Assine o Meio: notícia confiável para quem não tem tempo de ler jornal.



24 de junho de 2020
Consultar edições passadas

Bolsonaro vai prestar depoimento à PF


O presidente Jair Bolsonaro deve depor nos próximos dias — ao menos, esta é a informação passada pela Polícia Federal ao ministro Celso de Mello, do Supremo. Ele é investigado no inquérito que apura se houve intromissão de sua parte para colocar alguém que velasse por seus interesses no comando da própria PF, no estado do Rio. (Poder 360)

Em geral, o presidente da República tem a prerrogativa de depor por escrito. Mas, de acordo com a leitura do ministro Celso de Mello, isto vale para quando as autoridades são ouvidas como vítimas ou testemunhas. Bolsonaro é acusado. Está em suas mãos a decisão de exigir um depoimento pessoal. (Estadão)

A situação do presidente não é meramente protocolar. Uma das provas para o pedido de interferência seria sua menção, na reunião gravada em vídeo e tornada pública, em que cita expressamente o desejo. “Não vou esperar foder a minha família toda, de sacanagem, ou amigos meus, porque não posso trocar alguém da segurança na ponta da linha que pertence a estrutura nossa”, disse Bolsonaro. “Vai trocar.” À época, os generais do Palácio argumentaram que o presidente não se referia à PF e sim a sua segurança pessoal. Só que, depondo em juízo e sob pena de perjúrio, o general Augusto Heleno contou outra história. “Não houve óbices ou embaraços”, disse. “Por se tratar de militares da ativa, as substituições do Secretário de Segurança e Coordenação Presidencial, do Diretor do Departamento de Segurança Presidencial e do Chefe do Escritório de Representação do Rio de Janeiro foram decorrentes de processos administrativos internos do Exército Brasileiro.” (G1)

Gustavo Alves: “A resposta aos responsáveis pelo inquérito que apura se Bolsonaro tentou interferir indevidamente na PF do Rio não só enfraquece a versão de que o presidente estivesse falando sobre os agentes subordinados ao GSI. Um dos mais próximos auxiliares de Bolsonaro, Heleno também delimitou até onde vai em nome do presidente que tanto defende. O marco é dado pelo artigo 342 do Código Penal, que tipifica o crime de falso testemunho. Trocas na equipe de segurança de Bolsonaro no Rio foram feitas em março, pouco antes da reunião, cuja gravação é um dos elementos do inquérito conduzido sob a orientação do ministro do Supremo Tribunal Federal Celso de Mello. Os registros destas substituições desmentiriam Heleno, e assim, o general teve de desmentir a versão do presidente. Se o presidente insistir que estava falando da segurança pessoal, terá contra si a palavra do fiel, até certo ponto, Heleno. A reunião do dia 22 de abril já está na origem da saída de Sergio Moro da pasta de Justiça e de Abraham Weintraub do Ministério da Educação, e ligada ao questionamento feito por investidores estrangeiros sobre o compromisso do Brasil com o meio ambiente, por causa da declaração de Ricardo Salles, responsável pela pasta, de que iria tentar ‘passar a boiada’ de mudanças de regulações para a área. Agora, criou uma fissura no núcleo dos ministros mais próximos de Bolsonaro.” (Globo)

Pois é — há que se falar de Abraham Weintraub. O inquérito no qual o ex-ministro da Educação responde por crime de racismo contra chineses foi remetido pelo Supremo à primeira instância. Não há mais foro privilegiado. E um grupo de parlamentares representando seis partidos enviaram, à Embaixada dos Estados Unidos no Brasil, um pedido para que explique como Weintraub entrou no país no último sábado. Ele já não era mais ministro e há um veto para que brasileiros entrem no país salvo raras exceções. “Ficamos preocupados que Weintraub tenha sido admitido sob falsas pretensões para se esquivar do inquérito”, argumentam na carta. (G1)

Rodrigo Maia: “Não entendi por quê. Ele estava fugindo de alguém? Estranho, né? Vai ser a primeira vez na história que alguém diz que está exilado e tem o apoio do governo, né? Geralmente, é o contrário: as pessoas fogem porque estão sendo perseguidas pelo governo. Então, eu acho que é uma coisa meio atabalhoada, né? Não faz muito sentido. Ninguém está sentindo a falta dele no Ministério da Educação, né? Ninguém queria que ele ficasse do Brasil de qualquer jeito porque, de fato, é uma pessoa que mais atrapalhou do que ajudou.” (UOL)

Valdo Cruz: “Bolsonaro não gostou nem um pouco dos últimos movimentos do seu ex-ministro da Educação, que sempre contou com seu apoio e prestígio, mas agora perdeu pontos com ele. Por isso, o já sinalizou que ainda vai estudar se vai renovar o mandato de Weintraub na instituição mundial a partir de outubro. Dentro do Palácio do Planalto, a forma como Weintraub deixou o país, dando a aparência de uma ‘fuga’, criou constrangimentos. Ele viajou para os Estados Unidos ainda na condição de ministro, o que levantou críticas de que o governo teria dado ‘cobertura’ para uma ‘saída sorrateira’. Além disso, tentou emplacar uma renovação completa no Conselho Nacional de Educação, indicando doze novos nomes sob influência do ideólogo Olavo de Carvalho. A decisão do Palácio do Planalto foi barrar as indicações de Weintraub que buscavam agradar Olavo de Carvalho, que também perdeu pontos junto ao presidente depois de ameaçá-lo nas redes sociais.” (G1)

O ex-galã de Malhação Mário Frias tomou posse como secretário de Cultura em um evento fechado e não anunciado, no Ministério do Turismo. (UOL)

Meio em vídeo: Na entrevista da semana, conversamos com Augusto de Franco, um físico que se tornou geek de democracia. O que é, aliás, democracia? No que ela é diferente de República? Quais seus defeitos? E por que, hoje, o populismo digital é a maior ameaça a ela. Assista.

Viver


Os números da Covid-19 no Brasil continuam aumentando exponencialmente. Foram 1.364 mortes registradas nas últimas 24 horas, segundo maior número já registrado, totalizando 52.771 mortes, e 40.131 novos casos confirmados, 1.151.479 milhão no total. A previsão de que a América Latina seria o novo epicentro global da pandemia de coronavírus virou realidade em 31 de maio, quando o Brasil se tornou o país onde a doença mais cresce. Segundo levantamento, o Brasil tem mais que o dobro de mortes de Índia, China, Paquistão e Indonésia juntos – quatro países mais populosos.

Pois é... o principal especialista em doenças infecciosas dos EUA, Dr. Anthony S. Fauci, disse ontem ao Congresso americano que estava vendo um "aumento perturbador" de infecções em algumas partes do país. Segundo ele, os americanos ignoram as diretrizes de distanciamento social e os estados reabrem sem planos adequados para testar e rastrear os contatos daqueles que são infectados. (NYT)

E por conta das altas taxas de infeção, brasileiros, assim como os americanos e os russos, serão impedidos de entrar nos países da União Europeia quando eles reabrirem suas fronteiras externas a partir de 1° de julho. As informações foram obtidas pelo New York Times.

Mas quem já pegou o novo coronavírus, pode pegar de novo? Quem desenvolveu a doença, está protegido? Sem respostas. Em artigo publicado pela Nature Medicine, o autor Ai-Long Hua, da Universidade Médica de Chongqing, na China, descreveu as características imunológicas e clínicas de 37 pacientes assintomáticos com o Sars CoV-2. Oito semanas depois, os níveis de anticorpos neutralizantes dos pacientes diminuíram 81,1%. O artigo leva em consideração basicamente a nossa imunidade adaptativa, mas o sistema imunológico do corpo humano possui outras formas de criar proteção contra os vírus. Entenda. (G1)

E imagens dos restaurantes da cidade de Nova York, que reabriram esta semana para refeições ao ar livre. Os princípios do distanciamento social são especialmente difíceis para os restaurantes, que precisam estar cheios para ter alguma margem de lucro. (Business Insider)

Na contramão, a Tailândia não foi atingida com a força prevista pelo coronavírus. E um fator aparentemente importante foi o uso de máscaras, mesmo quando a Organização Mundial da Saúde dizia que elas não eram necessárias. Um novo estudo descobriu que os países que exigiram o uso de máscaras no início do surto, ou que se adiantaram, como na Tailândia, tiveram mortalidade 100 vezes mais baixas do que o esperado. (Fast Company)

O Hajj, tradicional cerimônia de peregrinação muçulmana até Meca, foi oficialmente cancelado este ano pelo governo saudita. Trata-se de um dos cinco pilares do Islamismo e é obrigatória a todos fiéis, uma vez na vida, que têm capacidade financeira e de saúde para fazê-la. Agora em 2020, ocorreria entre 28 de julho e 2 de agosto. O risco de contágio das multidões de branco não permitiu sua realização. (New York Times)

Novak Djokovic, o tenista sérvio número 1 da ATP, anunciou ontem que testou positivo para o novo coronavírus e está assintomático. Ele é o quarto atleta a contrair a doença no torneio que ele mesmo organizou. A competição foi encerrada em função dos casos. Fãs do tenista e do esporte demonstraram decepção com sua postura em relação à pandemia.

Cultura


Para comemorar os 90 anos de Elza Soares, celebrados ontem, o Spotify criou três playlists em homenagem à cantora: Elza Soares Samba, Elza Soares Amor e Elza Soares Protestos. A artista também gravou pequenas mensagens em áudio explicando a seleção das faixas e suas inspirações para essas canções.

Elza Soares sobre a idade: “Reza a lenda e rezo eu pra agradecer por tanta vida. Pra quem passou pelo que eu passei, celebrar durante um mês inteiro é pouco. É em 23 de junho ou 22 de julho? Não importa. Eu comemoro as duas datas e nesse ano será o mês todo. É cara, mais uma primavera, mais um “passaporte” carimbado rumo a próxima década, mas não conto quantos anos tenho. Nunca parei pra contar. Ia dar uma trabalheira danada. Há dias em que nem nasci ainda, estou no ventre, em outros acabei de nascer, sei lá. Sou menina, filha do século 21 e mulher feita, tenho a idade de Nefertith. Vou vivendo, me reinventando e vivendo nos últimos anos, os melhores dias da minha vida”.

E em comemoração aos seus 50 anos, o Queen vai substituir temporariamente a Rainha Elizabeth II e estampará os selos postais britânicos. A banda foi criada em 1970 e lançou o seu primeiro álbum auto-intitulado Queen três anos depois. Até a morte de Freddie Mercury, em 1991, lançou mais 13 discos que tornaram a banda um dos maiores grupos de rock do mundo.

Cotidiano Digital


O BC e o Cade suspenderam os pagamentos e transferências por WhatsApp. Segundo os órgãos, a funcionalidade, que foi anunciada para estrear no Brasil, não permite um ambiente competitivo. Em parceria com o Facebook, a Cielo seria responsável pelas transações aceitando os cartões de débito Visa e Mastercard, dos bancos Nubank, Sicredi e Banco do Brasil.

Contra a desinformação, as imagens no Google vão começar a vir com um rótulo de verificação de fatos. O selo pode se aplicar à própria imagem ou ao site em que ela aparece.

Pela primeira vez, em nove anos, o Japão ocupa o primeiro lugar no ranking dos supercomputadores mais rápidos do mundo. Desenvolvido pela RIKEN e pela Fujitsu, o sistema Fugaku mandou a IBM para o segundo lugar.

Acabou a plataforma de games da Microsoft. O Mixer ficará disponível até 22 de julho e depois será incorporado ao Facebook Gaming. A estratégia das empresas é combinar o serviço de streaming de jogos baseado em nuvem da Microsoft diretamente com a base de usuários do Facebook para fazer frente aos concorrentes. Mas os primeiros sinais não são positivos. Muitos streamers do Mixer estão descontentes com a mudança e vão migrar para o rival, Twitch, da Amazon.

Nem Google, Amazon ou Apple. A marca mais amada do mundo é a Lego, de acordo com uma pesquisa realizada pela empresa de análise social Talkwalker. Apesar da empresa vender cerca de 7 produtos por segundo e, até agora, já ter produzido peças o suficiente para cada pessoa no planeta ter 80 delas, o resultado surpreende. A maioria das marcas que aparecem em estudos do tipo são sempre do mercado tecnológico.





Bem-vindo ao Meio. A assinatura básica é gratuita, comece agora mesmo.



24 de junho de 2020
Consultar edições passadas