Em manifesto, cientistas de vários países se unem para prevenir armas biológicas de IA

Receba notícias todo dia no seu e-mail.

Assine agora. É grátis.

Um grupo de 100 biólogos e cientistas assinaram um acordo defendendo o uso responsável de inteligência artificial para o design de proteínas e contra a criação de armas biológicas que podem ameaçar a humanidade. As proteínas são macromoléculas orgânicas extremamente importantes para os organismos vivos e podem ser encontradas em todos os tipos de células e nos vírus. Os signatários no texto divulgado nesta sexta-feira incluem Frances Arnold, vencedora do Nobel de Química, e pesquisadores de universidades de diversos países, como o Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT), dos Estados Unidos, a Universidade de Osaka, no Japão, e a Universidade de Oxford, no Reino Unido. Outros signatários incluem Eric Horvitz , diretor científico da Microsoft. No documento, a comunidade científica pede que sejam feitas análises de segurança e sobre o potencial de perigos de novos modelos de IA para o design de proteínas e material genético. Por outro lado, eles defendem que a tecnologia seja empregada na engenharia biomolecular para uma resposta rápida no combate à emergências biológicas, como futuras pandemias. (The New York Times)

PUBLICIDADE

Encontrou algum problema no site? Entre em contato.