Ainda não é assinante? Assine. Não custa nada.

 
 


3 de setembro de 2018
Consultar edições passadas

Museu Nacional arde; A perda é incalculável


Pegou fogo ontem à noite, e lambeu todo, o Museu Nacional da Quinta da Boa Vista, no Rio de Janeiro. Ligado à UFRJ, fundado em 1818 por dom João VI, era a instituição científica mais antiga do país. Nenhum ministro foi à festa de 200 anos, em junho, e o último presidente a botar os pés na instituição foi Juscelino Kubitschek. Com sua verba anual mínima de R$ 520 mil reduzida a R$ 300 mil, o Museu precisava de um aporte de R$ 300 milhões investidos em ao longo de uma década para sua total restauração. O prédio incendiado foi o Palácio Imperial brasileiro, onde se criaram dom Pedro II e seus filhos, incluindo a princesa Isabel. Lá foi assinada a Independência do Brasil, em 1822, e lá se realizou a primeira Assembleia Constituinte da República, entre 1890 e 91. O incêndio provavelmente levou embora peças importantes que estavam em exposição. O mais antigo fóssil humano das Américas, Luzia, com aproximadamente 11.500 anos. O esqueleto também fossilizado de um Maxakalisaurus topai, o primeiro dinossauro de grande porte montado no Brasil. A primeira — e melhor — coleção de múmias egípcias da América Latina. Trajes centenários de índios brasileiros. Além de incontáveis peças de geologia, paleontologia, botânica, zoologia, arqueologia e etnologia.

Com o incêndio já controlado após seis horas de combate, os bombeiros puderam ao menos observar o hall de entrada. Bendegó, o maior meteorito já encontrado no país com mais de 5 toneladas, sobreviveu intacto. (Globo)

O prédio aparentemente está de pé. O incêndio começou a ser controlado às 3h desta madrugada, após seis horas de combate. Os bombeiros encontraram dificuldades de cara, ao constatar que os dois hidrantes próximos estavam sem água. Precisaram bombear de um lago nos jardins. A Defesa Civil ainda precisará esperar as paredes esfriarem para avaliar o quanto as estruturas resistiram. O BNDES já havia reservado uma verba de R$ 21 milhões para obras de prevenção de incêndio. (Globo)

Este não é um incêndio com partido político. O Museu teve de fechar as portas, em 2015, por falta de verbas para o pagamento dos funcionários, em pleno governo Dilma. E uma reportagem da GloboNews, este ano, mencionava o drama da falta de verbas.

Assista: um sobrevoo de drone do Museu Nacional.

O site do Museu Nacional tem o registro das exposições fixas que haviam por la.

O PSDB entrou, no domingo, com um pedido contra o horário eleitoral da chapa presidencial petista. O Partido Novo fez o mesmo, apresentando três representações perante o TSE. A reclamação dos tucanos é de que o jingle de Lula e Haddad foi ouvido no programa eleitoral de deputados estaduais e federais. Constituiria ‘invasão de horário’. O Novo vai além. Afirma que Lula foi apresentado como candidato no programa de sábado, o que contraria a decisão tomada pela corte naquela mesma madrugada. O partido questiona afirmações como ‘Lula é candidato a presidente, sim’ e o jingle que fala ‘Vamos trazer o Brasil de Lula de volta’. Em uma das inserções, Haddad afirma ‘Tenho muito orgulho de ser vice-presidente de Lula’. (Globo)

Elio Gaspari: “Poucas vezes um magistrado foi tão autocrítico e preciso como o ministro Gilmar Mendes quando disse o seguinte: ‘Nós já produzimos esse desastre que aí está. Ou as pessoas não percebem que contribuímos com a vitimização do Lula?’ Sem o prende-solta de julho e o pode-não-pode da Justiça Eleitoral, dificilmente Lula estaria com pelo menos 39% das preferências nas pesquisas do Datafolha. Mais que isso: pode-se garantir que aumentou a sua capacidade de transferir eleitores para Fernando Haddad, tornando-o um provável candidato no segundo turno da eleição. Quem acha que um confronto Haddad x Bolsonaro ajuda a eleger um ou outro não quer um processo eleitoral, mas um daqueles espetáculos sanguinários que aconteciam no Coliseu de Roma. O desastre está aí, mas Lula pode ser acusado de tudo, menos de ter sido o causador da barafunda criada pelo Judiciário. Sua vitimização entra agora na última fase, fabricando-se uma eleição presidencial influenciada por um ectoplasma político.” (Globo ou Folha)

No primeiro fim de semana de campanha com a candidatura de Lula já proibida, foi divulgada uma fotografia de Fernando Haddad cumprimentando o senador Eunício Oliveira, do Ceará. E no domingo, em Alagoas, fez campanha com o também senador Renan Calheiros. Em seu discurso após votar pelo impeachment de Dilma, Renan afirmou, do púlpito: “Um dia a história nos julgará e nossa certeza será de que não nos omitimos.”

Desde sexta-feira, áudios falsos alertando para uma nova paralisação dos caminhoneiros vêm circulando no WhatsApp. “Tem gente infiltrada tentando usar a categoria como massa de manobra”, afirmou Wallace Landim, o Chorão, um dos líderes da greve de maio. O ministro da secretaria de Governo, Carlos Marun, diz estar em diálogo constante com os caminhoneiros. O motivo alegado para reinício do movimento é o aumento de 13% no diesel, anunciado na própria sexta. (Folha)

Cultura


Foi comovente o show de Beth Carvalho ao lado do grupo Fundo de Quintal no sábado, no Rio de Janeiro. Com mobilidade cada vez mais reduzida pelos efeitos de uma doença que há cerca de dez anos compromete sua coluna, a artista cantou deitada. “Eu ensaiei muito e não posso mais ficar sentada. Tem ‘Na cama com Madonna’, tem ‘Na cama com Beth Carvalho’”, brincou. E foi ovacionada. (Globo)

O Village Voice, que suspendera a circulação impressa há um ano, fechou de vez as portas também no digital. Fundado em 1955 pelo escritor Norman Mailer, era um ícone da excentricidade de esquerda nova-iorquina, nascido no Greenwich Village que à época era o bairro boêmio de Manhattan, ainda pleno de poetas beatnik. Cobria política e sociedade, a cultura underground, num semanário em formato tablóide. Por ele iniciaram a carreira alguns prêmios Pulitzer, e teve entre seus colaboradores gente como os poetas e. e. cummings e Allen Ginsberg, o dramaturgo Tom Stoppard e os cartunistas Robert Crumb e Matt Groening. As transformações do século 21 lhe foram fatais. “Por conta das realidades do negócio”, afirmou à equipe de pouco mais de 15 o último dono, Peter Barbey, “vamos parar de publicar material novo. Comprei o Village Voice com a intenção de salvá-lo. Não era assim que imaginei que ia terminar.” Barbey vai manter um time com a intenção de organizar um arquivo do passado online.

Sem aviso prévio, o rapper americano Eminem lançou um novo álbum na sexta-feira. Kamikaze (Spotify) traz, na sua faixa de abertura, um rap freestyle feito por ele no ano passado, com críticas ao presidente Donald Trump e seus partidários. Raivoso com o mundo, o cantor também mira em outros rappers, como Drake e Tyler. (Globo)

Viver


Quão mais quente é sua cidade natal hoje em relação a quando você nasceu? O New York Times responde com um gráfico personalizado.

Há sete anos, a BYD, maior fabricante chinesa de ônibus elétricos, que tem entre seus sócios o megainvestidor Warren Buffett, era motivo de piada nos eventos do setor automotivo na Europa. Agora, está prestes a inaugurar sua segunda fábrica no continente. E não é a única a desembarcar por lá. O país asiático, por onde circulam 95% dos ônibus elétricos vendidos no mundo em 2017, quer garantir sua liderança no novo mercado mundial. Na Europa, o transporte representa 27% das emissões de CO2 e a meta do Acordo de Paris é de que, até 2050, essas emissões sejam reduzidas em 90%. Ainda assim, a venda de carros elétricos ainda é pequena. Os chineses, é claro, sabem disso e querem largar na linha de frente dessa corrida. (Estadão)

Em mais um ponto de atrito com os Estados Unidos, a Rússia deu a entender que pode não renovar o contrato para o transporte de astronautas norte-americanos para a Estação Espacial Internacional a partir do ano que vem. Ruim para os EUA, bom para Elon Musk. Pois é. Hoje, cargas são enviadas para a estação espacial nos foguetes americanos Falcon 9, da SpaceX. A empresa está desenvolvendo um módulo de transporte de astronautas para ser levado pelo foguete — o teste tripulado está previsto para o ano que vem. E a decisão russa, se não for apenas um anúncio para pressionar os americanos, poderá precipitar o desenvolvimento da espaçonave. (Folha)

Aliás... Na semana passada, a estação foi atingida por um micrometeorito ou um fragmento de lixo espacial. Não houve nenhum grande dano, mas o pequeno objeto abriu um orifício na ala russa do laboratório e gerou um vazamento de oxigênio. Nada que não pudesse ser resolvido num primeiro momento com fita adesiva.

E por falar... As evidências sobre a existência do tal Planeta Nove, que estaria escondido no nosso sistema solar muito além de Netuno, continuam se acumulando. Até agora, no entanto, nenhum telescópio conseguiu identificá-lo. Ainda. Há gente trabalhando firme nisso.

Cotidiano Digital


Os rumores dão conta de que o iPhone por ser lançado no próximo dia 12 será batizado iPhone XS. Ele virá em dois modelos de 5,8 e 6,5 polegadas e, entre outras, na cor ouro. Está circulando uma imagem dos dois aparelhos.

Mas... Rumores nem sempre representam a verdade. O de que o Google estava para lançar seus próprios relógios, que circulou semana passada, foi negado. Pelo próprio Google. A empresa está melhorando a aparência do seu sistema para relógios, mas o foco se dá nos aparelhos de terceiros. O anúncio dos novos celulares e outras máquinas da companhia ocorrerá em 9 de outubro.

Um dos objetivos do CEO do Twitter, Jack Dorsey, é torna-lo mais centrado em conversas. Por conta, duas mudanças estão sendo estudadas. Uma delas é mudar a aparência dos replys, das respostas, permitindo que elas empilhem abaixo do tweet original, devidamente indentadas. A outra é dar um sinal a respeito de quem está online naquele momento, facilitando o contato entre amigos. Diretora de Produtos da plataforma, Sara Hider apresentou os estudos de aparência destes recursos.





Bem-vindo ao Meio. A assinatura básica é gratuita, comece agora mesmo.




3 de setembro de 2018
Consultar edições passadas