Assine o Meio: notícia confiável para quem não tem tempo de ler jornal.





Share Tweet
14 de março de 2017
Consultar edições passadas

14 de março de 2017

Uma reforma política para driblar efeitos da Lava Jato

O depoimento de Emílio Odebrecht, pai de Marcelo, era para ter sido mantido em sigilo. Mas foi publicado por engano no sistema online da Justiça paranaense. “Sempre foi o modelo reinante no país”, disse a respeito do financiamento de campanhas pelo caixa dois. “Desde a época do meu pai, da minha época e da época de Marcelo”, seguiu, afirmando que a tradição deste tipo de gasto na empreiteira se iniciou com o fundador, Norberto. Enquanto o fantasma das delações da Odebrecht ainda assombra Brasília, o presidente do TSE, Gilmar Mendes, se adiantou. “Sempre se considera a estabilidade política”, disse a respeito do processo que pode terminar apeando Temer do poder. “Mas não que isso vá presidir o julgamento.” De acordo com Isadora Peron, do Estadão, Gilmar e Temer se encontraram no domingo — uma conversa não registrada nas agendas oficiais de ambos. O ministro nega que o papo tenha passado pelo julgamento. Não foi a única, tampouco a conversa mais interessante, que envolveu Gilmar neste domingo. Para celebrar os aniversários de Aécio Neves e do secretário de Governo Antonio Imbassahy, ele esteve na residência oficial do presidente da Câmara. De acordo com o Poder360, no fio da conversa de políticos de PMDB, PSDB e DEM, que incluiu o ministro do Supremo, firmou-se algum consenso em propor reforma política trazendo o financiamento público de campanhas e o voto nos deputados por lista fechada. O eleitor escolhe o partido, e os líderes partidários definem quais parlamentares entram. Uma ideia tradicionalmente defendida pelo PT. Estão em busca duma saída.

Para o deputado Miro Teixeira, citado pela nova coluna Poder em Jogo do Globo, a ideia de os partidos escolherem os candidatos à Câmara não aparece agora à toa. “É querer driblar os efeitos da Lava Jato”, explica. Mesmo que, pessoalmente, o cidadão preferisse evitar alguns nomes, os partidos ganham poder de colocá-los de volta no Parlamento. (Link ainda não disponível no site do jornal.)

E quem diria… Fernando Holiday, líder do Movimento Brasil Livre e um dos vereadores eleitos mais badalados pela turma anticorrupção, teve caixa dois — ainda que, aparentemente, pequeno. É o que mostra a reportagem documentada de Tatiana Farah e Severino Motta, do Buzzfeed.

Lula depõe hoje perante o juiz Ricardo Leite, de Brasília, no processo que investiga se tentou obstruir as investigações da Lava Jato.

Aliás… A Lava Jato saiu hoje pela manhã para mais uma operação, desta vez focada em suspeitas de superfaturamento do metrô carioca.

A partir de hoje, as companhias aéreas estariam autorizadas a cobrar por bagagem. Estariam. A Justiça suspendeu a decisão da Anac por liminar.

O Parlamento britânico autorizou o Brexit e, assim, a primeira-ministra Thereza May deverá ativar a Cláusula 50, que terá por consequência o encerramento de relações entre Reino Unido e União Europeia. De bate-pronto, a chefe do governo escocês, Nicola Sturgeon, anunciou que proporá novo referendo para encerrar as relações da Escócia com o Reino Unido. (Estadão)

 

Cultura

Mandrake, o personagem clássico de Rubem Fonseca, estará de volta em abril. O autor, aos 91 anos, vai lançar um novo livro de contos, Calibre 22, com 31 histórias. Desta vez, o advogado Mandrake, sempre rodeado por mulheres, vai investigar crimes em torno de um editor de revista feminina. (Estadão)

Breaking Bad em versão de duas horas. A ideia ocorreu a um grupo de fãs franceses, que editaram as cinco temporadas da série, uma das mais vistas da história da TV americana, de forma a criar um longa-metragem. Trata-se, dizem os criadores, de “um Breaking Bad alternativo, para ser assistido com novos olhos”.

Bob Dylan divulgou sua versão para a famosa Stardust. A música já foi regravada centenas de vezes, por artistas diversos — de Ringo Starr a Frank Sinatra. Estará num dos três álbuns de covers que Dylan lança em abril.

Os livros de Michelle e Barack Obama vão chegar ao Brasil pela Companhia das Letras. Sócia da editora brasileira, a Penguin Random House, que comprou os direitos das obras nos Estados Unidos, fará uma operação mundial para lançar os títulos, previstos para 2018. (Globo)

É oficial: o que está por trás do sorriso de Mona Lisa é… felicidade. Ao menos é o que crava um novo estudo, feito na Alemanha. Pesquisadores apresentaram a um grupo diversas versões do sorriso, embaralhadas com a imagem verdadeira. 97% dos participantes do teste identificaram a Mona Lisa original como feliz.

Para os nerds: The Big Bang Theory terá mesmo um spinoff. A CBS anunciou que fará Young Sheldon, série baseada num dos protagonistas da primeira. 

Viver

“O Brasil, apesar de deprimido, continua o povo menos infeliz do mundo.” A avaliação é do italiano Domenico de Masi. Aos olhos do sociólogo, o país sabe dar igual importância ao trabalho e ao lazer. Em entrevista à BBC, diz que o país poderia gerar um modelo mais solidário, menos focado na concorrência. Por outro lado, avalia como “infantil” o comportamento do brasileiro ao mudar rapidamente de opinião diante da crise política atual.

Uma onda de violência tem assustado os moradores de Paraty. Se a média nacional é 29,1 assassinatos para cada 100 mil habitantes, no município do Rio o índice é de 60,9 mortes para cada 100 mil, o pior do estado. Durante o Carnaval, um homem foi decapitado em público. A polícia atribui os crimes a disputas pelo tráfico local. (Folha)

Os adolescentes estão substituindo as drogas pelo celular? Talvez. Cientistas americanos começam a relacionar a queda do consumo de drogas entre jovens ao boom dos smartphones. De fato, no mesmo período em que caiu o uso de maconha e álcool, aumentou o uso dos celulares. “Jogar videogame, usar as redes sociais, isso preenche a necessidade de novas sensações”, diz uma especialista da Universidade de Columbia. A teoria, porém, ainda carece de comprovação.

Na China, mulheres contratam uma “caçadora de amantes” para investigar — e desfazer — relações extraconjugais. A figura não funciona apenas como detetive. Geralmente psicóloga ou formada em direito, a “caçadora” também tem como missão dissuadir a amante do affair.

Galeria 1: ex-zelador de alfândega americana, Tom Kiefer colecionou por anos os pertences apreendidos de imigrantes na fronteira para, agora, registrá-los em fotos.

Galeria 2: o festival de Holi, que celebra a chegada da primavera, tinge a Índia de cores.

Já são cinco os patrocinadores que deixaram o Boa Esporte desde que o clube mineiro anunciou a contratação do goleiro Bruno. Ontem, o principal investidor do time e o fornecedor de materiais esportivos encerraram contrato com o time de Varginha. O goleiro, acusado pelo assassinato de sua ex-amante, Eliza Samúdio, está em liberdade provisória. (Estadão)  

Cotidiano Digital

Em março de 1989, 28 anos atrás, Tim Berners-Lee publicou um documento com a proposta do que viria a ser a World Wide Web. Para marcar a data, o inventor da web publicou no Guardian, no último domingo, uma carta, em que se diz muito preocupado com o futuro de seu invento. Para ele, três pontos devem ser atacados para manter a web como plataforma aberta: a perda de controle pelos usuários de seus dados pessoais, a facilidade de se espalhar informações incorretas e, por fim, a propaganda política na internet. O G1 traz um bom resumo em português.

Mais do que dobrou o número de startups brasileiras no South by Southwest, um dos principais festivais de tecnologia, cinema e música do mundo, em Austin, no Texas. O Brasil passou ao posto de segunda maior delegação do evento, atrás apenas do Reino Unido. Veja a lista das brasileiras no festival.

Intel compra Mobileye por US$ 15,3 bilhões. É mais um passo da empresa em direção aos carros autônomos. A empresa quer se tornar uma fornecedora de tecnologia para o setor. E a Mobileye desenvolve justamente softwares e chips para esse tipo de veículo.  

Falando nisso… a Califórnia planeja liberar os testes de veículos autônomos sem motorista reserva ainda neste ano. Até então, os carros deveriam ter um piloto à frente do volante, mas o estado acaba de licenciar 27 companhias para testar os veículos sem motorista — e em estradas públicas. Entre as fabricantes liberadas, estão BMW e Tesla. (Estadão)

Ainda não é assinante? Assine. Não custa nada.





Share Tweet



Consultar edições passadas