Assine o Meio: notícia confiável para quem não tem tempo de ler jornal.



7 de abril de 2020
Consultar edições passadas

Com raiva de Mandetta, Bolsonaro para país por um dia


O presidente Jair Bolsonaro manteve ontem o país em suspenso ao ponto de a tensão imobilizar por um dia, durante a maior pandemia em um século, o funcionamento do ministério da Saúde. Já no final da manhã, as principais colunas de notas políticas começaram a anunciar a iminente demissão do ministro Luiz Henrique Mandetta. O presidente é contra a política de recolhimento em casa defendida por seu ministro, pela Organização Mundial da Saúde e quase todos os governos do mundo. Bolsonaro também gostaria de ver o ministério promover com mais ênfase terapias com base no remédio hidroxicloroquina. Mas, novamente, os técnicos vêm mantendo a linha de seguir as recomendações da OMS e dos institutos de pesquisa nacionais. Irritado, o presidente se movimentou para colocar na pasta o deputado Osmar Terra, com quem tem o discurso alinhado. A tentativa de expurgo de Mandetta mobilizou Brasília. Os presidentes da Câmara e do Senado fizeram o presidente saber que ele tornaria difícil a relação com o Congresso caso a demissão ocorresse. O Conselho Federal de Medicina se pôs contra. E os ministro militares do Planalto, em conjunto, levam ao presidente a notícia de que se opunham à decisão. Foi apenas perto das 20h que a repórter Andréia Sadi ouviu, do vice-presidente Hamilton Mourão, a notícia de que a crise findara. “Mandetta segue no combate”, afirmou. “Ele fica.” (G1)

Àquela altura, Bolsonaro já estava chegando ao Alvorada. Com a fisionomia tensa, saltou como de costume perante seus eleitores que se concentram à porta. Ameaçou falar, mas desistiu. Voltou ao carro e entrou em casa.

Gilmar Mendes: “Tenho muita dúvida se algum tribunal vai validar eventual decisão do governo federal que contrarie as orientações da OMS. Acho que nenhum juiz do Supremo Tribunal Federal vai validar esse tipo de entendimento.” (Globo)

Mandetta chegou a ser pressionado, ainda no Planalto, a endossar um decreto para liberar por completo o uso de cloroquina. “Me levaram para uma sala com dois médicos que queriam fazer protocolo de hidroxicloroquina por decreto”, contou em entrevista coletiva. “Eu disse que eles devem, nas sociedades brasileiras de imunologia e anestesia, fazerem o debate entre seus pares. Chegando a um consenso, aqui do Ministério da Saúde a gente entra.” (Estadão)

Aliás... Em sua coletiva, Mandetta comentou que lera, durante o fim de semana, O Mito da Caverna, que faz parte de A República, de Platão. É uma metáfora de defesa da compreensão da realidade a partir da busca de conhecimento. (Época)

A manutenção do ministro no cargo não é certa. Carlos Bolsonaro, o filho Zero Dois, voltou esta semana a bater ponto no Palácio do Planalto, diz Bela Megale. Ele costuma ser o mais influente dentre os defensores do núcleo ideológico, anti-Mandetta. (Globo)

Live do Meio: O entrevistado de hoje é Pablo Ortellado, professor de Gestão de Políticas Públicas da USP. Além de um olhar arguto sobre a movimentação política no país, Pablo é também um dos principais estudiosos do uso de redes sociais no debate público. A conversa será às 18h, no YouTube.

E... A conversa da semana passada, com o professor Christian Lynch, se tornou o primeiro podcast do Meio. Já está no Spotify e chegando às outras plataformas de distribuição. Assine.


O premiê britânico Boris Johnson foi transferido, ontem, para a unidade de terapia intensiva do St Thomas’ Hospital, em Londres. De acordo com o governo, ele não está fazendo uso de respirador e estava consciente no momento da transferência. Dois terços dos pacientes de Covid-19 que vão à UTI precisam ser sedados e ter auxílio mecânico para respirar após as primeiras 24 horas. (BBC)

Viver


A China não teve mortes nas últimas 24h. Número diário vem caindo há semanas.

Espanha e Itália também mostraram sinais de avanços no combate ao novo coronavírus. Mas a situação na França se agravou. Nas últimas 24 horas, o país registrou o maior número de mortes desde o início da crise.

Por falar em Espanha, o país iniciou ontem sua quarta semana de isolamento como um dos países que mais sofreu mortes. Entenda os motivos. (El País)

Já a Dinamarca vai reabrir escolas infantis e de ensino fundamental a partir de 15 de abril se os números mostrarem que a pandemia de coronavírus continua desacelerando no país. Outras medidas de distanciamento social devem continuar em vigor até 10 de maio. O anúncio foi feito ontem pela primeira-ministra, Mette Frederiksen. O país escandinavo foi um dos primeiros a reagir depois que a Itália decretou quarentena, em 9 de março. (Valor)

Ancorado em Montevidéu, um cruzeiro australiano tem mais de 80 passageiros infectados com o novo coronavírus, de acordo com um comunicado feito ontem pela Aurora Expeditions, empresa que opera a embarcação. Os resultados de outros 90 exames devem sair nas próximas 24 horas e número pode ser maior. Até agora, o governo uruguaio permitiu o desembarque de seis pacientes que apresentavam risco de morte. O restante da tripulação e dos passageiros deve permanecer retido no navio por mais dez dias. (AFP)

Lembrando que os dados mudam rapidamente. Para acompanhar.

Cresce o temor de uma segunda onda da pandemia à medida que China, Coreia do Sul e Cingapura veem casos novos de Covid-19 emergirem, em sua quase totalidade importados. Cientistas estão convencidos que o vírus continuará a ser uma ameaça global por muito mais tempo, num período que pode chegar a dois anos. Especialistas alertam que a gravidade de novas ondas dependerá das medidas de contenção que os países tomarem agora. E sugerem que a Alemanha, um dos países que mais testou no mundo, é um exemplo melhor a ser observado. O país não apenas testa muito (mais de 10% da população), como começou a testar cedo e a seguir com disciplina o distanciamento social. Isso significa que seu número de infectados é muito mais próximo do real. (O Globo)

E um novo projeto internacional para mapear a real extensão da Covid-19 pelo mundo está sendo preparado pela OMS. Chamado Solidarity II, a ideia é executar testes em massa para identificar anticorpos contra o vírus na população – contabilizando também os casos assintomáticos ou leves. Segundo a revista Science, já conta com o interesse de pelo menos seis países. (Super Interessante)

Por coronavírus, o Ministério da Saúde registrou ontem 67 novas mortes no Brasil; total de óbitos é de 553. São 12.056 casos (+ 936 em relação ao dia anterior). Vale lembrar que, no dia 1 de abril, o total de casos era de 6.836 e de óbitos, 240. Dobrou.

Em São Paulo, o infectologista David Uip coordenador do Centro de Contingência de Coronavírus do estado, voltou ao trabalho e deu um forte depoimento sobre seus dias com Covid-19. “Quem vai sair vivo são os indivíduos que estiverem sendo atendidos em estruturas hospitalares arrumadas, protocoladas, bem equipadas e com equipes médicas bem estruturadas. Isso é claríssimo”. Ao final da sua fala ele afirmou que também atenderá pacientes.“Eu passo a ser um ativo que já passou pela doença e, teoricamente, não me contamino de novo. É um testemunho de quem esteve do outro lado. Não é brincadeira”. Em São Paulo, as medidas de restrições que fecham bares, shoppings, escolas e serviços não essenciais foram renovadas e seguirão até o dia 22 de abril. (Buzzfeed)

O Acre registrou sua primeira morte pelo novo coronavírus ontem, não contabilizada no último balanço do Ministério da Saúde. Com isso, o Tocantins passa a ser o único estado onde ainda não foi registrada nenhuma morte pelo vírus

Nas últimas 24 horas, Pernambuco contabilizou mais nove mortes no estado. Agora, já são 30 óbitos e 223 casos da doença. A perspectiva é de que, até o começo de maio, a situação no estado seja de aceleração descontrolada. Já Curitiba confirmou ontem as primeiras três mortes. Ao todo, já são 14 mortos pela doença no Paraná. No Rio de Janeiro, dois médicos morreram. São os primeiros profissionais de saúde vítimas da doença no estado.

Pois é... uma projeção do grupo "Covid-19 Brasil", que reúne universidades brasileiras e acertou todas as análises até agora, diz que o Brasil tem hoje, na verdade, 82 mil pessoas infectadas e não 12.056 como indica o governo. As novas projeções levam em conta a estrutura etária da população com base nos dados do IBGE.

E como Niterói se tornou exemplo na preparação contra a covid-19. Entre as medidas tomadas, estão o 1º hospital exclusivo do país e a compra de 40.000 testes de covid-19 com o objetivo de chegar a 80.000 testes. (Poder 360)

Hoje tem Panelinha. E nada de pular o café da manhã. Não dá para ir à padaria diariamente, mas dá para ter pão quentinho. Em seu blog, Rita Lobo listou dicas para começar bem o dia em tempos de quarentena. E no site você encontra mais de 50 opções para a primeira refeição, divididas por tempo de preparo.

Cultura


Lady Gaga fechou uma parceria com a Organização Mundial da Saúde para o show beneficente One World: Together At Home. A apresentação acontecerá no sábado, 18 de abril, com o objetivo de arrecadar dinheiro para apoiar os que estão sofrendo pela pandemia do novo coronavírus e será exibida em diversas emissoras norte-americanas, em todas as redes sociais e alguns serviços de streaming de vídeo e de música. Com curadoria de Gaga, o festival será apresentado por Jimmy Kimmel, Jimmy Fallon e Stephen Colbert, e incluirá performances de Paul McCartney, Elton John, Billie Eilish e Finneas, Lizzo, Stevie Wonder, John Legend e Chris Martin.

A designer Jennifer Baer parodiou pôsteres famosos de viagens para transmitir mensagens divertidas sobre o nosso atual destino turístico: CASA. A ideia surgiu após Jennifer se chatear com fotos de conhecidos em lugares públicos durante a pandemia. O resultado é ótimo.

Cotidiano Digital


As fake news sobre o coronavírus estão causando danos reais para o Reino Unido. Várias torres de telefone foram queimadas pelo país e engenheiros estão sendo ameaçados de morte depois de teorias da conspiração nas redes sociais ligarem o 5G ao vírus. Em uma das discussões, grupos defendem que o vírus surgiu em Wuhan, na China, por causa da rede e tem se espalhado para outras cidades que também usam 5G. O governo britânico chegou a pedir para as redes sociais barrarem a desinformação. Os ataques podem afetar os serviços de emergência e saúde que fazem uso da rede. O YouTube anunciou que vai deletar os conteúdos falsos. Nos últimos meses, as big techs têm se mobilizado para conter as fake news sobre a pandemia.

O WhatsApp impôs novos limites ao reenvio de mensagens, por conta do alto número de notícias falsas circulando a respeito do novo coronavírus. A partir de hoje, mensagens muito encaminhadas dentro da rede só poderão ser reenviadas uma única vez.

Quibi chegou. O novo streaming traz vídeos curtos de até 10 minutos para serem assistidos pelo celular. O serviço custa de R$ 32,90 por mês e já conta com mais de 50 programas exclusivos que podem ser assistidos tanto na vertical quanto na horizontal. Durante a CES, o CEO do Quibi disse que a plataforma não iriar competir com Netflix e Disney+, mas, sim com YouTube e Instagram.

E… uma lista de sites com sons ambientes para quem sente falta do barulho de pessoas e da natureza.





Bem-vindo ao Meio. A assinatura básica é gratuita, comece agora mesmo.



7 de abril de 2020
Consultar edições passadas