Pimenta deixa subordinado na Secom e Lula quer Edinho na presidência do PT

Receba notícias todo dia no seu e-mail.

Assine agora. É grátis.

Embora seja o nome sempre lembrado para assumir a Secretaria de Comunicação do Palácio do Planalto, dessa vez, o prefeito de Araraquara (SP), Edinho Silva (PT), não chegou a ser sondado, de acordo com pessoas próximas, para assumir a secretaria no lugar de Paulo Pimenta (PT-RS), que foi escolhido por Lula para ser a autoridade federal na gestão da crise no Rio Grande do Sul.

PUBLICIDADE

Enquanto se licencia do cargo, Pimenta, segundo interlocutores do Planalto, deixará em seu lugar um de seus subordinados, o atual secretário-executivo da pasta, Laércio Portela. Jornalista pernambucano, Laércio já compôs a comunicação de Lula nos dois primeiros mandatos, e a previsão é de que substitua Pimenta por quatro ou seis meses, ou até quando for necessária a presença do governo federal na recostrução do estado afetado pelas cheias.

Presidência do PT

Edinho, por sua vez, foi sondado por Lula, na semana passada, para a tarefa de presidir o PT, tão logo termine o mandato da atual presidente, a deputada federal, Gleisi Hoffmann (PT-PR), em abril de 2025. O processo de eleição no partido está marcado para início de 2025. O prefeito aceitou o convite de Lula para que seu nome seja apresentado ao partido para substituir Gleisi no comando.

Hoje, Gleisi, por sua vez, se preocupou em desfazer notícias de que a escolha de Pimenta para gerir a crise no Rio Grande do Sul não agradou o PT. Em postagem nas redes sociais, a petista afirmou que foi uma escolha acertada do presidente Lula.

“A atenção e os esforços do ministro Paulo Pimenta foram essenciais para a mobilização da solidariedade e dos recursos federais para o RS nessa tragédia. Faz muito bem o presidente Lula ao nomeá-lo ministro extraordinário para coordenar os trabalhos de emergência e reconstrução do estado”, disse Gleisi.

 

 

Encontrou algum problema no site? Entre em contato.