Assine o Meio: notícia confiável para quem não tem tempo de ler jornal.



25 de junho de 2020
Consultar edições passadas

Zero Um deve ser denunciado nos próximos dias


O Ministério Público do Rio de Janeiro deve denunciar o senador Flávio Bolsonaro nos próximos dias. Ele e seu ex-chefe de gabinete, Fabrício Queiroz. O filho Zero Um não será o único político denunciado no esquema das rachadinhas na Assembleia Legislativa do estado — também será apontado um segundo político, para evitar críticas de que houve direcionamento nas investigações. O primogênito dos Bolsonaro é acusado de peculato, por ter desviado dinheiro público ao obrigar servidores da Alerj a transferirem parte de seus vencimentos. De acordo com apuração de Chico Otávio e Juliana Dal Piva, também devem ser tipificados os crimes de organização criminosa e lavagem de dinheiro. Queiroz e sua mulher, Márcia, também devem ser enquadrados em obstrução de Justiça, que é o motivo da prisão preventiva de ambos. (Globo)

Então... Uma advogada que frequentava a casa de Frederick Wassef, em Atibaia, conviveu com Queiroz e afirmou ter visto Márcia passando temporadas, lá. “Ela ficava um pouco, e vinha e voltava”, disse ao Jornal Nacional. Segundo ela, Queiroz passou a se esconder lá depois de maio de 2019. (G1)

Pois é... Aliados mais próximos do presidente Jair Bolsonaro o pressionam para que traga um advogado de peso e com trânsito nos tribunais superiores para representar seu filho. Pelo menos um, Nabor Bulhões, já recusou o convite. E Bolsonaro, diz Bela Megale, se mostra confiante na dupla que contratou, Luciana Pires e Rodrigo Rocca. (Globo)

A nova pesquisa DataPoder360 indica que 41% dos brasileiros aprovam o governo Bolsonaro — 49% desaprovam. As consultas foram feitas após a prisão de Queiroz na casa de Frederick Wassef, advogado do presidente. Bolsonaro é particularmente rejeitado por aqueles entre 16 e 24 anos (53%), com ensino superior (63%) e entre nordestinos (59%). Sua aprovação é maior entre a população do Centro-Oeste (40%), os que têm ensino fundamental (35%) e os com mais de 60 anos (35%). (Poder 360)

O Senado aprovou o novo marco legal do saneamento básico no país que, em essência, facilita e amplia a participação privada no setor. O objetivo é universalizar o serviço — prevê coleta de esgoto para 90% da população e fornecimento de água potável para 99% até o fim de 2033. A expectativa do Ministério da Economia é de que atraia mais de R$ 700 bilhões em investimentos e que gere 700 mil empregos nos próximos 14 anos. (G1)

É mesmo uma das apostas do governo para a recuperação da economia. O texto abre espaço para a iniciativa privada atuar mais no setor — hoje, sua participação é de 3%. (Globo)

Um levantamento da consultoria Ernst & Young e da Associação Brasileira da Infraestrutura e Indústrias de Base (Abdib) aponta que para quase 65% dos entrevistados, gente da indústria, o setor é, de fato, o com maior potencial para investidores. (Estadão)

Gesner Oliveira, da FGV: “O Brasil apresenta atraso histórico no saneamento. Cerca de metade da população não tem acesso à rede de esgoto e as perdas de água na distribuição são de 38,5%. Investir em saneamento evita a proliferação de doenças. O gasto com saúde por doenças como diarreia é quase cinco vezes maior nas dez cidades com piores índices de saneamento, se comparadas às dez melhores. O saneamento é essencial para o meio ambiente. A poluição de cursos d’água seria menor com a universalização do acesso ao esgoto ou com o tratamento adequado dos resíduos sólidos. Apesar disso, mantendo o atual ritmo de investimento, a universalização desse serviço só ocorre em 2052.” (Estadão)

A PEC que adia a eleição, já aprovada no Senado, parou na Câmara. As novas datas previstas são, para o primeiro turno, de 4 de outubro iria para 15 de novembro e, para o segundo, de 25 de outubro vai a 29 de novembro. As bancadas de MDB, PP, PL, DEM, Republicanos e PSL estão rachadas e o presidente da Casa, Rodrigo Maia, tenta organizar um acordo. Os deputados são sensíveis à pressão de prefeitos que buscam reeleição e desejam manter as datas atuais. Quanto menos tempo para opositores, avaliam, melhor para eles. Ainda mais num momento em que o assunto dominante é a Covid-19, e não os problemas de cada cidade. (Folha)

Mas... Vai ser difícil. Líderes do Centrão, diz Guilherme Amado, estão trabalhando contra o adiamento. Esperam que Maia adie a votação ou mesmo a engavete. (Época)

Ex-ministro do governo Lula, Silas Rondeau, é alvo da operação Fiat Lux da Lava Jato. Nesta manhã, a Justiça expediu 17 mandados de busca e apreensão e 12 de prisão temporária nos estados do Rio de Janeiro, São Paulo e no Distrito Federal. O esquema investigado é de contratos fraudulentos e pagamento de propina na Eletronuclear. (G1)

Viver


O Brasil teve 1.103 novas mortes registradas em razão do novo coronavírus em 24 horas, mostra levantamento feito pelo consórcio de veículos de imprensa junto às secretarias estaduais de Saúde. Com isso, são 53.874 óbitos pela Covid-19. O mundo tem 9.440.535 milhões de casos de Covid-19 e mais de 482 mil mortes.

E os números mostram que as infeções seguem aumentando mais do que nunca nos Estados Unidos. Ontem o país registrou o maior número de casos diários do novo coronavírus desde o final de abril: 36.880. O número de infecções indica que o país está num caminho diferente, já que outras nações viram achatamentos constantes após picos. Uma maior testagem não é a única explicação. Segundo o NYT, a Flórida, ao mesmo tempo que passou a testar mais, teve aumento no número de internações.

Os casos nos EUA aumentaram em 25% na última semana, com 10 estados tendo um crescimento superior a 50%, de acordo com um levantamento da Reuters.

Enquanto isso, no Reino Unido, representantes da classe médica britânica são contra a flexibilização das medidas de contenção. Em carta publicada ontem no British Medical Journal, eles alertam para o "risco real" de uma segunda onda de infecções no país.

Voltando ao Brasil, o governo brasileiro finalmente reconheceu que o país registra avanço nos casos da doença. Segundo o Ministério da Saúde, a expectativa de que o Brasil havia chegado a platô não se confirmou.

Foi um recuo. Em coletiva de imprensa, Arnaldo Correia, Secretário de Vigilância em Saúde, destacou que houve uma curva elevada na última semana epidemiológica (14 a 20 de junho) em relação ao mesmo período anterior (7 a 13 de junho). A média diária semanal passou de 25.381 para 31.009. A pasta anunciou que pretende testar 46,5 milhões de brasileiros, ou 22% da população.

Michael J. Ryan, diretor-executivo da OMS, ao ser questionado sobre o Brasil: “O vírus não age sozinho, explora as fraquezas do sistema, explora a falta de educação e falta de atenção às comunidades. Os números respondem às ações, não há mágica ou feitiços, temos que agir em todos os níveis. Olhe para os países que agiram e controlaram a doença e você encontrará as respostas”.

Pois é... bares e restaurantes devem reabrir a partir de segunda-feira em São Paulo, funcionando por seis horas e com 40% da capacidade. Liberação ainda depende de aval do governo estadual.

Ainda sobre São Paulo, o governo anunciou o plano de retomada da educação pública e privada “pós-covid”. As instituições poderão ser abertas quando todas as cidades completarem 28 dias na fase 3. Até hoje, nenhum município alcançou esta etapa de flexibilização, mas o governo idealiza o dia 8 de setembro para a reabertura das escolas. 35% dos alunos de cada escola poderão retomar as aulas presenciais e é possível que as escolas estaduais decidam fazer um rodízio com todos os estudantes. Tire dúvidas sobre o plano.

No Rio de Janeiro, não há mais prazo para a reabertura das 1.542 unidades de ensino da rede municipal, nas quais estudam 641.564 alunos.

João Silvério Trevisan, escritor, dramaturgo e autor do livro clássico sobre a população LGBT no Brasil, Devassos no Paraíso, está trabalhando agora na segunda edição de outra obra. Em Seis Balas Num Buraco Só, de 1998, que deve voltar às livrarias no ano que vem, Trevisan discute a "crise do masculino". Na nova versão, pretende amparar seu debate no comportamento dos políticos que tomaram o poder nas eleições de 2018.

Hora de Panelinha. E de aprender definitivamente a fazer um bife perfeito, no ponto certo e de um jeito prático. Nesse vídeo, Rita Lobo ensina como temperar o bife e em que momento, como grelhar para que fique macio, como preparar um molho com os queimadinhos da panela e como servir para fazer a carne render. Outra opção prática é o bife com molho de limão e grão-de-bico, tudo na mesma frigideira.

Cultura


A imagem da cantora alemã Doro Pesch se apresentando em um drive-in repleto de carros, na Alemanha, viralizou. E a indústria musical do Brasil resolveu apostar no formato para recuperar o mercado de shows. O Allianz Parque, em São Paulo, inaugurou ontem o projeto Arena Sessions, que também receberá carros no gramado para programação de filmes, games, talks, stand-up, conteúdos especiais para crianças, além de shows até o dia 19 de julho. A primeira apresentação musical da nova empreitada acontece no próximo sábado com a banda Jota Quest. Os ingressos custam 450 reais por carro, com o limite de quatro pessoas por veículo.

Gary Whitta, roteirista de filmes como O livro de EliRogue One: Uma História Star Wars, aproveitou a quarentena e criou o Animal Talking, um talk show feito inteiramente no ambiente virtual. Pelo jogo da Nintendo, Animal Crossing: New Horizons, desde abril, entrevistou várias artistas, como o ator Elijah Wood e o rapper T-Pain. O local simula um cenário típico de talk show com sofás e câmeras. A transmissão é feita pelo Twitch e depois os episódios são disponibilizados no YouTube. A segunda temporada estreou ontem com convidados de peso, como o cantor Sting e o diretor Kevin Smith.

E o Fortnite vai realizar uma noite de cinema com filmes do diretor Christopher Nolan. No Brasil, a transmissão será amanhã com duas sessões do filme Batman Begins.

Cotidiano Digital


O setor tecnológico não está contente com a suspensão de vistos de estrangeiros para trabalho temporário nos EUA. Trump alega que ao reduzir a entrada de imigrantes qualificados, que pode chegar a meio milhão de pessoas até dezembro, vai conter o avanço do desemprego. Mas a indústria de tecnologia sentirá o impacto: ela representa aproximadamente 75% de todos esses vistos e quase três quartos da força de trabalho do Vale do Silício são estrangeiros, de acordo com dados de 2016 do governo americano. Para os CEOs, essa ordem de Trump pode afetar a vantagem inovadora e competitiva do Vale do Silício frente à China e outros concorrentes.

Aliás… A lista anual da MIT Technology Review dos 35 inovadores abaixo dos 35. Confira.

O Google vai começar a pagar aos veículos de jornalismo pelo uso de notícias. O novo produto ou experiência só estará disponível mais para o fim do ano, nas ferramentas Google News e Discover. Os países já confirmados são Alemanha, Austrália e Brasil. Os acordos serão feitos com cada veículo. Por aqui já estão fechados com o jornal Estado de Minas e A Gazeta (do Espírito Santo). A ideia é dar acesso a conteúdo de paywall, para que os usuários potencialmente se tornem assinantes.

E, ainda sem data de lançamento, foi anunciado novo jogo do Pokémon, o Pokémon Unite. Será gratuito e online.





Bem-vindo ao Meio. A assinatura básica é gratuita, comece agora mesmo.



25 de junho de 2020
Consultar edições passadas