Ainda não é assinante? Assine. Não custa nada.

 
 


28 de fevereiro de 2019
Consultar edições passadas

21 políticos na lista da OAS


A empreiteira OAS, por meio um departamento clandestino em sua estrutura, pagou cerca de R$ 125 milhões na forma de propina ou como caixa dois de campanha a 21 políticos de oito partidos entre 2010 e 2014. A revelação foi feita por funcionários desse setor secreto, chamado Controladoria de Projetos Estruturados, em delação premiada homologada pelo STF. Entre os acusados de receber propina estão o senador Jaques Wagner (PT-BA), o ex-governador mineiro Fernando Pimentel (PT-MG), o ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (MDB-RJ) e o ministro do TCU Vital do Rego. Já na lista dos que teriam recebido dinheiro irregular para campanha aparecem o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), o senador José Serra (PSDB-SP), o hoje deputado Aécio Neves (PSDB-MG), o ex-governador do Rio Sérgio Cabral (MDB), o ex-prefeito carioca Eduardo Paes (MDB) e o ex-senador Lindbergh Faria (PT-RJ). A amplitude do esquema da OAS pode dar força à aprovação do pacote anticrime do ministro Sérgio Moro. (Globo)

Em tempo, levantamento do G1 mostra que 10% dos atuais deputados federais são réus em algum processo criminal.

Citado no esquema da OAS, Sérgio Cabral segue entregando ao MP sua rede de propinas. Ele confessou ter combinado com cúmplices versões a serem apresentadas à Justiça, afirmou que o esquema já existia em governos anteriores e ainda admitiu desleixo com a contabilidade da propina.

A insinuação de Cabral sobre o envolvimento da Arquidiocese do Rio em desvios de contratos de organizações sociais traz de volta a lembrança de casos de falcatruas na igreja fluminense. Até hoje, ninguém foi punido. (Época)

Época traz em sua edição impressa, no momento disponível somente via app, denúncias que ligariam a Igreja Católica à Lava-Jato.

E a Justiça de São Paulo encerrou processo contra o ex-prefeito Fernando Haddad no qual ele era acusado de corrupção e lavagem de dinheiro. O próprio MP reconheceu que a acusação falhou na descrição do crime e não tinha elementos que justificassem o processo. (Estadão)

Sem uma base segura no Congresso e com a necessidade de aprovar a reforma da Previdência e o pacote anticrime, o presidente Jair Bolsonaro se reuniu com líderes políticos e se comprometeu com a nomeação de cargos no segundo escalão nos estados por indicação dos deputados e com a liberação de emendas sem contingenciamento. Os deputados reclamam do difícil acesso ao Executivo e da concentração no novato PSL de cargos importantes, como as lideranças do governo na Câmara e no Congresso e a presidência da CCJ. (Folha)

Enquanto corteja outros partidos, Bolsonaro procura isolar no PSL a ala ligada ao presidente da legenda, Luciano Bivar, acusado de envolvimento com candidaturas laranja para desvio de verbas. (Folha)

E a Polícia Federal abriu inquérito para apurar o uso de laranjas pelo PSL mineiro.

Deputados da própria base governista deixam claro que a reforma da Previdência não vai passar do jeito que veio do Executivo. Entre outras flexibilizações, eles pretendem mexer nas novas regras para aposentadoria rural. Os parlamentares rejeitam a cobrança mínima de R$ 600 por ano aos agricultores, que hoje pagam de acordo com a venda de sua produção. Apesar desse movimento, o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, acredita que a reforma seja aprovada até junho. (Folha)

Um ponto da reforma promete provocar reações no funcionalismo: a limitação das gratificações hoje incorporadas aos benefícios. Pelas regras atuais, os servidores se aposentam com o último salário da ativa, incluindo essas gratificações. O texto no Congresso também busca impedir que os salários sejam inflados no fim da carreira para aumentar a aposentadoria. A medida atinge principalmente os funcionários de estados e municípios. (Globo)

Escalado pelo pai para defender a reforma nas redes, Carlos Bolsonaro, foi alvo de ataques por internautas. Mais da metade das respostas ao vídeo que postou sobre o tema foi negativa, revela Mônica Bergamo. (Folha)

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, disse que sua comitiva foi atacada ontem por militantes do MST e do PCO em Porto Seguro (BA), após a cerimônia de concessão do Parque Nacional Pau Brasil. O grupo, segundo o ministro, cercou e bateu no carro onde ele estava, quebrando os vidros. Salles postou no Instagram uma foto do estrago. (Estadão)

A tragédia de Brumadinho, que matou 179 pessoas e deixou 131 desaparecidos, custou à Vale a perda do grau de investimento da agência de classificação de risco Moody’s. A mineradora foi rebaixada de Baa3 para Ba1, com perspectiva negativa, o que indica a chance de novas quedas. A classificação de risco é um indicador importante na hora de atrair investimentos e conseguir financiamentos. Ontem também o ministro do STJ Nefi Cordeiro mandou soltar oito funcionários da Vale presos desde o dia 15.

Além das vidas humanas, o rompimento da barragem da Vale provocou um genocídio ambiental. Estudo da Fundação SOS Mata Atlântica não encontrou qualquer sinal de vida ao longo de 305 quilômetros do rio Paraopeba e de seus afluentes. (Globo)

Após quatro anos de prejuízos, em grande parte devido a escândalos de corrupção, a Petrobras fechou 2018 com lucro de R$ 25,8 bilhões, segundo balanço divulgado ontem. A empresa atribuiu o resultado à melhora do lucro operacional e do resultado financeiro, com a redução do endividamento nos últimos anos.

O ministro da Justiça, Sérgio Moro, virou alvo de grupos de direita por nomear a cientista política Ilona Szabó para uma suplência no Conselho Nacional de Política Criminal e Penitenciária (CNPCP). Ela é uma crítica ferrenha da liberação de armas e já defendeu a descriminalização das drogas e do aborto. (Estadão)


Donald Trump orientou seu então advogado Michael Cohen a mentir durante a campanha eleitoral de 2016 sobre negócios imobiliários na Rússia, fazer pagamentos ocultos para calar a boca de amantes do então candidato e ameaçar centenas de pessoas e organizações que incomodavam o hoje presidente. As acusações foram feitas por ninguém menos que o próprio Cohen, em depoimento nesta quarta ao Congresso dos EUA. O advogado foi condenado a três anos de prisão por suborno, evasão de divisas e perjúrio, crimes que afirma terem sido instigados por Trump.

Pelo Twitter, o presidente, que está no Vietnã, procurou desqualificar Cohen, dizendo que era apenas um dos muitos advogados que o representaram e que mente para diminuir seu tempo na prisão. O depoimento ofuscou a reunião de cúpula entre o americano e o ditador norte-coreano, Kim Jong Un em Hanói. O encontro, aliás, terminou antes do previsto e sem qualquer acordo.

Num dos intervalos do depoimento, a Câmara, de maioria democrata, aprovou por 240 a 190 votos um projeto que amplia a exigência de checagem de antecedentes na venda de armas em feiras e pela internet. É a primeira lei em anos a endurecer o controle sobre o comércio de armamentos.

Já está em Brasília o líder oposicionista e autoproclamado presidente interino da Venezuela, Juan Guaidó. Ele chegou na noite de ontem, vindo de Bogotá, em um jato da Força Aérea Colombiana e se reúne hoje com Jair Bolsonaro para discutir ações contra o regime de Nicolás Maduro. Enquanto isso, Caracas tenta lutar contra o isolamento. O chanceler venezuelano Jorge Arreaza propôs na ONU uma reunião de cúpula entre Maduro e Trump, mas representantes de 20 países, incluindo os EUA, sequer quiseram ouvi-lo, deixando o encontro antes do discurso.

Cotidiano Digital


No dia em que a franquia completou 23 anos, a Nintendo anunciou dois novos jogos Pokémon para o console híbrido Switch. Sword e Shield devem chegar ao mercado até o final deste ano e se passam em Galar, uma nova região do universo Pokémon inspirada no Reino Unido. Os fãs ganharam mais um presente: a Nintendo também revelou três pokémons iniciais da oitava geração: Grookey (macaco de grama), Scorbunny (coelho de fogo) e Sobble (lagarto de água). Confira o trailer dos novos jogos.

A cobrança de uma taxa diária equivalente a R$ 0,20 para usar redes sociais e transferir dinheiro online fez com que Uganda perdesse 2,5 milhões de usuários de internet. A ideia do governo era aumentar a arrecadação, mas especialistas dizem que o resultado pode ser inverso. Opositores também veem na medida uma tentativa de restringir a liberdade de informação. O ultraconservador presidente Yoweri Museveni chegou a dizer que o imposto dera uma forma de lida com “fofocas online”.

A Apple confirmou nesta quarta-feira a demissão de 190 funcionários, todos em áreas de engenharia, envolvidos no Projeto Titã, nome do programa da empresa para desenvolver um carro autônomo. Os cortes, que acontecerão nas unidades de Santa Clara e Sunnyvale, já vinham sendo especulados desde o início do ano. Ainda não está claro o impacto que a reestruturação terá sobre o projeto.

Viver


Alegando “razões técnicas”, o MEC voltou atrás no pedido a escolas para que gravassem vídeos dos alunos cantando o Hino Nacional. Já havia um movimento de estudantes em todo o país para enviar ao ministério filmagens denunciando condições precárias nas escolas.

China e Índia, quem diria, ajudaram o mundo a se tornar mais verde, segundo estudo de imagens feitas ao longo de vinte anos por satélites da NASA. Na China, por exemplo, o governo vem implementando programas de conservação e expansão de florestas para combater a erosão do solo. Já a Índia vem ampliando suas áreas agrícolas ‘verdes’, nas quais o cultivo é feito junto com a vegetação de florestas. Os responsáveis pela pesquisa alertam, porém, que essa expansão não é suficiente para compensar o desmatamento e a destruição da biodiversidade em florestas tropicais de Brasil e Indonésia. (Época Negócios)

Condenado na Austrália por estupro e atos indecentes contra crianças, o cardeal George Pell construiu sua reputação como um intransigente defensor da moral e dos bons costumes. Tesoureiro do Vaticano e conselheiro do Papa Francisco, Pell não poupava nem a cúpula da Igreja, a quem acusava de “ter medo de reforçar o ensinamento rígidos de Cristo” sobre moralidade e sexo. Um de seus alvos preferidos era a homossexualidade. “A atividade homossexual é mais perigosa que o tabagismo”, chegou a declarar. As vítimas do cardeal, que ainda aguarda sentença e já avisou que vai recorrer, eram meninos de 13 anos.

Cultura


A Disney está mais perto de fechar a compra da Fox por US$ 71,3 bilhões. Para realizar o negócio, a empresa aceitou a exigência do Cade de vender o Fox Sports. A aquisição faria a Disney monopolizar o mercado, já que o grupo também é dono da ESPN, que tem quatro canais no Brasil. O grupo Fox também será obrigado a vender os direitos de transmissão dos canais Fox Sports — além da Copa Libertadores da América, campeonatos internacionais, provas de automobilismo e eventos de luta devem ser incluídos na venda.

O Museu de Arte Moderna de Nova York, o MoMA, adquiriu sua primeira pintura da brasileira Tarsila do Amaral. A Lua faz parte da fase antropofágica de Tarsila (1928-1930) e foi pintada depois de uma das produções mais famosas da pintora, Abaporu. É um dos quadros favoritos do escritor Oswald de Andrade, com quem foi casada. Na avaliação de especialistas, a operação deve agregar mais valor à obra da artista. (Folha)

Dezembro de 2022. É quando deve chegar aos cinemas Aquaman 2, a sequência do filme protagonizado por Jason Momoa que arrecadou US$ 1,13 bilhão no mundo todo — a quinta maior bilheteira do ano passado.





Bem-vindo ao Meio. A assinatura básica é gratuita, comece agora mesmo.




28 de fevereiro de 2019
Consultar edições passadas