Redação

Bolsa Família eleva ganho dos mais pobres e evita piora na desigualdade, diz IBGE

Dados da segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua), divulgada nesta sexta-feira pelo IBGE, mostram que o Bolsa Família evitou um aumento na desigualdade de renda no Brasil. O Índice de Gini – um dos principais indicadores de concentração, que vai de 0 a 1, sendo que quanto mais perto de 1, mais desigual é o país – de todos os rendimentos ficou em 0,518 ano passado, exatamente o mesmo valor de 2022. Além disso, o rendimento médio das famílias brasileiras ficou em R$ 1.848 por pessoa por mês, alta de 11,5% ante 2022. Já considerando os 40% mais pobres, houve um aumento de 17,6% para R$ 527 por mês por cada pessoa da família. Quando se considera os 5% mais pobres, o salto foi de 38,5%. Os aumentos expressivos foram diretamente impactados pela reformulação do Bolsa Família, que foi recriado pelo governo federal em março do ano passado. (O Globo)

Tesla faz recall de milhares de Cybertrucks por risco de segurança

A Tesla fará um recall de 3.878 unidades de sua “picape do futuro”, Cybertruck, fabricadas entre novembro de 2023 e abril de 2024. O motivo é o risco de pedais do acelerador ficarem presos em um acabamento interno do carro e, com isso, aumentarem o risco de colisões. Segundo o Departamento de Transportes dos Estados Unidos, um pedal do acelerador preso pode fazer com que o veículo acelere involuntariamente. A fabricante de carros elétricos do bilionário Elon Musk se comprometeu a resolver o problema sem custo adicional para os proprietários do Cybertruck. Lançado no fim do ano passado, a picape custa aproximadamente US$ 96,3 mil (cerca de R$ 505 mil). Os modelos do veículo de aço inoxidável chegaram ao mercado em dezembro do ano passado, após diversos atrasos. (TechCrunch)

Confundida com policial, atriz de ‘L&O:SVU’ ajuda criança em Nova York

E a vida mais uma vez imita a arte. Após quase 25 anos vivendo a detetive Olivia Benson na série Lei & Ordem: Special Victms Unity, a atriz Mariska Hargitay foi confundida com uma policial de verdade e continuou no papel. Ela filmava uma cena em um parque de Nova York quando uma menina, vendo o distintivo em sua roupa, ignorou a equipe de filmagem e a abordou, dizendo ter se perdido da mãe. Hargitay interrompeu a gravação e, durante 20 minutos, ajudou a criança a encontrar a mãe e as acalmou. L&O:SVU, disponível na Netflix, mostra o dia-a-dia de uma delegacia especializada em crimes sexuais contra mulheres e crianças. (UOL)

Ministro israelense é criticado por post nas redes sobre ataque ao Irã

Um dos principais representantes da extrema direita no governo israelense, o ministro da Segurança Nacional, Itamar Ben Gvir, foi criticado por conta de uma publicação no X desdenhando do ataque feito por seu país ao Irã. Ben Gvir publicou apenas uma palavra em hebraico, traduzível como “débil” ou “patético”. Além da crítica em si, a postagem prejudicou a estratégia israelense de não assumir oficialmente o ataque com drones. Yair Lapid, um dos principais líderes da oposição, cobrou a demissão do ministro. “Um ministro nunca havia causado tamanho estrago à segurança, imagem e posição internacional do país. Qualquer outro primeiro-ministro o teria expulsado do gabinete nesta manhã”, escreveu. Mas é improvável que Benjamin Netanyahu siga o conselho, já que o apoio da extrema direita e dos fundamentalistas religiosos garante a coalizão que o mantém no poder. (BBC)

Petz e Cobasi avançam em acordo de fusão

As varejistas de produtos para animais de estimação Petz e Cobasi assinaram um memorando de entendimentos não vinculante para uma possível fusão das empresas. O negócio deve criar o maior negócio de “pet” do Brasil, com uma rede de 483 lojas e faturamento anual de R$ 6,9 bilhões. A nova empresa será igualmente dividida entre os acionistas da Petz e da Cobasi, com os investidores da Petz recebendo R$ 450 milhões após a conclusão da operação. O CEO da nova empresa será Paulo Nassar, hoje o CEO da Cobasi, enquanto o CEO e fundador da Petz, Sérgio Zimerman, será o chairman. O conselho terá 9 membros, com Zimerman indicando 4 e a família Nassar e o Kinea indicando os outros 5. (Brazil Journal)

Valdemar muda o tom e confirma recurso ao TSE contra Moro

A despeito das pressões do ex-presidente Jair Bolsonaro, o presidente do PL, Valdemar Costa Neto, voltou atrás e disse que o partido vai recorrer ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) da sentença manteve o mandato do senador Sérgio Moro (UB-PR). Na segunda-feira, o dirigente disse que sua vontade era “retirar o recurso” e que estava consultando os advogados da legenda nesse sentido, mas ontem confirmou a ação. “Essa retirada não ficaria bem para o partido e teríamos que arcar com a multa. Eu entrei com a ação para defender os interesses políticos do partido e seguirei agindo desta maneira. Tenho que defender os parceiros do PL”, afirmou. Moro foi absolvido pelo TRE paranaense da acusação de abuso de poder econômico nas eleições de 2022. (Globo)

Em meio a crises entre poderes, Lula deixa ministros de sobreaviso para reunião

Os ministros da área política e os líderes do governo no Legislativo estão de sobreaviso para uma reunião de emergência a ser convocada pelo presidente Lula ainda na manhã desta sexta-feira, informam Julia Duailibi e Valdo Cruz. O Planalto está preocupado com a deterioração das relações com o Congresso e a votação de pautas-bomba pelo Legislativo. Na semana passada, o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), referiu-se ao ministro das Relações Institucionais, Alexandre Padilha, como “incompetente” e “desafeto pessoal” e chegou a insinuar a instalação de CPIs prejudiciais ao governo. Paralelamente, avançam no Congresso temas como a PEC do Quinquênio, que dá aumento de 5% a cada cinco anos para integrantes do Judiciário e do Ministério Público, com impacto estimado de $ 42 bilhões nas contas públicas. (g1)

Justiça suspende norma do CFM que restringe acesso a aborto legal

Atendendo a um pedido de Ministério Público Federal (MPF), Sociedade Brasileira de Bioética e do Centro Brasileiro de Estudos da Saúde, a juíza federal Paula Weber Rosito, da 8ª Vara da Justiça Federal de Porto Alegre (RS), suspendeu uma norma do Conselho Federal de Medicina (CFM) que proíbe um procedimento usado por médicos para abortos legais com mais de 22 semanas. A assistolia fetal, técnica que provoca a morte do feto antes da sua retirada do útero, é recomendada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para esses casos, mas foi vetada na resolução do CFM, provocando a suspensão de procedimentos previstos em lei, como atendimentos a meninas estupradas. Em decisão liminar, a juíza afirma que a norma contraria o Código Penal, que não estabelece limite de tempo para a realização do aborto legal. (Folha)

Roseana Murray tem alta de hospital após 13 dias internada por ataque de pitbulls

A escritora Roseana Murray recebeu alta hospitalar nesta quinta-feira, após ficar 13 dias internada e perder um braço e uma orelha ao ser atacada por três pitbulls em Saquarema, na Região dos Lagos, no Rio de Janeiro, no último dia 5. Ela ficou gravemente ferida, passando por cirurgia no hospital estadual Alberto Torres, em São Gonçalo, Região Metropolitana do Rio. Três responsáveis pelos cães chegaram a ser presos no mesmo dia do acidente pelo crime de maus-tratos aos animais, mas conseguiram liberação da Justiça no dia 11. Vencedora de diversos prêmios, como o de Melhor Poesia pela Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil, Roseana tem cerca de 100 livros publicados. (CNN Brasil)

Ibovespa tem leva alta de 0,02%, enquanto dólar sobe 0,12%

Em mais um dia difícil no mercado, o Ibovespa ficou praticamente estável, fechando com leve alta de 0,02%, aos 124.196 pontos. Em Nova York, Dow Jones subiu 0,06%, S&P 500 caiu 0,22% e Nasdaq recuou 0,52%. No câmbio, mais uma alta: 0,12%, a R$ 5,25, puxada pela fala do presidente do Federal Reserve de Nova York, John Williams. Ele afirmou que a situação sólida da economia americana indica que não há motivos urgentes para reduzir os juros no momento. Já o presidente do Banco Central do Brasil, Roberto Campos Neto, ponderou que um cenário com dólar forte “é sempre um problema” e pode gerar reação de bancos centrais pelo mundo. (InfoMoney)