Assine o Meio: notícia confiável para quem não tem tempo de ler jornal.





7 de agosto de 2018
Consultar edições passadas

PT encontra dificuldades em chapa ‘triplex’


Já apareceram os primeiros obstáculos ao projeto petista de sustentar a ‘chapa triplex’, na qual Lula aparece como candidato, Fernando Haddad de vice e Manuela D’Ávila no papel de vice do vice. Tendo pedido à Band que aceitasse Haddad no lugar de Lula no primeiro debate, que ocorre na quinta-feira, o PT ficou sem resposta. É, afinal, um debate entre candidatos a presidente. Não entre vices. Na reportagem que foi ao ar ontem, a TV já excluiu candidato petista.

Segundo o Painel, da Folha, ao anunciar a chapa com três nomes, o partido criou dificuldades para um plano já difícil. Com a chapa Haddad-Manuela já sugerida, o argumento jurídico para emplacar o registro de Lula perante o TSE se torna mais frágil, sugerem os advogados.

Pois é. Os advogados do PT retiraram ontem, do STF, o pedido para soltar Lula. Querem evitar que o tribunal antecipe a discussão sobre sua eligibilidade.

Pedro Venceslau: “Pressionado pelo prazo do TSE para a escolha dos candidatos a vice e pelo PCdoB, o PT foi obrigado a mudar sua estratégia original. Pelo roteiro traçado pelo ex-presidente na carceragem da Polícia Federal em Curitiba, Manuela ficaria na reserva até a efetiva rejeição da inscrição de sua candidatura. Os petistas sabem que isso é inevitável, mas até lá Haddad seria o vice e não se falaria em plano B. O problema é que o PCdoB, aliado do PT em todas as eleições desde 1989, não aceitou. O partido já havia deliberado que só abriria mão da candidatura de Manuela se o nome dela fosse anunciado como vice. O impasse durou até domingo. Na data limite, o PCdoB divulgou que escolhera um vice para Manuela. Em resposta, o PT passou a pressionar o PCdoB em estados onde líderes da legenda comunista são apoiados pelo partido de Lula. Lideranças da sigla disseram que o partido estava sendo vítima de ‘chantagem’, mas acabaram cedendo diante da proposta inusitada da chapa ‘triplex’.” (Estadão)

E... Não custa lembrar, uma observação pescada da coluna de Bernardo Mello Franco: Haddad pode aparecer só com 1% dos votos. Mas, tanto segundo Ibope quanto segundo Datafolha, dois terços dos eleitores de Lula afirmam que votariam ‘com certeza’ em um candidato indicado por ele. (Globo)

Dá uma pista de quem considera o assunto importante: hoje, o seminário GovTech Brasil receberá alguns candidatos a presidente. Os que aceitaram o convite para debater a Agenda Digital do governo — e do país. Aceitaram, e vão: Marina Silva, Geraldo Alckmin, Guilherme Boulos, Henrique Meirelles e João Amoêdo.

A Editora Abril demitirá, até amanhã, pelo menos 500 pessoas. Destas, 171 jornalistas. Inúmeros títulos serão encerrados. Ficam, de acordo com o Meio & Mensagem: Veja, Veja São Paulo, Exame, Quatro Rodas, Claudia, Saúde, Superinteressante, Viagem e Turismo, Você S/A, Você RH, Guia do Estudante, Capricho, Mdemulher, VIP e Placar.

HealthTech


O aparelho desenvolvido por Arnav Kapur, 24 anos e aluno de pós-graduação do MIT, é simples, porém sofisticado. A estrutura impressa em plástico 3D prende na orelha, desce por trás, se esgueira pela parte debaixo do rosto até encontrar apoio no queixo. Tem bateria embutida, alguns cabos e sensores. E lê o pensamento. Veja o vídeo. Kapur pensa ‘Hora’, e o aparelho responde que horas são. No supermercado, vai colocando no carrinho os produtos, e o aparelho vai fazendo a soma. Em silêncio. Ele pensa no Uber — o leitor chama o Uber. E anda pelo menu do Netflix. É que quando lemos em silêncio, ativamos os músculos da fala. Não chegam a produzir sons de palavras, mas os micromovimentos iniciais estão lá. É porque pronunciamos cada palavra silenciosamente, aliás, que não conseguimos ler mais rápido. E são estes micromovimentos faciais que o aparelho detecta. Por isso mesmo, é preciso conscientemente dar uma ordem para que ele faça algo. Os pensamentos privados estão seguros. Foi batizado AlterEgo, já funciona, mas por enquanto é um protótipo com vocabulário de umas 100 palavras, não mais. O potencial na medicina é imenso. Pode devolver a pacientes com Esclerose Lateral Amiotrófica ou derrames a capacidade de falar. Ou concedê-la a mudos. Servir de memória a quem tem Alzheimer. A Escola de Medicina de Harvard acompanha o projeto.

HandTalk é um app que fala Libras — a linguagem brasileira de sinais. Ele lê o texto capturado numa fotografia, ouve e traduz em tempo real o dito, como interpreta o SMS, quando surdos não sabem ler. Não é o único app do tipo — há outros. Livox, brasileiríssimo, fala o que está escrito. Mas vai além disso: instalado em tablets, ajuda a ensinar quem tem dificuldades. Sejam motoras, sensoriais ou mesmo cognitivas. É um aplicativo que se adapta e aprende, via inteligência artificial, quais as dificuldades do usuário para ajuda-lo a dar os passos seguintes.

O mundo médico americano está de olho em Atul Gawande, um cirurgião célebre como autor de best-sellers, que foi escolhido para CEO da empresa de saúde fundada pela Amazon (Jeff Bezos), Berkshire Hathaway (Warren Buffett) e pelo banco JP Morgan Chase. A empresa, independente, tentará criar um seguro de saúde baseado em tecnologia que consiga reinventar o sistema de custos e, assim, reinventar o próprio negócio. Gawande escreveu um paper com uma proposta para ganhar o cargo. Ninguém, além dos contratantes, leu ainda o documento que mostra sua visão.

Cotidiano Digital


Em resposta ao Ministério Público Federal de Goiás, o Facebook tornou pública a lista de 196 páginas políticas brasileiras que retirou de sua rede. Também informou os códigos dos 87 perfis expurgados, mas não é possível indentificá-los pelos nomes. Segundo a empresa californiana, o conjunto fazia parte de uma rede baseada em perfis falsos, que escamoteava para muitos leitores sua verdadeira origem, e assim manipulava a informação. O Facebook não explicou como chegou a esta informação. Em PDF.

Aliás... Nos EUA, foi uma limpa. Facebook, Apple, YouTube e até o Spotify excluíram de suas plataformas páginas, canais e podcasts de Alex Jones, da Inforwars, um dos principais teóricos da conspiração vindos da direita radical. O Vale considera que ele promove discurso de ódio e intolerância a grupos de pessoas por conta de suas características.

Agora, não é mais beta. Entrou no ar Android Pie, a versão 9 do sistema de celulares do Google. Traz algumas novidades. Aprende que apps você usa mais e, portanto, é neles que concentra o uso de bateria, não gasta com o resto. Idem para iluminação: entende quanto brilho você gosta em que momento. É neste Android, também, que aparecerá o recurso de Bem-Estar Digital. Os ajustes que permitem delimitar tempo máximo de uso diário para certos apps, como os de redes sociais ou games. Aparecerá, ainda não está pronto. Quem já tem Android Pie instalado pode se inscrever para baixar a versão Beta do Bem-Estar Digital.

Viver


O que faremos nos próximos dez a vinte anos determinará se nosso planeta continuará sendo um bom hospitaleiro para a vida humana ou se fará um caminho irreversível — o que os cientistas chamam em um novo estudo de condições de ‘Hothouse Earth’. A temperatura média global será de quatro a cinco graus Celsius maior (em regiões como o Ártico, a média será 10 graus mais elevada). Os níveis do mar serão de 10 a 60 metros mais altos, porque boa parte do gelo do planta derreterá. Nestas condições, grandes partes da Terra seriam inabitáveis. E o principal: cortar as emissões de carbono para limitar a mudança climática a 2ºC, como proposto no acordo climático de Paris, não é o suficiente para impedir que isso aconteça.

Aliás... Um outro estudo mostrou que crianças pequenas são muito mais vulneráveis a desastres relacionados ao clima. As ondas de calor, por exemplo, ampliam o potencial alcance de muitas doenças transmitidas por vetores, além de exacerbar os alérgenos e a poluição do ar, o que afeta as crianças mais gravemente do que os adultos por conta de seus sistemas respiratório e imunológico subdesenvolvidos. Além disso, elas são mais propensas à desidratação e estresse por calor.

Nos Estados Unidos, as mulheres são menos propensas que os homens a sobreviver nos anos após um ataque cardíaco. E de acordo com um novo estudo, isso se deve em parte à maneira como as mulheres são tratadas, mas também ao gênero dos médicos que as tratam. Pois é. Pesquisadores americanos constataram que as mulheres vítimas de ataques cardíacos têm mais chance de sobreviver se forem tratadas por médicas. E mais: as taxas de mortalidade das pacientes atendidas por homens diminui conforme eles tratam de mais mulheres, e especialmente se trabalham em hospitais com mais médicas. Pode ser que isso aconteça porque as mulheres se sintam mais à vontade para explicar seus sintomas a elas, que, por sua vez, são mais propensas a conectar esses sintomas a ataques cardíacos. É que eles se manifestam de maneiras diferentes nas mulheres, que acabam demorando mais para procurar ajuda e, muitas vezes, são dispensadas sem diagnóstico.

Morreu ontem o chef francês Joël Robuchon, o cozinheiro com mais estrelas Michelin da história — cerca de 30. Membro da Legião de Honra e apaixonado pelas culinárias japonesa e espanhola, ele faleceu devido a um câncer, em Genebra, aos 73 anos.

Sua receita mais famosa? O melhor purê de batatas do mundo. (Estadão)

Flávia Quaresma: “O Robuchon colocou o purê de batata em outro patamar. Era era um perfeccionista, um detalhista, apaixonado pela gastronomia. O maior legado que ele deixa é ter acabado com a barreira entre a cozinha e os clientes. Com o L`Atelier, pela primera vez os cozinheiros trabalhavam no balcão aberto, diante de todos. Ele tirou o chef da clausura.” (Globo)

Cultura


Zé Neto & Cristiano viraram os artistas mais ouvidos do YouTube no Brasil. Os sertanejos superaram Marília Mendonça e dispararam no topo da lista. No Spotify, eles também ocupam cinco das primeiras 50 posições brasileiras. O G1 examinou as faixas da dupla e mediu o sofrimento, a bebedeira e a percussão de bachata sertaneja nos principais hits.

E a Vogue teve sua primeira capa fotografada por um negro. É de Beyoncé pelas lentes de Tyler Mitchell, que aos 23 anos também é um dos mais jovens fotógrafos a clicar uma capa da revista. A escolha foi da própria cantora, que veste grifes como Louis Vuitton, Valentino, Gucci e Dior no ensaio, acompanhado de um texto em primeira pessoa em que ela discorre sobre experiências pessoais.

O historiador Matthew Landrus, pesquisador da Universidade de Oxford especializado em História da Arte, afirma que o quadro Salvator Mundi, atribuído a Leonardo da Vinci e leiloado em novembro do ano passado pelo valor recorde de US$ 450 milhões, não é da autoria do artista italiano. Segundo ele, Bernardino Luini, assistente do estúdio de da Vinci, é o autor principal da pintura. (Globo)





Bem-vindo ao Meio. A assinatura básica é gratuita, comece agora mesmo.




7 de agosto de 2018
Consultar edições passadas