Assine o Meio: notícia confiável para quem não tem tempo de ler jornal.





Share Tweet
4 de janeiro de 2017
Consultar edições passadas

4 de janeiro de 2017

Após a bestialidade, ressaca

Para o ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, o conflito entre facções não explica o massacre de 56 homens num presídio de Manaus. “Mais da metade não tinha ligação com nenhuma facção”, afirmou, considerando a leitura “simplista”. O secretário de Segurança Pública do Amazonas, Sérgio Fortes, afirmou o oposto. “Esse foi mais um capítulo da guerra silenciosa e impiedosa do narcotráfico.” Em vários dos vídeos registrados pelos presos durante o motim, homens são claramente identificados como membros do PCC.

O Instituto Médico Legal já identificou 39 dos mortos. Metade deles, decapitados. Para algumas das vítimas, carbonizadas, será preciso exame de DNA. Os funcionários do IML ficaram abalados. (Folha)

Até 300 presos fugiram durante a rebelião. A matança pode ter explodido justamente para desviar a atenção. (Folha)

Para ler com calma: rebeliões costumavam ocorrer para melhorar as condições de vida nos presídios. Tornaram-se disputas de poder. Dentro das prisões está a maior fonte de recrutamento do tráfico de drogas. Se o Estado não retomar o controle dos presídios, vai piorar, explica Ilona Szabó. (Globo)

644 mil pessoas estão presas no Brasil. Mas o sistema prisional tem 394 mil vagas. Dos presos, 244 mil são provisórios. Não foram condenados pela Justiça. (Globo)

Segundo dados preliminares do Conselho Nacional de Justiça, 65% dos presídios do país não têm bloqueadores de celular. É assim que as rebeliões são organizadas. E é o caso do complexo penitenciário do Amazonas. (Globo)

Política

Pela primeira vez desde 2010, o preço das commodities voltou a subir no final de 2016. Entre as tratadas com mais otimismo por investidores estão boi gordo, petróleo e farelo de soja. As três, importantíssimas para a balança comercial brasileira.
 
Aliás… o preço do petróleo, não à toa, atingiu seu valor mais alto em 18 meses. (Folha)

E… o agronegócio deve crescer 2% em 2017. Isso pode representar metade do aumento do PIB. (Globo)

A campanha para presidência da Câmara está a pleno vapor. O favorito é o atual presidente, Rodrigo Maia. Mas seus adversários podem questionar na Justiça sua candidatura. (Estadão)

O presidente Michel Temer voltou atrás. Por sugestão do ministro da saúde, Ricardo Barros, e do deputado Hugo Leal, havia nomeado para o comando da Fundação Oswaldo Cruz a pesquisadora Tania Araújo-Jorge, segunda colocada na eleição da instituição. Houve protestos. O presidente mudou de ideia, escolhendo a primeira – Nísia Trindade. Ambas são ativas no movimento Fora Temer. (Globo)

Já confirmaram presença na posse de Donald Trump, no próximo dia 20, os ex-presidentes George W. Bush e Bill Clinton. Ambos serão acompanhados por suas mulheres. Bush, que sequer saiu para votar em novembro por não concordar com a escolha do candidato por seu partido, fez o anúncio via Facebook. Tanto Clinton quanto Hillary confirmaram que estarão lá à CNN. Como cabe a uma democracia madura.

Cotidiano Digital

Para ler com calma: Thomas Barber Coberly morreu em 1º de maio de 2016. Tinha 59 anos, foi levado por um ataque cardíaco fulminante. Viveu sozinho em um trailer seus últimos 30 anos. E era um compulsivo jogador de Civilization IV. Em seu computador, o filho, Bill, encontrou os arquivos de jogos salvos correspondentes a 4.638 horas de partidas disputadas ao longo dos anos. O que fazer com estes jogos, as lentas construções de impérios virtuais que podem ser reprisadas? Em seu relato, Bill Coberly conta de sentir-se obrigado a aproveitar este material de alguma forma. Há algo ali sobre quem era seu pai. Mas como? (Em inglês.)

Empresas estão se especializando em desenvolver técnicas para abater drones que estejam sobrevoando locais indesejados. Incluem de aves de rapina a disparos de gás. (Folha)

O desafio do manequim se dá quando alguém filma um grupo parado feito estátua, como se fosse uma fotografia na qual se mergulha. Rodou o mundo. E chegou à Estação Espacial Internacional. Essa versão será difícil bater.

Cultura

A folclórica Blitz, grupo de rock carioca dos anos 1980 liderado por Evandro Mesquita, está para lançar um álbum novo. Aventuras II, referência ao disco de estreia em 1982, As Aventuras da Blitz. Eles se apresentarão em São Paulo nos dias 13 e 14 de janeiro (ingressos) e, no Rio, em 3 de fevereiro (ingressos). (Globo)

J. R. R. Tolkien lê trechos do Hobbit. Em áudio.

Assine o Meio: notícia confiável para quem não tem tempo de ler jornal.





Share Tweet



Consultar edições passadas