Alunos da Unisa recorrem de expulsão por ato obsceno

Receba notícias todo dia no seu e-mail.

Assine agora. É grátis.

Seis dos 15 alunos de medicina expulsos da Universidade Santo Amaro (Unisa) após a viralização de um vídeo com nudez coletiva entraram ontem com um recurso contra a decisão da instituição. O advogado da universidade, Marco Aurélio Carvalho, disse que as expulsões podem ser revistas se os alunos apresentarem “fortes indícios” de que não participaram do ato. O vídeo, gravado no final de abril, mostra alunos de medicina da Unisa correndo pela quadra com as calças arriadas durante uma partida de vôlei feminino. “A expulsão foi um recado poderoso para a sociedade, no sentido de que não vamos aceitar comportamentos que tragam vergonha à comunidade médica e à sociedade em geral. Mas a universidade tem que instaurar o devido processo legal e dar o direito de defesa”, afirmou Carvalho. Já a defesa de dois dos expulsos alega que os alunos eram calouros e foram coagidos por veteranos a se exibirem. (Globo e Folha)

PUBLICIDADE

Encontrou algum problema no site? Entre em contato.