Assine o Meio: notícia confiável para quem não tem tempo de ler jornal.



26 de maio de 2021
Consultar edições passadas



Secretária desmente Pazuello na CPI, general teme voltar


A CPI da Pandemia vota hoje o requerimento para reconvocar a depor o ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello. Desta vez, os senadores terão mais munição. Ao longo de mais de seis horas de oitiva, a secretária de Gestão do Trabalho e da Educação do Ministério da Saúde, Mayra Pinheiro, desmentiu o general sobre a crise do oxigênio em Manaus. Pazuello disse que ficou sabendo da situação no dia 10 de janeiro, mas a secretária informou que o ministério foi informado no dia 7. Ela também afirmou que houve orientação do Ministério da Saúde para adoção de tratamento precoce e sem eficácia contra a Covid-19. (Globo)

Apelidada de ‘capitã cloroquina’, Mayra Pinheiro também desmentiu Pazuello sobre um suposto ataque hacker ao aplicativo TrateCov, retirado do ar após ser revelado que ele recomendava os tratamentos ineficazes para quaisquer sintomas. A secretária negou o ataque e que o aplicativo tivesse sido modificado. (G1)

Ela manteve sua defesa da cloroquina e disse que o Brasil não é obrigado a seguir orientações da OMS, que descartou o medicamento. Seguindo a linha do governo, a secretária criticou medidas de isolamento social, mas foi reticente sobre a busca de imunidade de rebanho sem vacinas, o que classificou como “extremamente perigoso”.

Sete mentiras, um exagero e três imprecisões. Confira a checagem do depoimento de Mayra Pinheiro. (Aos Fatos)

Mas o que sacudiu a internet foi outro assunto. O vice-presidente da CPI, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), reproduziu um áudio no qual a secretária fazia um pesado ataque à Fiocruz, dizendo que havia um “pênis gigante” na porta da instituição. Aparentemente, era isso aqui. (Twitter)

Claro, não faltaram memes sobre o comentário fálico. (Folha)

E o relator Renan Calheiros (MDB-AL) errou feio ao comparar a CPI ao julgamento em Nuremberg dos crimes de guerra nazistas e, por conseguinte, as mortes na pandemia ao Holocausto. A Confederação Israelita do Brasil protestou, levando o senador a se retratar via Twitter. (Poder 360)

Cresceu, como previsto, a pressão do Alto Comando do Exército para que o general Eduardo Pazuello passe para a reserva. Ele responde a processo administrativo por ter participado de ato político com Jair Bolsonaro no domingo. O ex-ministro da Saúde, porém, resiste. Ele avalia que a condição de militar da ativa lhe garante alguma blindagem na CPI da Pandemia. (Folha)

A Polícia Federal enviou documento ao STF informando que já tem provas de que o presidente afastado do Ibama, Eduardo Bim, teria cometido crimes de facilitação ao contrabando e advocacia administrativa. As provas foram obtidas na Operação Akuanduba, que atingiu também o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles. Sobre este, a PF diz também ter indícios de participação, sendo necessário aprofundar as investigações. (Globo)

Enquanto isso... Ignorado na ação contra Salles e companhia, o procurador-geral da República, Augusto Aras, entrou com um pedido no STF para que o caso seja retirado do ministro Alexandre Moraes e repassado a Cármen Lúcia, que analisa uma ação semelhante. Suspeita-se que Moraes e o delegado da PF Franco Perazzoni tenham combinado a operação. (Globo)

O pleito de 2022 vai acontecer sem grandes mudanças no processo eleitoral. Essa é a previsão do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), para quem a reforma de 2017, que busca reduzir o número de partidos, ainda não foi exaurida. Sobre a proposta de voto impresso, Pacheco disse que não vai travar o debate, mas que, se aprovado “seria um processo de início de amostragem, chegando à plenitude ao longo de muitas eleições.” (UOL)

Por seis votos a um o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) reconheceu que a deputada Tabata Amaral (PDT-SP) sofreu perseguição no partido por ter votado a favor da reforma da Previdência e a autorizou a deixar a legenda sem perder o mandato. (Folha)

O presidente Jair Bolsonaro mostrou irritação ontem em sua tradicional parada no cercadinho em frente ao Palácio da Alvorada. Não com os jornalistas, como de costume, mas com uma apoiadora que cobrava uma ação mais firme contra opositores. “Para quem não está contente comigo, tem Lula em 22”, disse ele. (Poder 360)

O mau humor de Bolsonaro tem razão de ser. Para o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), ele vive seu pior momento político, enquanto o ex-presidente Lula está em seu melhor. Mesmo assim, Lira não vê espaço para uma terceira via no ano que vem. (Folha)

Vera Magalhães: “A eleição de 2018 se resolveu com o fígado. A de 2022, ao que tudo indica, será decidida pelo estômago. A realidade da fome ou da insegurança alimentar de milhões de brasileiros está posta à mesa do debate político. Isso explica mais que tudo a dianteira alcançada por Lula nas intenções de votos. E pode determinar o rumo do desgoverno de Jair Bolsonaro daqui por diante.” (Globo)

Então... Puppet Regime, a vídeo-sátira do site GZero, ligado à consultoria Eurasia Group, focou esta semana na briga entre Bolsonaro e Lula. Assista e quebre um pouco a sisudez do noticiário com o olhar estrangeiro sobre esta terra descoberta por Cabral.

Meio em vídeo. O Brasil de hoje desperta muitas perguntas. O que está acontecendo? Qual a ameaça a nossa democracia? O que esperar de 2022? Bolsonaro terá chances de uma reeleição? Para tentar elucidar tantas questões complexas, o Conversas com o Meio recebeu o cientista político e escritor Sergio Abranches, criador do termo “presidencialismo de coalização”. Um papo esclarecedor que você confere no YouTube.


Com manifestações em várias partes do país, os americanos lembraram ontem o primeiro aniversário do assassinato de George Floyd, homem negro sufocado até a morte por um policial branco em Mineápolis. Em Washington, o presidente Joe Biden recebeu a família de Floyd na Casa Branca. O ex-policial Derek Chauvin foi condenado por homicídio e aguarda sentença. (G1)

A edição de sábado do Meio, exclusiva para assinantes premium, vai além de um tema principal e mergulha em outros assuntos como tecnologia, música e literatura. Quer um exemplo? Já falamos do impacto do ano 1959 na história do jazz, dos rituais diários de artistas, do fotógrafo que popularizou o slogan Black is Beautiful, e até mesmo sobre Computação Quântica. É uma edição feita para ser curtida com calma, no fim de semana. Assine você também.

Viver


Uma nova variante do Sars-Cov-2, chamada P.4, foi identificada pela Universidade Estadual Paulista (Unesp) em Porto Ferreira (SP) e já está circulando em pelo menos 21 cidades do interior paulista. Não se sabe ainda a origem da P.4 nem se ela é mais contagiosa ou letal que o vírus original. (UOL)

Segundo o presidente do Hospital Albert Einstein, Sidney Klajner, a demora na vacinação pode estar cultivando variantes pelo país. Na avaliação dele, não é possível falar que o Brasil está entrando numa terceira onda da Covid-19 porque não houve uma redução significativa de casos e mortes por um tempo prolongado. (UOL)

Para piorar, ao contrário do que fora informado na véspera, o paciente com suspeita da variante indiana não foi levado de Guarulhos (SP) para Campos dos Goytacazes (RJ) sob protocolos rígidos. Ele foi autorizado a viajar para o Rio antes de sair o resultado positivo feito em Guarulhos e circulou por três cidades. (Globo)

E outra notícia preocupante é que a taxa de contágio no Brasil voltou a passar de 1, o que indica expansão da doença. Segundo o Imperial College de Londres, que faz esse monitoramento, a taxa hoje no Brasil é de 1,02. Significa que cada 100 pessoas infectadas contagiam outras 102. (Veja)

Por outro lado, a Fiocruz retomou ontem a produção da vacina de Oxford/AstraZeneca após ter recebido no sábado uma carga de insumo farmacêutico ativo (IFA) da China. Quem também recebeu IFA chinês foi o Instituto Butantan, que estava com a linha de produção da CoronaVac parada desde o dia 13 por falta de matéria-prima. E a Pfizer começou a testar sua vacina em gestantes brasileiras. (UOL)

Nesta terça-feira o Brasil registrou 2.198 mortes por Covid-19, totalizando 452.224 óbitos desde março do ano passado. A média móvel em sete dias ficou em 1.835, com redução de 6 em relação ao período anterior, o que indica estabilidade pelo sétimo dia seguido. Segundo as secretarias de saúde dos estados, 42.991.742 de pessoas (20,3% da população) receberam a primeira dose de alguma vacina, enquanto 10% (21.214.582) já tomaram a segunda dose.

Associado à produção de soja transgênica, o herbicida glifosato é o agrotóxico mais usado no Brasil, 62% do total. Um estudo conjunto da Universidade de Princeton, da FGV e do Insper indica, porém, que ele pode estar ligado a uma alta de 5% na mortalidade infantil em municípios do Sul e do Centro-Oeste que recebem água de regiões sojicultoras. Isso equivale a 503 mortes por ano. Os pesquisadores compararam dados de municípios que recebem água rio abaixo das fazendas com os vizinhos que não usam a mesma fonte. A Bayer, que fabrica o agrotóxico, diz que o estudo não tem base científica. (BBC Brasil)

A Secretaria municipal de Educação do Rio exonerou toda a direção da Escola Cívico-Militar Carioca General Abreu, na Zona Norte após um vídeo mostrar os alunos aglomerados no pátio, sem respeito a regras de distanciamento, para ouvirem uma “preleção cívica” com frases semelhantes a slogans de campanha de Jair Bolsonaro. O caso foi encaminhado ao Ministério Público. (Globo)

Cultura


Como praticamente todos os ramos da economia, o mercado editorial foi fulminado pela pandemia de Covid-19. Segundo dados divulgados nesta terça-feira pela Câmara Brasileira do Livro, a retração em 2020 foi de 8,8%. Em termos de títulos lançados, houve uma queda de 17,4%, e a tiragem total encolheu 20,5%. A tendência de encolhimento na participação das livrarias se acentuou, passando de 50,5% do faturamento das editoras em 2018 e 41,6% em 2019 para 30% no ano passado. (Estadão)

Além do vozeirão e da genialidade, Tim Maia era conhecido pela impontualidade em seus shows – quando ele aparecia. Por isso não é de se estranhar que seu disco de sucessos em espanhol tenha saído com 51 anos de atraso. Falando sério, as gravações feitas em 1970 foram encontradas por Carmelo Maia, filho e gestor do espólio do Síndico. Após uma boa recauchutada com tecnologias modernas para recuperar as gravações, Yo Te Amo já está disponível nas plataformas de streaming. (Globo)

Em tempos de isolamento, poucos assuntos são tão prementes quanto a depressão. Não é à toa ser esse o tema de Louco no Oco Sem Beiras, poema inspirado na obra de Frederico Barbosa que abriu ontem, de forma virtual, a 15ª edição do ciclo “7 Leituras”, promovido pelo Sesc São Paulo. Dirigido por Mika Lins e estrelado por Diego Machado, o vídeo-peça-poema está disponível gratuitamente no canal do Sesc 24 de Maio no YouTube. Sob a direção de Eugênia Thereza de Andrade, “7 Leituras” traz um vídeo novo na última terça-feira de cada mês até 30 de novembro.  (Folha)

Cotidiano Digital


Após três semanas, chegou ao fim o julgamento entre Epic Games e Apple sobre as regras da App Store. Com trocas de críticas entre as empresas, a juíza Yvonne Gonzalez Rogers sinalizou que sua decisão não agradará a nenhum dos lados. Ela deu a entender que estava procurando um meio-termo em torno da ideia de os usuários do iPhone terem opção de comprar diretamente dos desenvolvedores, o que significaria fim ou diminuição da comissão de 30%, centro da briga entre Apple e a criadora do Fornite. Ao mesmo tempo, a juíza também questionou a Epic em querer derrubar o modelo de negócios da App Store, sugerindo que isso poderia ajudar a transformar a desenvolvedora de “uma empresa multibilionária em talvez uma empresa multitrilhões”. Agora é esperar. Para tomar sua decisão, a juíza terá que percorrer 4.500 páginas de depoimentos, um processo que, segundo ela, pode levar meses.

Enquanto isso… A Amazon também entrou na mira dos reguladores. O estado de Washington entrou com um processo antitruste contra a big tech. Foi acusada de ilegalmente adotar cláusula que impede que vendedores terceirizados ofereçam itens com preços menores em sites concorrentes.

Então… O processo contra a Amazon acontece meses depois que Google e Facebook se tornaram alvos de ações antitruste nos EUA.

Meio em vídeo. O Pentágono confirmou que são reais os registros em vídeo de OVNIs no céu da Califórnia. As imagens, que rapidamente ganharam as redes sociais, foram liberadas para divulgação pelo próprio governo americano, abrindo espaço para uma discussão que sempre foi mantida em silêncio. Quem nunca se questionou sobre a existência de extraterrestres? Claro, este foi o assunto do episódio de Pedro+Cora desta semana. Confira no YouTube.





Bem-vindo ao Meio. A assinatura básica é gratuita, comece agora mesmo.



26 de maio de 2021
Consultar edições passadas