Ainda não é assinante? Assine. Não custa nada.





Share Tweet
24 de janeiro de 2017
Consultar edições passadas

24 de janeiro de 2017

Investigações sobre morte de Teori ficam sob sigilo

O juiz Raffaele Felice Pirro, de Angra dos Reis, pôs em sigilo as investigações da Polícia Federal e do Ministério Público Federal sobre a queda do avião que matou Teori Zavascki. Há dois inquéritos abertos, um da PF em Angra, o outro do MPF. Foram requisitados documentos a respeito da manutenção da aeronave. A FAB já recuperou as gravações de conversas entre piloto e operadores de voo. Segundo o repórter Matheus Leitão, o juiz decidiu que a investigação ocorrerá no âmbito federal, não estadual.

Nas gravações, o piloto menciona que vai esperar a chuva passar antes de tentar o pouso. Não cita problemas técnicos. (Folha)

A presidente do Supremo, ministra Cármen Lúcia, está focada em evitar atraso na homologação das delações da Odebrecht. Ela conversou com o Procurador Geral da República, Rodrigo Janot, e com o juiz federal Márcio Schiefler Fontes, principal auxiliar de Teori. A presidente conversará, ainda, com o decano do STF, Celso de Mello, antes de tomar uma decisão.

Para ler com calma: Débora Santos conta sobre o Teori Zavascki que conheceu, nos bastidores do Supremo.

É possível uma sociologia dos acidentes aéreos? O professor Leonardo Avritzer, da UFMG, tem umas ideias. Em nenhum outro país, tantas autoridades e empresários importantes morrem nestes acidentes como no Brasil. Todos em aviões particulares enfrentando situações de risco. Por que aqui se enfrenta o risco tanto e, noutros cantos, tão pouco?

Entrevista: “No passado, sempre defendi que não se mudava o Brasil prendendo ladrão de galinha. Tinha que ser os de cima. Agora está acontecendo. Não tenho nenhuma dúvida de que é a semente.” Para o ex-senador Pedro Simon, a Lava Jato talvez seja o processo mais importante da história do país.

A Bolsa fechou o dia, ontem, em seu maior patamar desde 27 de março de 2012. (Estadão)

Donald Trump não percebe a fragilidade do sistema econômico global. Despreza a União Europeia apesar de a praxe da política americana, tocada por ambos os partidos, ter sido considerá-la uma importante fonte de estabilidade. Vê Angela Merkel, da tradicional aliada Alemanha, menor do que Vladimir Putin, da adversária Rússia. Despreza o México, embora a saúde do México seja fundamental para os estados americanos de fronteira. Tem demonstrado descaso com a delicada costura diplomática entre EUA e China. Ele acha que diplomacia é como tocar negócios. Segundo o editorial da Economist, não é. Muito pelo contrário.

Aliás… Segundo os chineses, a posse de Donald Trump é mostra dos riscos da democracia.

E… o novo presidente assinou decreto retirando os EUA do TPP, o acordo comercial com países do Pacífico que tinha por objetivo diminuir a influência da China. É um gesto simbólico. Ainda faltava a aprovação do Senado, que dificilmente viria. A decisão favorece o Brasil, já que a parceria firmada no governo Obama iria encarecer produtos nacionais naquela região. (Globo)

Cultura

Conto de ninar inédito de Mark Twain é encontrado. Inacabado, o manuscrito tem apenas 16 páginas e narra o início da história de um menino que, ao comer uma flor, passa a entender os animais e sai com eles em busca de um príncipe que foi raptado. O restante da história foi imaginada pelo casal Philip e Erin Stead, escritor e ilustradora, e dará origem a um livro de 152 páginas.

Aliás, o site de Erin Stead tem belas ilustrações de bichos e humanos interagindo.

O Oscar anuncia hoje os indicados, online, a partir das 11h. (Globo)

Livros de Paulo Coelho são apreendidos na Líbia. Títulos dele, de Dan Brown, Nietzsche, entre outros, foram confiscados pelo governo sob a alegação de conteúdo erótico ou contrário ao islamismo. (Folha)

A franquia Star Wars anunciou o título de seu próximo capítulo. O oitavo filme da série será Star Wars: The Last Jedi. Apesar do “last” no nome, a terceira trilogia ainda terá mais um filme. Este chegará aos cinemas em dezembro.

Instagram serve de isca para colecionadores de arte. Se o inflado mercado de arte até então resistia às vendas online, agora perfis de membros de casas de leilão apresentam obras consagradas (e caríssimas). Em pesquisa recente, 48% dos colecionadores disseram preferir o Instagram para ver obras à venda ou em exposição.

Viver

Depois de anos sem conexão, o governo cubano liberou 35 pontos de wifi pelo país. O escritor Osdany Morales descreve as dificuldades para se conectar num relato recheado de imagens que mostram como o sinal de wifi pode mudar a paisagem de uma cidade. 

As plantas têm “ouvido” para música. Um estudo recente confirmou pesquisas dos anos 1980 e provou que, quando submetidas a algumas frequências sonoras, semelhantes às dos pássaros ou grilos, as plantas crescem melhor. As mudanças são profundas: ocorrem em nível molecular, na estrutura genética. Na Universidade de Missouri, cientistas estão até criando playlists para entender, digamos, o gosto das plantas.

Países agora poderão importar genéricos. A Organização Mundial do Comércio aprovou nesta segunda-feira a medida, uma demanda antiga, que remonta aos anos 1990. A queda de braço envolvia a quebra de patentes de grandes multinacionais – daí a demora. Com a aprovação, populações vulneráveis podem ter mais fácil acesso a medicamentos usados no tratamento de HIV, malária, entre outras doenças. (Estadão)

Cotidiano Digital

Twitter pede desculpas por “forçar” usuários a seguir Trump. A conta oficial do presidente dos Estados Unidos – @potus — transferiu automaticamente cerca de 560 mil seguidores de Obama para Trump. Segundo o Twitter, ocorreu uma falha na migração, uma operação complexa, já que Obama tinha 14,5 milhões de seguidores. 

A propósito: o histórico de Obama segue no Twitter. A Casa Branca transferiu para a conta @potus44 todo o conteúdo publicado por ele. Para novos posts, ele usará o endereço @barackobama.

A Samsung revelou o motivo das explosões do modelo Galaxy Note 7. Era a bateria, que, mesmo depois da troca de fornecedor, seguiu com dano que podia gerar curto-circuito. A Samsung retirou 2,5 milhões de aparelhos do mercado. O prejuízo da empresa? US$ 5,1 bilhões. (Estadão)

Assine o Meio: notícia confiável para quem não tem tempo de ler jornal.





Share Tweet



Consultar edições passadas