Ainda não é assinante? Assine. Não custa nada.

 
 


30 de outubro de 2019
Consultar edições passadas

Nome de Bolsonaro envolvido no caso Marielle


Horas antes dos assassinatos da vereadora Marielle Franco e de seu motorista, Anderson Gomes, um dos dois suspeitos do crime informou que pretendia visitar o presidente Jair Bolsonaro. Élcio de Queiroz informou ao porteiro do Condomínio Vivendas da Barra que pretendia ir à casa de número 58. É um dos dois imóveis do presidente — o outro é onde vive seu filho Carlos. O relógio marcava 17h10, em 14 de março de 2018. A informação está no livro registro da portaria. Em depoimento à polícia, o porteiro informou ter ligado para a casa e ter sido atendido por quem identificou pela voz ser o ‘seu Jair’, que autorizou a entrada. Pelo registro de vídeo, porém, viu que o Logan foi para outra casa — a de número 66. É onde morava Ronnie Lessa, o segundo suspeito do crime. Preocupado, o porteiro tornou a ligar para a casa 58 e o mesmo homem que o havia atendido afirmou que sabia para onde Élcio ia. O furo, veiculado ontem pelo Jornal Nacional, é dos repórteres Arthur Guimarães, Felipe Freire, Leslie Leitão, Marco Antônio Martins e Tyndaro Menezes. Neste mesmo dia, de acordo com os jornalistas, o então deputado Jair Bolsonaro marcou presença às 14h e, depois, às 20h30, nas duas votações que ocorreram na Câmara, em Brasília. Também postou vídeos em suas redes sociais capturados em seu gabinete. Não poderia estar no Rio. Existem os registros de áudio do interfone do condomínio, e os investigadores estão recuperando os arquivos para identificar com quem o porteiro conversou realmente. Ao ver mencionado o nome do presidente, representantes do Ministério Público do Rio foram a Brasília, onde consultaram o presidente do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli. Queriam saber se poderiam continuar a investigação. Ainda não há resposta. (G1)

Bolsonaro respondeu de bate-pronto. Já passavam das 3h na Arábia Saudita quando, vestindo terno em seu hotel, ele entrou numa live via Facebook. Começou calmo, mas aos poucos foi se exaltando. Há momentos de fúria. “Ou o porteiro mentiu ou induziram a cometer um falso testemunho”, afirmou. Acusou o governador fluminense, Wilson Witzel, de ter sido o responsável pelo vazamento da informação contida no inquérito. “O senhor só se elegeu governador porque ficou o tempo todo colado com o Flávio, meu filho.” Mas, nos quase 24 minutos da transmissão, os momentos de maior raiva foram dedicados à TV Globo. “Sou presidente da República, não deveria perder a linha com vocês, mas estou no meu limite. Vocês não prestam, TV Globo. Vocês esculhambam a família 24 horas por dia. Só mostram o que está dando errado. É uma canalhice o que vocês fazem.” Bolsonaro ameaçou a emissora. “Vocês vão renovar a concessão em 2022, não vou persegui-los, mas o processo tem que estar limpo. Se não estiver limpo, não tem concessão da renovação de vocês. Vocês apostaram em me derrubar no primeiro ano e não conseguiram.” (Poder 360)

Assista à íntegra. (Facebook)

Igor Gielow: “O fantasma do caso Marielle Franco voltou com força a rondar a família presidencial, como tem feito de forma cíclica desde o começo de seu mandato. Apesar de um depoimento frágil dizer que ele estaria lá, estava com presença registrada na Câmara. O álibi factual é bom, mas combinemos: só o fato de o nome do presidente estar numa investigação rumorosa como essa, e o STF ter de se posicionar sobre o caso, já é bastante ruim politicamente para o grupo ora no poder. A primeira reação de Bolsonaro ao caso pode até funcionar para sua base de apoio, mas um observador mais imparcial viu um presidente descontrolado dizendo que não matou ninguém. Assim como no episódio do tuíte com o STF e outros sendo chamados de hienas, não deve passar despercebido como o bolsonarismo anda alimentando uma paranoia de conspiração esquerdista continental. Se depender do filho deputado do presidente, o agora sem-embaixada Eduardo, o Brasil pode até namorar práticas ditatoriais se houver uma radicalização pelas ruas daqui. Além dessas graves ilações do caso Marielle, que obviamente demandam apuração, também corre em círculos do Judiciário a informação de que a investigação sigilosa envolvendo Carlos Bolsonaro começou a engrossar. O MP do Rio avançou em frentes importantes relativas à contratação de supostos funcionários fantasmas. Quem conhece o assunto diz que há novos veios sendo explorados, e que talvez haja convergências nas apurações já existentes acerca do papel de Fabrício Queiroz, que resolveu mandar recados acerca de seu isolamento financeiro e político na forma de áudios vazados com indiscrições envolvendo o presidente e seu último empregador no clã, o hoje senador Flávio.” (Folha)

Em Brasília, deputados aliados ao governo já haviam recebido explicações sobre o depoimento do porteiro. Foram informados, também, de que a vigilância no condomínio do presidente é pesada, de acordo com o Painel. (Folha)

O fato de ter sido mencionado o nome do presidente pode levar o caso para o Supremo. Dependem, porém, de a Procuradoria-Geral da República abrir uma investigação contra o presidente. Ao menos por enquanto, os ministros avaliam a menção com cautela, segundo o Radar. O vídeo publicado no fim de semana no Twitter de Bolsonaro, em que compara o STF a hienas, não poderia ter aparecido em pior hora para o Planalto. (Veja)

Leia: As notas de resposta do governador Wilson Witzel e da TV Globo.

Enquanto isso... A convite do governador paulista João Doria, o ex-ministro bolsonarista Gustavo Bebbiano vai se filiar ao PSDB. Posto para fora do Planalto após um desentendimento com o filho Zero Dois, Carlos, ele acredita que o presidente tem planos. “Não acredito que ele conseguiria consolidar uma ruptura institucional”, afirmou a respeito do presidente. “Mas tudo indica que ele vai tentar. É muito preocupante. Uma simples tentativa pode gerar muito derramamento de sangue. O Brasil não precisa disso. É um risco real.” (Congresso em Foco)

Os ex-governadores Anthony Garotinho e Rosinha Matheus, do Rio, foram presos em sua casa na Zona Sul do Rio agora de manhã. Os desembargadores da 2ª Câmara Criminal derrubaram um habeas corpus que mantinha o casal em liberdade. São acusados de superfaturamento em um contrato entre a Prefeitura de Campos e a Odebrecht. (G1)


Boris Johnson conseguiu aprovar uma nova eleição no Reino Unido. Será em 12 de dezembro, quando os britânicos decidirão a nova composição da Câmara dos Comuns. (G1)

Cultura


A AT&T, dona da Warner e da HBO, confirmou hoje os detalhes e data de lançamento do serviço de streaming HBO Max, a aposta bilionária do conglomerado após os anúncios recentes de dois concorrentes: Apple TV+ (1 de novembro) e Disney+ (12 de novembro), que chega ao mercado dos Estados Unidos em maio do ano que vem por US$ 14,99 mensais. Serão 10.000 horas de conteúdo no lançamento; o conteúdo original ficará sob o nome Max Originals, fora o conteúdo de outras marcas da WarnerMedia, como Warner Bros, New Line Cinema, DC, Turner Library, Crunchyroll, Rooster Teeth e Looney Tunes, entre outros. Será grátis por um ano para os assinantes da HBO.

Tem tudo para abalar o mundo do streaming. Três séries da DC para a HBOMax foram anunciadas. Uma delas é DC Super-Hero High e será em live-action. A HBOMax também irá produzir uma série dos Lanternas Verdes. Todos os filmes da DC já feitos (inclusive Coringa) estarão disponíveis no catálogo; filmes exclusivos não foram anunciados. E Doom Patrol está voltando. “Acreditamos naqueles que lutam por segundas chances e segundas temporadas.”, anunciou a plataforma (Twitter).

É uma aposta alta... sobretudo com o retorno de Game of Thrones. Primeiro saiu a informação de que a série sobre a Casa Stark tinha sido cancelada. Em seguida, a Warner Bros anunciou o primeiro spin-off de GOT inspirada na Casa Targaryen. Do outro lado, no caso da Disney, a Lucasfilm cancelou a nova trilogia de Star Wars que seria dirigida por D&D; ex-produtores de GOT. Eles fecharam exclusividade com a Netflix para lançamento de outros produtos.

Pablo Neruda, sempre atual... Confesso que Vivi, seu volume de memórias publicado pela primeira vez em 1974, acaba de ser relançado pela Bertrand Brasil. Nessa nova edição há o acréscimo de material autobiográfico até então inédito encontrado nos arquivos da Fundação que preserva o acervo do poeta. (Blog Página Cinco)

Viver


O Brasil chegou a 1 milhão de armas registradas, uma disparada considerando a média mensal. E 2019 pode se tornar o ano com maior número de novas armas em circulação desde o início da série histórica, em 1997. Em 2018, o patamar de 36 mil novas armas só foi alcançado em outubro. O volume notificado pela PF até agosto de 2019 já é maior do que a média anual considerando o período de 2008 até o ano passado: 34.412. De acordo com a Polícia Federal, 36.009 novos armamentos foram registrados entre janeiro e agosto, dos quais 52% ocorreram após sequência de decretos sobre o tema.  (Globo)

Conhecidas como casas de 'Lego', pré-fabricadas, ou modulares, elas foram construídas em poucos dias e a partir de projetos neutros em carbono.

Sobre o desastre ambiental no litoral do Nordeste, integrantes do governo vem recorrendo a informações falsas para minimizar impacto, apurou o site AosFatos. Não é verdade, como afirmou o vice-presidente Hamilton Mourão, que todo o óleo encontrado já tenha sido recolhido e que não há mais praias sujas.

Enquanto isso, o Ministério da Agricultura proibiu a pesca de lagosta e camarão em áreas atingidas.

Pois é... A Bahia decretou situação de emergência em mais 15 cidades por causa das manchas de óleo. Objetivo é aumentar apoio nas cidades de Belmonte, Cairu, Camamu, Canavieiras, Igrapiúna, Ilhéus, Itacaré, Itaparica, Ituberá, Maraú, Nilo Peçanha, Taperoá, Una, Uruçuca e Valença.

Uma força-tarefa formada por pesquisadores da Universidade Federal de Alagoas está monitorando e avaliando os danos causados nas praias de Alagoas. Buscam maneiras de reduzir os danos. Em Pernambuco, uma equipe do curso técnico de química do IFPE coleta amostras para testar a qualidade da água do mar em Ipojuca, no Litoral Sul. Expectativa é divulgar resultados preliminares em dez dias.

Cotidiano Digital


Uber, Lyft e outras empresas que oferecem serviços de terceiros via aplicativos juntaram US$ 90 milhões para gastar em uma extensa campanha publicitária, na Califórnia. Sua intenção é incluir nas cédulas do estado, na eleição do ano que vem, um voto que isente as companhias de conceder direitos trabalhistas aos motoristas. Estas perguntas plebiscitárias são comuns nas eleições americanas.

Aliás... Concorrente da Uber nos EUA, a Lyft está botando na rua um plano de assinatura. Quem paga US$ 19,99 mensais terá direito a 15% de desconto em todas as corridas.

Pois é... Estão todas em busca de dinheiro, seus negócios ainda no vermelho. Para os motoristas, a Uber lançou uma conta digital e um cartão de débito, que vai acelerar o recebimento do valor das corridas. Já os clientes poderão usar um cartão de crédito Uber. A vantagem é que devolve 5% do que for gasto em serviços da empresa. Os produtos da divisão Uber Money, por enquanto, são apenas para os EUA.

Em sua conferência anual para desenvolvedores, a Samsung apresentou, ontem, um novo conceito de smartphone dobrável. Ao invés de abrir na horizontal, o faz na vertical — como os antigos celulares miúdos que fechavam. É uma proposta de aparelho compacto. Por enquanto é só um estudo.





Bem-vindo ao Meio. A assinatura básica é gratuita, comece agora mesmo.




30 de outubro de 2019
Consultar edições passadas