Assine o Meio: notícia confiável para quem não tem tempo de ler jornal.



Share Tweet


Agenda cultural



Lia de Itamaracá apresenta o show do disco Ciranda sem Fim hoje com a participação de Alessandra Leão e DJ Dolores. Transmitido pelo Itaú Cultural no YouTube, o evento integra a programação da Ocupação Lia de Itamaracá, em cartaz na sede do instituto em São Paulo.

A cantora carioca Maranda lança hoje nas plataformas de streaming o single Corpo de Lata, que mistura influências africanas e espanholas com o som do grupo americano The Doors.

Ainda hoje, o alemão Alexander Liebreich rege a Osesp, coro e solistas convidados em concerto com a Missa da Coroação, de Mozart, e a 2ª Sinfonia de Brahms.

O SescTV exibe no sábado o primeiro dos quatro episódios de Amazônia, Arqueologia da Floresta, série de Tatiana Toffoli que acompanha pesquisas realizadas no sítio arqueológico Monte Castelo, em Rondônia.

Escrito e dirigido por Gabriela Mellão, a peça-filme Começo do Fim estreia no Teatro Sérgio Cardoso Digital no domingo com uma reflexão sobre o mundo dos sonhos e da subjetividade feminina.

No mesmo dia, o Itaú Cultural começa a temporada virtual de dois espetáculos: Marília Gabriela Não Vai Mais Morrer Sozinha, do coletivo amazonense UTC-4, e Em Busca de Judith, de Jéssica Barbosa e Pedro Sá Moraes.

Obras de Berg, Ravel e Saint-Saëns, entre outros, estão no programa que a Orquestra Jovem do Estado toca nesse domingo sob a regência de Cláudio Cruz.

Na segunda,Roda Viva da TV Cultura recebe a psicóloga e escritora Cida Bento, referência no combate ao racismo e autora do livro O Pacto da Branquitude.

Em cartaz no Theatro São Pedro, em São Paulo, a ópera  Os Capuletos e os Montéquios também pode ser vista online. Dirigida por Antonio Araújo, a montagem promove o encontro do bel canto de Vincenzo Bellini com o Brasil das milícias.

A fotógrafa carioca Fernanda Liberti e a artista interdisciplinar Igi Lola Ayedun participam do debate de lançamento da nova edição da revista Zum nessa quarta.

Ainda dá tempo de acompanhar as sessões do festival de curtas-metragens FIC RIO, que neste ano exibe cerca de 100 títulos pelo YouTube, além de homenagear a atriz Léa Garcia.

Lançado para marcar o Dia do Choro, comemorado em 23 de abril, o projeto Choro Timeline disponibiliza uma compreensiva linha do tempo do gênero, de 1830 aos dias de hoje. Mais de 600 imagens, de documentos a capas de disco e fotografias, ilustram a plataforma criada pelo Instituto Casa do Choro.

Para outras dicas de cultura, assine a newsletter da Bravo!.



Share Tweet