Haddad: ‘Minha meta é buscar o equilíbrio fiscal’

Após o presidente Lula afirmar, na última sexta-feira, que o governo dificilmente cumprirá a meta fiscal em 2024, o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, saiu pela tangente. Em entrevista coletiva ontem, foi questionado quatro vezes se o compromisso estava mantido. Afirmou apenas que sua meta está estabelecida. Diante da insistência, deixou a entrevista. “A minha meta está estabelecida: vou buscar o equilíbrio fiscal de todas as formas justas e necessárias para que nós tenhamos um país melhor”, disse. “O meu papel é buscar o equilíbrio fiscal, farei isso enquanto estiver no cargo, não é por pressão do mercado financeiro, acredito que o Brasil, depois de dez anos, precisa voltar a olhar para as contas públicas”, afirmou o ministro, que relacionou o desafio de zerar o déficit à recuperação de perdas na arrecadação, o que chama de “erosão da base tributária”. Para ele, há um descaso com o resultado primário. “Não mudei de ideia, continuo com a mesma ideia, porque acredito que vai ser o melhor para o país. Agora, eu preciso de apoio político. Preciso do Congresso, preciso do Judiciário. E tenho tido a colaboração até aqui tanto de um quanto do outro.” Haddad não respondeu se pretende enviar ao Congresso uma nova meta fiscal para a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO). A votação da LDO na Comissão Mista de Orçamento está prevista para hoje. (Estadão)

Haddad evitou críticas ao chefe. Mas Rodrigo Pacheco (PSD-MG), presidente do Senado, foi direto: “Devemos seguir a orientação e as diretrizes do ministro da Fazenda, a quem está confiada a importante missão de estabelecer a política econômica do Brasil. Ir na contramão disso colocaria o país em rota perigosa”. Ele acrescentou que “o parlamento tem essa compreensão e buscará contribuir com as aprovações necessárias, com as boas iniciativas e perseguindo o cumprimento da meta estabelecida”. (g1)

Eliane Cantanhêde:Nem parecia o mesmo Haddad. Ar cansado, contrariado, impaciente e, enfim, mal-humorado, o ministro da Fazenda disse a jornalistas que prometeu déficit zero em 2024, mas sabe-se lá se vai cumprir. E não concordou nem discordou do chefe Lula. Sem ter como atacar o presidente da República, contar toda a verdade e apontar o dedo para o chefe da Casa Civil, Rui Costa, Haddad descarregou a culpa — e, possivelmente, a raiva — fora do governo: na Câmara, no Senado e no Supremo”. (Estadão)

Meio em vídeo. Lula afirmou que dificilmente o governo chegará à meta de déficit zero em 2024. Isso quer dizer o seguinte: bota num lado da conta tudo o que o governo vai gastar. No outro, tudo que vai receber. A conta vai terminar no vermelho. Talvez você ache que este é um debate entre desenvolvimentistas e liberais. Muita gente dos dois lados quer que você pense isso. Mas não é. A conversa é muito mais simples, e também muito mais difícil de resolver. Veja o que pensa Pedro Doria no Ponto de Partida. (YouTube)

A Procuradoria-Geral da República (PGR) recorreu ontem da decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Dias Toffoli de colocar seu colega Alexandre de Moraes como assistente de acusação da agressão que ele mesmo e seu filho teriam sofrido em Roma. A PGR argumenta que, por ser também vítima da suposta agressão, o ministro teria “privilégio incompatível” caso atuasse como acusador, que é função constitucional do Ministério Público. Também foi questionada a negativa por Toffoli de compartilhar com a defesa dos acusados os vídeos de segurança do aeroporto de Roma, onde aconteceu o incidente. (UOL)

O ex-senador por Roraima Telmário Mota foi preso na noite de ontem em Nerópolis (GO), suspeito de mandar assassinar Antônia Araújo de Souza, de 52 anos, baleada na cabeça em setembro. Ela era mãe de uma de suas filhas, que o acusou de tentativa de estupro. Telmário era filiado ao Solidariedade até o último dia 17. (g1)

O premiê israelense, Benjamin Netanyahu, descartou um cessar-fogo e afirmou que “este é um tempo para a guerra”. “Assim como os Estados Unidos não concordaram com um cessar-fogo após o bombardeio a Pearl Harbor e após os ataques terroristas de 11 de Setembro, Israel não concordará com o fim das hostilidades contra o Hamas após os horríveis ataques de 7 de outubro”, disse. Ele refutou as acusações de punição coletiva, afirmando que o Hamas impede os civis de se deslocarem para a área segura. Um porta-voz do Hamas descreveu a situação humanitária no enclave como “desastrosa”. (CNN)

Tropas e tanques de Israel fizeram uma incursão pela Faixa de Gaza ontem, aproximando-se de áreas mais densamente povoadas. Vídeos mostram que blindados chegaram a bloquear a principal rodovia do território palestino, a mesma que Israel havia recomendado que civis usassem para se refugiar ao Sul. Funcionários da ONU e de agências internacionais manifestaram preocupação com bombardeios e combates próximos a hospitais, onde estima-se que haja mais de cem mil desalojados. (AP)

Uma militar sequestrada pelo Hamas foi resgatada pelas Forças de Defesa de Israel e o Shin Bet. Ori Megidish foi salva durante uma operação terrestre noturna. Já o Hamas divulgou um segundo vídeo de reféns desde o sequestro de mais de 200 pessoas. Três mulheres aparecem sentadas de frente para a câmera e uma delas se dirige a Netanyahu: “Você prometeu libertar todos nós. Agora! Agora! Agora!” (Haaretz e CNN Brasil)

Thomas Friedman: “Eu entendo por que Israel crê que precisa destruir o Hamas e com isso dissuadir outros vizinhos de algum dia contemplarem atacar o país. Mas a visão de Washington é de que a liderança de Israel não tem um plano viável para vencer, nem um líder capaz de navegar pelas pressões e complexidades desta crise. Israel precisa saber que a tolerância de seu aliado americano em relação a baixas massivas em Gaza em uma operação militar sem desfecho claro não é ilimitada. Na realidade, nós podemos já estar nos aproximando desse limite.” (Estadão)

Para ler com calma. Toda crítica a Israel é antissemita? Especialistas avaliam que não necessariamente. “Há críticas que contém elementos de antissemitismo. Mas não é o caso da maioria das manifestações que temos observado nos últimos dias”, diz Bruno Huberman, pesquisador e professor de Relações Internacionais na PUC-SP. O historiador e antropólogo da UFRJ Michel Gherman acredita que há antissemitismo no debate atual, especialmente nas redes sociais. “Mesmo que não falem de judeus e sim de Israel, há uma mesma gramática do antissemitismo. Está presente uma perspectiva de conspiração e de domínio”, afirma. (Poder360)

Você já deve estar calvo de saber que o assinante premium do Meio recebe um conteúdo especial, como a Edição de Sábado, o Meio Político e a editoria de economia. O que você talvez não saiba é que existem muito mais vantagens em ser premium. Você recebe a newsletter mais cedo, assiste a conteúdo em vídeo exclusivo, ganha descontos nos produtos e cursos do Meio e pode participar da Sala Secreta em nossas lives. Assine o Meio Premium. Só vantagens!

Viver

Após muita reclamação sobre a distância dos pontos de aplicação do Enem, que será realizado nos próximos dias 5 e 12, o Inep anunciou ontem que quem mora a mais de 30km do local da prova poderá fazer a avaliação em nova data: 12 e 13 de dezembro. Segundo o instituto, cerca de 50 mil pessoas, ou 1% dos inscritos, estão nessa situação e podem optar para fazer o exame no mês que vem. Para isso, é preciso fazer a solicitação na página oficial entre os dias 3 e 17 de novembro. (Globo)

Depois de registrar a maior seca de sua história, o Rio Negro voltou a subir, chegando a 12,87 metros ontem, 17cm acima dos 12,70m de sexta-feira, o menor nível em mais de 120 anos. A estiagem no Amazonas levou 60 cidades a decretarem situação de emergência, prejudicando comunidades locais, como as ribeirinhas, que ficaram ilhadas. Segundo a Defesa Civil, mais de 600 mil pessoas estão sendo afetadas pela falta de chuvas no estado. (CNN Brasil)

O ex-presidente da Federação Espanhola de Futebol Luis Rubiales foi banido de todas as atividades ligadas ao esporte por três anos, por decisão do Comitê Disciplinar da Fifa. Em agosto, após a Espanha conquistar a Copa do Mundo feminina, Rubiales deu um beijo na boca da jogadora Jenni Hermoso sem o consentimento dela. A atleta fez uma denúncia contra o dirigente, que é investigado em seu país por assédio sexual e já havia sido suspenso provisoriamente pela Fifa por 90 dias. (Folha)

O argentino Lionel Messi recebeu pela oitava vez o troféu Bola de Ouro como melhor jogador de futebol do mundo, concedido pela revista France Footeball. A espanhola Aitana Bonmatí venceu na categoria feminina. (ge)

Panelinha no Meio. O abacate é tão importante que sua árvore já foi até homenageada por Gilberto Gil (Spotify). Mas esse frutos se presta a muito mais coisas que só o creme doce e a guacamole. Fatiado e temperado com sal e limão, o abacate dá outra vida a este sanduíche de pasta de ovos com bacon.

Cultura

A autópsia no corpo de Matthew Perry foi considerada inconclusiva pelos legistas do departamento de medicina forense de Los Angeles. O ator de 54 anos, célebre como Chandler da série Friends, foi encontrado morto na banheira de hidromassagem em sua casa na tarde de sábado e, inicialmente, a polícia tratava o caso como afogamento. Os peritos aguardam agora o resultado de um exame toxicológico, já que Perry teve uma série de problemas ao longo da carreira em função da dependência de álcool e opioides. (Deadline)

A greve dos atores de Hollywood ainda não terminou, mas o elenco de Jogos Vorazes: A Cantiga dos Pássaros e das Serpentes recebeu a permissão de seu sindicato (SAG-AFTRA), em um acordo provisório, para que Rachel Zegler, Tom Blyth, Viola Davis, Peter Dinklage e Hunter Schafer promovam o filme antes de sua estreia nos cinemas, no dia 17. Com custo de US$ 100 milhões, o longa é o primeiro da franquia sem Jennifer Lawrence. Devido à greve, grandes produções têm tido dificuldades de promoção. Filmes de alto orçamento, como Duna: Parte Dois, tiveram de ser adiados para 2024. (Variety)

A estreia de Five Nights At Freddy’s – O Pesadelo Sem Fim, filme de terror adolescente baseado em uma franquia de videogames, levou 1,07 milhão de pessoas aos cinemas e foi o líder de bilheterias no Brasil no fim de semana, com R$ 20,2 milhões, o dobro da arrecadação dos outros nove títulos mais vistos. Também foi o mais assistido nos Estados Unidos, abocanhando US$ 78 milhões. (Valor)

Cotidiano Digital

O presidente americano, Joe Biden, assinou ontem uma nova ordem executiva que estabelece uma série de requisitos e diretrizes relacionados à inteligência artificial (IA), preparando o terreno para a regulamentação dessa tecnologia. A medida, a primeira do tipo no país, envolve avaliações de segurança, orientações sobre equidade e direitos civis, além de pesquisas sobre o impacto da IA no mercado de trabalho. Embora o Congresso americano venha trabalhando na elaboração de novas leis, o decreto tem impacto mais imediato, como uma antecipação da regulação. Entre os principais pontos, Biden exige que grandes empresas compartilhem resultados de testes de segurança com o governo antes do lançamento oficial de sistemas de IA e ofereçam orientações para evitar que algoritmos agravem a discriminação. (Exame)

A Meta anunciou uma nova assinatura paga sem anúncios para Facebook e Instagram. O serviço será oferecido a partir de março na União Europeia em duas modalidades: 9,99 euros mensais na versão web e 12,99 euros para aplicativos no iOS e Android. Os dados dos assinantes não serão usados para direcionamento de anúncios, diz a Meta. O objetivo da big tech é gerar receita e responder às preocupações da UE sobre segmentação de anúncios e coleta de dados dos usuários, após a aprovação de uma nova legislação no bloco. A opção gratuita de Facebook e Instagram continuará disponível. (Olhar Digital)

Comprada por US$ 44 bilhões há um ano por Elon Musk, a rede social X, antes conhecida como Twitter, declarou valer atualmente US$ 19 bilhões, de acordo com a Fortune. O valor de mercado foi descoberto após o vazamento de documentos internos, de uma avaliação do Conselho de Diretores da companhia, sobre o pagamento a funcionários que detêm ações da empresa. Em março, a rede social sugeriu valer US$ 20 bilhões, o que pode indicar a continuidade de sua desvalorização em meio à perda de receitas e anunciantes. (Tecmundo)

O que é um crime de guerra? O que as organizações internacionais podem fazer para reduzir as baixas civis em um conflito. Como um comerciante perdido no meio da Itália deu origem à Convenção de Genebra, lei do Direito Internacional que vigora há mais de 160 anos? Não sabe? O Meio Explica!

Encontrou algum problema no site? Entre em contato.