado. Embora o entendimento atual seja de que a reeleição só é possível de uma Legislatura para outra, o que não é o caso, pelo menos sete dos 11 ministros devem votar para permitir que eles concorram.

A Justiça gaúcha prorrogou por 15 dias o inquérito sobre a morte de João Alberto Silveira Ferreira, espancado e estrangulado por seguranças de um Carrefour em Porto Alegre.

Cultura


Com pandemia ou sem pandemia, espetáculo (virtual) não pode parar. Confira algumas dicas de cultura para hoje e até a semana que vem.

Começa nesta terça o 10º Festival Novas Frequências, que nesta edição virtual homenageia a compositora Jocy de Oliveira e promove apresentações de Tantão e os Fita, Deafkids e Negro Leo, entre outros. Na véspera, às 20h, Guilherme Werneck conduz uma conversa sobre o evento com Chico Dub, Pérola Mathias e Bruno Natal no canal da Bravo! no YouTube.

A Osesp retoma hoje suas transmissões digitais e recebe Marin Alsop, regente de honra da orquestra, em concerto com obras de Beethoven, Prokofiev e Hindemith. Na terça, a Cultura Artística promove um concerto ao vivo do contratenor francês Philippe Jaroussky, que, direto da Abadia de Royaumont, será acompanhado pelo violinista Julien Chauvin e pelo grupo Le Concert de La Loge.

O cantor Otto retorna aos palcos em show a ser transmitido hoje, direto do Sesc Vila Mariana. Também hoje, a Orquestra Sinfônica Pop Arte Viva convida Mariana Aydar e Mestrinho para uma apresentação de forró orquestrado sob a regência de Amilson Godoy.

O Festival Cinema & Transcendência encerra amanhã a sua 7ª edição em grande estilo, com uma live do cineasta Alejandro Jodorowsky e a exibição de Psicomagia – A Arte da Cura, seu filme mais recente.

O Instituto Brincante completa 28 anos neste sábado, data celebrada com show de Antonio Nóbrega e sexteto. No mesmo dia, às 11h, entra no ar no YouTube do Instituto Inhotim uma apresentação gravada da Besta Fera de Jards Macalé.

Direto do Mirante das Artes, em Botucatu, a bailarina Marília Coelho apresenta neste sábado a coreografia Lapso, concebida em Istambul, na Turquia, com o músico Serhan Berberoglu.

Sob direção de Natacha Dias, a leitura dramática de As Aves da Noite, baseada no livro de Hilda Hilst, reúne nesta terça artistas de diferentes pontos do Brasil no Palco Virtual do Itaú Cultural. No mesmo dia, começa a edição online do Cena Contemporânea – Festival Internacional de Teatro de Brasília; veja a programação.

A edição digital da Flip (Festa Literária Internacional de Paraty) começa na quinta com a mesa Diáspora, com participação da escritora britânica Bernardine Evaristo e da poeta e tradutora Stephanie Borges.

A partir do mesmo dia, o CPC-UMES realiza a 7ª Mostra Mosfilm de Cinema Soviético e Russo e exibe 13 longas-metragens. A edição virtual do evento celebra o centenário de Sergei Bondarchuk, diretor de O Destino de um Homem.

Para mais dicas de cultura, assine a newsletter da Bravo!.

Solo para vilarejo, coletânea de poemas da pernambucana Cida Pedrosa, foi escolhido Livro do Ano do Prêmio Jabuti, a mais tradicional premiação da literatura brasileira.

Economia


O Tesouro deu um recado claro: a situação fiscal do Brasil é “frágil inclusive para realizar políticas sociais necessárias”. A dívida bruta deve fechar o ano em 94,4% do PIB, um salto ante os 75,8% em 2019. E ainda aponta para uma probabilidade baixa de resultado primário positivo até 2023. (Estadão)

José Paulo Kupfer: “O presidente Jair Bolsonaro e seu governo vivem um dilema. Podem não declarar, mas sabem que a economia terá ainda mais problemas em 2021 sem a renovação de uma renda básica para vulneráveis e informais, à moda do auxílio emergencial de 2020. Ilusão achar que uma extensão para 2021 do auxílio emergencial é dispensável. Se, no terceiro trimestre, o auxílio teria ajudado a atividade econômica a se recuperar do mergulho ocorrido nos três meses anteriores, a redução do benefício pela metade, nos últimos meses de 2020, é apontada como fator para as previsões de freada no crescimento, neste trimestre final do ano. Com relação à aprovação de Bolsonaro, nas pesquisas de opinião, a situação também passou a ser de queda, depois do corte no benefício e das dúvidas sobre sua permanência em 2021. Para formatar alguma renda básica em 2021, o governo terá de encontrar um caminho para driblar o teto de gastos. Na busca de saídas, voltou a circular, por exemplo, ideia antiga do ministro da Economia, Paulo Guedes, de desindexar parte dos benefícios do INSS. Em português claro, Guedes e sua equipe voltaram a sugerir o congelamento das aposentadorias acima de um salário mínimo. Congelar aposentadorias e cortar salários no serviço público são os caminhos mais óbvios, embora os mais espinhosos em termos políticos, para abrir espaços a uma nova despesas dentro dos limites do teto. O problema é que ambas as ideias já foram rechaçadas por Bolsonaro. A verdade é que sem driblar o teto de gastos, como foi possível em 2020, com o estado de calamidade, que permitiu gastos extraordinários fora da regra, só será possível fazer a omelete do novo auxílio, se forem quebrados ovos que pelo menos flexibilizem a regra de controle de despesas.”

A recuperação da indústria tem sido desigual. Segundo a Confederação Nacional da Indústria (CNI), a indústria de forma geral superou, em setembro, em 1,1% o registrado em fevereiro deste ano, mês que antecedeu a quarentena. Porém, enquanto as de alimentos e itens de higiene pessoal, por exemplo, já apresentam um desempenho positivo, segmentos de bens de consumos duráveis, como veículos automotores e vestuário ainda não conseguiram recuperar o patamar do início do ano. (Estadão)

A retomada do setor industrial ajudou nos ajustes melhores pra economia. Mas o cenário dos próximos meses deve mudar. A retomada da atividade dá sinais de arrefecimento no quarto trimestre, em meio às incertezas no campo fiscal e risco de nova onda. Além disso, a melhora da confiança dos consumidores estagnou, o que aponta para um adiamento do consumo, sobretudo entre os de renda mais baixa, segundo o Ibre/FGV. (Valor)

Acabou a isenção do IOF. A taxa tinha sido zerada por causa da pandemia e duraria até o final do ano. Mas o governo antecipou o fim pra compensar o gasto com a gratuidade temporária de tarifa de energia elétrica pra moradores do Amapá. (Valor)

Com o mercado fechado nos EUA por causa do feriado de Ação de Graças, o Ibovespa ficou estável e fechou em +0,09%, aos 110.227,09 pontos. E o dólar subiu pra R$ 5,33.

Na Ásia, as Bolsas fecharam em alta com a expectativa da vacina e dados econômicos positivos na China. Tóquio ficou em +0,40%, Shangai em +1,14%, Hong Kong em +0,28% e Coreia do Sul em +0,29%. Enquanto na Europa, abriram sem uma direção clara, pressionadas pela preocupação com as vacinas. Pela manhã, Frankfurt estava em +0,21%, Londres em -0,73% e Paris em +0,34%.

Cotidiano Digital


Uma onda de streamers virtuais têm se popularizado nas plataformas. Chamado de Vtubers, já que foram criados no YouTube no Japão alguns anos atrás, eles transmitem usando um modelo 3D no lugar de seu corpo e rosto. Em agosto, os principais streamers virtuais do Twitch tiveram mais de 100 mil horas de visualização cada, segundo o StreamElements e Arsenal.gg. A mudança significa, ganhar anonimato, ao mesmo tempo que também tem um enorme potencial de marketing em torno do personagem. Mas a inovação tem gerado situações um tanto inusitadas e ainda sem uma política clara: a streamer Projekt Melody chegou a ser banida do Twitch depois que o artista, que criou o seu avatar, entrou com uma reclamação de direitos autorais alegando que ela não era dona de seu corpo, mas ele sim.



Bem-vindo ao Meio. A assinatura básica é gratuita, comece agora mesmo.



27 de novembro de 2020
Consultar edições passadas