Ainda não é assinante? Assine. Não custa nada.





Share Tweet
10 de março de 2017
Consultar edições passadas

10 de março de 2017

Câmara vai tentar anistia ao caixa dois. De novo.

Já estão se articulando novamente. Os deputados federais aproveitarão a ordem do Supremo de votar novamente as Dez Medidas de Combate à Corrupção para incluir a anistia às doações de caixa dois. Depois que o senador Valdir Raupp foi transformado em réu pelo STF por uma doação registrada em caixa um mas delatada como fruto de corrupção, bateu pânico no Congresso. Há um argumento novo, segundo a coluna Panorama Político, do Globo. Liberar o caixa dois passado é exatamente como foi a repatriação de recursos que estavam não declarados no exterior. Não se sabe a origem do dinheiro, mas optou-se por anistiar. No Senado, são PMDB e PSDB que mais pressionam para fazer este movimento. (Globo)
 
Aliás… A briga interna do PMDB tem razões mais prosaicas. É, segundo a repórter Andréia Sadi, disputa pela divisão do fundo partidário. Os deputados menos conhecidos temem ficar sem dinheiro para suas campanhas em 2018. Contar com doações de empresas, afinal, será mais difícil.

Renan Calheiros tem outros problemas em mente. Tanto ele quanto Renan Filho, governador de Alagoas, temem a próxima eleição por conta da Lava Jato. E, diz Vera Magalhães, querem indicar um nome para a Secretaria dos Portos, o que lhes ajudaria em Alagoas. (Estadão)

No conjunto das crises, os sinais para a reforma da Previdência não são bons nesta primeira semana de trabalhos pós-carnaval. Ao Estadão, o novo líder da maioria na Câmara, Lelo Coimbra, admite que não tem os 308 votos para aprovar em dois turnos a emenda constitucional. Já a Folha documenta a insatisfação dos tucanos com o texto. O PSDB tem a terceira maior bancada e prepara sugestões de mudanças para enviar ao Planalto. Os deputados querem regras de transição mais amenas. Além disso, defendem que não é hora de igualar os critérios de aposentadoria para trabalhadores rurais e urbanos.

O governo rejeitou a proposta de acordo de leniência da OAS. Considera que a empreiteira trouxe pouco de novo em relação ao que já era conhecido na Lava Jato. (Estadão)

Após ser atacado pela esquerda nas redes, o deputado Chico Alencar, do PSOL, pediu desculpas públicas por ter estado num mesmo jantar com o presidente da República e ter brincado com Aécio Neves. (Globo)

A eleição francesa, que parecia rumar para a extrema direita há um mês, virou. Na segunda pesquisa seguida, Emmanuel Macron, que migrou da esquerda ao centro, se põe a caminho de uma vitória tranquila contra a radical Marine Le Pen, tanto no primeiro quanto no segundo turno. (Globo)

A presidente sul-coreana Park Geun-hye, primeira mulher a governar o país, deixou o cargo após ter seu impeachment confirmado pelo tribunal superior do país. Ela já estava afastada desde dezembro, pelo parlamento.

Tony de Marco
Software da CIA coleta suas opiniões, segredos e seus nudes.

 

Cultura

Em São Paulo, os destaques culturais da Bravo! incluem o Festival de Clipes e Bandas, com shows de Marina Lima e As Bahias e a Cozinha Mineira, e a exposição de Paulo Pasta, que usa tecnologia digital para experimentar novas cores.

No Rio, estão entre as dicas o show de Moraes Moreira, também pelo Festival de Clipes e Bandas, e a peça Gisberta, com o ator Luis Lobianco. 

No cinema, chegam às telas o blockbuster Kong: A Ilha da Caveira (trailer) e o thriller francês Personal Shopper (trailer), entre outros. Veja mais estreias do fim de semana.

O historiador Arno Wehling foi eleito, ontem, para suceder Ferreira Gullar na Academia Brasileira de Letras. O novo imortal é presidente do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro. (Folha)

“O Oscar só tem quatro vagas para melhor atriz — e uma delas é sempre reservada para Meryl Streep.” De Sônia Braga, estrela de Aquarius, em entrevista ao Guardian. Segundo ela, os atores hispânicos têm poucas chances no cinema americano, por causa do sotaque. “É muito injusto”, defende.

Num presídio do Rio de Janeiro há quatro anos, Thiago Castilho escreveu um livro de ensaios sobre liberdade, política e a vida no cárcere. Agora busca na internet arrecadar recursos para publicar a obra. (Globo)

Game of Thrones divulgou a data de estreia da sétima temporada. Será um longo inverno até o lançamento, em 16 de julho.

Vídeo: em animação, Bill Murray canta com Paul Shaffer, músico que por anos acompanhou David Letterman, no Late Show, e que agora lança disco novo.

Gregorio Duvivier fará uma versão nacional de Last Week Tonight, comandado por John Oliver na TV americana. O programa será lançado pela HBO, que anunciou ainda série sobre Santos Dumont e nove documentários. (Folha)

Para ouvir no fim de semana: o New York Times faz um especial com 25 hits que explicam para onde vai a música nos dias de hoje. De Leonard Cohen a Metallica.

Falando em música, o Black Sabbath confirmou o fim da banda. Em fotos, o Guardian repassa os 50 anos do grupo liderado por Ozzy Osbourne. Ouça no Youtube ou no Spotify.

Viver

O Ministério da Educação anunciou mudanças no Enem. A maior delas diz respeito à divulgação do ranking por escolas, que, anualmente, trazia as notas das instituições cujos alunos realizaram o teste. Vai acabar. A lista, segundo o governo, vinha sendo mal utilizada — virava, principalmente, publicidade para escolas particulares.

Torturada, apedrejada e morta a tiros. O terrível assassinato da transexual Dandara dos Santos, de 42 anos, no Ceará, foi gravado em vídeo e chocou o país. Ela não está só. Em 2016, foi recorde o número de transexuais assassinados (144). Eram 57 casos em 2008, quando a Rede Trans passou a monitorar os ataques desse tipo. O New York Times lembra que a popularidade de figuras como Jair Bolsonaro ilustra o crescente conservadorismo que legitima a violência no país. 

“Sou a prova viva de que a PM não respeita a democracia nem a liberdade de expressão”. A frase é do ex-policial Darlan Menezes Abrantes, que, depois de escrever livro sobre a PM, foi banido da corporação. Segundo a ONG Human Rights Watch, 436 mil policiais militares do Brasil estão sujeitos a punições desproporcionais por falar publicamente suas opiniões.

Lista de Schindler vai a leilão — por 2,2 milhões de euros. O documento tem 14 páginas e é uma das listas feitas por Oskar Schindler em sua missão para salvar judeus do Holocausto. Ao todo, ele criou sete delas, mas apenas quatro ainda existem.

O que aconteceu desde que você nasceu? A Atlantic criou um especial interativo para responder.

Galeria: os cinco objetos mais simétricos do mundo e por que é tão difícil criá-los, segundo a revista Nautilus.

Um sismógrafo detectou um “terremoto” na comemoração do sexto gol do Barcelona contra o Paris Saint-German. Um terremoto minúsculo, é fato, mas mostra a empolgação da torcida no momento já histórico. 

Não à toa um locutor espanhol perdeu o controle quando saiu o último gol. “Já posso morrer!”, gritava repetidamente. Veja o vídeo.

Falando em narração emocionada, vale lembrar aquela do gol de Maradona contra a Inglaterra em 1986. 

Cotidiano Digital

Em sua busca por se tornar lucrativo, o WhatsApp iniciou os testes para incluir anúncios no app. Segundo documento interno da empresa, a ideia é permitir que o anunciante segmente a publicidade com base nos perfis dos usuários.

Google é eleita melhor empresa para se trabalhar nos Estados Unidos. A gigante da tecnologia já recebeu o título seis vezes seguidas. Entre as razões, estariam os mimos dados a funcionários — de comida gratuita a cortes de cabelo —, o aumento da licença-maternidade e sua política de inclusão de transgêneros.

Um app para fugir de papo chato. É assim o Nope, uma extensão criada para o Google Chrome. Num clique, o usuário recebe uma ligação falsa no celular e, em seguida, ouve instruções para driblar o interlocutor indesejado.

Assine o Meio: notícia confiável para quem não tem tempo de ler jornal.





Share Tweet



Consultar edições passadas