FMI projeta aumento da dívida bruta brasileira em 88,1% do PIB para 2023

Receba notícias todo dia no seu e-mail.

Assine agora. É grátis.

O Fundo Monetário Internacional (FMI) projeta que a dívida pública bruta do Brasil suba de 85,3% do PIB em 2022 para 88,1% em 2023. O fundo também prevê que o indicador seguirá em alta nos próximos cinco anos, até bater 96% do PIB em 2028. Os números estão na nova edição do Monitor Fiscal, um dos relatórios que o FMI divulga nesta semana. No documento anterior, publicado em abril, a expectativa era de que o endividamento bruto do país ficasse em 88,4% do PIB neste ano e em 96,2% em 2028. Segundo o FMI, o novo arcabouço fiscal não vai estabilizar a dívida como proporção do PIB nos cinco anos seguintes. Entre os países emergentes, a média da dívida bruta deve ficar em 68,3% do PIB em 2023. De 36 países, o endividamento bruto do Brasil é o terceiro maior, empatado com a Ucrânia, que está em guerra com a Rússia, ficando atrás apenas dos 92,7% do PIB do Egito e dos 89,5% do PIB da Argentina, que está em crise econômica. No âmbito global, o Fundo prevê o endividamento dos países crescendo 1 ponto percentual por ano. Segundo o organismo multilateral, os desafios têm origem na demanda crescente por gastos públicos, que eleva o endividamento e as taxas de juros. (Valor e Correio Braziliense)

PUBLICIDADE

Encontrou algum problema no site? Entre em contato.