Ainda não é assinante? Assine. Não custa nada.



20 de outubro de 2020
Consultar edições passadas



Supremo deve afastar senador dos R$ 30 mil


O plenário do Supremo deve confirmar amanhã o afastamento do senador Chico Rodrigues, flagrado com os trinta mil na cueca. Ele já havia sido afastado preliminarmente por 90 dias pelo ministro Luís Roberto Barroso. Atualmente, entende-se que o Judiciário tem o poder de afastar parlamentares mas cabe ao Legislativo validar esta decisão. Em 2017, o Supremo afastou o então senador Aécio Neves e, no ano anterior, o então presidente da Câmara, Eduardo Cunha. A Câmara entregou Cunha, o Senado não entregou Aécio. (Estadão)

Pois é... Ao menos por enquanto, o presidente do Conselho de Ética do Senado, Jayme Campos, circula com a ideia de que Rodrigues se licencie por 121 dias para não “deixar nenhuma dúvida”. Seria para esperar o caso esfriar e os senadores não terem de passar pelo desgaste de votar sobre o destino do colega. (G1)

Aos pares, diz Valdo Cruz, o senador de Roraima vem explicando que o dinheiro era para pagar funcionários. “Nunca tinha sido acordado pela polícia. Num ato de impulso, protegi o dinheiro do pagamento das pessoas que trabalham comigo.” (G1)

Josias de Souza: “Bolsonaro costuma bloquear os internautas que comparecem às suas redes sociais para criticá-lo. Nas últimas semanas, segundo relatou a auxiliares, ele teve de intensificar esse hábito. Muitos dos seus seguidores passaram a exibir um comportamento de perseguidores. O fio condutor dos questionamentos é o descompromisso de Bolsonaro com a agenda anticorrupção. Incomodado, o presidente desenvolve uma resposta padrão. Declara que os críticos favorecem a volta do PT ao poder. Bolsonaro ainda não notou. Mas a contrariedade que chega às suas contas eletrônicas pode favorecer não a volta do petismo, mas o surgimento de um candidato capaz de representar o papel de novidade. Bolsonaro chegou ao Planalto com uma bola na marca do pênalti da popularidade: a Lava Jato. Fez vários gols. Todos contra. Verificou-se que seu apoio à cruzada anticorrupção era de vidro e se quebrou. O odor do melado é encoberto pelo aroma do auxílio emergencial da pandemia, que caiu de R$ 600 para R$ 300. Em privado, Bolsonaro declara que não abre mão de criar um benefício novo para colocar no lugar do vale corona a partir de janeiro. Em público, reconhece que não há dinheiro. Esquiva-se de exercer o papel antipático e intransferível de informar que despesas pretende cancelar para financiar o seu Renda Cidadã. O compromisso com a austeridade está prestes a subir no teto de gastos. Antes da crise sanitária, o governo entregou um pibinho de 1,2%. Hoje, convive com a recessão da pandemia. Os desempregados já somam 14 milhões. E as reformas econômicas viraram prioridades de gogó. Ou Bolsonaro dá um cavalo de pau no seu governo ou se arrisca a chegar a 2022 como candidato favorito a fazer de um outro Bolsonaro o próximo presidente do Brasil.” (UOL)

O Palácio do Planalto armou toda a pompa e circunstância para anunciar que o vermífugo nitazoxanida apresenta resultados positivos no tratamento precoce de pacientes de Covid-19. Com entusiasmo, o ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Marcos Pontes, descreveu os cientistas engajados no estudo como abnegados e apresentou um gráfico tirado de um banco de imagem genérico que não representava dado algum. A cerimônia fazia parecer que havia uma revolução em curso. E tudo ocorria no mesmo dia em que o presidente Jair Bolsonaro reiterava que a aplicação da vacina contra o novo coronavírus não será obrigatória. (G1)

As pessoas físicas já doaram mais de R$ 140 milhões para as eleições. O levantamento do G1 mostra que mais de 40 mil pessoas transferiram o dinheiro diretamente para os candidatos e outras 2.359 pessoas doaram para os órgãos partidários, que decidem o destino do dinheiro. A principal receita das candidaturas, porém, ainda vem dos partidos políticos – o montante chega a R$ 327,3 milhões.


Acontecerá na quinta-feira o último debate presidencial entre o presidente americano Donald Trump e o ex-vice-presidente, Joe Biden. Desta vez, a moderadora Kristen Welker, da NBC, vai tirar o áudio do microfone de quem não estiver respondendo à pergunta. A campanha do presidente protestou a respeito da mudança das regras, mas não a ponto de desistir do debate. As pesquisas indicam que Trump perdeu o primeiro encontro. Sua equipe acreditava que ele conseguiria forçar um segundo encontro físico, apesar do diagnóstico recente para o novo coronavírus. Assim, recusou-se a fazer o debate virtual. Quando a alternativa apareceu na forma de duas entrevistas simultâneas, a crença foi de que o presidente alcançaria uma audiência maior. Não aconteceu. Desta vez limitaram-se a protestar. A eleição ocorre a partir de exatamente duas semanas de hoje e Trump aparece muito atrás nas pesquisas. (CNN)

A candidatura democrata evita euforia. Hillary Clinton, afinal era também franca favorita.

Viver


O país registrou 341 mortes pela Covid-19 nas últimas 24 horas, chegando ao total de 154.226 óbitos desde o começo da pandemia. Com isso, a média móvel de mortes no Brasil nos últimos 7 dias foi de 502, novamente voltando a ficar acima da marca de 500. Isso significa uma variação de -23% em relação aos dados registrados em 14 dias, ou seja, apontando tendência de queda. São 5.251.127 em casos registrados, com 18.586 desses confirmados no último dia.

No mundo, já são mais de 40 milhões de casos, segundo a Universidade Johns Hopkins. E o número de mortes chegou a 1.113.896. Mais da metade dos casos se concentra em três países: EUA (8,1 milhões), Índia (7,5 milhões) e Brasil (5,2 milhões).

Enquanto alguns países passam pela segunda onda, o Irã está na sua terceira. E a mais mortal delas. Por não cumprir as medidas preventivas, desde setembro vem batendo recorde no número de novos casos diários e ontem registrou 279 mortes, o seu maior número diário e semelhante ao visto em julho.

Sobre a vacina… A chinesa Coronavac causou efeitos adversos em apenas 35% dos voluntários no Brasil. O índice está abaixo dos ao menos 70% das outras vacinas testadas (Moderna, Pfizer/BioNTech, AstraZeneca e CanSino). “Todas tiveram efeitos colaterais grau três, que são os mais importantes. A vacina do Butantã não teve. Febre é outro indicativo importante, e na do Butantã foi de apenas 0,1%. Em febre acima de 38 graus, foi zero. É a vacina mais segura neste momento, não só no Brasil, mas no mundo”, disse Dimas Covas, diretor do Instituto Butantã. (Estadão)

Aliás… Bolsonaro disse que a vacina não será obrigatória. O comentário foi feito após o governador de São Paulo, João Doria, definir que a vacinação será mandatória no estado. (Globo)

Sobre a volta às aulas… Ontem 16 municípios do Rio de Janeiro, incluindo a capital, retornaram com as aulas presenciais nas escolas estaduais para turmas do 3º ano do Ensino Médio e da Educação de Jovens e Adultos. Mas o retorno teve pouca adesão dos alunos. As escolas privadas já voltaram com as aulas faz quase 20 dias, porém pelo menos 12 já registraram casos suspeitos ou confirmados de Covid-19 entre alunos e funcionários. (Globo)

Em Nova York, o retorno às aulas tem dado certo por enquanto. Três semanas após a reabertura, apenas 18 casos foram confirmados dentre 10,676 estudantes e funcionários. (New York Times)

Entre 161 nações, o Brasil teve a maior queda em índice de liberdade de expressão. Caiu 18 pontos de 2018 para 2019. Na 94ª posição, o país ficou atrás de todos os países da América do Sul, com exceção da Venezuela. Segundo o relatório da ONG Artigo 19, a queda “se acelerou com a chegada de Jair Bolsonaro ao poder”.

E no mundo, a liberdade de expressão atingiu o seu menor nível em 2020. Apenas um pouco mais da metade da população vive em nações onde vigora o direito pleno. A queda foi puxada por restrições crescentes em países com grandes populações, como China, Índia e Rússia.

Panelinha no Meio. Em longos 40 minutos de fogo bem baixinho, a cebola se transforma totalmente. De ingrediente ardido, que faz até chorar, vira preparação doce, caramelada, amanteigada, suave… E é ela que puxa a fila dos sabores dessa torta incrível de queijo com cebola caramelizada. Caramelizar a cebola é um exercício de paciência, quase uma meditação, mas cada minuto vale a pena: combinada com o queijo, ela dá profundidade ao sabor da torta. Se não tiver gruyère, pode fazer com queijo meia-cura, que derrete bem.

Cultura


Foram 237 dias ininterruptos de lives — e, assim, o perfil da cantora Teresa Cristina se tornou um dos espaços seguros, pontos de encontro fixos para milhares durante a quarentena. Todas as noites, mais recentemente a partir das 20h, ela entrava no ar, por vezes indo até de madrugada. Ficava um clima de botequim. Desde o último dia 10, Teresa vem sendo consistentemente atacada por hackers. Os seguidores são derrubados em blocos, centenas saem de uma vez só. Tentativa foram feitas de assumir sua conta. Ela recebeu links falsos para verificar sua senha. Teresa acredita que os ataques possam ocorrer por motivação política. Mas, após dias de instabilidade, ontem ela conseguiu voltar. E, hoje, estará novamente no ar. Acompanhe seu perfil.

Mais de quatro décadas após seu lançamento, o álbum Rumours, da banda americana Fleetwood Mac, está entre os dez mais tocados da semana. É graças à música Single, badalada num dos mais simpáticos — e virais — clipes da rede TikTok do último mês. Ouça no Spotify.

Este ano não tem Bienal do Livro no Rio de Janeiro. Mas os debates acontecerão — online. Com curadoria de Bianca Ramoneda, já abertos para a inscrição gratuita de quem o desejar, o Festival Conexões ocorrerá entre 24 e 25 de outubro, e promoverá conversas com Christian Dunker, Holly Black, Luiz Antonio Simas, Branca Vianna, Flávia Oliveira e muitos outros.

Cotidiano Digital


A revista Wired tem uma lista de usos para aquele smartphone sem uso solto pela casa. De cara, já pode virar uma câmera de segurança com o app certo. Pode se tornar um substituto de Kindle. Ou um controle remoto inteligente. Até um porta retratos digital vivo para aquelas tantas fotos que tiramos e nunca vemos.

Após inúmeras queixas, a Microsoft suspendeu o hábito de forçar o reinício de computadores para do nada instalar novos web-apps no Windows 10 que não necessariamente eram requisitados pelos usuários. Segundo a companhia, tratava-se de um bug do sistema.





Bem-vindo ao Meio. A assinatura básica é gratuita, comece agora mesmo.



20 de outubro de 2020
Consultar edições passadas