Assine o Meio: notícia confiável para quem não tem tempo de ler jornal.





20 de dezembro de 2019
Consultar edições passadas

Flavio Bolsonaro apela ao STF para barrar investigações


Foi em menos de um dia — a Defesa do senador Flávio Bolsonaro entrou com pedido de habeas corpus no Supremo para tentar impedir o prosseguimento da investigação sobre desvio de dinheiro público em seu gabinete na Assembleia Legislativa do Rio. A análise do caso, que tramita sob sigilo, ficará a cargo do ministro Gilmar Mendes. O filho Zero Um pode ter mais chances de obter uma vitória no Supremo e paralisar novamente as investigações se a análise ocorrer durante o período do recesso — sob comando de Dias Toffoli e Luiz Fux. Ambos já deram liminares que o beneficiaram. (Estadão)

Enquanto isso... Bolsonaro, o presidente, tirou o corpo fora e afirmou “não ter nada a ver” com a investigação. Mas em conversa por WhatsApp em 2017, Fabrício Queiroz, ex-assessor de Flávio, indica que integrantes da família tinham conhecimento e estavam preocupados com o fato de uma das assessoras nomeadas ser casada com o miliciano Adriano Magalhães da Nóbrega. Flávio sempre negou que soubesse e chegou a responsabilizar Queiroz pela nomeação de Danielle Mendonça da Costa. Ela trabalhou no gabinete até o ano passado e teria repassado R$ 203 mil ao ex-assessor por meio de duas pizzarias controladas por Adriano.

A suspeita do MP é de que o filho Zero Um lavava o dinheiro arrecadado na rachadinha comprando e vendendo apartamentos e em sua loja da Kopenhagen. Ele teria lavado até R$ 1,6 milhão no estabelecimento. E os depósitos coincidiam com datas de recolhimentos feitos por Queiroz. (Folha)

Flávio rebateu as acusações em vídeo.

Pois é. No vídeo, Flávio sugere que por trás das investigações está o governador fluminense Wilson Witzel, alvo favorito mais recente da família. Mas não é só dele que o presidente desconfia. Seu ministro da Justiça, conta Tales Faria, “anda muito esquisito”, tem dito Bolsonaro. (UOL)

Vera Magalhães: “O fechamento do cerco fez com que ganhasse corpo a ideia de tirar a Polícia Federal da alçada do ministro Sérgio Moro. É isso que explica a discussão, extemporânea aparentemente, de se recriar o Ministério de Segurança Pública, que existia sob Michel Temer e foi extinto justamente para concentrar atribuições e poderes em torno de Moro. A ideia de Jair Bolsonaro é designar para o Ministério de Segurança, caso a ideia prospere, o amigo e ex-deputado Alberto Fraga, expoente conhecido da ‘bancada da bala’ e um dos maiores propagandistas da política armamentista defendida por Bolsonaro, da qual Moro é crítico. A possibilidade de que o caso Queiroz atinja Bolsonaro e a família, o que levaria a PF a ser acionada, explica a pressa em tirá-la da alçada de Moro e colocá-la sob o comando de alguém mais próximo de Bolsonaro, além de político.” (BR Político)

A paranoia ronda o Alvorada. Bolsonaro acredita que um assessor próximo, que por muito pouco não foi seu vice, esteve envolvido na tentativa de assassiná-lo a faca, em Juiz de Fora. “O meu sentimento é que esse atentado teve a mão de 70% da esquerda, 20% de quem estava do meu lado e 10% de outros interesses”, afirmou. (Veja)

Foram indiciados os seis investigados por hackear as conversas do ministro Sergio Moro e o procurador da Lava Jato, Deltan Dallagnol. Eles foram enquadrados pela PF por organização criminosa, e quatro deles também por invasão de dispositivos móveis. O grupo é suspeito de ter invadido as conversas via Telegram que apontavam combinação entre Moro e Dallagnol na condução da Lava Jato. Dois respondem em liberdade e quatro estão presos, entre eles, Gustavo Henrique Elias Santos, DJ em Araraquara, e Walter Delgatti Neto, apontado como o líder do grupo. A PF também abriu nova investigação para saber se o grupo foi financiado por alguém para realizar as invasões. Delgatti confessou ter mantido contato com o jornalista Glenn Grenwald, co-fundador do Intercept Brasil. Mas disse que não recebeu dinheiro para repassar as informações. Só Gustavo e sua mulher, Suelen Priscila de Oliveira, movimentaram R$ 2 milhões ao longo de um ano. Não quer dizer que tenham sido pagos — eles também são acusados de fraudes bancárias. Mas a PF investiga a possibilidade de o grupo ter sido orientado a obstruir a Operação Lava Jato. (Estadão)

O primeiro celular invadido foi o do deputado federal Eduardo Bolsonaro, cujo aparelho tocou às 3h36 do dia 2 de março, este ano. Do filho Zero Três, Delgatti pulou para o Zero Dois, Carlos, e aí para o presidente seu pai. O quarto foi o deputado Kim Kataguiri e, o quinto, o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo, quando o dia já estava amanhecendo. Nem todos os hacks permitiram o roubo de conversas mas, de acordo com a PF, pelo menos 48 pessoas tiveram seus diálogos capturados. Entre eles, o presidente do Senado Davi Alcolumbre, o ministro da Educação Abraham Weintraub e o ex-governador fluminense Luiz Fernando Pezão. Nenhum teve tanto material vazado quanto o procurador Deltan Dellagnol. (Veja)


Hoje, o parlamento britânico vai votar acordo do Brexit. Com a recém conquistada maioria conservadora na eleição da semana passada, a expectativa é que o plano apresentado pelo primeiro-ministro Boris Johnson seja aprovado.

Sai amanhã a última Edição de Sábado do ano. É porque foi um ano denso que nos propusemos a mergulhar na história para de lá tirar um algo leve — uma história não de política ou tecnologia, mas do Natal. De uma festa pagã a uma cristã, de muitas misturas que se tornaram o maior ponto de aquecimento econômico do ano. E o que Jesus tem a ver com isso? Muito. Mas também bem pouco. Porque, através do Natal, está concentrada toda a história e todo o caráter do Ocidente nos últimos dois mil anos. A assinatura do Meio, fizemos as contas aqui, sai por trinta centavos ao dia. Não dá um chiclete. Assine. Feliz Natal :-)


Ex-assessores e outros acessórios

Tony de Marco

 
FlavioBolsonaro

Histórias para ouvir

Histórias para ouvir


Toda semana, às sextas, o Meio recomendará algo de interessante para ouvir na Storytel. E os leitores do Meio têm direito a experimentar o serviço por 30 dias. Sem custo. Tem audiobooks, podcasts, séries em áudio — histórias de todo tipo, narradas por bons atores e locutores. Experimente.

As comemorações pelo centenário de Clarice Lispector já começaram. E sua obra é elogiada, com distinção, por muitos aspectos, especialmente pela densidade na busca dos mais profundos mistérios humanos e seu tom, ao mesmo tempo de conversa ligeira e de refinamento existencial. Mas como observar isso? Emilia Amaral desdobra e analisa as principais marcas literárias de Clarice mostrando, a partir de fragmentos extraídos de diversas obras, como elas estão presentes no texto para que o leitor possa compreender melhor a arte de sua escrita. Ouça.

Cultura


O artista plástico Francisco Brennand morreu na manhã de ontem aos 92 anos. Brennand iniciou sua carreira na década de 1940 como pintor e escultor, mas a cerâmica se tornou seu principal meio de expressão. 4 trabalhos para conhecer sua obra.

A antropóloga Alba Zaluar, 77, também morreu ontem. Ela enfrentava um câncer de pâncreas. Professora de antropologia no IESP da Uerj, Alba fundou e chefiou o Nupevi cujos temas de estudo variam entre segurança pública, violência doméstica e tráfico de drogas.

E os piores filmes de 2019, segundo os críticos da revista The Hollywood Reporter, incluem grandes produções como Cats, X-Men: Fênix Negra e Rambo: Até o Fim. O texto descreve a seleção como "filmes projetados mais para vender mercadorias" do que para encantar jovens mentes. "E pior, filmes conscientemente artísticos, tão cheios de auto-indulgência autoral que você anseia pelo retorno do sistema de estúdio liderado por executivos que gostam de charutos que sabiam quando um filme era muito longo."

Pois é... A adaptação para o cinema do musical Cats é um dos mais massacrados pela crítica e amarga aprovação baixíssima nos sites de entretenimento e cinema. De "catastrófico" a "pior coisa que aconteceu aos gatos desde os cães", os comentários são pesados. Até ontem, 18% das 97 avaliações coletadas no site Rotten Tomatoes eram positivas.

A aparência dos personagens, quando o trailer estreou em julho, chamou a atenção. Peter Debruge, da Variety, chamou o filme de "interpretação estranhamente brega". Adaptado do musical do compositor Andrew Lloyd Webber e dirigido pelo vencedor do Oscar Tom Hooper, o filme mostra os rostos dos atores enquanto seus corpos parecem cobertos de pelos. E nem o elenco estrelado, com Taylor Swift, Judi Dench, Ian McKellen, Jennifer Hudson, Idris Elba e James Corden, foi poupado. O filme chega aos cinemas brasileiros no dia 25 de dezembro.

Os 10 momentos que definiram a arte nos anos 2010 segundo o Artsy. A criação do Instagram, em 2010, e seu impacto no mundo artístico estão lá. Nas instituições de arte, o Instagram também mudou a maneira como o público se envolve com as obras. Isso levantou a questão: você realmente está se conectando ao apreciar uma obra através de uma lente?

A obra de arte mais cara já leiloada de uma artista também entrou na lista. A pintura de Georgia O’Keeffe, Jimson Weed / White Flower No. 1 (1932), se tornou a obra de arte mais cara, e vendida, de uma mulher.  Alice Walton - herdeira da fortuna Walmart e fundadora do Museu de Arte Americana Crystal Bridges, em Bentonville, Arkansas - comprou a tela da Sotheby's por US$ 44,4 milhões. Mindy Besaw, curadora da Crystal Bridges, disse que a pintura "representa um assunto icônico de uma das artistas americanas modernas mais importantes e influentes". A venda impulsionou uma tendência que agora varre o mundo da arte: o crescente interesse do mercado em artistas mulheres.

E os retratos de Kehinde Wiley combinando formatos e motivos tradicionais com modos modernos de representação foi outro destaque. Selecionando obras de antigos mestres como Peter Paul Rubens ou Jacques-Louis David, Wiley substitui as figuras históricas por belos jovens negros.  A propensão por justas justaposições deriva do desejo de complicar noções de identidade de grupo. Um exemplo: o retrato do presidente Barack Obama e o retrato de Amy Sherald de Michelle foram muito além da norma para retratos presidenciais; eles criaram uma nova forma de arte populista e trouxeram o retrato negro para uma reflexão sobre raça e representação. As pinturas foram reveladas na National Portrait Gallery em Washington, DC, em fevereiro de 2018: não foi apenas a primeira vez que um retrato de um presidente afro-americano foi revelado, mas a primeira vez que um artista negro foi selecionado para pintar um retrato presidencial.

Viver


Um homem vestido de Papai Noel surfa na praia de Maresias, em São Sebastião, São Paulo. Um mergulhador, também vestido de Papai Noel, acena de um aquário no Aquaria KLCC, em Kuala Lumpur, Malásia. Uma maratona de corredores vestidos de Papai Noel toma as ruas de Paris. Uma galeria de fotos com várias versões curiosas do 'bom velhinho' pelo mundo.

Aliás... Numa paralela, nós do Meio em vídeo outra dessas. A história da invenção do Papai Noel.

Sobre o ataque a youtuber Karol Eller, a delegada voltou atrás após depoimentos e diz que agressões não foram motivados por homofobia. A titular da 16ª DP afirmou que o acusado, Alexandre dos Silva, de 42 anos, não será mais investigado pelo crime de injúria por preconceito, mas por lesão corporal.

Adriana Belém, responsável pela investigação: "Existem dois crimes sendo apurados, a lesão corporal e a injúria por preconceito. Mas este segundo já ficou descartado pelas testemunhas do quiosque e pelas imagens das câmeras de segurança do local". (Época)

Rabanada salgada recheada de tender. Rabanada salgada recheada de peito de peru. Rabanada de doce de leite. Rabanada de 3 jeitos.

E a repórter especial da Folha Patrícia Campos Mello foi anunciada ontem como a jornalista mais premiada do Brasil em 2019, segundo o Ranking J&Cia dos +Premiados da Imprensa Brasileira.

Mundial de surfe no Havaí. Ítalo Ferreira, potiguar de 25 anos, é campeão. Ele venceu Gabriel Medina em final épica em Pipeline e conquistou o título pela primeira vez se tornando o terceiro brasileiro a levantar o caneco na elite do surfe mundial. Ítalo entra para o seleto grupo dos campeões mundiais, que também já conta com o próprio Medina (2014 e 2018) e Adriano de Souza, o Mineirinho (2015).

Cotidiano Digital


Em um movimento raro, as big techs se juntaram para criar um único sistema de casa conectada compatível. Pelo projeto Connected Home over IP, Google, Amazon e Apple se aliaram para desenvolver um código aberto que permita que qualquer dispositivo inteligente possa ser acionado pelos seus assistentes virtuais. As companhias planejam soltar um primeiro rascunho sobre a tecnologia no final de 2020. Mas pode demorar ainda para que o consumidor ganhe novos produtos.

O Facebook está desenvolvendo o seu próprio sistema operacional. O objetivo é substituir o Android do Google para não deixar na mão do seu concorrente o sistema de hardware dos seus futuros produtos, como o óculos de realidade aumentada. Ter um sistema próprio também significaria que esses novos serviços possam ser integrados à suas plataformas sociais, como Facebook, Instagram e WhatsApp. Isso não significa, no entanto, que os aplicativos deixarão de ser compatíveis com outros sistemas operacionais.

123456. Essa é uma das 25 piores senhas adotadas este ano, segundo empresa de segurança.





Bem-vindo ao Meio. A assinatura básica é gratuita, comece agora mesmo.




20 de dezembro de 2019
Consultar edições passadas