Assine o Meio: notícia confiável para quem não tem tempo de ler jornal.



27 de fevereiro de 2020
Consultar edições passadas

Bolsonaro força crise institucional


O presidente Jair Bolsonaro distribuiu pessoalmente, via WhatsApp, um vídeo de edição dramática que relembra a facada que tomou em campanha para convocar uma manifestação contra o Congresso Nacional, no dia 15 de março. O filmete vem uma semana após o general Augusto Heleno, secretário do Gabinete de Segurança Institucional, ter sido flagrado por um microfone aberto do próprio Planalto defendendo uma convocação do tipo para pressionar os parlamentares. Também foi distribuída nas redes, embora apócrifa, uma terceira convocação — desta vez com as imagens, vestindo farda, de quatro generais palacianos incluindo Heleno e o vice-presidente, Hamilton Mourão. (BR Político)

Os generais foram ao Twitter desmentir esta convocação. “Estão usando meu nome indevidamente”, afirmou Heleno. “Não autorizei o uso de minha imagem por ninguém”, seguiu Mourão. Defenestrado do Palácio, o general Santos Cruz foi o mais incisivo. “Exército, instituição de Estado e garantia dos poderes constitucionais. Não confundir o Exército com alguns assuntos temporários.” (Twitter)

Eles desmentiram, mas Bolsonaro, não. Preferiu não se manifestar. Mas houve repercussão. O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia pediu que as autoridades deem o exemplo. “Criar tensão institucional não ajuda o país”, disse. “Somos nós, autoridades, que temos de dar o exemplo de respeito às instituições e à ordem constitucional. O Brasil precisa de paz e responsabilidade para progredir. “Só a democracia é capaz de absorver sem violência as diferenças da sociedade e unir a Nação pelo diálogo. Acima de tudo e de todos está o respeito às instituições democráticas.” O decano do Supremo foi por caminho similar. “A face sombria de um presidente da República que desconhece o valor da ordem constitucional, que ignora o sentido fundamental da separação de Poderes, que demonstra uma visão indigna de quem não está à altura do altíssimo cargo que exerce e cujo ato de inequívoca hostilidade aos demais Poderes da República traduz gesto de ominoso desapreço e de inaceitável degradação do princípio democrático”, escreveu Celso de Mello. (Poder 360)

O presidente do Supremo também comentou o episódio. “O Brasil não pode conviver com um clima de disputa permanente”, afirmou Dias Toffoli. (BR Político)

Então... No momento, o principal problema do presidente com o Parlamento é o Orçamento impositivo. E muitos deputados estão se divertindo em fazer circular o vídeo no qual o filho Zero Três elogia a ideia de transferir para o Legislativo algumas decisões de gastos públicos. “Quando Jair Bolsonaro era deputado federal, ele e eu já éramos favoráveis a esta falta”, ele afirmou há poucos meses. (BR Político)

Bolsonaro preferiu o silêncio. Mas sua tropa no Twitter partiu para cima da jornalista Vera Magalhães, responsável por trazer à tona a informação de que o próprio presidente estava fazendo a convocação contra um dos Poderes. Informações pessoais da jornalista e falsificações grosseiras de diálogos em WhatsApp foram distribuídas. (Estadão)

Os três maiores jornais trataram do assunto em editoriais.

Estadão: “O presidente precisa esclarecer, sem meios termos, que não apoia a convocação de uma manifestação em sua defesa e contra o Congresso Nacional. Os cidadãos são livres para se manifestar contra quem bem entenderem, mas um presidente da República não é um cidadão comum e não pode permitir que seu nome seja usado para alimentar um protesto contra os demais Poderes constituídos. Se aceitar essa associação, ou, pior, se incentivá-la mesmo indiretamente, Bolsonaro estará corroborando as violentas críticas que esses apoiadores, em claro movimento golpista, estão fazendo contra o Congresso, tratado nas redes sociais bolsonaristas como ‘inimigo do Brasil‘.”

Globo: “O presidente tem citado a Venezuela chavista como o mau exemplo no continente. Pois a está seguindo, ao aplicar o manual do caudilho Hugo Chávez, que destroçou a democracia no país criando crises institucionais, para avançar com seu modelo nacional-populista autoritário. Destruiu a própria Venezuela.”

Folha: “Diante das demonstrações reiteradas de desprezo pela institucionalidade e de violações dos requisitos legais de honra, decoro e dignidade para o exercício da Presidência, talvez apenas o medo do impeachment possa deter a perigosa aventura Bolsonaro.”

Viver


O Ministério da Saúde confirmou o primeiro caso de coronavírus no Brasil. O paciente é um homem de 61 anos, de São Paulo, que provavelmente, contraiu a doença em viagem recente à Itália. Há também mais 20 casos suspeitos no país, e ao menos doze destes estiveram em solo italiano. Trata-se já do principal foco do vírus fora da Ásia: mais de 320 casos confirmados, um aumento significativo em relação aos menos de cinco na semana anterior. O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, descartou a hipótese de limitar o ingresso de estrangeiros como forma de tentar dificultar a disseminação. Mas pediu aos brasileiros que evitem turismo na região norte da Itália. O país, junto com Alemanha e França, foram incluídos na lista de alerta do governo. (Globo)

O Brasil, no entanto, tem entre os suspeitos uma pessoa que não viajou recentemente, tampouco esteve em contato com o paciente com o coronavírus. Se for confirmado, essa será a primeira transmissão entre humanos no território brasileiro. Por enquanto, esta pessoa está em quarentena domiciliar e 30 membros de sua família estão sob observação. Elas serão monitoradas no centro de contingência criado em São Paulo, que soma 11 casos suspeitos. (G1)

Pois é... O Ministério da Saúde ainda cobrou da OMS que mude a classificação do coronavírus de emergência global para pandemia. Ou seja, que não está restrita a uma região, o que permitiria ampliar a lista de alerta de países para a doença. (Estadão)

O caso brasileiro é o primeiro confirmado na América Latina. A Argentina está investigando outra pessoa, uma turista italiana. Um teste inicial descartou a possibilidade, mas ela foi colocada sob quarentena. (Valor)

Por enquanto, mais de 80 mil pessoas contraíram o vírus e quase 2,7 mil morreram, principalmente na China. Mas, pela primeira vez, o número de casos fora da China excedeu os de dentro do país. O Irã está emergindo como um segundo epicentro para a disseminação. Pelo menos oito países já reportaram casos de suspeitos que estiveram lá. Especialistas dizem que o Oriente Médio corre um risco particular devido à circulação constante de peregrinos religiosos e trabalhadores migrantes. (New York Times)

Mas... A OMS disse que não há necessidade de pânico. A taxa de mortalidade do coronavírus é de cerca de 2%. E mais de 80% dos casos confirmados são leves, sem pneumonia. (G1)

Mesmo assim, com a disseminação, economistas já estão reavaliando as expectativas de crescimento no Brasil. O coronavírus pode fazer com que o PIB cresça menos de 2%, atrás dos 2,2% estimados pelo Boletim Focus.

Enquanto as bolsas ao redor do mundo voltaram a cair. No Brasil, a Ibovespa chegou a recuar 7,33% e o dólar comercial fechou negociado a R$ 4,44, novo recorde de cotação. As empresas aéreas brasileiras chegaram a ter queda de 15%. (Globo)

Aliás... Segundo a Associação Internacional de Transporte Aéreo, mais de 200 mil voos já foram cancelados desde a disseminação do vírus. As interrupções provavelmente causarão a primeira queda na demanda global de viagens aéreas desde 2009 e pode resultar em perda de US$ 29 bilhões para a indústria. (CNBC)

Enquanto isso... A farmacêutica americana Moderna enviou ao Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas (Niaid) o que seria a primeira vacina experimental contra o coronavírus. Os testes iniciais poderiam começar em abril, mas todo o processo regulatório duraria pelo menos um ano. A China também está desenvolvendo uma vacina, que começaria a ser testada em abril. (Folha)


Com boa atuação de Gabigol e por 3 a 0, o Flamengo venceu no Maracanã o Independiente del Valle equatoriano e levou para casa o título da Recopa, disputa entre vencedores da Libertadores e da Copa Sul-Americana. Willian Arão foi expulso aos 21 do primeiro tempo. Marcaram gols Gabigol e Gerson, que fez dois. Assista aos melhores momentos.

Aos 32 anos, a tenista Maria Sharapova está se aposentando. Dona de cinco títulos de Grand Slam e ex-número um do mundo, a russa tem um histórico de lesões e algumas polêmicas. Sua carreira em fotos.

Cultura


Viradouro foi a grande campeã do carnaval do Rio. A escola conquistou o seu segundo título levando ritmos da Bahia e empoderamento feminino para a Sapucaí. O seu enredo foi sobre grupo de ex-escravas negras de Salvador que trabalhavam por sua alforria. Veja em fotos.

Em São Paulo, quem levou pela primeira vez foi a Águia de Ouro. A escola ganhou com enredo sobre a evolução do conhecimento humano, da Idade da Pedra à esperança nos robôs. Veja em fotos.

Para quem gosta do cinema muito visual de Terrence Malick, a semana é marcada pela estreia de Uma Vida Oculta (trailer). Nele, o diretor volta à Áustria da Segunda Guerra, quando um fazendeiro recusou-se a prestar serviço militar e, por isso, foi condenado à morte. Já o brasileiro A Menina que Matou os Pais (trailer), de Maurício Eça, reconta por duas narrativas distintas, o assassinato cometido por Suzane Von Richtofen e Daniel Cravinhos. Quem conta a verdade? O Homem Invisível foi um dos maiores sucessos de 1933. Agora, a história do cientista que enlouquece a descobrir a fórmula da invisibilidade volta num remake (trailer) — com Elizabeth Moss, de The Handmaid Tale. Por fim, outro brasileiro, Jovens Polacas (trailer) traz de volta o drama das moças judias, muitas vezes órfãs, que no início do século 20 foram trazidas ao Brasil pelo tráfico de mulheres para prostituição. Veja os outros lançamentos desta semana.

A Academia de Ciência de Lisboa quer mexer no Acordo Ortográfico que uniformizou a escrita da língua portuguesa em todos os países lusófonos. Sua proposta é de que os acentos diferenciais voltem. Quer, por exemplo, que pára, do verbo parar, torne a ter o agudo. E pêlo ganhe o circunflexo que teve, para que aquilo que cobre a pele do gato não seja confundido com a preposição pelo.

Cotidiano Digital


Amazon inaugurou o seu primeiro supermercado sem caixas. O Amazon Go Grocery é um conceito maior do que as lojas de conveniência Amazon Go, lançadas em 2018. Mas, assim como nas lojas, os clientes fazem as compras no supermercado, que fica em Seattle, por meio do aplicativo. Com câmeras e sensores no teto, o carrinho de compras é atualizado simultaneamente quando um item é retirado ou colocado de volta na estante. Os clientes são cobrados automaticamente assim que saem do mercado. Com tudo automatizado, já teve repórter de tecnologia que resolveu testar se conseguia confundir o algoritmo e roubar uma fruta...

80% de toda a receita da música em 2019 nos EUA vieram dos serviços de streaming. As plataformas online cresceram quase 20%, resultando em US$ 8,8 bilhões para a indústria da música. Só para ter uma ideia, esse número é maior do que todo o mercado de música nos EUA há apenas dois anos.

Por falar em streaming, a Netflix vai começar a mostrar os seus top 10. Todos os dias serão atualizadas listas dos dez filmes, séries e shows mais assistidos pelos usuários. Essa é uma mudança significativa na empresa, que sempre manteve os seus dados de visualização de forma privada. Ano passado, foi a primeira vez que a Netflix divulgou sua lista de filmes e séries mais populares.





Bem-vindo ao Meio. A assinatura básica é gratuita, comece agora mesmo.



27 de fevereiro de 2020
Consultar edições passadas