Egito suspende entrada de estrangeiros vindos de Gaza

Receba notícias todo dia no seu e-mail.

Assine agora. É grátis.

O governo do Egito suspendeu na noite de sábado a autorização para que estrangeiros que estão na Faixa de Gaza deixem o território palestino através da passagem de Rafah. A medida, segundo o Cairo, é um protesto pelo ataque de Israel a uma ambulância que levava feridos de Gaza para a fronteira. O governo israelense alegou que o veículo transportava combatentes do grupo terrorista Hamas, mas não apresentou qualquer prova das acusações. Representantes do governo dos EUA tentam negociar a reabertura da passagem ainda nesta domingo, mas sem garantias de sucesso. Desde a última quarta-feira, centenas de estrangeiros e moradores de Gaza feridos entraram no Egito por Rafah. (Reuters)

PUBLICIDADE

A notícia da suspensão desalentou os brasileiros que estão em Kahn Yunis e Rafah aguardando a autorização para entrar no Egito. O grupo está sem água, energia, combustível e gás de cozinha e temendo que a guerra entre Israel e o Hamas chegue até lá. “A gente está destruído. É cada dia pior do que o outro. A gente come uma vez por dia, não tem gás de cozinha. As coisas estão complicadas. Não temos água encanada, nem energia”, disse o comerciante Hasan Rabee, de 30 anos, que está em Kahn Yunis. (UOL)

Enquanto isso, o secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, se reuniu neste sábado em Ramallah, na Cisjordânia, com Mahmoud Abbas, presidente da Autoridade Palestina, que controla parcialmente o território. Segundo o Departamento de Estado americano, os dois discutiram “meios de restaurar a paz e a tranquilidade” na Cisjordânia, especialmente diante da escalada de violência contra palestinos por parte de colonos israelenses instalados na região. (CNN)

Encontrou algum problema no site? Entre em contato.