Tarcísio critica greve do Metrô, CPTM e Sabesp e defende privatização

Receba notícias todo dia no seu e-mail.

Assine agora. É grátis.

O governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas, criticou hoje a greve do Metrô e CPTM. A paralisação afetou nove estações e deve durar 24 horas. Além do transporte, a greve inclui trabalhadores da companhia de saneamento Sabesp, que protestam contra os planos de privatização das companhias. “Temos aí uma greve de Metrô, CPTM, uma greve ilegal, uma greve abusiva, uma greve claramente política, uma greve que tem como objetivo a defesa de um interesse muito corporativo. E quem tá entrando em greve tá se esquecendo do mais importante que é o cidadão”, afirmou em pronunciamento no Palácio dos Bandeirantes. Tarcísio, que tem o projeto de privatização como um dos pilares de seu governo, também defendeu as desestatizações. “As linhas que funcionarão amanhã são as privadas. Acho que a gente está indo no caminho certo. E nós não vamos parar.” O governo de São Paulo determinou ponto facultativo em todos os serviços públicos estaduais da capital em razão da paralisação. (g1 e UOL)

PUBLICIDADE

Encontrou algum problema no site? Entre em contato.