Assine o Meio: notícia confiável para quem não tem tempo de ler jornal.



14 de julho de 2020
Consultar edições passadas

EUA voltam à quarentena após reabertura


O governador Gavin Newsom, da Califórnia, ordenou ontem que todos os municípios interrompam quaisquer atividades públicas realizadas internamente — a lista inclui refeições em restaurantes, bares, visitas a vinículas, salas de degustação, cinemas, centros de entretenimento, zoológicos e museus. “Cabe a todos nós reconhecer sobriamente que o Covid-19 não vai desaparecer tão cedo.” O prefeito de Houston propôs uma paralisação de duas semanas em toda a cidade para o governador do Texas, Greg Abbott, já que infecções e hospitalizações por coronavírus continuam aumentando. A governadora de Oregon, Kate Brown, proibiu encontros em locais fechados com mais de dez pessoas e exigirá máscaras ao ar livre. Enquanto o presidente Donald Trump está numa cruzada por reabrir o país, preocupado com sua reeleição, o movimento nos estados virou rapidamente no sentido contrário. Os números, principalmente nos locais onde a pandemia não havia gerado muitos casos, voltou a acelerar. No país, há 3,4 milhões de casos confirmados de infecção pelo novo coronavírus, segundo dados da UJH. São mais de 135 mil mortos. (CNN)

Enquanto isso, na  Alemanha, apenas 1 óbito foi registrado de domingo para segunda-feira. O total de mortes no país é de 9.064. (Estadão)

Sobre a imunidade de rebanho, existe uma discussão. Ela é atingida com 60%, 40%, ou 15% de infecção da população? Alguns acham que já foi alcançada, mas um pequeno número de estudos começa a sugerir que a doença pode ser pega mais de uma vez. O conceito vem da política de vacinação, mas os efeitos do coronavírus não são lineares e o vírus afeta indivíduos e populações de maneiras muito diferentes.

E um estudo publicado ontem por uma equipe de pesquisadores do King’s College London sugere que a imunidade — capaz de proteger o organismo contra novas infecções — não pode ser tida como garantida após a superação da doença pela primeira vez. Este é o caso de outros vírus, como a gripe. Embora seja possível que a imunidade por células de memória permaneça, os anticorpos contra a Covid desaparecem em poucos meses.

Sobre as vacinas, a Rússia anunciou no último domingo que concluiu a primeira fase de testes. O país está mais perto de se tornar o primeiro a iniciar a distribuição de uma vacina contra o coronavírus para a população.

O Brasil tem 72.921 mortes por coronavírus e 1.887.959 infectados. Uma média de 1.052 mortes por dia na última semana, uma variação de 7% em relação aos óbitos registrados em 14 dias com nove estados - PR, RS, SC, MG, DF, GO, MS, RO, TO, CE, mais DF - com alta de mortes. Em relação a domingo, Ceará e Rondônia entraram na lista de crescimento de mortes -- na ocasião, eram 9 estados mais o Distrito Federal. O país registrou ontem 770 mortes. (g1)

Um estudo da Fiocruz estimou o número de mortes naturais que ocorreram “em excesso” em capitais que sofreram de forma intensa a crise do novo coronavírus. Elas saltaram 42% em relação ao que era esperado para 2020. (Mônica Bergamo)

E oito médicos responderam se eles se sentem pessoalmente seguros para voltar a frequentar restaurantes, academias, comércios e cinema. Mesmo com protocolos para evitar contaminação, a maioria acredita que, enquanto números de novas mortes e casos não caírem abruptamente, é temeroso pensar em jantar fora ou ir a uma festa. (Uol)

A pandemia da Covid-19 pode ficar cada vez pior se os países não aderirem às precauções básicas de saúde, alertou a Organização Mundial da Saúde nesta segunda-feira. As infecções superaram a marca de 13 milhões em todo o mundo, acrescentando mais de um milhão de casos em apenas cinco dias. A pandemia já matou mais de meio milhão de pessoas. O diretor-geral da organização disse que entre os 230 mil novos casos notificados no domingo, 80% eram de 10 países e 50% de apenas dois países, Estados Unidos e Brasil, que são os mais afetados. Ele usou palavras duras.

Tedros Adhanom Ghebreyesus: “Deixe-me ser franco, muitos países estão indo na direção errada, o vírus continua sendo o inimigo público número um. Se o básico não for seguido, o único caminho dessa pandemia será ficar cada vez pior e pior e pior”. (Reuters)

E um novo estudo aponta que o tabagismo está dobrando o número de jovens adultos com alto risco de contrair Covid-19. Pesquisadores da Universidade da Califórnia, em São Francisco, examinaram 8.405 pessoas, com idades entre 18 e 25 anos, e descobriram que 32% deles tinham pelo menos um dos fatores de risco. Metade estava no grupo vulnerável porque fumou nos últimos 30 dias, de acordo com o estudo publicado ontem. Quando esse fator de risco foi removido, a porcentagem de jovens vulneráveis caiu para 16%.

Hora de Panelinha. Uma dúvida muito comum é sobre o tipo de vinho que deve ser usado para cozinhar. Melhor seco ou suave? E o tipo de uva? Como evitar o desperdício? Rita Lobo ensina a escolher o melhor vinho para receitas. Não precisa ser vinho caro, mas também não precisa ser o pior dos vinhos. Até porque, para cozinhar, você só precisa de uma xícara ou duas. E o restante pode ser usado para acompanhar a refeição. Todas as receitas estão no site.

Política


O Ministério da Defesa vai encaminhar representação à Procuradoria-Geral da República contra o ministro Gilmar Mendes, do Supremo. No sábado, Gilmar afirmou numa live que o vazio no Ministério da Saúde, e a responsabilidade assumida pela interinidade do general Eduardo Pazuello, envolverá o Exército nos resultados da pandemia no Brasil. “O Exército está se associando a esse genocídio”, afirmou o ministro. O ministro Fernando Azevedo e Silva reagiu com rispidez. “Trata-se de uma acusação grave, além de infundada, irresponsável e, sobretudo, leviana.” (G1)

A reação dos militares foi dura e com motivo. Genocídio não é apenas uma hipérbole quando manifestada por um ministro de Suprema Corte. É a tipificação de um crime particularmente sério. Segundo apuração de Marcelo Godoy, os oficiais temem que, após esta declaração, um procurador ou uma corte internacional abram investigação por genocídio de povos indígenas contra as Forças Armadas pela inação do governo federal durante a crise da Covid-19. (Estadão)

Então... Antes de fazer sua declaração, Gilmar Mendes alertou ao presidente Jair Bolsonaro sobre os riscos de não só o Supremo o acionar por conta de sua conduta em meio à pandemia mas, também, de ele ter problemas perante o Tribunal Penal Internacional. O presidente pode vir a ser notificado pela corte em uma viagem à Europa. Há muitos pedidos de investigação no TPI por conta da conduta de Bolsonaro, conta Bela Megale. A amigos, Gilmar comentou que percebe os militares em uma “posição muito frágil” dentro do governo. (Globo)

Pois é... Batem em Gilmar mas, nos bastidores, os generais atuam de forma acelerada. Querem ou que Pazzuelo passe à reserva e deixe os quadros da ativa do Exército ou que outra pessoa assuma o ministério da Saúde. (Estadão)

Segundo Mônica Bergamo, o Planalto está em busca de um novo ministro da Saúde. (Folha)

A cientista responsável pelo monitoramento da Amazônia, no Inpe, foi retirada do cargo. O anúncio ocorreu três dias após serem divulgados novos dados mostrando que o ritmo de desmatamento da floresta manteve o ritmo de alta mesmo após uma ação militar, em maio. Lubia Vinhas soube de sua exoneração pelo Diário Oficial e não lhe explicaram o porquê da retirada. (Estadão)

Em carta, técnicos do Inpe dizem que há estrutura paralela no órgão que segue moldes de estruturas militares. (G1)

O PSDB nada fará a respeito da denúncia, por parte da Lava Jato, de lavagem de dinheiro contra o ex-governador e hoje senador, José Serra. Contra o deputado Aécio Neves foi aberto um processo interno, arquivado antes de ser apreciado. (Globo)

O Facebook está ameaçando tirar do ar a página do Sensacionalista. Afirma que suas regras foram violadas, mas não explica qual. (Poder 360)

Cultura


Quantas gerações de cariocas não formaram seu gosto por cinema nas salas do Grupo Estação? Pois o Estação precisa de ajuda para ficar de pé. Está movimentando uma campanha de financiamento coletivo recorde — para pagar os salários de seus funcionários e poder abrir suas portas, responsavelmente, quando a quarentena passar. Não é preciso muito. As faixas de colaboração começam em R$ 30 — uma entrada de cinema. Para colaborações maiores há brindes. Filmes, claro. Cursos de como fazer cinema. Camisetas. Ajude o Estação.

O Dalai Lama apareceu nas paradas da Billboard pela primeira vez. Seu álbum de estreia, Inner World, ficou em primeiro lugar na lista álbuns New Age e em 8º no mundo. Foi lançado no seu aniversário, 6 de julho, e apresenta mantras e ensinamentos misturados à música.

Ele ganhou uma nova identidade, uma família e tem a vida perfeita numa comunidade feliz. É esta a premissa de Kieler Streetdo, série de grande sucesso internacional da TV norueguesa que chegou ao canal fechado Film & Arts Brasil. O trailer.

A polícia confirmou a morte de Naya Rivera, atriz e cantora que interpretou a Santana, da série Glee. Ela estava desaparecida desde a última quarta-feira após sair para passear em uma lancha com seu filho de quatro anos. A criança está bem. Naya tinha 33 anos. Familiares e colegas de elenco prestaram uma última homenagem. Glee ficou marcado na história da TV como uma série que celebrava a diversidade e a autoaceitação. Os discursos abordados nos episódios colocaram produção como referência em 2009.

Numa das muitas performances marcantes de Naya em Glee, destaque para If I Die Young.

Cotidiano Digital


Muitos dos apps criados pelos governos para monitorar o vírus não são seguros e são fáceis de serem hackeados. Essa é a conclusão da Guardsquare, uma empresa de segurança de aplicativos. Grupos de direitos humanos e tecnólogos alertaram que muitos aplicativos, por coletar detalhes sobre a saúde, locais e interações sociais, coloca milhões de pessoas em risco de serem perseguidas, sofrerem golpes, roubo de dados ou rastreamento opressivo do governo. As falhas ainda podem atrapalhar a confiança nos esforços de saúde. Catar, Noruega e Índia são só alguns entre vários países que tiveram problemas de privacidade com suas plataformas. O Reino Unido, por exemplo, chegou a abandonar o seu, depois de críticas, e mudar para o software da Apple e do Google, que seria mais seguro.

Além da privacidade, alguns desses apps ainda não têm sido muito efetivos. Com o modelo centralizado de dados, eles não estão detectando muitos celulares porque o Bluetooth em segundo plano não funciona. Na França, por exemplo, apenas 14 pessoas foram notificadas entre as duas milhões que baixaram o aplicativo nas primeiras semanas.





Bem-vindo ao Meio. A assinatura básica é gratuita, comece agora mesmo.



14 de julho de 2020
Consultar edições passadas