Câmara cria Bancada Negra com direito a voto em reuniões de líderes

Receba notícias todo dia no seu e-mail.

Assine agora. É grátis.

Por meio de um projeto de resolução de Talíria Petrone (PSOL-RJ) e Damião Feliciano (União-PB), a Câmara dos Deputados aprovou, nesta quarta-feira, a criação da Bancada Negra, que é composta por parlamentares autodeclarados pretos ou pardos, de forma suprapartidária. Com isso, eles passarão a ter um representante nas reuniões do colégio de líderes, em que os deputados decidem as pautas econômicas que serão tratadas nas votações semanais. A nova bancada acredita que, assim, poderá avançar com projetos relacionados à população negra. A Bancada Negra conta com um cargo de coordenação-geral e três vice-coordenadorias, mas ainda não há definição de quem ocupará esses postos. A direção será renovada a cada 20 de novembro, Dia da Consciência Negra, por eleição. A iniciativa se assemelha à criação da Bancada Feminina, mas ainda sem a mesma estrutura física e de servidores. Conforme relatório do deputado Antonio Brito (PSD-BA), a Bancada Negra corresponde a aproximadamente 24% dos 513 parlamentares: 31 se declaram pretos e 91 se identificaram como pardos. (Carta Capital)

PUBLICIDADE

Encontrou algum problema no site? Entre em contato.