Assine o Meio: notícia confiável para quem não tem tempo de ler jornal.





Share Tweet
6 de fevereiro de 2017
Consultar edições passadas

6 de fevereiro de 2017

Encontro de ex-presidentes pode sair

As conversas que um tristíssimo Lula teve com seu antecessor Fernando Henrique, ainda no Hospital Sírio-Libanês, com José Sarney e com Michel Temer podem ter rendido frutos políticos. Lula mencionou a hipótese de uma reunião com os ex-presidentes para discutir o estado do país. O Planalto incluiria na lista, ainda, Fernando Collor. Mas o convite a Dilma, segundo o Painel, é percebido como uma saia justa. (Folha)
 
Saia justa com Dilma, talvez. Mas não com Lula. “Estou pronto e à disposição para esse diálogo”, afirmou, pragmático como sempre foi, a Temer. (Globo)
 
A dúvida: tratarão da crise do país? Ou tratarão da Lava Jato?

A única reunião de ex-presidentes foi a viagem para o funeral de Nelson Mandela. A turma dos Divergentes tem muitas fotos.

Antes da eleição de Rodrigo Maia para a presidência da Câmara, deputados petistas o procuraram prometendo 22 dos 58 votos. Queriam, em troca, influência nas reformas. Maia ofereceu a presidência da Comissão da Reforma Trabalhista. Só que o PT não entregou. Andréia Sadi conta.

O presidente argentino Mauricio Marcri chega amanhã a Brasília para uma visita oficial. Na pauta: comércio.

A crise fez com que o PIB de seis estados e do DF retrocedesse para abaixo do ponto em que estava em 2010. São Paulo e Rio estão na lista. (Globo)

José Padilha, diretor de Tropa de Elite, está trabalhando em uma série que contará a história da Lava Jato para a Netflix. Quando perguntado se vê semelhanças entre o juiz Sérgio Moro e o capitão Nascimento: “Posso comparar uma laranja com a lua, uma bota com um sorvete… Comparações são construções teóricas fáceis, e na maioria das vezes destituídas de qualquer valor intelectual. Em geral, as comparações entre Moro e Nascimento caem nesta categoria.” (Globo)

E… Eike Batista em ritmo de Faroeste Caboclo.

O governo Trump está em meio a uma batalha judicial após um juiz federal de Seattle suspender sua ordem de impedir que cidadãos de sete países muçulmanos possam entrar no país. A Corte de Apelações baseada em San Francisco, no primeiro momento, decidiu manter a liminar. Pode reavaliar a decisão ainda no início desta semana, após ouvir os argumentos do governo, mas não é o que se espera. Possivelmente, o lado perdedor recorrerá à Suprema Corte.

Cultura

O MoMA trocou parte de sua exposição permanente por obras de artistas de países banidos dos EUA por Trump. Foram oito trocas e, embora pareça pouco, o gesto de protesto é sem precedentes na história do museu. A mudança foi feita durante a noite. Uma tela de Picasso, por exemplo, foi substituída por outra de um iraniano. O museu etiquetou as obras, explicando que se trata de trabalho de artista cuja nação teve os cidadãos banidos dos EUA. O MoMA, segue a etiqueta, “afirma que os ideais de liberdade são vitais para o museu, bem como para os EUA”.

Enquanto isso… outro gigante americano, o Metropolitan Museum amarga uma crise. Acumula dívida de US$ 40 milhões, demitiu cerca de 90 funcionários e recentemente adiou a inauguração de novas alas. 

Aos 88 anos, o arquiteto Paulo Mendes da Rocha recebeu medalha do Royal Institute of British Architects, que já premiou, entre outros, Le Corbusier. O Guardian traça elogioso perfil do arquiteto e apresenta algumas de suas obras icônicas.

Leonard Cohen tem obra de poesia reeditada no Brasil. Mais conhecido pela trajetória musical, morto em novembro, Cohen deixou uma prateleira inteira de livros publicados e “uns 20 mil versos”, como conta Mariana Filgueiras, em reportagem no Globo.

Viver

A história do pai de Ana Paula, que deixou o emprego para construir a cadeira de rodas ideal para a filha de 3 anos com paralisia. Mario Alvitti, 33, gastou todas as economias e construiu a cadeira, que deixa a criança na altura do chão, perto de seus brinquedos. (Folha)

Galeria: as capas de revistas que estamparam Barack Obama e as capas que agora estampam Donald Trump.

O New England Patriots venceu o Super Bowl numa virada épica. O time chegou a perder por 28 a 3 do Atlanta Falcons no começo do terceiro quarto, mas ganhou o jogo por 34 a 28 na prorrogação. O Esporte Interativo tem vídeos com os melhores momentos da partida e também do show do intervalo com Lady Gaga. 

E o queridinho mais odiado da NFL, Tom Brady, ganhou seu 5º título no campeonato. A Folha traçou perfil do quarterback antes da partida.

Ainda o Super Bowl: veja os melhores comerciais da final.

Ex-jogadores da NFL, a liga de futebol americano, pedem que a maconha seja aprovada como analgésico. Muitos dizem tê-la usado por anos, mas sem autorização da liga. A aceitação pela NFL seria um grande passo para a legalização da maconha em todo o país.

Cotidiano Digital

A maratona hacker da Campus Party premiou três projetos, entre eles, uma plataforma que liga comerciantes e consumidores preocupados com a data de validade de produtos, e ainda um app que conecta médicos a pacientes do SUS. O “hackaton” teve mais de 1.300 inscritos, e 20 apresentaram seus projetos a um corpo de jurados, no último sábado.

Ainda a Campus Party: a batalha de robôs, uma espécie de UFC da robótica — com categorias peso pena (robôs de 13 quilos) e peso pesado (27 quilos) —, consagrou equipes bem distintas. E houve ainda a final do primeiro campeonato brasileiro de corrida de drone.

Ainda não é assinante? Assine. Não custa nada.





Share Tweet



Consultar edições passadas