É genocídio que chama

Receba notícias todo dia no seu e-mail.

Assine agora. É grátis.

O que está acontecendo com o povo ianomâmi não é acidental. É um projeto. Tem comando e uma mentalidade militarista por trás. A gente já deixou de punir assassinatos com essa mesma mentalidade lá no fim da ditadura. Dessa vez, aproveitando as lições de Argentina, 1985, que acaba de ser indicado ao Oscar, não vai dar para deixar passar.

PUBLICIDADE

Apoie o jornalismo do Meio e adquira a sua camiseta: https://www.colab55.com/@meio?aff=w2h6s8

Encontrou algum problema no site? Entre em contato.