Segundo parecer, critério para pagar dividendo extra não foi atingido pela Petrobras

Receba notícias todo dia no seu e-mail.

Assine agora. É grátis.

Uma série de documentos confidenciais preparados por técnicos de quatro gerências e submetidos pela diretoria ao conselho da Petrobras mostram que os parâmetros estabelecidos pela própria empresa para pagar dividendos extraordinários em 2022 não foram atingidos em 2023. De acordo com tais parâmetros, nenhum investimento previsto no Plano Estratégico poderia estar em risco por falta de orçamento, a dívida bruta deveria continuar abaixo de R$ 65 bilhões e o grau de confiança no cumprimento da meta deveria ser de 90% de confiança em 24 meses. Resumo desses relatórios a apresentações acessado por Malu Gaspar afirma que essas regras não foram atingidas e que, com o pagamento de R$ 43,9 bilhões em dividendos extraordinários, o grau de confiança do Plano Estratégico cairia para 64%. Os parâmetros são do ano anterior, quando o petróleo estava em alta. Desde então, o preço do barril caiu e a previsão de investimentos subiu, elevando o nível de risco e diminuindo o de confiança. Apesar disso, os técnicos afirmaram que a situação de caixa era confortável. E deixaram claro que, como a regra de 2022 não foi formalizada nos órgãos reguladores ou perante o mercado, o conselho poderia decidir pelo pagamento. (Globo)

PUBLICIDADE

Encontrou algum problema no site? Entre em contato.