Assine o Meio: notícia confiável para quem não tem tempo de ler jornal.



28 de julho de 2020
Consultar edições passadas

DEM e MDB deixam Centrão bolsonarista


DEM e MDB deixaram o blocão liderado pelo deputado Arthur Lira, na Câmara dos Deputados. Pretendem, junto ao PSDB, formar um grupo de centro, independente do governo, que promova para a presidência da Casa um nome respaldado pelo atual presidente, Rodrigo Maia. A eleição é no fim do ano. Lira, que negociou cargos no segundo e terceiro escalão do governo para seu PP, PSD, PL e Republicanos, promovendo a aliança entre o presidente Jair Bolsonaro e o Centrão, vem atuando como articulador informal do Planalto entre os parlamentares. Ele próprio pretendia suceder a Maia. Ao perder as duas siglas por ser visto como homem do governo, torna mais difícil sua candidatura. (Globo)

O resultado concreto é que Bolsonaro terá muita dificuldade de emplacar o novo presidente da Câmara. Oposição e independentes somam dois terços dos deputados, informa o Painel. E dependendo de quantos partidos o PSL conseguir carregar para um novo bloco que tenta formar, o Centrão poderá ficar ainda mais enfraquecido. (Folha)

Vera Magalhães: “Rodrigo Maia passou bom tempo quieto, recolhido, analisando a aproximação entre Jair Bolsonaro e o chamado Centrão. Depois da votação do Fundeb, na semana passada, quando mostrou para o presidente e para os líderes do Centrão que ainda tem o comando da pauta e do ritmo da Casa, voltou a dar as cartas nesta semana. O movimento de Maia agora dá a entender que o presidente da Câmara avalia que não há espaço para tentar nova virada da mesa que lhe garanta novo mandato no comando da Casa, que ocupa ininterruptamente desde 2016. Com isso, rearticula seus exércitos sinalizando que, se o antigo PP insistir em virar o principal partido da base de Bolsonaro, pode substitui-lo pelo MDB na fila da disputa pela presidência.” (BR Político)

O ministro Edson Fachin será o relator a analisar, no Supremo, a Ação Direta de Inconstitucionalidade ajuizada por Bolsonaro, com respaldo da Advocacia-Geral da União, que pede a suspensão dos bloqueios nas contas de redes sociais de empresários, políticos sem mandato e influenciadores do bolsonarismo. Alguns dos ministros avaliam que a decisão, tomada por Alexandre de Moraes, pode ter ferido a liberdade de expressão do grupo. Mas também avaliam que o espírito de autoproteção da Corte deve falar mais alto. O presidente do STF, Dias Toffoli, já mandou sinais de que não pretende pautar a Adin protocolada pelo presidente. Seu sucessor a partir de setembro, Luiz Fux, também não. (Folha)

Aliás... O Youtuber Felipe Neto se tornou, ontem, vítima da rede de desinformação bolsonarista. Ele é acusado de pedofilia numa série de imagens falsificadas circulando por inúmeras fontes. Uma rede de artistas e políticos partiram em solidariedade a Neto. (F5)

Então... Toffoli também mandou que a Assembleia do Rio dissolva a comissão para analisar o processo de impeachment do governador Wilson Witzel. Ele deseja uma nova comissão, formada seguindo o princípio de proporcionalidade dos partidos representados na Casa. (Globo)

O novo ministro da Educação, Milton Ribeiro, demitiu coletivamente todos os auxiliares de seu antecessor, Abraham Weintraub, ligados ao grupo olavista. Foram exonerados Auro Hadana Tanaka, Eduardo André de Brito Celino, Sérgio Santana e Victor Sarfatis Metta, ou quatro dos cinco cargos de assessoria diretamente ligados ao ministro. Ribeiro considera que, com as exonerações, atende a orientação de Bolsonaro, que pediu um MEC mais aberto ao diálogo e com perfil conciliador. (Estadão)

Um vídeo de campanha eleitoral em nome do presidente americano Donald Trump, publicado no domingo pelo deputado Eduardo Bolsonaro, foi alvo de uma reclamação formal pela comissão de Relações Exteriores da Câmara dos Deputados dos EUA. O presidente Eliot Engel — que, lá, ocupa exatamente o mesmo que Zero Três ocupa aqui — pede que a família Bolsonaro não se intrometa no pleito americano. (Estadão)

O PIX, o novo serviço instantâneo de pagamentos do Banco Central, promete substituir o TED e DOC e acabar com o cartão de débito. Disponível a partir de novembro, as transações poderão ser feitas gratuitamente, em qualquer hora ou dia da semana. Os dados para as transações estarão resumidos em uma única ‘chave de endereçamento’, apenas com o número de celular ou o CPF. E também será possível pagar compras em comércios através de QR Codes.

Viver


Foram registradas 685 mortes pela Covid-19 nas últimas 24 horas, chegando ao total de 87.737 óbitos. Com isso, a média móvel de novas mortes no Brasil nos últimos 7 dias foi de 1.069 óbitos, uma variação de 1% em relação aos dados registrados em 14 dias. Sobre os infectados, já são 2.446.397 brasileiros com o novo coronavírus desde o começo da pandemia, 26.496 desses confirmados no último dia. A média móvel de casos foi de 46.393 por dia, uma variação de 27% em relação aos casos registrados em 14 dias.

Sobre a variação nos Estados. Subindo: PR, RS, SC, DF, GO, MS, AP, PA, RO, RR e TO. Em estabilidade: ES, MG, RJ, SP, MT, BA, PB, PI e SE. Em queda: AC, AM, AL, CE, MA, PE e RN.

As medidas de isolamento social implantadas no Brasil desde março conseguiram reduzir pela metade a taxa de transmissão. Segundo estudo do Centro Conjunto Brasil-Reino Unido para Descoberta, Diagnóstico, Genômica e Epidemiologia de Arbovírus (CADDE), publicado na revista Science, a quarentena diminuiu a taxa de transmissão de 3 para 1,6 contaminados por pessoa infectada. Os pesquisadores concluíram que houve mais de 100 entradas do vírus, originárias principalmente da Europa. No entanto, apenas três se espalharam pelo Brasil. (Jornal da USP)

Enquanto para acelerar a reabertura, o governo de São Paulo alterou a taxa de ocupação de UTI. Para ir da fase 3 amarela para a 4 verde, menos restritiva, uma região precisa ter entre 75% e 70% de ocupação na UTI. Antes, este valor era de 60%. (Estadão)

Apesar da flexibilização, a maioria dos brasileiros relata ainda ter receio de voltar a frequentar shoppings, restaurantes, parques, praças e praias. Mesmo assim, empresas já se preparam para voltar o trabalho nos escritórios entre agosto e dezembro, segundo pesquisa da KPMG.

A disseminação do vírus tem se acelerado. Só nas últimas seis semanas, o número de casos globais quase dobraram, sendo registrados mais de 8 milhões. Segundo a Universidade Johns Hopkins, são mais de 16,3 milhões de casos e 650 mil mortes pelo mundo. (G1)

A América Latina, junto com o Caribe, superou a América do Norte (4,2 milhões) e se tornou a região com maior número de casos no mundo: são 4,34 milhões de infectados, com o Brasil representado quase metade. A Europa, porém, continua liderando as mortes pela doença, com 207.933 óbitos até agora, seguida por América Latina e Caribe (182.840), EUA e Canadá (155.673).

Enquanto países asiáticos têm registrado novos picos nos números diários. A China teve a maior alta de casos locais desde março. Foram 61, sendo que 57 deles foram transmitidos localmente. E a Coreia do Norte confirmou pela primeira vez a suspeita de um caso — apesar de especialistas alertarem para a falta de transparência do governo autoritário.

Dois estudos publicados na revista Jama Cardiology apontam os efeitos do novo coronavírus no coração. Um deles, realizado com autópsias de 39 pacientes, mostra a presença do vírus no miocárdio em 60% dos casos. O outro, feito com 100 pacientes recuperados de Covid-19, mostrou que, em 78%, houve uma inflamação diagnosticada semanas após a recuperação. Para pesquisadores, as descobertas apontam para chance de desenvolvimento futuro de insuficiência cardíaca. (G1)

Sobre a vacina, a Moderna começou a terceira e última fase de testes, na qual 30 mil voluntários nos EUA receberão a dose. Essa é a quinta candidata do mundo que entra na fase 3 de estudos, de acordo com a OMS. (G1)

Mas… O setor de transportes diz que não está preparado para a distribuição global. Além de espaço em navios, aviões e contêineres, a vacina exige refrigeração e cuidados extremos, no momento em que empresas de transporte estão sobrecarregadas.

Erramos... A excelente visualização de dados No Epicentro, que ajuda a compreender o número de mortes por Covid-19, é de autoria da Agência Lupa. Não da revista Piauí, como publicamos. Aliás: vale ver. Aos responsáveis pelo trabalho, um dos melhores em jornalismo de dados nos tempos recentes, nosso pedido de desculpas.

Hora de Panelinha. O ovo é dos ingredientes mais versáteis, do tipo que resolve a refeição nos momentos de pressa. Veja aqui uma seleção de receitas para virar um especialista no assunto. E para quem quiser avançar na técnica, na série Rita, Help! Me ensina a cozinhar na quarentena, Rita Lobo mostra o preparo de uma omelete à moda francesa, com recheio de espinafre. Aí a refeição fica até com jeito de ocasião especial.

Cotidiano Digital


Em geral, quando se fala em deepfakes, as pessoas pensam em imagens em vídeo. Falsificações produzidas com cada vez mais qualidade que fazem parecer que uma determinada pessoa está realmente lá. Mas começam a aparecer, nos EUA, golpes com deepfakes de voz. A Vice conseguiu uma mensagem de áudio enviada a um funcionário de uma grande empresa de software americana. Parecia a voz do CEO, que buscava ajuda. Criada com inteligência artificial, foi convincente. A pessoa transferiu US$ 240 mil a ‘pedido do chefe’.

Cultura


O Lollapalooza ganhou uma edição virtual. Paul McCartney, Imagine Dragons, Metallica, Tyler, the Creator e H.E.R estão entre os artistas que farão parte das transmissões entre esta quinta-feira (30) e o domingo (2 de agosto). As apresentações poderão ser assistidas pelo canal do YouTube. Embora a edição americana tenha sido cancelada, o evento no Brasil, adiado para dezembro, segue confirmado.

Pois é... Após mais de 100 dias de confinamento, o interesse pelas lives entre o público no Brasil está perdendo força. As buscas no Google por shows ao vivo pela internet caíram quase que 70% desde abril — pico de transmissões.

Dentre os treze nomes semifinalistas do Prêmio Booker deste ano, nove são mulheres. É o prêmio de maior prestígio da literatura britânica que, desde 2014, permite também a inscrição de americanos. Dentre as favoritas deste ano está a inglesa Hilary Mantel, autora de The Mirror and the Light, terceiro de uma trilogia sobre a vida de Thomas Cromwell, principal conselheiro do rei Henrique 8º. Com 875 páginas, vem sendo elogiado como um romance denso, sofisticado, por toda crítica, incluindo nomes como o historiador Simon Schama. Wolf Hall e O Livro de Henrique, os dois primeiros, foram publicados no Brasil pela Record. Que tantas mulheres estejam entre as candidatas não surpreende. É a primeira vez que ocorre, mas tem sido tendência. Na edição do ano passado, a canadense Margaret Atwood e a inglesa Bernardine Evaristo, pela primeira vez, dividiram o prêmio. Já o fato de que há seis nascidos nos EUA, incomoda muita gente. A lista de finalistas será publicada em setembro e, o título vencedor, em novembro. Mantel já venceu o Booker duas vezes. Seria a primeira pessoa a vencê-lo três.





Bem-vindo ao Meio. A assinatura básica é gratuita, comece agora mesmo.



28 de julho de 2020
Consultar edições passadas