Assine o Meio: notícia confiável para quem não tem tempo de ler jornal.



11 de janeiro de 2021
Consultar edições passadas



Maioria dos americanos quer Trump fora já


O Partido Democrata pode apresentar ainda hoje, na Câmara, um novo pedido de impeachment contra o presidente americano Donald Trump. O processo está em compasso com o desejo da maioria da população. Após Donald Trump insuflar uma turba a invadir o Congresso para impedir a homologação da vitória de Joe Biden, 56% dos americanos querem sua saída imediata do poder. Essa é a conclusão de uma pesquisa feita pela ABC e pelo Instituto Ipsos. A permanência do presidente tem apoio de 43%. Quando Richard Nixon renunciou, em 1974, somente 40% dos americanos queriam sua saída. (CNN)

Há outros dois caminhos. O vice-presidente Mike Pence, se contar com o apoio de metade dos ministros, pode fazer uso dos poderes da 25ª Emenda e iniciar um processo de destituição por incapacidade. No programa dominical Meet the Press, da NBC, se levantou a possibilidade de uma renúncia a partir de um acordo similar ao feito com Richard Nixon. Pence assumiria a presidência por alguns dias e concederia a Trump perdão presidencial, evitando que seja processado após deixar a Casa Branca. (NBC)

Mais de 90 pessoas foram presas desde quinta-feira por envolvimento no ataque à sede do Legislativo.

Após a invasão do Capitólio, as Big Techs começaram a agir contra a incitação de violência política. Suspenso temporariamente do Facebook e do Instagram, o presidente Donald Trump foi banido em definitivo do Twitter. Ele ainda tentou usar os perfis oficiais da Casa Branca, mas a manobra foi identificada e as postagens apagadas. Outro alvo foi o Parler, uma espécie de Twitter da extrema-direita. Primeiro Google (Android) e Apple (iPhone) baniram o aplicativo de suas lojas online alegando falta de regras claras contra discurso de ódio. E ontem a Amazon excluiu o Parler de seu sistema de hospedagem. A menos que consiga novos servidores, o site sairá do ar.

Para ler com calma. O historiador de Yale Timothy Snyder, que por se especializar em Leste Europeu tornou-se também um respeitado conhecedor de tiranias, é autor de um ensaio excepcional sobre este fim de governo Trump que a revista dominical do New York Times publicou, ontem. Os paralelos com o momento do Brasil não são poucos. Trecho:

Timothy Snyder: “Pós-verdade é pré-fascismo, e Trump foi nosso presidente pós-verdade. Quando desistimos da verdade, damos poder àqueles com dinheiro e carisma que criam um espetáculo em seu lugar. Se não concordamos a respeito dos fatos mais básicos, cidadãos não formam uma sociedade civil que permite sua defesa. Se perdemos as instituições que produzem fatos pertinentes a nós, então nos emaranhamos em abstrações atraentes e ficções. A verdade se defende mal quando há pouco dela no entorno, e a Era Trump — como a Era Vladimir Putin, na Rússia — é uma de declínio do jornalismo local. As mídias sociais não substituem: elas superestimulam os hábitos mentais pelos quais buscamos estímulo emocional e conforto, ou seja, perdemos a distinção entre o que sentimos ser a verdade e o que de fato é a verdade.” (New York Times)


E o ministro da Justiça, André Mendonça, quer que a Polícia Federal investigue o jornalista Ruy Castro. Em sua coluna na Folha, Castro aconselhou Trump a se matar e Bolsonaro a imitá-lo.

Tramitam no Congresso dois projetos para limitar o poder de governadores sobre as polícias civis e militares, criando mandatos para seus comandantes. A justificativa é evitar ingerência política, mas especialistas temem a transformação das corporações num poder paralelo. (Estadão)

Então... O ex-prefeito carioca Cesar Maia publicou, no Twitter, um alerta sobre o presidente Jair Bolsonaro. Lembra que o golpe de 1973, no Chile, foi viabilizado quando as Forças Armadas e os carabineros — Polícia Militar do país — entraram em acordo. Maia lembrou que o presidente tem frequentado ativamente as formaturas de cadetes PMs, na construção de uma base de apoio armado. O ex-prefeito assistiu ao golpe, no Chile, pois vivia lá, no exílio. Foi onde nasceu seu filho Rodrigo, o presidente da Câmara dos Deputados.

Rodrigo Maia também se manifestou no Twitter durante o fim de semana. “Bolsonaro: 200 mil vidas perdidas até agora. Você tem culpa”, escreveu.

Sob o risco de perder os 52 deputados do PT, segunda maior bancada, na disputa pela presidência da Câmara, Baleia Rossi (MDB-SP) recorreu ontem à presidente do partido, deputada Gleisi Hoffmann (PR) para reafirmar o compromisso com as exigências da legenda. O PT não abre mão da análise, não necessariamente da aprovação, dos pedidos de impeachment de Jair Bolsonaro que hoje dormem na gaveta de Rodrigo Maia (DEM-RJ), atual presidente e articulador da candidatura de Baleia.

Maia, aliás, está tirando de cargos comissionados funcionários indicados por Lira e por seu grupo. (Globo)

Meio em vídeo. Um dos assuntos quentes do cenário político neste início de ano é a disputa pelo comando da Câmara dos Deputados. Daqui a pouquíssimas semanas, no dia 1º de fevereiro, alguém deve ocupar a cadeira de Rodrigo Maia à frente da Casa Legislativa. Mas quem será o seu substituto? Um dos candidatos é o deputado federal Arthur Lira (PP-AL), que conta com o apoio do presidente Jair Bolsonaro. E, é sobre ele que a gente vai falar no #MeioExplica. Veja no Youtube.

Esta semana faremos um #MeioExplica sobre Baleia Rossi (MDB-SP), adversário de Lira na disputa.

meio_greenweek_1156x174_separador

Fique no Verde


A pandemia acelerou a inserção dos bancos digitais entre os brasileiros. Pela primeira vez, a parcela de downloads de aplicativos dos novos players em 2020 ultrapassou a de instituições tradicionais, alcançando 52%, segundo o UBS Evidence Lab. A consultoria calcula que há mais de 60 milhões de contas digitais, sem considerar os números do Caixa Tem, usados para o pagamento do auxílio emergencial. Com o PIX e o open banking avançando no país, a competição deve aumentar ainda mais. E os usuários que vão sair ganhando: além de menos burocracia e tarifas bancárias, diversificação de produtos é essencial para convencer os clientes a continuarem ativos.

Uma das áreas que as fintechs têm crescido é no crédito. A participação ainda é pequena, mas triplicou em 2020 chegando a R$ 10 bilhões, ante R$ 3 bilhões em 2019. Enquanto os bancos tradicionais elevaram o volume em apenas 2%. Para este ano, é esperado que os bancos digitais concedam R$ 20 bilhões.

Os bancos tradicionais não estão parados. O Bradesco e o Itaú, por exemplo, lançaram nos últimos anos seus próprios canais digitais, focados no público de baixa renda e nos desbancarizados. (Estadão)

A pandemia também aumentou a captação da poupança. E muito. Chegou a R$ 166,3 bilhões, a maior da série histórica do BC iniciada em 1995. A alta pode ser explicada em grande parte pelo pagamento do auxílio emergencial, que, em muitos casos, foi depositado em contas-poupança abertas pela Caixa. No entanto, com rendimento de 70% da taxa Selic, a poupança passou a render menos que a inflação em 2020.

Para entender melhor… Semelhante ao CDB, a LCI é um investimento de renda fixa ligado ao setor da construção civil. É um ativo estável e previsível, perfeito para perfis mais conservadores. A taxa de rentabilidade é normalmente anual e é definida entre o emissor e o investidor no momento da compra. Ainda tem como vantagem a isenção de Imposto de Renda, tanto no rendimento quanto no ganho de capital. Saiba como investir.

Viver


Pela primeira vez desde 11 de agosto, a média móvel de mortes por Covid-19 em sete dias ficou acima de mil. Na últimas 24h foram 483 óbitos, lembrando que o número sempre cai nos fins de semana. Mesmo assim, a média móvel ficou em 1.016, com um crescimento de 65% em relação às duas semanas anteriores, confirmando a aceleração da doença.

O Japão anunciou neste fim de semana ter identificado a nova variação mais contagiosa em quatro pessoas provenientes do Amazonas, um dos estados brasileiros em que a crise da Covid-19 é mais grave. A mutação é semelhante às identificadas no Reino Unido e na África do Sul. Casos dessa variante foram identificados em São Paulo, mas nenhum foi registrado no Amazonas até o momento.

Mas agora já há vacinas em processo de aprovação. Na sexta (08) a Fiocruz e o Instituto Butantan pediram à Anvisa a autorização para uso emergencial da vacina de Oxford e da CoronaVac, respectivamente. A agência aprovou os documentos entregues pela Fiocruz, mas pediu novas informações ao Butantan. O secretário estadual de Saúde de São Paulo, Jean Gorinchteyn, disse ter estranhado os novos pedido da Anvisa, enquanto o governador João Dória cobrou “senso de urgência” da agência. O governo estadual quer começar a vacinação no dia 25, aniversário da capital.

Na Europa, a despeito de diversos países já terem iniciado a vacinação, o clima é sombrio. “O pior ainda está por vir”, disse a chanceler alemã Angela Merkel. Para ela, o aumento nos casos ainda não reflete o contágio durante as festas de fim de ano. Mesmo no Reino Unido, primeiro país a começar a imunização, o número de mortes vem batendo recordes. No Vaticano, onde a vacinação deve começar esta semana, Fabrizio Soccorsi, médico pessoal do Papa Francisco, morreu de Covid aos 78 anos.

A pandemia acentuou a fuga de cérebros no país. Com o trabalho remoto, empresas estrangeiras estão contratando profissionais qualificados brasileiros, especialmente na área de TI, sem que estes sequer precisem deixar o país. Sem oferecerem remuneração à altura, empresas brasileiras acumulam vagas abertas. (Globo)

Cultura


Nara Leão (1942-1989) não foi apenas a “musa da Bossa Nova”, foi uma das mais brilhantes intérpretes da MPB, “madrinha” de gênios como Chico Buarque e Edu Lobo. Agora ela tem sua história contada pelo jornalista Tom Cardoso na biografia Ninguém pode com Nara Leão, que chega às livrarias ainda este mês. Segundo Lauro Jardim, uma das revelações do livro é a ficha de Nara no DOPS, linha de frente da ditadura militar. No documento haveria um depoimento em que Roberto Menescal, amigo de Nara e patriarca da Bossa Nova, criticava o tom político das músicas que ela e outros artistas cantavam. Ouvido pelo autor, Menescal diz que o documento é falso. (Globo)

Primeiro documentário apresentado pelo Brasil para a disputa do Oscar de Melhor Filme de Língua Estrangeira, Babenco - Alguém Tem Que Ouvir o Coração e Dizer: Parou foi deixado à míngua pelo governo. Os produtores pediram à Ancine US$ 200 mil para promover o filme, que também pleiteia uma indicação a Melhor Documentário, mas não obtiveram resposta. Diante dessa situação, a diretora Barbara Paz iniciou um crowdfunding para obter a quantia. (Folha)

A lista de obras primas da música que completam 50 anos em 2021. Construção, de Chico Buarque (Youtube), What’s Going On, de Marvin Gaye (Youtube), Who’s Next, do Who (Youtube) e o clássico absoluto Led Zeppelin IV (Youtube) estão entre eles.

Sex & The City, sucesso dos anos 1990/2000, vai ganhar uma nova temporada de dez episódios na HBO Max. Do elenco original, somente Kim Cattrall (Samantha) não vai voltar.

Cotidiano Digital


As novas regras de privacidade do WhatsApp têm levantado críticas. Desde a semana passada, o aplicativo tornou obrigatório o compartilhamento de dados de seus usuários com as outras empresas do grupo, como Facebook, Instagram e Messenger. Entre essas informações estão: número de telefone; o número de IP, que indica a localização da conexão; e qualquer pagamento ou transação financeira realizada pelo WhatsApp. O conteúdo das mensagens, no entanto, segue sendo encriptado, segundo a empresa.

Com a mudança, já surgiram potenciais concorrentes, apontados como mais seguros. O aplicativo Signal, que é responsável pelo desenvolvimento da criptografia ponta a ponta do WhatsApp, foi surpreendido por uma alta demanda. A procura foi por causa de um simples tuíte de Elon Musk que escreveu “Use Signal”. A publicação foi ainda compartilhada por Edward Snowden.

O carro da Apple deve ser feito com a Hyundai. A montadora confirmou ao jornal local Korea IT News que está em negociações iniciais com a big tech para fechar a parceria até março. O plano seria produzir nos EUA cem mil carros elétricos autônomos, em 2024. Enquanto uma “versão beta” poderia ser lançada já no próximo ano.





Bem-vindo ao Meio. A assinatura básica é gratuita, comece agora mesmo.



11 de janeiro de 2021
Consultar edições passadas