Assine o Meio: notícia confiável para quem não tem tempo de ler jornal.



25 de novembro de 2020
Consultar edições passadas



Sem auxílio, Bolsonaro quer Bolsa Família para chamar de seu


Congresso Nacional e equipe econômica planejam alternativas pra criar o Renda Brasil, o Bolsa Família ampliado, dentro do Orçamento de 2021. Alguns dos consensos já formados incluem gatilhos de contenção de despesas obrigatórias, com foco em gastos com pessoal, e cortar isenções e subsídios, preservando apenas o Simples e benefícios tributários regionais. O objetivo é levar uma proposta ainda nesta semana para o presidente Jair Bolsonaro. Os parlamentares votariam em dezembro. (Estadão)

Pois é… O secretário do Tesouro, Bruno Funchal, disse que o espaço para extensão do auxílio emergencial, que exigiria ampliar o decreto de calamidade pública, é “muito reduzido”, “se não zero”.

Thomas Traumann: "O presidente Jair Bolsonaro começou a enfrentar seu principal adversário na campanha da reeleição, a economia. O ministro Paulo Guedes anunciou que o governo não irá criar um programa social para substituir o Auxílio Emergencial, que termina em dezembro. Na prática, isso significa acabar com a renda de quase 40 milhões de brasileiros a partir de 2021. Será um ano difícil. Mesmo na hipótese mais otimista o Brasil vai terminar 2021 mais pobre do que no início de 2020. Neste cenário sombrio, jogar nas ruas dezenas de milhões de brasileiros depois de o governo ter passado meses anunciando um novo programa de assistência pode ser como brincar a beira de um vulcão ativo." (Poder 360)

Míriam Leitão: “Os oito meses de crise teriam sido suficientes para corrigir os defeitos do auxílio emergencial e propor um programa social novo. Era possível também preparar ações para a eventualidade de uma segunda onda do vírus, que exija mais distanciamento social. Houve muitos erros no Auxilio Emergencial, falta de foco, por exemplo. Outro erro é a análise feita sobre o emprego. O Ministério da Economia comemora a criação de empregos formais, mas deixa de considerar o mercado de trabalho como um todo. Um estudo do economista Bruno Ottoni aponta para o menor nível de ocupação da população em idade de trabalhar, em torno de 47%. O governo não tem plano para o pior cenário, apesar desses oito meses de crise. No ano que vem não haverá o chamado orçamento de guerra, que permitiu gastos maiores em 2020. A situação é grave na saúde e na economia.” (Globo)

A primeira pesquisa do Ibope sobre o segundo turno em Porto Alegre mostra que a candidata do PCdoB, Manuela D’Ávila, se aproxima de Sebastião Melo (MDB), que ficou em primeiro no pleito do dia 15. Ele tem 49% das intenções de votos, contra 42% dela, com brancos e nulos somando 5%, 4% de indecisos. Pesquisas anteriores de outros institutos, com uma metodologia diferente, apontavam uma vantagem de quase 24 pontos percentuais para Melo.

O Ibope ouviu também os eleitores de Goiânia. Maguito Vilela (MDB), que está internado com Covid-19 e sedado num hospital de São Paulo, lidera com 54%, contra 31% de Vanderlan Cardoso (PSD). Confira pesquisas sobre o segundo turno em outras cidades no site do Ibope.

O clima civilizado que vinha marcando o pleito paulistano pode ter chegado ao fim. Bruno Covas (PSDB) está cada vez mais irritado com o cerco a Ricardo Nunes (MDB), seu candidato a vice. Num boletim de ocorrência de 2011, a mulher de Nunes o acusa de violência doméstica, o que está sendo explorado pela campanha de Guilherme Boulos (PSOL).

Já no Rio, a baixaria reina. Um funcionário da prefeitura foi flagrado distribuindo panfletos com notícias falsas associando o candidato Eduardo Paes (DEM) a um suposto “kit gay” “do PSOL”. Paes, por sua vez só se refere ao prefeito Marcelo Crivella (Republicanos) como “pai da mentira”, termo bíblico para o diabo. (Globo)

O governo chinês reagiu com indignação a um tuíte (depois apagado) do deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) no qual ele declarava apoio à criação de uma “aliança global para um 5G seguro sem espionagem da China”. Além de filho Zero Três do presidente, Eduardo preside a Comissão de Relações Exteriores da Câmara. A embaixada da China fez uma reclamação formal ao governo brasileiro e soltou uma nota classificando como “infames” declarações como as do deputado, a quem recomendou “evitar ir longe demais no caminho equivocado” sob o risco de “carregar a responsabilidade histórica de perturbar a normalidade da parceria China-Brasil”. (Globo)

Não custa lembrar que a China é o principal parceiro comercial do Brasil.

Eduardo não foi o único em casa a arrumar confusão no Twitter. Perguntada por uma seguidora se a filha do casal tomaria todas as vacinas, Heloísa, mulher do deputado, respondeu que sim e classificou o movimento contra vacinas como “coisa de retardado”. Ao descobrir que muitos adeptos do movimento são apoiadores do sogro, ela apagou a postagem e disse que os antivaxxers (como o grupo é chamando) “são apenas pessoas que pensam diferente de mim ou que possuem informações que eu não possuo”. Em tempo, Heloísa é psicóloga. (Folha)

A polícia gaúcha prendeu na quinta-feira Adriana Alves Dutra, fiscal do Carrefour que acompanhou a agressão e a morte, na quinta-feira passada, de João Alberto Silveira Freitas, cidadão negro espancado e estrangulado por dois seguranças do supermercado, presos na noite do crime. Segundo a polícia, ela tinha autoridade sobre os agressores, mas não agiu para impedi-los. Um motoboy disse em depoimento ter sido intimidado por Adriana ao filmar a cena.

Para Onde Vamos

Para Onde Vamos


Quase metade da população de seis capitais brasileiras não está contente com a mobilidade urbana. Isso que aponta pesquisa Datafolha encomendada pela 99. A mobilidade da cidade do Rio de Janeiro é a pior dentre as avaliadas — 57% disseram ser ruim ou péssimo. No total, 62% dos moradores de São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Porto Alegre, Recife e Salvador se mostraram preocupados com o trânsito no pós-pandemia e pra maioria o carro particular é o vilão. O futuro, pra eles é simples: menos carros e mais serviços compartilhados.

A Califórnia está saindo na frente e autorizou serviços pagos de táxis sem motoristas pro público. Porém ainda deve levar pelo menos alguns meses até os passageiros os verem nas ruas. O estado é conhecido por exigir uma série de regras e requisitos dos operadores. Mas também é destino dessa tecnologia: atualmente, 60 empresas têm uma licença ativa para testar veículos autônomos com um motorista de segurança na Califórnia. Cinco, incluindo a Waymo do Google, têm uma licença adicional que permite testar veículos totalmente sem motorista em vias públicas.

A Hyundai está desenvolvendo o primeiro carro com pernas dobráveis. A ideia do Ultimate Mobility Vehicle (UMV, veículo de mobilidade máxima) é que seja usado nas mais variadas situações: desde um carro comum, com as hastes recolhidas, até uma emergência, como vasculhar escombros de terremotos. O veículo dá passos de até um metro e meio, sobe paredes da mesma altura e bloqueia as pernas quando necessário.

Viver


O Brasil passou da marca de 170 mil mortes por Covid-19 com os 638 óbitos registrados ontem pelo consórcio de veículos de comunicação. Continuamos ocupando a segunda posição no ranking de mortos, atrás dos EUA e à frente da Índia, que nos ultrapassou há meses no total de casos. O Brasil tem hoje 6.121.449 de infectados, com 33.445 novos casos registrados na terça-feira. Dez estados apresentaram alta na média móvel de mortes: RS, SC, ES, MG, RJ, SP, GO, MS, AM e CE.

Como se não bastasse, o Imperial College, de Londres, que centraliza dados mundiais sobre a pandemia, concluiu a taxa de transmissão no Brasil, 1,3, é a maior desde maio. Isso significa que cada dez infectados estão passando o vírus para outras 13 pessoas, o que é mais um sinal do recrudescimento da doença por aqui.

Meio em vídeo. A vacinação não encerrará a quarentena pois não sabemos por quanto tempo dura a imunidade. A afirmação é de Isabella Ballalai, vice-presidente da Associação Brasileira de Imunizações, no Conversas com o Meio desta semana. Ela tira as principais dúvidas sobre as vacinas para Covid-19 e conta os desafios a partir de sua distribuição. Assista.

E... A AstraZeneca, parceira de Universidade de Oxford, se reuniu com a Anvisa, mas não estabeleceu uma data para envio do pedido de uso emergencial de sua vacina. Enquanto isso, o ministro Ricardo Lewandowski, do STF, deu voto antecipado para que o governo federal apresente em 30 dias um plano de vacinação contra a Covid-19. O julgamento das quatro ações sobre o tema, todas sob a relatoria de Lewandowski, está marcado para o dia 4, em plenário virtual. Mas o governo planeja concluir o plano já na próxima semana.

Parece uma cena saída de 2001: Uma odisseia no espaço, mas é real. Pilotos de helicóptero localizaram na semana passada um monolito metálico numa área remota do deserto de Utah, nos EUA. A estrutura com cerca de três metros de altura parece, segundo os pilotos, ter sido encravada no terreno. Ela lembra trabalhos do artista plástico John McCracken, que morreu em 2011, mas os curadores de sua obra não comentaram a descoberta. Tão logo a notícia se espalhou, internautas mergulharam no Google Earth, localizaram o ponto exato da descoberta numa rede de cânions e descobriram que o objeto estava ali desde 2016. Por via das dúvidas, vale já ir ouvindo Assim falou Zatatustra, de Richard Strauss, tema do filme (YouTube).

O jornalismo esportivo perdeu um ícone. Morreu aos 69 anos, de causa não divulgada, Fernando Vanucci. Criador do bordão “Alô, você!”, ele passou pelas TVs Globo, Bandeirantes, Record e Rede TV mas estava afastado das câmeras e com a saúde debilitada devido a um infarto em abril do ano passado. Colegas, atletas e clubes lamentaram a morte.

Cultura


Saiu nesta terça-feira a lista de indicados ao Grammy 2021, o prêmio mais importante da indústria da música trazendo dois brasileiros. Bebel Gilberto, filha de João Gilberto e Miúcha, concorre com Agora, seu primeiro disco em seis anos, na categoria Álbum de Música Global. Já o guitarrista e violonista Pinheiro, que vive nos EUA, pode vencer como Álbum de Jazz Latino com seu City of Dreams. A cerimônia de entrega será no dia 31 de janeiro.

Mesmo indicado a quatro prêmios, o ex-ídolo adolescente Justin Bieber não ficou feliz. É que suas indicações foram em categorias de pop, e ele queria entrar nas listas de R&B, que, segundo o cantor, é o estilo de seu disco Changes.

Morreu em Goiás, aos 83 anos, Francisco Camargo, que se tornou nome conhecido no Brasil graças ao longa 2 filhos de Francisco (2005) sobre a dupla Zezé de Camargo e Luciano. Ele estava internado e sofreu uma parada cardiorrespiratória. Embora o enterro fosse privado, dezenas de fãs da dupla compareceram. O sepultamento foi acompanhado por Zezé e a filha Wanessa. Luciano, que está com Covid-19, não compareceu.

Cotidiano Digital


As fake news ficaram sob controle durante a eleição americana, e um dos motivos é que o Facebook mudou o seu algoritmo de notícias. Segundo o New York Times, a mudança foi feita pra dar preferência no feed pra veículos mais confiáveis, como New York Times e CNN. A possibilidade da alteração no algoritmo fazia parte de planos da empresa pra se preparar pra os “piores cenários”. Que aconteceram. A resistência de Trump em aceitar o resultado das eleições aumentou o engajamento de histórias sobre fraudes eleitorais, então o próprio Mark Zuckerberg autorizou a medida. Os funcionários do Facebook já querem que a alteração seja permanente, mas não está nos planos.

Aliás... O Twitter vai começar a alertar usuários que curtirem publicações com conteúdo rotulado como enganoso.

Elon Musk é o segunda pessoa mais rica do mundo. A fortuna do CEO da Tesla cresceu mais US$ 7,2 bilhões ontem pra US$ 128 bilhões e ultrapassou Bill Gates. À frente de Musk, agora, está apenas Jeff Bezos, fundador da Amazon.

Pois é… A sua fortuna tem crescido rapidamente com a expectativa da entrada da Tesla no índice do S&P 500 em dezembro. Ontem as ações da montadora subiram 7,85%, aproximando-se de um valor de mercado de US$ 500 bilhões — cinco vezes mais do que a GM e a Ford juntas.





Bem-vindo ao Meio. A assinatura básica é gratuita, comece agora mesmo.



25 de novembro de 2020
Consultar edições passadas