Assine o Meio: notícia confiável para quem não tem tempo de ler jornal.





Share Tweet
9 de dezembro de 2016
Consultar edições passadas

9 de dezembro de 2016

Ressaca em Brasília

Ainda que com discrição, o Planalto contou com telefonemas de Fernando Henrique Cardoso e Aécio Neves na ofensiva perante o Supremo pela manutenção de Renan Calheiros na presidência do Senado. E, na quinta, como num repente, se anunciou o nome do deputado tucano Antônio Imbassahy (BA) para o lugar de Geddel Vieira Lima, no Palácio. Nos dias anteriores, não parecia haver qualquer pressa para anunciar substituto.
 
As conversas com o PSDB já aconteciam. Há percepção de que o partido tem uma credibilidade em política econômica que o PMDB não possui. Além do mais, representa votos. Havia hesitação do PSDB, que pretende ter candidato próprio em 2018. Mas um acordo firmou-se e os tucanos, principalmente Aécio, trabalharam.
 
A manobra Imbassahy não deu certo. Ao menos, não por enquanto. O Centrão, grupo político que há um tempo recebia as ordens de Eduardo Cunha, vetou. Ameaçou empacar a Reforma da Previdência. Embora sem líder claro, os deputados em geral desconhecidos compreendem que seu poder está na capacidade de agir em bloco. O cargo de Imbassahy, afinal, é o de articulador do governo no Congresso. (Globo)

De Renan Calheiros, após sua vitória no STF: “A decisão fala por si só. Não dá para comentar decisão judicial. Decisão judicial do Supremo é para se cumprir.” (Globo)

E, após intensas semanas, não ocorreu muito mais em Brasília que não a lida com a ressaca.

Para ler com calma: Fernando Rodrigues explica, no Poder 360, como foi o conchavo para safar Renan. Uma das maiores articulações políticas da história brasileira recente. Em resumo, o presidente Michel Temer convenceu os ministros do Supremo que, sem o senador, o país desmontaria.
 
Para ler com calma: Malu Gaspar, na Piauí, conta a história de duas grandes crises políticas com Calheiros no meio. E conclui: triste o país que precisa salvar alguém como ele para garantir estabilidade.

A Odebrecht informa, na delação premiada, ter pago R$ 2 milhões em dinheiro às campanhas de Geraldo Alckmin para o governo de São Paulo em 2010 e 2014. Entre os que receberam a propina pessoalmente está o empresário Adhemar Ribeiro, irmão da primeira-dama Lu Alckmin. (Folha)

Aliás… a turma da Porta dos Fundos tenta imaginar como é trabalhar na Odebrecht.

Por um erro de endereçamento, a ilustração de Tony de Marco da edição de ontem não apareceu para os sistemas baseados no browser Safari. Isto inclui iPhones, iPads e o Mail do Mac. Dá para vê-la na versão web.

A presidente sul-coreana Park Geun-hye foi afastada de suas funções após o Parlamento votar pela abertura do processo de impeachment. Ela é acusada de ter permitido que uma amiga, ligada a uma seita radical, exercesse substancial influência sobre seu governo.

John Glenn, o primeiro astronauta americano a orbitar a Terra, morreu ontem aos 95 anos. (Estadão)

Cultura

O roteiro é de Leonardo Padura, um dos mais celebrados escritores noir da atualidade. A série: Quatro Estações em Havana, dividida em quatro episódios, baseados em romances seus e todos passados na Cuba imediatamente posterior à queda da União Soviética. O escritor não trabalhou sozinho. Ao seu lado estava Lucia López Coll, sua mulher e uma destacada roteirista. Crimes, instabilidade, ditadura e um espírito alegre do país permeiam as cenas. Na Netflix a partir de hoje (trailer).

Greg Lake, do trio Emerson Lake and Palmer morreu ontem. Ouça os discos no Spotify.

Esta não é uma semana de bons filmes. As estreias de maior impacto foram guardadas para a próxima, que antecede o Natal. Mas há curiosidades. Uma é Southside With You, que por aqui virou Barack e Michelle. A crítica lhe foi inclemente. Narra a história do primeiro encontro entre o presidente americano e sua primeira-dama, na periferia de Chicago (trailer). Para cinéfilos, porém, há uma preciosidade: o Blow-Up de Michelangelo Antonioni. É um daqueles filmes fundamentais. E é raríssimo ter a oportunidade de ver um filme deste quilate no cinema (trailer). Veja, também, os outros lançamentos.

20 discos que fizeram o conceito de álbum voltar a significar algo em 2016.

Dos vídeos divertidos que existem no YouTube: Game of Thrones, a série, tomou imensas liberdades com a aparência das personagens que que estão nos livros. Como, afinal, deveriam ser?

Viver

De um professor brasileiro que foi fazer um estágio na Finlândia: “Fiquei muito impressionado logo de cara em como o ambiente de aprendizagem interfere no processo. Uma das salas das crianças têm bolas em vez de cadeiras — isso as acalma quando estão muito agitadas. Tudo é feito para o aluno gostar de estar em sala de aula. Elas têm sofá, pufe, pia, dá pra escrever em qualquer parede. Há paredes de vidro e em diferentes formatos. Eu me sentia muito confortável lá. Esperava encontrar muita tecnologia, e não é bem assim. Tem o básico, um retroprojetor, iPad em algumas aulas. O importante, no entanto, não é isso.” Não é o único. A BBC reuniu um grupo que foi ver como é o ensino básico por lá e relata seus depoimentos.

Galeria: o fotógrafo Jimmy Nelson retratou, durante quatro anos, as culturas de populações indígenas em todo o mundo.

Cotidiano Digital

A Câmara suavizou o projeto que tornaria ilegal o Uber no Brasil. Não proíbe mais. Limita o número de carros que podem operar, exige a cobrança de taxas e seguros, e impõe identificação externa dos veículos.

A Nubank, principal startup brasileira em finanças, arrecadou R$ 271 milhões numa quarta rodada de investimentos. Apesar da crise. A empresa, nascida em setembro de 2014, quadruplicou de tamanho este ano.

Acaso a Amazon continue crescendo no ritmo atual, poderá se tornar a primeira empresa a valer US$ 1 trilhão ao longo dos próximos anos.

Um guia para homens no Tinder. Escrito por uma mulher. (Em inglês)

Assine o Meio: notícia confiável para quem não tem tempo de ler jornal.





Share Tweet



Consultar edições passadas