Assine o Meio: notícia confiável para quem não tem tempo de ler jornal.



3 de setembro de 2020
Consultar edições passadas

Procuradores da Lava Jato em SP renunciam em massa


Sete procuradores que integram a força-tarefa da Lava Jato em São Paulo encaminharam ontem, ao procurador-geral da República Augusto Aras, seu pedido de desligamento da operação até o fim do mês. Eles argumentam que seu trabalho se tornou inviável após assumir o comando Viviane de Oliveira Martinez, indicada por Aras. “Os signatários consideram inusitado que uma Procuradora com menos de dois meses de força-tarefa, e sem um forte engajamento com os casos, se colocasse como se já conhecesse em detalhes o complexo emaranhado de fatos sob responsabilidade da Lava Jato paulista, a ponto de dizer que investigações que se propunham não seriam conexas às que vinham sendo conduzidas”, escreveram. Martinez havia pedido à Procuradoria-Geral que redistribuísse várias das investigações por não estarem realmente ligadas ao objetivo inicial. (Estadão)

Um dos pedidos de Martinez foi o de adiar a operação que atingiria o senador José Serra. A investigação já vinha de meses antes e a procuradora não apresentou qualquer razão jurídica para fundamentar o adiamento. (Estadão)

O esvaziamento da Lava Jato vem de algum tempo e uma das conversas que a Polícia Federal encontrou no celular do ex-ministro Sérgio Moro o mostra. O presidente Jair Bolsonaro cobrava dele uma notícia em que o ministro, diferentemente da Advocacia-Geral da União, argumentara que a polícia poderia prender pessoas que descumprissem o isolamento ainda no início da pandemia. “Se esta matéria for verdadeira”, escreveu o presidente, “caso queira contrariar o PR, pode fazê-lo, mas tenha dignidade de se demitir.” Bolsonaro já tentava colocar Moro para fora, diminuindo seu tamanho. “O que existe é o artigo 268 do CP”, respondeu o ainda ministro. Moro se demitiria no mesmo mês. (Globo)

O presidente Jair Bolsonaro prometeu entregar hoje, ao Congresso, o texto da Reforma Administrativa. A proposta elaborada pelo governo, que trata de como funciona o funcionalismo público, não afetará os atuais servidores, apenas os que virão. O Planalto vem prometendo a entrega deste texto, pressionado pelo presidente da Câmara Rodrigo Maia e pelo ministro da Economia Paulo Guedes, desde o início do ano. (G1)

Entre os princípios que norteiam as mudanças estão o de transferir para a iniciativa privada os serviços que não sejam exclusivos ao Estado. Haverá três classes de funcionários públicos — as carreiras de Estado, que manterão garantia de estabilidade; servidores com tempo sem estabilidade e aqueles contratados por um tempo pré-determinado. A aposentadoria será obrigatória, nas estatais, aos 75 anos. (Estadão)

Bruno Boghossian: “Bolsonaro foi à porta do Alvorada e anunciou que finalmente apresentaria uma proposta. A ideia era acalmar investidores que estavam em pânico. Faltou dizer, no entanto, que aquele remédio para a ansiedade era só placebo. O projeto será mais brando do que queria a equipe econômica. As novidades valerão apenas para futuros servidores, o que já era esperado, mas a proposta também não deve mexer agora com os salários ou a estabilidade desses funcionários. O governo ainda não quis estabelecer as regras mais sensíveis do plano e resolveu mandar ao Congresso apenas parâmetros gerais. Para que as normas tenham efeito e façam diferença nas contas públicas, como queria Guedes, ainda seria necessário aprovar uma outra lei.” (Folha)

O governo de Jair Bolsonaro é percebido como ótimo ou bom por 39% dos brasileiros ouvidos pelo PoderData. 34% consideram ruim ou péssimo e, 24%, regular. Não surtiram efeito, de acordo com a nova rodada da pesquisa, as viagens ao Nordeste feitas pelo presidente. Sua aprovação caiu 8 pontos percentuais desde o levantamento de duas semanas atrás — de 48% na região para 40%. (Poder 360)

O Superior Tribunal de Justiça manteve o afastamento, por 14 votos a 1, do governador fluminense Wilson Witzel. “Diante da gravidade dos fatos, há comprovação de pagamentos de contas em dinheiro vivo, compra de moedas estrangeiras em dinheiro vivo, não vejo como não referendar a decisão”, argumentou o ministro Francisco Falcão. “Penso, com todo o respeito, que uma decretação de medida como essa devia ser mais que colegiada, mas depois de ouvidos os advogados, para se garantir um mínimo de contraditório. Afastar um governador que foi eleito com quase 5 milhões de votos?”, questionou Napoleão Nunes Maia, que divergiu. Napoleão defende que quem tem autoridade para afastar um governador é a Assembleia Legislativa. Laurita Vaz foi outra ministra que votou pelo afastamento. “Há fortes evidências do cometimento de crimes gravíssimos, envolvendo em primeiro plano supostamente o governador do estado e a primeira-dama, que, na condição de advogada, teria recebido entre agosto de 2019 e maio de 2020 mais de R$ 500 mil em repasses considerados ilícitos de empresas ligadas à prestação de serviços hospitalares, algumas de fachada e operadas por laranjas.” (Globo)

Míriam Leitão: “Há um efeito a mais da pandemia piorando o ambiente em Brasília. As autoridades dos outros poderes que são simpáticas a Bolsonaro fazem reuniões presenciais. Os que guardam distância, por respeitar o distanciamento social, estão se conectando apenas por canais eletrônicos. Já a conversa olho no olho, a palavra no pé do ouvido só está ocorrendo de um lado, aquele que conspira contra o bom funcionamento das instituições brasileiras. No Brasil de hoje, quem não está preocupado com a democracia está mal informado ou não está lendo bem os sinais.” (Globo)

Viver


O número de casos de Covid-19 dobrou em menos de 50 dias no Brasil. Em casos confirmados, já são 4.001.422 brasileiros com o novo coronavírus desde o começo da pandemia, 48.632 desses confirmados no último dia. A média móvel de casos foi de 39.917 por dia, uma variação de +1% em relação aos casos registrados em 14 dias. O país registrou 1.218 mortes pela Covid-19 nas últimas 24 horas.

Em relação às mortes, a média diária vinha caindo, mas registrou pequeno aumento e ficou em 878, referente aos sete dias anteriores. Ao todo, 123.899 brasileiros morreram em decorrência da Covid-19.

Sobre a distribuição da vacina desenvolvida pela Universidade de Oxford contra a Covid-19, o Ministério da Saúde anunciou que continua prevista para janeiro de 2021, caso seja mantida a perspectiva de comprovação da eficácia na terceira e última fase de testes clínicos.

Nos Estados Unidos, estados foram notificados pelo Centro de Controle e Prevenção de Doenças para uma possível campanha de vacinação em massa contra o coronavírus a partir do fim de outubro ou começo de novembro. (NYT)

Há controvérsia. O diretor do National Institutes for Health disse que é “improvável” que uma vacina contra o coronavírus esteja pronta em outubro, apesar das orientações de distribuição do CDC. (CNN)

Tedros Ghebreyesus, diretor geral da OMS: “Nenhum país pode simplesmente fingir que a pandemia acabou”.

Pois é... o continente americano possui o maior número de profissionais da saúde infectados pelo novo coronavírus em todo o mundo, alertou a Organização Pan-Americana da Saúde, braço da OMS na região. São 570 mil infectados e 2.500 mortes desde o início da pandemia. A maioria das infecções no continente aconteceram no Brasil, que já soma 270 mil casos entre os profissionais, número superior ao dos EUA (140 mil) e México (cerca de 100 mil).

Outro número assusta. O de pessoas mortas pela polícia no Brasil e o de policiais mortos no 1º semestre em plena pandemia. Ao menos 3.148 pessoas foram mortas por policiais no primeiro semestre deste ano em todo o país. O número é 7% mais alto que o registrado no mesmo período do ano passado. Os casos de policiais que morreram em serviço e fora de serviço também apresentaram alta nos primeiros seis meses deste ano. Foram 103 policiais mortos, o que representa um aumento de mais de 24%. Os dados, inéditos, fazem parte de um levantamento feito pelo G1 com base nos dados oficiais de 25 estados e do Distrito Federal. Apenas Goiás se recusa a passar os dados.

No futebol, a CBF fez anúncios sobre o futebol feminino. As diárias entre homens e mulheres na seleção brasileira serão iguais e, segundo Rogério Caboclo, presidente da CBF, não haverá mais diferença de gênero. A informação foi divulgada durante uma coletiva de imprensa que também contou com a apresentação de Aline Pellegrino e Duda Luizelli, as novas coordenadoras de futebol feminino da entidade.

Quinta é dia de Panelinha. A dica é um clássico da cozinha francesa: o boeuf bourguignon. O ensopado de carne com vinho tinto que cozinha lentamente e ganha muitas camadas de sabor faz parte do projeto Receita pro Fim de semana. A ideia é curtir a cozinha, que virou um refúgio, e preparar com a nossa comunidade (cada um de sua casa) receitas que viram um programa de fim de semana. Você pode acompanhar no @Panelinha_RitaLobo no Instagram.

Cultura


Doutora em psicologia, Mary L. Trump não pode esconder seu sobrenome. Em Too Much and Never Enough (Demais e Nunca o Bastante, ainda sem edição no Brasil), a sobrinha do presidente dos Estados Unidos conta como sua família criou “o homem mais perigoso do mundo”, como diz o subtítulo. O livro, lançado em julho, está na primeira posição entre os mais lidos de não-ficção da Amazon.

Aliás... Becoming, de Michele Obama, segue há 94 semanas na lista dos mais lidos nos EUA. A edição brasileira, lançada em 2018, também aparece entre os mais vendidos por aqui.

Com a pandemia, a relação entre produtoras, distribuidoras e exibidores ficou ainda mais sensível. E deve se agravar ainda mais com a estreia da versão live-action do clássico animado Mulan, que estreia amanhã direto no streaming em diversos territórios—ainda não há notícias sobre a estreia no Brasil. Quem é da indústria aguarda para saber quais serão os resultados. O público estará disposto a pagar um valor extra de US$ 30, ou cerca de R$ 170, além da assinatura do serviço, o Disney+, para ver o longa ou ele não será capaz de faturar o mesmo que pelas bilheterias tradicionais? Em agosto, a Disney pegou todos de surpresa com o anúncio visto por alguns como o “novo cinema”.

Cotidiano Digital


A lista de apps chineses banidos da Índia aumentou: mais 118 aplicativos foram bloqueados do país, incluindo PUBG, Baidu e Alipay, se juntando a outros como TikTok e WeChat. No total, 224 foram banidos pelo governo indiano, que alega que são prejudiciais à soberania e segurança do país.

Enquanto isso… As negociações para a venda do TikTok nos EUA paralisaram. Com as novas restrições da China às exportações de inteligência artificial, a Bytedance e os interessados na venda estão tentando descobrir se os algoritmos do TikTok se encaixam nas novas regras e, em caso afirmativo, se Beijing aprovaria a transferência.

A ZTE apresentou o primeiro smartphone com câmera de selfie embaixo da tela. Quando a câmera de 32 MP é ativada, parte da tela superior é apagada e fica transparente para que a luz ambiente chegue ao sensor interno. A chinesa disse que a implementação foi possível graças a utilização de um material de alta transparência, bem como algoritmos de software otimizados para compensar o impacto causado na qualidade da imagem. Ainda não dá para saber se de fato a inovação não atrapalha na qualidade. O Axon 20 5G, por enquanto, só está disponível na China, e ainda não há informações sobre o lançamento em outros países.

A Apple também prepara muitos lançamentos para outubro. Segundo a Bloomberg, serão apresentados quatro modelos 5G do iPhone, dois Apple Watches, um iPad Air e o seu primeiro headphone fora da marca Beats.





Bem-vindo ao Meio. A assinatura básica é gratuita, comece agora mesmo.



3 de setembro de 2020
Consultar edições passadas