Assine o Meio: notícia confiável para quem não tem tempo de ler jornal.



23 de junho de 2020
Consultar edições passadas

Em crise, Bolsonaro vê queda em pesquisas


A pesquisa Quaest, divulgada em primeira mão pelo Jota, indica que 54% dos brasileiros consideram que o país está piorando. É o mesmo percentual que considera o governo Bolsonaro ruim ou péssimo — o maior índice em todas as avaliações desde a primeira avaliação, em novembro de 2019. 21% consideram o governo ótimo e bom e, 23%, regular. Está crescendo a avaliação negativa por parte dos eleitores que votaram no presidente. E sua base mudou: o maior grupo de apoio está entre pessoas que ganham até 2 salários mínimos. (Jota)

Os indícios de que a queda piora após a prisão do ex-assessor Fabrício Queiroz se acumulam. O Índice de Popularidade Digital, baseado em dados de Facebook, Twitter, Instagram, YouTube, Google e também Wikipedia, indica que o presidente perdeu 25% de popularidade e chegou a 58,7 pontos — seu pior na série histórica. O ex-ministro Sérgio Moro chegou no sábado a 41,4 pontos. Estava com 22 na medida anterior. (Folha)

Então... As mulheres dos oficiais militares mais graduados, em seus grupos de WhatsApp, também incrementaram as críticas ao presidente. “Nem a saída do ex-juiz Sergio Moro do governo nem a postura negacionista de Bolsonaro sobre a pandemia haviam espantado essas apoiadoras”, escreve Andrea Jubé. Queiroz escondido na casa do advogado mexeu. Amplia o desgaste entre presidente e quartéis. (Valor)

Enquanto isso... O ministro Alexandre de Moraes determinou que os parlamentares não podem apagar o que publicaram nas redes sociais sobre os atos antidemocráticos. (G1)

Tem motivo a preocupação. A consultoria Novelo Data constatou que 2.015 vídeos publicados por canais bolsonaristas desapareceram da plataforma desde o início de junho. Pelo menos 37 produtores diferentes começaram a apagá-los, revela o blog Sonar. São justamente aqueles investigados pelo Supremo. (Globo)

Aliás... Segundo Thaís Oyama, o advogado Frederick Wassef — que abrigava Queiroz — chegou a planejar o sequestro do jornalista Lauro Jardim, de O Globo.

O MEC revogou a portaria assinada no último minuto pelo ex-ministro Abraham Weintraub, que acabava com cotas para negros, indígenas e pessoas com deficiência em cursos de pós-graduação. O Supremo havia dado 48 horas para a Advocacia Geral da União se manifestar sobre o tema. Ministério Publico e Tribunal de Contas querem saber, por outro lado, se o Ministério das Relações Exteriores têm algo a ver com a entrada de Weintraub nos EUA, para onde se mudou às pressas após sua demissão. (G1)

Pois é... A professora Claudia Costin, da FGV e de Harvard, recusou convite para assumir o ministério. O receio do governo é que pode haver uma série de recusas por nomes qualificados, informa Basília Rodrigues. (CNN Brasil)

Leia: O anúncio público de Claudia Costin. (Twitter)

Diga-se... Paulo Guedes já afirmou que, se o Banco Mundial resistir ao nome de Weintraub para sua diretoria, ele não irá insistir. (Folha)

João Cezar de Castro Rocha, da Uerj: “Estou me dedicando a um estudo da mentalidade bolsonarista em relação a três elementos brasileiros. São elementos que tem uma força tremenda e que provavelmente podemos dizer que elegeu Bolsonaro. Em primeiro, uma tradução da Doutrina de Segurança Nacional para tempos de democracia. Todo o governo Bolsonaro é voltado para a destruição das instituições nas quais a mentalidade bolso-olavista acredita que estão os inimigos. Ou seja, as instituições da cultura, da educação, da ciência, do meio ambiente, dos direitos humanos e da cidadania. O segundo eixo é algo surpreendente. A chave interpretativa é um projeto do Exército chamado Orvil, que quer dizer livro ao inverso. Diz que de 1922 até 1989 — e você pode projetar para 2020, que é o caso da mentalidade bolsonarista —, não se passou nem um dia no qual o movimento comunista internacional não estivesse tramando uma intriga de proporções vastas para transformação de um território de dimensões continentais, o Brasil, em uma China tropical. O terceiro elemento é o que chamo de sistema de crenças Olavo de Carvalho. Porque a pergunta é uma só: como foi que essas idéias se difundiram? Difundiram-se porque desde a década de 1990 Olavo principiou uma pregação que, de uma certa forma, tornou a matriz narrativa do Orvil muito mais sofisticada. Mas, em última instância, quando você se dá conta da matriz ativista, é a mesma do Orvil: se existe comunista, ele precisa ser eliminado, porque com o comunista não se pode dialogar. Houve uma coincidência inesperada entre esse tripé e os evangélicos no Brasil. A mentalidade neopentecostal é agônica, bélica e enxerga o dia a dia como uma batalha entre o bem que se deve alcançar e o mal que nos persegue. A guerra cultural bolsonarista permitiu o êxito realmente surpreendente, pela força do bolsonarismo.” (Estadão)

Viver


O total de vidas perdidas no Brasil para a Covid-19 é de 51.407. O país chegou a 1.111.348 casos, apontou o último boletim do consórcio de veículos da imprensa. Nas últimas 24 horas, foram notificadas 748 mortes. A contagem de casos e mortes tende a desacelerar nos finais de semana e segundas, quando há um atraso nas notificações. O Ministério da Saúde mais uma vez deixou de fazer a entrevista coletiva para prestar esclarecimento sobre as ações relacionadas à pandemia.

A OMS mostrou preocupação com a alta porcentagem de resultados positivos nos testes de Covid-19 no Brasil — na casa dos 31%. Segundo a entidade, o número elevado indica baixa testagem e uma provável subnotificação de casos, já que a taxa média de positivos, em outros países, costuma ser de 17%. Segundo Michael Ryan, diretor do programa de emergências da OMS, a taxa em países com testagem em massa chega até a 5%, e "essa tendência não é um resultado de realizar vários testes".

Mais do que Espanha e França juntas. O percentual na cidade de São Paulo, segundo resultados preliminares do inquérito sorológico que a Prefeitura está fazendo, pode chegar a 9,5%, informa Monica Bergamo. Pelos resultados, cerca de 1,2 milhão de pessoas podem já ter sido infectadas.

No momento em que prefeitos e governadores têm flexibilizado as medidas de isolamento, 20 das 27 capitais têm visto o número de novos registros aumentar. A conclusão é fruto de um modelo estatístico desenvolvido por dois pesquisadores da USP que mede a velocidade da epidemia e como ela muda ao longo do tempo.

Segundo pesquisa publicada ontem pela Universidade de Oxford, oito das principais capitais brasileiras não estavam prontas para flexibilizar as medidas de isolamento social, embora "as políticas de resposta à Covid-19 tenham reduzido a mobilidade" dos habitantes.

Enquanto os casos crescem, a busca por testes rápidos também aumenta. Especialistas alertam que o único teste capaz de detectar a presença do novo coronavírus durante a infecção é o chamado RT-PCR, feito a partir de uma amostra respiratória do paciente com sintomas da doença e processado em laboratório.

E nossa imagem no exterior se deteriora. O jornal britânico The Independent colocou o Brasil no topo de uma lista de países que devem ser evitados por causa da pandemia do novo coronavírus.

Sobre a vacina ChAdOx1nCoV-19, liderada globalmente pela Universidade de Oxford, no Reino Unido, os testes em São Paulo começaram na sexta-feira e prosseguiram até ontem.

Pois é...um tecido capaz de eliminar a Sars-CoV-2 em minutos está sendo desenvolvido por brasileiros. Apoiada pela Fapesp, a empresa paulista Nanox estuda como usar material que mistura poliéster, algodão e micropartículas de prata para fabricar máscaras. Segundo os cientistas, o material eliminou 99,9% do vírus em até dois minutos.

Por falar em máscaras, elas têm transformado a indústria da moda em Los Angeles.

O primeiro episódio da série documental Em Nome de Deus, sobre os bastidores da investigação jornalística que começou no programa Conversa Com Bial, e levou à condenação de João de Deus, será exibido hoje pela Globo. Logo em seguida, a série completa estará disponível no Globoplay.

Hora de Panelinha. E de aprender a deixar a carne moída saborosa, bem douradinha, com gosto de churrasco. Sem falar nos truques de preparo, como a cebola em meia-luas. E no blog da Rita Lobo, depoimentos de pessoas que, durante a quarentena, aprenderam – e estão aprendendo – a cozinhar.

Cultura


O Brasil é o país que mais passou a ouvir músicas tristes na quarentena. Um levantamento da Folha, que analisou as 200 canções mais tocadas do Spotify em 34 nações, apontou que, por aqui, menos hits dançantes chegaram ao topo das paradas. Os artistas que têm feito sucesso entre os brasileiros são The Weeknd, Djonga, Billie Eilish e Travis Scott. A lista também inclui sucessos antigos, como Tempo Perdido, do Legião Urbana, Boate Azul, na voz de Bruno & Marrone e Every Breath You Take, do The Police.

Por Roger Waters, durante o isolamento: a versão do clássico Two Suns In The Sunset, a música de encerramento do icônico disco de 1983 do Pink Floyd, The Final CutOuça.

O cineasta Joel Schumacher morreu ontem aos 80 anos. O nova-iorquino ficou famoso por dirigir os filmes Batman Eternamente, de 1995, e Batman e Robin, de 1997. Ele também dirigiu Os Garotos Perdidos, de 1987.

Onde assistir algumas de suas obras mais famosas. O primeiro ano do resto de nossas vidas e 8mm: Oito milímetros estão disponíveis para assinantes na HBO GO e para aluguel no Google Play e na iTunes.

Por falar em Batman, Michael Keaton, que viveu o herói no filme clássico dirigido por Tim Burton, está negociando um retorno ao uniforme do Cavaleiro das Trevas em The Flash, filme-solo do Flash.

E a edição de 2021 do Globo de Ouro, que normalmente é organizado em janeiro, acontecerá em 28 de fevereiro.

Na Espanha, a Ópera de Barcelona reabriu ontem com um concerto exclusivo para 2.300 plantas. Os organizadores disseram que a intenção foi refletir sobre o absurdo da condição humana na era do coronavírus, que priva as pessoas de sua posição de espectadores.

Cotidiano Digital


Como esperado, a Apple anunciou, na WWDC, sua conferência anual de desenvolvedores, o seu plano de substituir os chips da Intel pelo seus próprios. Até o final do ano, deve lançar o Mac com o novo processador chamado de Apple Silicon. Baseado na arquitetura ARM, o Mac poderá executar aplicativos para iPhone e iPad diretamente da App Store. A Apple vai reescrever o sistema macOS do zero para dar suporte aos chips e encerrará o reinado de 20 anos do Mac OS X com seu novo lançamento, o macOS 11. A transição completa para o novo processador deve levar dois anos. Nesse período, mesmo os aplicativos que não foram rescritos funcionarão nos novos Macs.

Outra novidade foi o iOS 14. O novo sistema vai mudar a tela inicial do iPhone com funcionalidades semelhantes ao Android, como widgets e a possibilidade de aglomerar todos os aplicativos em uma única página, divididos por tema. A Siri também vai ganhar uma nova versão, na qual não vai mais ocupar a tela toda quando acionada.

A Amazon brasileira pôs à venda, hoje, Echo Studio — a primeira caixa de som de alta qualidade de sua suíte com a assistente digital Alexa embutida. Studio é capaz de se adaptar à acústica do ambiente em que está e gerencia outros aparelhos de casa inteligente, como sensores de ar ou luz, lâmpadas e tomadas. Em tempos de dólar alto, custa é caro — R$ 1499, incluindo o desconto de R$ 200.





Bem-vindo ao Meio. A assinatura básica é gratuita, comece agora mesmo.



23 de junho de 2020
Consultar edições passadas