Ainda não é assinante? Assine. Não custa nada.





Share Tweet
3 de fevereiro de 2017
Consultar edições passadas

3 de fevereiro de 2017

Fachin é o novo relator da Lava Jato

O sorteio do Supremo tornou o ministro Luiz Edson Fachin o novo relator da Lava Jato, substituindo Teori Zavascki. Ele não era candidato à função inicialmente por pertencer à Primeira Turma do STF. Como migrou para a Segunda, da qual fazia parte Teori, tornou-se elegível. Sua prioridade será analisar os pedidos com urgência de réus presos. Outra decisão importante por tomar será definir se as delações da Odebrecht, já homologadas, serão tornadas públicas ou não. (Estadão)

O ministro Eliseu Padilha, chefe da Casa Civil, informou que até segunda-feira o nome do novo indicado ao STF deve ser anunciado. (Globo)

Moreira Franco foi elevado a ministro e passa a ter foro privilegiado. Ele é citado na Lava Jato. (Folha)

O marqueteiro João Santana, responsável pelas campanhas que levaram Lula e Dilma à presidência, foi condenado a oito anos e quatro meses de prisão pelo juiz Sérgio Moro. Sua mulher, Mônica Moura, recebeu a mesma pena. O casal admitiu ter recebido US$ 4,5 milhões em caixa dois para a campanha de 2010. (Folha)

Rodrigo Maia foi reeleito presidente da Câmara dos Deputados. O resultado não só é uma vitória do governo Temer como, principalmente, é sinal de enfraquecimento do Centrão, a maioria de parlamentares de pouca expressão que se movem fisiologicamente e que, durante o governo Dilma e sob o controle de Eduardo Cunha, havia se fortalecido. (Globo)

A civilidade que resiste: Fernando Henrique esteve ontem no Sírio Libanês, em São Paulo, para visitar Lula após a morte cerebral de dona Marisa Letícia. Traz memória do forte abraço que um Lula ainda presidente lhe deu, no velório de dona Ruth. (Folha)

O presidente Michel Temer também visitou Lula. Foi vaiado na entrada do hospital. (Estadão)

É um presidente errático, Donald Trump. Após dar inúmeros sinais de que apoiava a política isolacionista do premiê israelense Benjamin Netanyahu, virou. A Casa Branca fez um apelo para que a expansão de colônias em Jerusalém Oriental e na Cisjordânia não ocorram. É exatamente a política mantida por Barack Obama.

Vídeo: o site americano Vox explica os assentamentos de Israel.

A mesquita de Victoria, pequena cidade no interior do Texas, foi incendiada no último sábado. A polícia ainda investiga o porquê ou mesmo por quem. Um grupo da sinagoga local foi então bater à porta do imã. Trazia as chaves de seu templo para oferecer de uso enquanto os muçulmanos aguardam a reconstrução.

Tony de Marco
O Sol nasce quadrado em frente a uma cabeça brilhante.

Viver

O ministro Luís Roberto Barroso defendeu a legalização da maconha como um dos caminhos para aliviar a crise do sistema penitenciário brasileiro. Seria, ele diz, uma forma de desmontar o tráfico de drogas que lota as prisões. “A crise no sistema penitenciário coloca agudamente na agenda brasileira a discussão da questão das drogas”, afirmou. (Globo)

O papel dos celulares nas rebeliões em prisões brasileiras. O uso de aplicativos como o WhatsApp permitiu o surgimento de alianças interestaduais, e, embora 45% das prisões brasileiras estejam equipadas com bloqueadores de celulares, o controle da entrada dos aparelhos ainda é precário.

Para ler com calma: A agonia de Acácio, lutador de MMA, para perder peso antes da luta. O repórter Adriano Wilkson o acompanha num motel antes da pesagem e faz um relato chocante da excêntrica dieta para perder peso de um dia para o outro — e depois ganhar, novamente, antes de entrar no octógono.
Banir marchinhas não vai reduzir machismo e preconceitos. A defesa é de Mariliz Pereira Jorge, em coluna na Folha. “Toca quem quer, canta quem sabe, dança quem tem vontade”, diz. “O que não vale é beijar mulher à força, passar a mão na bunda sem consentimento, se aproveitar da bebedeira alheia, achar que mulher solteira é disponível.” (Folha)

Galeria: como é ser um refugiado e viver no limbo? O fotógrafo Sam Ivin fez intervenções em retratos de 60 refugiados, apagando seus rostos, uma metáfora para a perda de identidade.

Errata: A iraniana Maryam Mirzakhani venceu a medalha Fields em agosto de 2014, e não esta semana, como informou ontem o Meio.

Atlanta Falcons e New England Patriots se enfrentam domingo no 51º Super Bowl. A ESPN transmite o jogo na TV e no site a partir das 21h.

Cultura

Em São Paulo, entre as indicações culturais da Bravo! estão o festival de música eletrônica e contemporânea Dekmantel, que faz sua primeira edição fora da Holanda, e uma homenagem ao cineasta Andrea Tonacci, com exibição gratuita de alguns de seus filmes na Cinemateca.

No Rio, Elza Soares faz show hoje, no Circo Voador, e Carlos Nader lança DVD do documentário Homem Comum, amanhã, no IMS.

Nos cinemas, as estreias do final de semana incluem The Beatles: Eight Days a Week (trailer), documentário sobre as turnês da banda nos anos 1960, e Estrelas Além do tempo (trailer), um drama sobre funcionárias negras da Nasa, com três indicações ao Oscar. Veja outros lançamentos.

Trump disparou sua metralhadora giratória contra Arnold Schwarzenegger. O presidente, que já foi apresentador do Aprendiz, diz que a performance do ator no programa tem sido “um tremendo desastre”. Schwarzenegger respondeu com ironia: “Ei, Donald, tenho uma ótima ideia. Por que a gente não troca de emprego?”

Sérgio Sá Leitão é novo diretor da Ancine. (Globo)

Yoko Ono está produzindo um filme sobre sua relação com John Lennon. O foco, segundo os produtores, serão temas como amor, coragem e ativismo nos Estados Unidos.

Aliás, Yoko vai ganhar mostra retrospectiva em São Paulo, no Instituto Tomie Ohtake, em março.

Cotidiano Digital

Google ultrapassa a Apple como marca mais valiosa do mercado. A primeira está avaliada em US$ 109,5 bilhões em 2017 — um crescimento de 24% em relação ao ano passado. Já a Apple viu sua marca perder 27% do valor, estimado em US$ 107,1 bilhões neste ano — em 2016, eram US$ 145,9 bilhões.

O cientista Stephen Hawking e Elon Musk, CEO da Tesla, assinaram os 23 princípios para que garantir que a inteligência artificial seja uma “força do bem”.  A lista, chamada de Asimolar AI Principles, foi concebida pelo Future of Life Institute — uma organização sem fins lucrativos. Os dois signatários são relevantes para o setor: o prestigiado Hawking já declarou que a inteligência artificial pode destruir a humanidade. Musk, por sua vez, é dono de uma empresa de pesquisa na área — avaliada em US$ 1 bilhão.

O dia foi de eSports, ontem, na Campus Party. Gerente-geral da desenvolvedora de games Riot, Roberto Iervolino disse que o crescimento das competições de games foi como uma vingança dos nerds, dando fama a jovens que passam o dia colados em computadores. Houve ainda a palestra da brasileira Duília de Mello, cientista da NASA que incentivou as mulheres a conquistarem seus espaços na ciência e em outras áreas.

Hoje, Mitch Lowe, co-fundador do Netflix e atual diretor executivo da Moviepass, faz sua palestra. Vai falar, às 13h, sobre como criar uma cultura vencedora em uma startup.

Ao fim do evento, as barracas usadas no acampamento serão doadas para moradores de rua de São Paulo.

Assine o Meio: notícia confiável para quem não tem tempo de ler jornal.





Share Tweet



Consultar edições passadas