Assine o Meio: notícia confiável para quem não tem tempo de ler jornal.



16 de dezembro de 2019
Consultar edições passadas

Brasil, EUA e Austrália obstruem e COP-25 fracassa


A COP-25, encerrada na noite de ontem em Madri, foi a pior em um quarto de século de negociações climáticas organizadas pela ONU. “Estou desapontado com os resultados”, publicou no Twitter o secretário-geral António Guterres. “A comunidade internacional perdeu uma oportunidade importante para demonstrar maior ambição no enfrentamento da crise.” A reunião era para ter sido encerrada na sexta-feira, mas foi estendida. Os delegados se queixaram da postura de EUA, Brasil e Austrália, que se dedicaram a obstruir as negociações. Uma coalizão de pequenas ilhas, com pouco poder político, mas particularmente ameaçadas pelos aumentos do nível de oceanos, publicou um documento se manifestando chocadas com o resultado. A distância entre o alarme de cientistas e a postura dos líderes políticos mundiais nunca esteve tão grande. (New York Times)

O documento final aumenta a ambição das metas para 2020 com vistas a cumprir o Acordo de Paris, cujo objetivo é impedir que a temperatura média do planeta suba acima de 1,5°C quando comparado a níveis pré-industriais. Ambientalistas ficaram frustrados com o conteúdo do texto, intitulado Chile-Madri, Hora de Agir, que está longe de responder firmemente à urgência do tema, conforme reivindicado pela ciência e pela sociedade civil. O Brasil não aceitou dois parágrafos incluídos no acordo sobre oceanos e uso da terra, inicialmente. O texto final prevê que os países terão que apresentar, em 2020, compromissos mais ambiciosos para reduzir as emissões para enfrentar as mudanças climáticas na próxima cúpula, que será realizada em Glasgow, na Escócia, em novembro de 2020. São as chamadas Contribuições Nacionais Determinadas. “Essa COP, que era a COP da ambição, deixou toda ação e toda ambição para o próximo ano”, se queixou Carlos Rittl, secretário-executivo do Observatório do Clima. (Globo)

De sua parte, o ministro do Meio Ambiente brasileiro Ricardo Salles provocou. Publicou no Twitter a fotografia de um naco de carne assando na chapa de ferro — “Para compensar nossas emissões na COP”, registro, “um almoço veggie”. (Twitter)

Pois é... Conflitos e retrocessos marcaram a presença do Brasil na COP-25. (G1)

A guerra comercial entre China e Estados Unidos pode estar esfriando. Os chineses cancelaram a implementação de novas tarifas, que deveria acontecer ontem, sobre produtos como milho, trigo, veículos e peças de carros americanos. As outras tarifas chinesas que já passaram a incidir serão mantidas. Mesmo assim, a medida já é um primeiro passo e é reflexo da primeira fase de negociação entre os países para resolver a disputa comercial. Os americanos concordaram em reduzir gradativamente suas própria tarifas enquanto os chineses se comprometeram a aumentar a importação de energia, produtos agrícolas e farmacêuticos, além de serviços financeiros dos EUA. (G1)

Os argentinos terão que pagar um imposto de 30% sobre compras em dólares no exterior. A medida incluirá compras de passagens e pagamentos de serviços baseados em outros países — o que inclui as plataformas de streaming. A medida faz parte de uma série de decretos emergenciais feitos pelo novo governo de Alberto Fernández para combater a economia estagnada. (Folha)


Bolsonaro vetará o trecho do pacote anticrime que triplica a pena para crimes contra a honra praticados na internet — injúria, calúnia e difamação. O pacote, aprovado na semana passada pelo Senado, ainda deve ter vetado, a pedido do ministro Sergio Moro, a criação do juiz de garantias e as alterações nas regras para a aplicação de prisão preventiva. As duas propostas não estavam previstas no projeto inicial do Moro e foram incluídas na Câmara. O Congresso pode derrubar os vetos presidenciais. (Estadão)

Eduardo Villas Bôas, ex-comandante do Exército: “No final do governo militar, o Exército voltou para os quartéis, teve sua atuação de perfil bem baixo. Eu tinha preocupação de manter isso, mas me dei conta de que a sociedade e as elites estavam se desacostumando a ouvir o Exército e as Forças Armadas. Havia até um patrulhamento em relação a isso. Mas considero que é legítimo as Forças Armadas se pronunciarem para participar da discussão em tudo que diz respeito à segurança e Defesa. Temos que distinguir bem os militares que estão no governo do Exército. O atual comandante do Exército, general Edson Pujol, tem adotado postura muito adequada de baixo perfil. Isso faz marcar bem o espaço que existe entre governo e Exército. É interessante observar que, apesar da quantidade relativa de militares no governo, ela não resulta influência direta sobre o presidente.” (Globo)

O governo brasileiro inaugurou ontem um escritório comercial em Jerusalém. A abertura do novo espaço foi uma saída diplomática para o recuo dado pelo presidente Jair Bolsonaro na promessa de transferir para lá a embaixada brasileira em Israel. Jerusalém, a Cidade Santa, é o principal palco de conflito entre israelenses e palestinos. O governo do premiê Benjamin Netanyahu gostaria de transformar a cidade na capital política do país mas, por enquanto, só conseguiu convencer os EUA de Donald Trump a fazer a transferência de seu posto diplomático. Presente na inauguração, o deputado federal Eduardo Bolsonaro prometeu ao premiê que, no ano que vem, a embaixada será transferida.

O governo estuda um pacote de medidas para derrubar o preço das passagens aéreas, em 2020. A principal mudança será a de um corte de 20% no preço do querosene, acabando com a incidência de PIS/Cofins e quebrando a concentração de fornecedores do combustível. O objetivo é atrair novas empresas aéreas, aumentando a concorrência. (Estadão)

72% dos cariocas reprovam a gestão do prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella. A taxa é a maior para um prefeito da cidade. Em pesquisa da Datafolha, o principal problema apontado foi a saúde, que vive crise financeira. O político ligado à Igreja Universal, que pretende uma reeleição, só tem 8% das intenções de votos. Enquanto, o ex-prefeito, Eduardo Paes, e o deputado federal, Marcelo Freixo, lideram com 22% e 18%, respectivamente. (Folha)

O presidente Jair Bolsonaro afirmou que ‘gosta’ do Crivella, mas que ainda não irá anunciar apoio a nenhum candidato. (Globo)

Viver


Debora Diniz, antropóloga, e Giselle Carino, cientista política, sobre a ‘pirralha’: “O presidente Jair Bolsonaro foi o primeiro a ventilar seu ressentimento à menina Greta, ‘é só uma pirralha’, disse ele. Trump retrucou ‘Greta precisa controlar sua raiva’. Parece ser mesmo insuportável aos patriarcas olhar uma menina miúda, de olhos firmes, e serem obrigados a silenciar-se diante de um how dare you?. Como Greta, nós também acreditamos que ‘vivemos em um mundo estranho. Para nós, o mais estranho é que a rejeição ao debate político não se dá por argumentos, mas por “cancelamento” ou “apagamento” de pessoas. Há uma personificação do ódio — é a menina com deficiência que se torna o alvo de quem ignora a crise climática. O mesmo ocorre com defensores de causas feministas, anti-racistas ou de direitos humanos — são pessoas ameaçadas por ousarem desafiar a normalidade de uma ordem política desigual. O cancelamento dos mensageiros da democracia é uma das características do esvaziamento do político pelo ódio e, mais temerosamente, como diria Hannah Arendt, um forte sinal de fumaça das políticas fascistas de banalidade do mal.” (El País)

Mas afinal... o que é a Força de Star Wars? Na saga criada pelo cineasta George Lucas, a filosofia é vista de maneira distinta. Os Jedis são guerreiros do lado da Luz da Força, o qual prega a paz, conhecimento e defesa. Já os Sith entendem que o lado Sombrio é sobre poder, tendo a ganância e a maldade como pilares. Para criar o conceito da Força, Lucas usou referências de tradições orientais e ocidentais. Uma delas é o Taoismo, filosofia chinesa pautada na harmonia — o Yin-Yang, em que a luz e a escuridão dependem de si para existirem. (Galileu)

Uma playlist para relaxar e manter o foco nessa segunda decisiva antes das festas de fim de ano.

Uma nova espécie de lula foi descoberta recentemente nas águas tropicais de Okinawa, no Japão, segundo estudo publicado na revista Communications Biology. A equipe que participou da descoberta é do Instituto de Ciência e Tecnologia (OIST) da Universidade de Okinawabatizou e batizou a espécie de Euprymna brenneri, em homenagem a Sydney Brenner, um dos fundadores da universidade. A descoberta da espécie pode ajudar a entender algo que intriga a ciência há tempos: o complexo sistema nervoso desses moluscos.

Cultura


Ascânio Seleme: "Não há na História da humanidade uma civilização que tenha se destacado no tempo, restado na lembrança dos seus povos e nos livros de História como paradigma, sem ter aliado à sua jornada política uma produção cultural exuberante" (O Globo).

E a beleza negra domina concursos. A jamaicana Toni-Ann Singh, de 23 anos, venceu o Miss Mundo e foi coroada na noite de sábado. É a 1ª vez em que os 5 principais concursos de beleza dos EUA e do mundo têm representantes negras como misses ao mesmo tempo.

Fãs pelo mundo já se preparam para uma das principais estreias do ano. Star Wars Episódio IX – A Ascensão Skywalker, que estreia na quinta-feira em torno de 2 mil salas, talvez mais, é o fim da saga, a batalha das batalhas.  J.J Abrams, o poderoso chefão por trás dos últimos filmes, foi responsável pelas séries Alias, Fringe e Lost, depois migrou para o cinema e deu nova vida às franquias Missão: Impossível, Star Trek e, claro, Star Wars, assumindo a terceira trilogia da saga. Ele diz que, apesar de todo o potencial de novas etapas de Star Wars nas telas, não se vê tocando outros filmes da franquia.

J.J. Abrams, diretor: “Pra mim já deu. Fico muito feliz de ter estado envolvido com tudo isso. O principal desafio dessa conclusão era contar uma história que fizesse justiça a tudo que foi produzido em mais de 40 anos. Tínhamos pouco mais de duas horas para dar a cada personagem uma despedida marcante. Para manter vivo o espírito de cada personagem.” (Folha)

Oscar Isaac, ator que estourou com os irmãos Coen no longa Llewyn Davis, e intérprete de Poe Dameron em Star Wars.“Os Coen são autores, grandes cineastas. Seus roteiros são maravilhosos. Mas, apesar da grandiosidade, JJ também é autor. Como ator, me adapto a cada universo. Fazer parte do universo Star Wars ultrapassa toda expectativa”. (Estadão)

E por falar... a Porsche criou uma nave inspirada no universo Star Wars e em modelos da montadora. Batizada de "Tri-Wing S-91X Pegasus Starfighter", a nave, que tem cerca de 1,5 metros de altura, será exibida ao público em tamanho natural, durante a estreia do filme.

Cotidiano Digital


O WhatApp vai começar a levar à justiça as empresas que espalham spam pela rede. Sem definir quais seriam os argumentos legais, a plataforma disse que começará a processar quem realizou disparos feitos antes de dezembro deste ano. O período pode incluir empresas envolvidas nas campanhas políticas de 2018. O WhatsApp afirmou que poderá considerar informações que tenham circulado pelo app e também coletadas fora. O aplicativo vem sofrendo diversas mudanças para impedir que os usuários propaguem notícias falsas. (UOL)

O Google já tem mapeado 98% da áreas habitadas do mundo. O Google Street View tem imagens de 16 milhões de quilômetros. Enquanto, o Google Earth tem 36 milhões de metros quadrados no seu banco de dados. Os números colocam a empresa bem a frente de seus concorrentes, como a Apple, que começou agora a mapear os locais.





Bem-vindo ao Meio. A assinatura básica é gratuita, comece agora mesmo.



16 de dezembro de 2019
Consultar edições passadas