Flávia Tavares

Editora executiva de conteúdo premium do Meio. Jornalista com 20 anos de carreira, com passagens pelo Estadão, no caderno Aliás e como repórter especial de política e cidades; pela revista Época, como repórter em Brasília e editora de política em São Paulo; e na CNN, como editora-chefe do site. Ama escrever sobre política e direitos humanos.

Tarcísio é Bolsonaro

Lá de cima do trio elétrico, ficou claro que Tarcísio de Freitas, o carioca que é governador de São Paulo, é o escolhido de Jair Bolsonaro para ser seu herdeiro político — pelo menos até aqui.

Manifestação convocada por Bolsonaro reúne aliados na Paulista

O ex-presidente Jair Bolsonaro participou neste domingo (25) de uma manifestação na Avenida Paulista em que buscou mostrar apoio popular em meio às investigações contra ele. Ao vivo, neste #MesaDoMeio especial, Pedro Doria, Mariliz Pereira Jorge e Christian Lynch recebem a editora executiva do Meio, Flávia Tavares, que acompanhanou a movimentação e os discursos direto do ato, em São Paulo.

Lula reorganizou a direita

Qual o grande fato político do Brasil nesta semana?

Bolsonaro convoca manifestação em seu apoio para dia 25

Em um vídeo que vem sendo distribuído por correligionários e aliados nas redes sociais, o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) convocou uma manifestação de apoiadores “em defesa do Estado Democrático de Direito” para dia 25 de fevereiro, na Avenida Paulista. Ele pede que o público vá de verde e amarelo e não leve faixas ou cartazes “contra quem quer que seja”. “Nesse evento eu quero me defender de todas as acusações que vêm sendo imputadas à minha pessoa nos últimos meses”, diz Bolsonaro. O ex-presidente diz que, mais do que um discurso, está interessado na “fotografia” de quem comparecer, para mostrar ao mundo o grau de apoio que tem — numa manobra arriscada, que lembra o movimento feito por Fernando Collor de Mello em seu momento mais vulnerável. (Meio)

Os sócios da Abin Paralela — e onde está a inteligência de Lula?

No dia 22 de abril de 2020, além do infame descobrimento do Brasil, o país também descobria qual era o projeto e o método de Jair Bolsonaro. Ele já havia dado muitos sinais antes de como queria se tornar um autocrata, claro. Mas ali, à vontade, empossado e comandando a República, ele descreveu, por horas, tudo que pensava sobre como governar a nação e usá-la, sem pudor, para seu próprio benefício. Confira comigo no replay:

Lula, os líderes e o povo evangélico

A pesquisa CNT/MDA divulgada nesta terça-feira mostrou que 40% dos evangélicos ouvidos na sondagem consideram o governo Lula está pior que o de Bolsonaro.  Os evangélicos lideram no recorte dos mais descontentes, seguidos pelos mais ricos e mais escolarizados, com 38% e 36% respectivamente.

“Eu amo o Congresso brasileiro”, diz Beatriz Rey

Beatriz Rey é a convidada do Conversas com o Meio desta semana. Em entrevista à editora executiva Flávia Tavares, a cientista política e pesquisadora que estuda Legislativo defende que se enalteçam suas virtudes para que se consertem seus defeitos.

O que está em jogo nas eleições municipais de 2024?

Oi, pessoal! Vou abrir uma exceção na minha política de só dar feliz ano novo até dia 14 de janeiro, porque eu estava de férias e estou retomando a coluna hoje. Então, um excelente 2024 pra todos que me acompanham aqui.

Um ano de Lula: mais reconstrução que união

Não é exagero algum falar em reconstrução pós-bolsonarismo. Em muitos sentidos, o primeiro ano de governo Lula agiu nesse sentido. Seja para restaurar algumas políticas públicas, remontar equipes deliberadamente destruídas, recolocar o Brasil no cenário internacional. A união é tarefa ainda mais complexa. Não há fórmula fácil e Lula vem derrapando em algumas oportunidades. É o verdadeiro desafio para 2024.

A culpa é da Janja?

Sou uma vagabunda estuprada. Eu dou a bunda para vários homens, chupo um monte de pinto, dou a bunda pros caras, eu vou bater o recorde mundial em dar a bunda. Eu sou uma estuprado, eu sou um arrombado.