Assine o Meio: notícia confiável para quem não tem tempo de ler jornal.



8 de setembro de 2020
Consultar edições passadas

Bolsonaro e Lula jogam para manter polarização para 2022


O presidente Jair Bolsonaro foi à TV, ontem, para aproveitar o 7 de Setembro na campanha de seu governo para oferecer uma visão de país. “Nos anos 60, quando a sombra do comunismo nos ameaçou, milhões de brasileiros, identificados com os anseios nacionais de preservação das instituições democráticas, foram às ruas contra um país tomado pela radicalização ideológica, greves, desordem social e corrupção generalizada”, afirmou, em defesa do golpe militar de 1964 que instaurou uma ditadura de duas décadas. “Somos uma Nação temente a Deus, que respeita a família e que ama a sua Pátria.” Assista ou leia. (Poder 360)

Durante o fim de semana, o secretário de Cultura Mario Frias já havia atacado a paródia que o humorista Marcelo Adnet fez a respeito do vídeo do governo sobre heróis nacionais. “Garoto frouxo e sem futuro”, afirmou no Instagram. “Um palhaço decadente que se vende por qualquer tostão. Onde eu cresci, ele não durava um minuto. Bobão.” Frias cresceu em Ipanema, no Rio. A Secretaria de Comunicação do governo também não gostou de perceber sua visão de país parodiada. “Acreditamos que seria possível unir todo o país em torno de bons valores e de bons exemplos. Afinal, ninguém é contra a bondade, o amor ao próximo, o sacrifício por inocentes, certo? Errado! Infelizmente, há quem prefira parodiar o bem e fazer pouco dos brasileiros.” Adnet respondeu do seu jeito. (Twitter)

Também o ex-presidente Lula achou espaço para dar sua visão de país. “O Brasil está vivendo um dos piores períodos de sua história. Com 130 mil mortos e quatro milhões de pessoas contaminadas, estamos despencando em uma crise sanitária, social, econômica e ambiental nunca vista.” Lula acusou o governo de submisso aos interesses dos Estados Unidos, citando privatizações e acordos militares. E, pela primeira vez, se apresentou claramente como candidato. “Nessa empreitada árdua, mas essencial, eu me coloco à disposição do povo brasileiro, especialmente dos trabalhadores e dos excluídos. Minhas amigas e meus amigos, queremos um Brasil em que haja trabalho para todos.” Assista ou leia. (Poder 360)

O cenário principal desta disputa, de acordo com pesquisas, será o Nordeste, onde o PT tem sua fonte mais sólida de eleitores. É também onde o presidente Jair Bolsonaro vêm crescendo mais, na trilha do auxílio emergencial. Na região, muitos candidatos a prefeituras vêm buscando se ligar à imagem do presidente. “Não sou militante de esquerda, mas reconheço o governo Lula como sendo bastante exitoso”, conta o prefeito de Petrolina, Miguel Coelho, filho do líder do governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho. “Mas o presidente Bolsonaro vem trabalhando para poder também se inserir.” (Folha)

Merval Pereira: “A certeza de que será decretada pelo Supremo a parcialidade de Sérgio Moro como juiz nos processos que condenaram o ex-presidente Lula é tamanha que ele ontem se lançou candidato à presidência da República em 2022. Colocou-se ‘à disposição do povo’. Desmentindo, assim, que o PT pudesse ter outro candidato, como insinuou recentemente. O pronunciamento, e alguns movimentos anteriores, são sinais de que Lula tenta se reaproximar da esquerda, que já tem dois candidatos colocados, Ciro Gomes pelo PDT e Flavio Dino, do PCdoB. Há quem veja até possibilidade de Lula vir a repetir Cristina Kirchner, e apresentar-se como vice de uma chapa de esquerda. Difícil acreditar numa manobra dessas, pois tanto Ciro quanto Dino têm peso político próprio.” (Globo)

Meio em vídeo: Quem busca heróis, na história, não aprende história. Porque a lição da história é justamente essa: as pessoas são fruto de seus tempos, há movimentos que ocorrem que não são causados por uma pessoa ou por outra mas por mudanças mais profundas — econômicas, econômicas. Governo que impõe heróis é governo que quer doutrinar. E, para estes, humor é a melhor arma, diz o editor Pedro Doria. Assista.

O Conselho Nacional do Ministério Público deve julgar hoje o procurador Deltan Dallagnol. Ex-coordenador da força tarefa da Lava Jato em Curitiba, Deltan é acusado pelo senador Renan Calheiros de ter movido, no Twitter, uma campanha contra sua eleição para a presidência do Senado. O julgamento foi liberado, na semana passada, pelo ministro Gilmar Mendes. (Globo)

Então... Gilmar se encontrou há dez dias com o procurador-geral da República, Augusto Aras. Foi Aras quem o alertou que corria risco de prescrever o processo no CNMP, caso não fosse julgado logo, conta Bela Megale. (Globo)

O Congresso Nacional aprovou uma lei que pode anular dívidas tributárias de igrejas que, no acumulado, podem chegar a R$ 1 bilhão, de acordo com o que apurou a repórter Idiana Tomazelli. O ministério da Economia deve recomendar ao presidente Jair Bolsonaro que vete. A bancada evangélica é um dos principais pilares de sustentação do governo no Legislativo. O prazo é dia 11. Em abril, Bolsonaro havia dado ordens à equipe econômica que ‘resolvesse o assunto’. (Estadão)

Viver


O Brasil chegou a 127.001 mortes e 4.147.592 casos confirmados de coronavírus. A média móvel de mortes registrou queda de 17%. O país registrou 315 mortes pela Covid-19 nas últimas 24 horas. Com isso, a média móvel de novas mortes no Brasil nos últimos 7 dias foi de 784 óbitos, uma variação de -17% em relação aos dados registrados em 14 dias.

As praias do Rio de Janeiro permaneceram cheias durante o feriado do Dia da Independência. Houve aglomerações em diversos pontos da orla, apesar de as regras do estágio atual de flexibilização proibirem a permanência na faixa de areia. O mesmo aconteceu em São Paulo. O movimento foi comparado aos dias de temporada de verão pelos comerciantes do litoral norte. Veja fotos.

Por falar em São Paulo, a tendência de descida nas médias diárias tem se mantido semanalmente, segundo o texto divulgado pelo governo do Estado.

E fechadas por quase seis meses, escolas públicas e particulares de São Paulo podem reabrir as portas a partir de hoje para a realização de atividades presenciais de reforço e acolhimento dos estudantes. Não são permitidas atividades curriculares, como aulas —cuja retomada está prevista para outubro.

Poie é... Para 72% dos brasileiros das classes A, B e C, os alunos só devem voltar a ter aulas presenciais depois que uma vacina para o novo coronavírus estiver disponível, segundo pesquisa Ibope.

Madri retomou restrições às concentrações de pessoas em ambientes privados e públicos, impostas pelo governo regional por conta da disparada no número de novos contágios de Covid-19 — 31,5 mil nas últimas duas semanas. As férias já acabaram e as aulas nos colégios recomeçam (também sob muitas restrições). A capital espanhola adiou mais uma vez a normalidade no país, que ontem chegou a 500 mil casos no total.

Na Inglaterra, o aumento de casos também preocupa. O Reino Unido registrou 2.948 casos diários confirmados, de acordo com dados do governo publicados ontem, o segundo maior aumento em 24 horas desde maio.

Enquanto isso, profissionais da saúde relatam exaustão na Índia. O país ultrapassou o Brasil em número de casos e ocupa a segunda posição na lista de países mais afetados pelo coronavírus.

E um gráfico da Associação Médica do Texas se tornou viral nos Estados Unidos e no Reino Unido ao apontar os diferentes graus de risco de contágio por Covid-19 que atividades cotidianas oferecem. Ir à academia de ginástica, frequentar bares e cultos religiosos com mais de 500 fiéis estão entre as atividades mais arriscadas.

Sobre vacinas, a CoronaVac, da China, testada pelo Butantan, mostrou ser segura para idosos, mas estimula uma resposta imunológica levemente menor nesse grupo. A vacina não causou efeitos colaterais graves em testes de fase 1 e fase 2 realizados com 421 participantes de 60 anos ou mais. Os resultados são preliminares e foram obtidos após testes de nível inicial a intermediário.

Já o Ministério da Saúde da Rússia anunciou o lançamento do primeiro lote de uso civil da vacina russa, a Sputnik V.

O Pantanal enfrenta a pior seca dos últimos 47 anos. De janeiro até o final de agosto, o fogo no Pantanal brasileiro já havia queimado uma área correspondente a 12 cidades de São Paulo – 18.646 km², cerca de 12% da área total do bioma –, segundo dados do Laboratório de Aplicações de Satélites Ambientais divulgados pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais. O Inpe também detectou 10.316 focos de queima desde o início do ano até 3 de setembro, o maior número para o período desde o início dos registros, em 1998. E o pior ainda pode estar por vir – setembro é o mês com a média mais alta de focos e a chuvas costumam chegar na segunda metade de outubro. (NatGeo)

Hora de Panelinha. Tem dias em que a vontade de cozinhar é zero. E para esses dias existem receitas que exigem um mínimo de esforço e tempo (elas ficam prontas em menos tempo do que a entrega do delivery). Para facilitar ainda mais, no Panelinha tem uma página que reúne o top dez das receitas da preguiça.

Cultura


Os drive-ins como solução de entretenimento para as crises de saúde têm precedentes. Durante a eclosão do Sars em 2003, a China viu um aumento nas vendas de carros à medida que as pessoas evitavam o transporte público - o que foi refletido por um crescimento nos cinemas drive-in, um novo conceito no país. Conheça mais sobre sua história.

Já Bogotá aderiu ao formato ar livre, mas com a diferença de que no “auto-teatro” não há projeção senão atores ao vivo, com todos os desafios que isso acarreta em questões técnicas e em relação ao público. Foi no último fim de semana, com a apresentação da peça Caliente Caliente, uma comédia musical sobre a menopausa.

A bilheteria nacional em cinemas drive-in cresceu 27% em fim de semana de feriado liderada por A maldição do espelho.

Por falar em cinema, o filme Tenet superou neste fim de semana a marca de US$ 150 milhões em bilheteria, cerca de R$ 795 milhões, ao redor do mundo, mesmo em meio à pandemia do novo coronavírus. O “empurrão” final foi dado pela estreia do longa nos Estados Unidos e no Canadá, que adicionou US$ 20,2 milhões, ou R$ 107 milhões, à conta do filme de Christopher Nolan. O trailer.

Já está à disposição o comovente Narciso em Férias, documentário de Renato Terra e Ricardo Calil que narra a experiência do músico Caetano Veloso na prisão, durante a Ditadura Militar. O filme também foi exibido esta semana no respeitado Festival de Veneza. “Acordei algumas noites ouvindo gritos de pessoas torturadas”, ele lembra em um dos momentos, sempre filmado contra um paredão de concreto. Caetano, com o amigo Gilberto Gil, foram acusados de ‘terrorismo cultural’ por cantar o Hino Nacional com letra parodiada. A acusação era falsa. Assista. E o trailer.

Cotidiano Digital


A pandemia pode desencadear uma corrida por moeda digital. A China é o país mais na frente: já começou a testar sua moeda este ano e está expandindo para outras cidades, como Beijing, Hong Kong e Macau. Enquanto o banco central americano começou agora a priorizar o desenvolvimento e avançar com urgência a produção. Uma moeda digital tem sido vista como uma alternativa para ajudar a estimular a economia depois da crise, enviando dinheiro de forma mais rápida e eficiente. Por enquanto, por aqui, o BC ainda está nos primeiros estágios e criou um grupo de estudo para discutir a emissão no Brasil.





Bem-vindo ao Meio. A assinatura básica é gratuita, comece agora mesmo.



8 de setembro de 2020
Consultar edições passadas