Ainda não é assinante? Assine. Não custa nada.



27 de julho de 2022
Consultar edições passadas..



Sociedade civil — enfim — reage pela democracia


A divulgação oficial nesta terça-feira do manifesto em defesa da democracia organizado pela Faculdade de Direito da USP (veja a íntegra) e assinado por três mil pessoas, incluindo banqueiros, economistas e personalidades de diversos setores, motivou entidades empresariais a se manifestarem. A Fiesp informou que está organizando com sindicatos e organizações patronais um segundo manifesto, a ser divulgado no próximo dia 11 e que vai participar na mesma data de um ato organizado pela USP de apoio ao sistema eleitoral. Porta-voz do manifesto da Faculdade de Direito, o ex-decano do STF Celso de Mello, defendeu uma reação da sociedade aos ataques do presidente Jair Bolsonaro (PL), a quem chamou de “um político menor e medíocre”.  (Folha e Estadão)

O manifesto da USP está aberto e pode receber novas assinaturas.

Já o ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira, fez pouco da adesão de banqueiros ao documento da Faculdade de Direito. Segundo ele, os donos e executivos de bancos estão reclamando porque teriam perdido “R$ 40 bilhões por ano” com a implantação do PIX. (UOL)

Enquanto isso... O ministro da Defesa, general Paulo Sérgio Nogueira, que vinha fazendo coro às críticas de Bolsonaro ao TSE, mudou de tom ontem, durante a 15ª Conferência de Ministros da Defesa das Américas, em Brasília. Ele afirmou que o Brasil respeita a Carta Democrática Interamericana, que estabelece a promoção da democracia como obrigação dos governos da região. (Metrópoles)

Pois é... Seria constrangedor Paulo Sérgio agir diferente onde estava — Washington, afinal, atua hoje de forma muito distinta de como agiu em 1964. E sinaliza forte. No mesmo evento, o secretário de Defesa dos Estados Unidos, Lloyd J. Austin III, disse que os países do continente estão ligados pelo compromisso como o Estado Democrático de Direito. (CNN Brasil)

Quem subiu o tom foi o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Edson Fachin. Falando a juristas ontem na sede do tribunal, ele disse que a Corte vai “coibir a violência como arma política” e “enfrentar a desinformação como prática do caos”. (g1)

No meio desse turbilhão, o procurador-geral da República, Augusto Aras, seguiu em sua estratégia de reagir aos assuntos do dia por meio de vídeos antigos, evitando críticas a Bolsonaro. Ele publicou ontem em seu canal no YouTube um vídeo no qual diz a congressistas que está atento a “movimentos violentos no Sete de Setembro”. Na convenção do PL, no último domingo, o presidente conclamou seus apoiadores a irem “uma última vez” às ruas no Dia da Independência. (Poder360)

O presidente do TSE, ministro Edson Fachin, negou ontem o pedido para adiar a convenção do MDB, marcada para hoje. A ação havia sido apresentada pelo prefeito de Cacimbinhas (AL), Hugo Wanderley, aliado do senador Renan Calheiros, um dos líderes da ala que defende o apoio ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). A expectativa é que a convenção ratifique a candidatura da senadora Simone Tebet (MS) à presidência, com apoio de PSDB e Cidadania. (CNN Brasil)

Ontem foi um dia de especulação em relação à chapa de Tebet. Mais cotado para a vaga de vice, o senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) teria desistido da indicação. No fim da noite, Tasso negou que estava fora. Um dos nomes cotados para substitui-lo seria o da senadora Eliziane Gama (Cidadania-MA). Além de ser mulher, ela é nordestina e evangélica, o que apelaria a um eleitorado mais amplo. (Estadão)

Na estreia do programa Mesa do Meio, porém, Simone Tebet disse preferir Tasso a Eliziane. “Sem dúvida uma chapa feminina (seria positiva), independente das mulheres do PSDB ou do Cidadania, mas hoje a preferência é do senador Tasso”, disse a candidata. Confira a íntegra da entrevista de Tebet a Mariliz Pereira Jorge, Christian Lynch e Pedro Doria. (YouTube)

Enquanto isso... Aliados do presidente Jair Bolsonaro (PL) juram não ter dúvidas sobre sua reeleição, mas já trabalham para garantir-lhe foro privilegiado caso ela não aconteça. Como conta Andréia Sadi, eles voltaram a articular uma proposta de emenda à Constituição (PEC) criando um cargo vitalício para ex-presidentes com direito a imunidade parlamentar. Também argumentam que a mudança passaria por um acordo com o Judiciário, em troca do fim dos ataques de Bolsonaro ao STF e ao TSE. (g1)

Estrela na convenção do PL e esperança do partido para reverter a rejeição do eleitorado feminino a seu marido, a primeira-dama Michelle Bolsonaro deu mais um sinal de que não quer se envolver na campanha, revela Lauro Jardim. Ela não compareceu a um encontro do presidente com empresárias e executivas em São Paulo, exatamente o público a ser conquistado. O comando da campanha mantém a esperança de que Michelle grave vídeos para o horário eleitoral. (Globo)

E no Meio Político de hoje, o editor-executivo Leonardo Pimentel mostra como o nosso sistema eleitoral dá a Bolsonaro menos oportunidades de manipular o resultado do pleito, diferentemente de Donald Trump, que tentou explorar as peculiaridades das eleições dos EUA a seu favor. Para o americano, a ruptura era a última cartada. Para o presidente brasileiro, pode ser a única. O Meio Político circula a partir das 11h, somente para assinantes premium. Assine!

A Executiva Nacional do PT se reúne hoje para tentar apaziguar as alianças estaduais com o PSB, parceiro de chapa no pleito presidencial. O principal foco de crise é o Rio Grande do Sul, onde os dois partidos lançaram candidatos ao governo. Também está na mesa o desembarque da candidatura do deputado Marcelo Freixo ao governo do Rio, já que o PSB insiste também em ter candidato ao Senado. Há desavenças ainda em Goiás, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Acre e Rondônia. (Globo)

Meio errou. Fábio Barbosa é CEO da Natura, não dono da empresa. Pedimos desculpas pelo erro.


Enquanto isso, na PGR...

Marcelo Martinez

MEIO_mm_27jul_560px

Como combater a desinformação em ano de eleição? Para se manter bem informado em 2022, você pode checar as fontes das notícias, pesquisar os processos judiciais e até mesmo falar diretamente com os seus representantes eleitos. Alternativamente, você pode ser assinante premium do Meio e deixar que a gente faça esse trabalho por você. Assine agora pelo preço de um cafézinho.

Viver


A situação do Brasil em relação à varíola dos macacos “é preocupante”, segundo a líder técnica da Organização Mundial de Saúde (OMS) para a doença, Rosamund Lewis. Em entrevista nesta terça-feira, ela também alertou que o país pode ter casos subnotificados pela falta de testes disponíveis. Até esta segunda-feira, o Ministério da Saúde confirmou 813 diagnósticos, deixando o Brasil na sétima posição no ranking de países com mais infectados, atrás apenas de EUA, Espanha, Alemanha, Reino Unido, França e Holanda. São Paulo é o estado com mais contaminados, com 595 casos, seguido de Rio de Janeiro, e Minas Gerais com 109 e 42. No mundo, já são mais de 17 mil pessoas infectadas em 75 países. Após a OMS declarar alerta máximo para a doença neste sábado, o Ministério da Saúde anunciou estar em tratativas para a compra da vacina, que deve ser negociada junto à Organização Pan-Americana de Saúde. (Metrópoles)

Denúncia do Ministério Público Federal (MPF) afirma que o presidente da Fundação Nacional do Índio (Funai), Marcelo Augusto Xavier da Silva, produziu um relatório ilegal de inteligência para perseguir e acusar sem provas nove funcionários da própria organização, um procurador da República, três associações indígenas e outras três pessoas. Segundo o MPF, Xavier sabia da inocência dos acusados, tinha ciência da falta de qualquer ato ilegal dos envolvidos. Mesmo assim, acusou os funcionários, que atuaram em defesa de povos indígenas, de distorcer e manipular informações para retardar o licenciamento ambiental do Linhão de Tucuruí, que atravessaria a terra indígena Waimiri-Atroari, no Amazonas. (Folha)

Apesar de a maioria da população brasileira aprovar a liberação do uso de medicamentos à base da cannabis, uma pesquisa do PoderData divulgada nesta terça-feira mostra uma queda no apoio desse tipo de tratamento médico. O grupo que concorda com o uso medicinal da planta caiu sete pontos percentuais nos últimos seis meses, de 61% em janeiro para os atuais 54%. A aceitação é maior entre homens de 16 a 24 anos com ensino superior. A rejeição ao remédio cresceu 11 pontos no mesmo período, de 26% no início do ano para 37%, com reprovação mais acentuada entre pessoas do Centro-Oeste, com 60 anos ou mais e ensino fundamental. (Poder360)

Cultura


Após atingir o topo da parada no Spotify, a cantora Anitta quebrou mais uma barreira ao se tornar a primeira artista solo brasileira indicada ao Video Music Awards (VMA), concedido pela MTV dos EUA. Ela concorre na categoria Melhor Música Latina por Envolver (YouTube), mesma faixa que a colocou como número um na plataforma de streaming. Anitta, claro, comemorou no Twitter. A divulgação dos ganhadores e a entrega do prêmio acontecem no dia 28 de agosto, em Nova Jersey, nos EUA (UOL)

E a organização do Grammy Latino anunciou que Rita Lee será homenageada pelo conjunto da obra da edição deste ano do prêmio, cuja festa acontecerá no dia 16 de novembro, em Las Vegas. “Rita Lee é uma artista visionária, cuja identidade sonora singular mescla sua veia roqueira e psicodélica com pop, carnaval, bossa nova e latinidades e a coloca entre os artistas que mais venderam discos no Brasil”, disse Manuel Abud, presidente e CEO da Academia Latina da Gravação. (Rolling Stone)

A mobilização dos fãs da Turma da Mônica pegou de surpresa a Maurício de Souza Produções (MSP). Na semana passada, a empresa anunciou, em reportagem da Folha, a criação de novas séries com os personagens mais velhos, mas com elenco diferente dos filmes Laços e Lições e da série que estreou na Globoplay. O público não gostou e abriu uma petição online que se aproxima de 50 mil assinaturas para manter os atores, que, aliás, estão crescendo. Ontem, a MSP respondeu em sua conta no Twitter que está “acompanhando a movimentação nas redes sociais” e que estão escutando.

Começa hoje e vai até o dia 17 de agosto, em formato híbrido, a 11ª Mostra Ecofalante de Cinema, um evento audiovisual com 107 filmes de 35 países com temas socioambientais. Entre os destaques estão os indicados ao Oscar Ascensão, de Jessica Kingdon, e Escrevendo Com Fogo, de Rintu Thomas, além da série inédita Uprising, do premiado diretor Steve McQueen e James Rogan. Haverá ainda homenagem ao diretor e ator Jacques Perrin, retrospectiva dedicada à cineasta Sarah Maldoror, celebração dos 40 anos do filme Koyaanisqatsi, competição latino-americana com 35 títulos e um concurso de curtas-metragens brasileiros assinados por estudantes. A Mostra Ecofalante acontece em 30 cinemas de São Paulo e online, no site oficial.

Cotidiano Digital


Com pausas de contratações e cortes no orçamento, as gigantes de tecnologia enfrentam os ventos desfavoráveis da economia mundial, que corre o risco de uma recessão. E isso também refletiu nos resultados financeiros do segundo trimestre deste ano das companhias. A Microsoft teve o crescimento mais lento desde 2020. A empresa fundada por Bill Gates fechou o período com receitas líquidas de US$ 51,9 bilhões, uma alta de 12% na base anual, mas abaixo das expectativas do mercado, que esperava US$ 52,44 bilhões. A  Alphabet, empresa proprietária do Google, registrou forte desaceleração no trimestre. O lucro líquido foi de US$ 16,43 bilhões, uma queda de 8,3% em relação ao mesmo período do ano passado (US$ 18,525 bilhões). A receita da empresa, porém, também cresceu 13% na comparação anual. (The Verge)

O Twitter convocou seus acionistas para uma reunião e uma votação online sobre a proposta de aquisição feita por Elon Musk. O encontro acontece no dia 13 de setembro e será transmitido ao vivo. Em documento enviado à CVM americana, a rede social recomendou que seus acionistas votassem a favor do acordo. A reunião faz parte da tentativa da companhia de forçar a aquisição, depois que o bilionário desistiu do negócio de US$ 44 bilhões. Enquanto isso, o julgamento do processo contra o empresário na Justiça está marcado para outubro. (The Washington Post)

Meio em vídeo. Pedro Doria e Cora Rónai discutem a polêmica declaração do CEO da Netflix, Reed Hastings, sobre o fim próximo da TV como ela existe atualmente. Será mesmo que os streamings vão enterrar de vez o modelo que dominou as telinhas por décadas? (YouTube)

Um novo jeito de ficar por dentro dos principais assuntos da semana é acompanhando as análises e comentários críticos, mas com leveza, de Mariliz Pereira Jorge no programa De Tédio a Gente Não Morre. Toda sexta às 11h da manhã no nosso canal do Youtube. Veja.





Bem-vindo ao Meio. A assinatura básica é gratuita, comece agora mesmo.



27 de julho de 2022
Consultar edições passadas