Assine o Meio: notícia confiável para quem não tem tempo de ler jornal.





Share Tweet
16 de fevereiro de 2017
Consultar edições passadas

16 de fevereiro de 2017

Cunha fica na cadeia

Apenas Marco Aurélio Mello votou para conceder o habeas corpus ao ex-presidente da Câmara, Eduardo Cunha. Assim, por oito votos a um, o Supremo Tribunal Federal decidiu mantê-lo na cadeia. Foi o primeiro voto relacionado à Lava Jato com o ministro Edson Fachin na função de relator. A defesa de Cunha alegou que o STF havia rejeitado a prisão do ex-deputado no início de 2016 e que, usando os mesmos argumentos, o juiz Sérgio Moro a pediu meses depois. Teria, assim, desobedecido a corte alta. Fachin considerou que o tipo de pedido feito pelos advogados não era tecnicamente adequado. Além disso, o STJ já está avaliando um habeas corpus. É preciso primeiro esperar aquela decisão para, depois, apresentar ou não recurso ao Supremo. (Globo)

Aliás… o ministro Celso de Mello disse que se Rede e PSOL apresentarem recurso contra sua decisão de permitir a posse de Moreira Franco como ministro, ele levará a discussão ao plenário do STF. (Estadão)

O novo ministro da Justiça será Carlos Velloso, banca a Folha de S. Paulo. Ex-STF, um magistrado mineiro ligado ao PSDB e franco defensor da Lava Jato, foi escolhido por Michel Temer, embora ainda não tenha sido anunciado. Segundo o Poder 360, o PMDB já foi informado de que perdeu a briga.

Enquanto isso, o líder do governo no Senado, Romero Jucá, chegou a protocolar, ontem à noite, uma proposta de emenda constitucional proibindo a retirada dos presidentes da Câmara, do Senado ou do STF de seus cargos por fatos anteriores ao mandato. Pressionado, o peemedebista terminou por cancelar a PEC horas depois. (Globo)

Bernardo Mello Franco: no afã do beija-mão de senadores, Alexandre de Moraes vem se expondo a cenas constrangedoras para chegar ao Supremo. (Folha)

Caiu a censura à Folha de S. Paulo. O desembargador Arnoldo Camanho de Assis, do TJ-DF, suspendeu a liminar que proibia o jornal de publicar informações sobre a chantagem à primeira-dama, Marcela Temer. “Não há como consentir a possibilidade de o Poder Judiciário estabelecer, aprioristicamente, o que deva e o que não deva ser publicado na imprensa.” O Globo, que também sofreu censura prévia, vai apresentar recurso na quarta-feira. (Folha)

Aumentou a rejeição ao governo Temer.  De 36,7% na última pesquisa MDA/CNT, em outubro passado, passou a 44,1%. A aprovação caiu. De 14,6% passou a 10,3%.

Segundo a mesma pesquisa, Lula venceria as eleições presidenciais caso ocorressem hoje. (Valor)

E o dólar caiu de novo, fechando abaixo de R$ 3,07.

FGTS: o que fazer quando a conta que deveria ser considerada inativa aparece como ativa? (Globo)

Donald Trump retirou o apoio americano para a solução de dois Estados na crise entre Israel e palestinos. Aproveitando-se da visita do premiê Benjamin Netanyahu, o presidente mudou o que é política consolidada tanto republicana quanto democrata faz duas décadas.

Doan Thi Huong, uma moça de 28 anos e aparentemente vietnamita, foi presa pela polícia malaia e é acusada de ser a assassina de Kim Jong-nam, irmão do ditador norte-coreano.

A população romena se manteve nas ruas por 15 dias em protesto contra a corrupção política. O Congresso chegou a aprovar lei descriminalizando casos de desvio de dinheiro público abaixo de € 44 mil, mas já voltou atrás. Na segunda, sob pressão, o Congresso aprovou um plebiscito anti-corrupção. Ainda não se sabe a pergunta que será feita ao povo.

Cultura

No Festival de Berlim, cineastas brasileiros criticam o governo. Em manifesto gravado em vídeo, nomes como Daniela Thomas e Laís Bodansky dizem que o país passa por ‘grave crise democrática’ e exaltam a produção nacional, que emplacou 12 filmes só na Berlinale. No subtexto, está o receio de que o setor sofra com a saída da Ancine de Manoel Rangel, que esteve à frente do órgão por 12 anos.

Caetano Veloso detesta A Cabeleira do Zezé. É por causa do refrão ‘corta o cabelo dele’, “repetido como incitação a um quase linchamento”.  Tom Zé sente saudades de Amélia e, Ney Matogrosso, de Maria Sapatão. São todos contra a proibição das marchinhas de Carnaval politicamente incorretas. (Estadão)

Ainda o Carnaval: “Cair na farra é uma delícia, mas se for na marra, é caso de polícia” dizem os versos de nova marchinha interpretada por Chico César e Bruna Caram. É o hit da campanha #CarnavalSemAssédio.

Crime e Castigo está entre os livros mais lidos em presídios de segurança máxima. Em seguida, está Ensaio sobre a Cegueira. Leitura e resenha geram redução da pena, relata Mônica Bergamo, na Folha.

Fábio Jr. virou garoto propaganda de série da Netflix. Aparece ensanguentado e cantando Alma Gêmea, no teaser da comédia Santa Clarita Diet, em que Drew Barrymore se alimenta de… pessoas.

Viver

Maioria das apreensões de maconha no Rio é de usuários portando de 10 a 15 gramas. Apesar da pequena quantidade, os registros de tráfico são os mais comuns na cidade — representam até 52% das ocorrências entre 2008 e 2015. Geram burocracia, gastos e o inútil encarceramento de jovens primários. Em Portugal, o limite de posse é de 25 gramas. Na Espanha, são 100 gramas. No Brasil, o critério não é definido. 

Como o hacker (e telhadista) Silvonei José de Jesus Souza teve acesso aos dados de Marcela Temer? O primeiro passo foi a compra de um HD na Santa Efigênia, em São Paulo. O HD, por sua vez, tinha dados de clientes do provedor Terra. Lá dentro, estava o cadastro da primeira-dama. A partir daí, o hacker amador começou a trilhar o caminho da extorsão. Réu primário, Silvonei foi prontamente condenado: já está em Tremembé, onde cumprirá pena de cinco anos, dez meses e 25 dias. 

Conheça a Veles, espécie de fábrica de notícias falsas. Na pequena cidade da Macedônia, jovens como Boris, de 18 anos, criam sites pró-Trump ou postam no Facebook com perfis falsos para ganhar dinheiro. Se o salário médio no país é de US$ 371 por mês, Boris fez US$ 16 mil com apenas dois sites de notícias sobre Trump.

Na semana que vem, uma caixa entrará num avião para a China com o seguinte aviso: ‘Conteúdo: um panda’. Trata-se de Bao Bao, fêmea de 4 anos, que deixa Washington rumo ao pólo dos pandas no mundo. A China tem os principais centros de conservação da espécie. A própria Bao Bao é descendente de um casal de pandas gigantes que chegou aos EUA em 1972, por doação de Mao Tse-Tung ao governo Nixon. A revista The Atlantic conta sua história.

Cotidiano Digital

O Google Notícias passará a incluir o selo ‘Verificação de fatos’ no meio de sua timeline, no Brasil. Os parceiros locais para a checagem são Agência Lupa, Aos Fatos e Agência Pública.

O avanço de Facebook e Apple no campo da televisão. Zuckerberg já negocia com grandes estúdios e contrata profissionais de produção como Mina Lefevre, ex-MTV, para aquisição e financiamento de conteúdo. (Folha)

WhatsApp contrata ex-executivo do Facebook. O aplicativo, que quase não mudou seu modelo de negócios desde que foi comprado pelo próprio Facebook (três anos atrás, por US$ 22 bilhões), chamou Matthew Idema para tentar aumentar os lucros da empresa.

Jeff Bezos e Steve Boom, CEO e vice-presidente da Amazon, ocupam o 12º lugar no lista da Billboard dos 100 mais poderosos da música. Em entrevista, os dois falam sobre o avanço da empresa na música, área em que ainda perde para as concorrentes Spotify e Apple. Mas ambos prometem mudar o quadro: ao aliar a ativação de músicas por meio da voz, planejam uma nova “era de ouro” para o setor.

Ainda não é assinante? Assine. Não custa nada.





Share Tweet



Consultar edições passadas