Assine o Meio: notícia confiável para quem não tem tempo de ler jornal.



4 de novembro de 2020
Consultar edições passadas

meio_greenweek_1408x608_cabecalho

EUA sem vencedor claro; Eleição pode terminar na Justiça


Com número recorde de votos, as eleições americanas ainda estão em suspenso e não é possível definir quem venceu. Ambos, o presidente Donald Trump e o democrata Joe Biden, têm fortes chances e, exatamente como em 2016, a eleição será decidida em três estados do Cinturão da Ferrugem — Wisconsin, Michigan e, principalmente, Pensilvânia. No primeiro já foram contados 84% dos votos e, nos outros dois, 76% e 74% até a hora do fechamento desta edição. Mas o processo pode chegar até à sexta-feira. Durante a madrugada, Biden discursou elogiando a paciência de seus eleitores. “Nós sabíamos que seria longo”, ele afirmou. “E não acabou enquanto cada voto não tiver sido contado.” (Assista.) O discurso do presidente foi em outro tom — acusou fraude. “Milhões votaram em nós esta noite”, disse. “Um grupo triste de pessoas está tentando descredenciar este grupo. Não vamos tolerar. Vencemos esta eleição.” (Assista.) Trump declarou que vai à Suprema Corte pedir que os votos parem de ser contados. Nacionalmente 20% das cédulas ainda não foram tabuladas.

Após o discurso do presidente, Instagram e Facebook dispararam mensagens para seus usuários nos EUA lembrando que ainda há muitos votos por contar. (Independent)

Na Pensilvânia, por exemplo, faltam dois milhões de votos por contar de um total de aproximadamente sete milhões. Donald Trump está na frente, com uma vantagem de 680 mil votos. Os votos que faltam vieram pelo correio e quase 70% deles são de eleitores registrados como democratas. Isto não é garantia de que todos votarão em Biden — mas a conta é apertada. (New York Times)

Os três estados do Cinturão da Ferrugem que empacaram a contagem dos votos na noite da eleição o fizeram por decisões judiciais que partiram de processos movidos pelo Partido Republicano. A exigência é de que os votos antecipados só pudessem ser contados a partir da terça. É um processo manual — abre-se o primeiro envelope, onde dentro há um segundo. É preciso conferir neste segundo a assinatura do eleitor e, só então, abri-lo para lá encontrar a cédula, que então será separada para escanear. Boa parte dos condados, atarefados no dia da eleição, preferiram fazer o serviço após as urnas fecharem. Sabia-se que os votos antecipados seriam em maioria democrata e que, portanto, haveria na noite da eleição uma vantagem pró-Trump na contagem. Questionar a contagem destes votos antecipados, desde o início, foi a estratégia do presidente.

O serviço de correios dos EUA, uma autarquia federal, ignorou as ordens da Justiça para encontrar 300 mil cédulas enviadas que ainda não haviam sido entregues até ontem. (Washington Post)

Nas eleições estaduais e legislativas, duas novidades. O Senado estadual de Dellaware vai ter sua primeira integrante transgênero, a democrata Sarah McBride. Na outra ponta do espectro político, o movimento conspiracionista QAnon elegeu uma representante no Congresso, a republicana Marjorie Taylor Greene, da Georgia.

O Estado Islâmico reivindicou a autoria do atentado que matou três pessoas e feriu outras 15 em Viena na segunda-feira. O crime foi cometido pelo austríaco de ascendência armênia Kujtim Fejzulai, de 20 anos, que foi morto pela polícia. Há suspeita de participação de um outro terrorista. Fejzulai chegou a ser preso no ano passado ao tentar chegar à Síria para se juntar ao grupo jihadista, mas acabou liberado. O chanceler austríaco, Sebastian Kurz, pediu à União Europeia (UE) que faça mais para combater o “Islã político”, o que lembra o discurso em que o presidente francês Emmanuel Macron prometeu guerra ao “separatismo islâmico” na França.


O senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), seu ex-braço-direito Fabrício Queiroz e mais 15 investigados foram denunciados pelo Ministério Público do Rio no esquema das “rachadinhas” na Alerj. Eles são acusados de organização criminosa, peculato, lavagem de dinheiro e apropriação indébita. Segundo o MP, Flávio e outros deputados estaduais embolsavam parte dos salários de seus funcionários comissionados.

Conversas com o Meio: Empreendedora cívica, co-fundadora do Instituto Igarapé, Ilona Szabó acaba de lançar o livro A Defesa do Espaço Cívico. Seu objetivo é descrever como o governo Jair Bolsonaro — e outros populistas autoritários — esganam o espaço onde sociedade, organizações e governos interagem. É um jeito novo de atacar democracias. A entrevista com o editor Pedro Doria foi realizada no mesmo dia em que os americanos foram às urnas decidir quem será seu novo presidente. O resultado, lá, será definidor do futuro político de inúmeros países. Assista.

A última pesquisa do Ibope mostra que tudo pode acontecer nas eleições de Fortaleza e Vitória. Na capital cearense, o candidato Sarto (PDT) saltou em menos de três semanas de 16% para 29% das intenções de voto, assumindo a liderança. Ele é seguido por Capitão Wagner (PROS), com 27% e Luizianne Lins (PT) com 24%. Como a margem de erro é de três pontos percentuais, eles estão tecnicamente empatados. A situação é parecida em Vitória, onde João Coser (PT) tem 26% contra 24% de Gandini (Cidadania) e 18% de Delegado Pazolini (Republicanos). Gandini está empatado tecnicamente tanto com o líder quanto, no limite da margem de erro, com o terceiro.

Para Onde Vamos

Para Onde Vamos


Cada vez mais a mobilidade tem ido de uma experiência individual para uma compartilhada. E no centro dessa transição está a geração Z (1995-2010). Nascidos já inseridos na tecnologia, essa geração foi a primeira a adotar o compartilhamento de carona e a micromobilidade e vem com mais consciência social e ambiental, segundo um estudo da consultoria Allison+Partners. Quase 56% desses jovens veem o carro apenas como um meio de transporte e não como algo parte de sua identidade. Para especialistas, é essa a geração que vai ditar as inovações na mobilidade e até abrir novas frentes no planejamento urbano.

Depois da Waymo do Google, mais startups se preparam para lançar os seus serviços de táxis sem motoristas pro público. A Cruise, da General Motors, já pediu aprovação regulatória para implantar um número limitado de seus veículos autônomos em São Francisco. Outros têm planos mais distantes: a Ford disse que seu serviço estará disponível em 2022. A startup do Google demorou dois anos até lançar, em agosto, o seu serviço pro público na cidade de Phoenix, nos EUA.

Aliás… A Waymo divulgou os resultados do seus testes. E são, em sua maioria, positivos, segundo a empresa. Ao longo de 21 meses, os veículos se envolveram em 47 colisões e quase acidentes, sendo que nenhum resultou em ferimentos e “quase todas” as colisões foram culpa do outro motorista.

O hidrogênio verde, desenvolvido a partir de fontes renováveis, foi escolhido pela União Europeia como meio para alcançar neutralidade na emissão de carbono até 2050. E os veículos a hidrogênio já tem avançado na região. Em junho, a Alemanha anunciou sua estratégia nacional, com um pacote de 9 bilhões de euros para desenvolver a sua produção, armazenamento e transporte. Glasgow, a cidade que vai sediar a Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas em novembro de 2021, vai ganhar a maior frota de caminhões de lixo a hidrogênio, segundo o governo. A ideia é se tornar a primeira cidade com zero emissão de carbono do Reino Unido até 2030. Enquanto a Itália vai investir em trens movidos por hidrogênio.

Viver


O Conselho Nacional de Justiça vai investigar a conduta do juiz Rudson Marcos e do promotor Thiago Carriço de Oliveira, que já é investigado pelo Conselho do Ministério Público catarinense. Eles atuaram no caso em que o empresário André Camargo Aranha foi absolvido da acusação de estupro de vulnerável contra a youtuber Mariana Ferrer.

O caso voltou a dominar as redes na terça-feira, quando reportagem do Intercept Brasil mostrou gravações do depoimento de Mariana no julgamento. Ao ter fotos íntimas expostas pelos advogados de Aranha, Mariana cobrou do juiz ser tratada com respeito: “nem os acusados são tratados do jeito que estou sendo tratada”. No pedido de abertura de investigação no CNJ, o conselheiro Henrique Ávila afirma que as “chocantes imagens do vídeo mostram o que equivale a uma sessão de tortura psicológica no curso de uma solenidade processual”, opinião compartilhada publicamente pelo ministro do STF Gilmar Mendes.

O advogado Cláudio Gastão da Rosa Filho se defendeu, dizendo que “exerceu seu papel” e que suas falas foram “tiradas de contexto”. Por unanimidade, o Senado aprovou uma nota de repúdio ao advogado e ao promotor, enquanto nas redes celebridades manifestavam sua revolta. (Globo)

Segundo Monica Bergamo, a OAB catarinense, que tem fama de rígida, vai julgar uma representação contra Rosa Filho. Ele é acusado de extrapolar a prerrogativa de imunidade profissional, segundo a qual o que um advogado diz para defender seu cliente não constitui injúria ou difamação punível. (Folha)

A investigação policial e o primeiro parecer do MP de Santa Catarina apontaram o crime, a partir de indícios de que Mariana não estaria sóbria quando o ato aconteceu. Quando o caso passou para o promotor Oliveira, ele entendeu que o acusado não tinha conhecimento do estado consciência de Mariana, o que afastaria o dolo, a intenção de cometer o crime. Como a lei não reconhece a figura do “estupro culposo”, detalhe apontado pelo próprio promotor, Aranha foi absolvido por falta de provas.

Então... É o momento de tirar um tempo e ouvir Praia dos Ossos, o podcast da Rádio Novelo que narra o assassinato de Ângela Diniz por Doca Street e seus dois julgamentos. O Brasil de 1976 tem suas semelhanças com o de 2020.

Mesmo com a produção no Brasil da vacina desenvolvida pela Universidade de Oxford, não haverá vacinação em massa no país, segundo Nísia Trindade, presidente da Fundação Oswaldo Cruz. Segundo ela, será necessário estabelecer critérios de prioridade para quem será imunizado. Responsável pela produção da vacina de Oxford no país, a Fiocruz estima que o imunizante tenha uma eficácia maior que os 50% exigidos pela Anvisa. (Estadão)

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello teve alta ontem após cinco dias internado em Brasília para tratar da Covid-19. Com 57 anos, hipertenso e considerado com sobrepeso, o ministro está no grupo de risco da covid-19 e, segundo nota do ministério, será monitorado em casa. Enquanto isso, o país chegou a 160.548 mortos pela doença, com 276 óbitos em 24 horas, segundo levantamento dos veículos de comunicação. A média móvel de mortes, 367, caiu 30% em relação ao número de duas semanas atrás, mas reduções drásticas seguidas de novas altas já foram observadas após feriados prolongados.

Cotidiano Digital


O streaming no Brasil vai ficar mais concorrido. O Globoplay e o Disney+ poderão ser assinados juntos. As empresas anunciaram um pacote que custará a partir de R$ 37,90 por mês e começará a ser vendido no dia 17 de novembro, quando o streaming da Disney chega por aqui.

Aliás... O Disney+ vai custar R$ 27,90 por mês. Mas com a assinatura anual, tem desconto e paga o equivalente a apenas dez meses.

E a Sony seguiu a Microsoft e diminui os preços em R$ 300 para o PlayStation 5 no Brasil. O motivo foi a redução do IPI sobre os videogames.

O Uber e o Lyft ganharam na Califórnia e não vão precisar transformar os seus motoristas em funcionários. Junto à eleição presidencial, os californianos votaram em plebiscito a Proposição 22 que cria uma brecha na lei do estado. Os motoristas vão receber novos benefícios, como salário mínimo por hora. Mas não terão direito a todas as proteções que vêm com o emprego formal, como determinado pela lei AB5.

Cultura


Por unanimidade, a Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal manteve a autorização para que a Netflix exiba o “Especial de Natal Porta dos Fundos: A Primeira Tentação de Cristo”. O vídeo satírico insinua que Jesus teve uma experiência homossexual durante seu período de meditação no deserto. Em janeiro, o Tribunal de Justiça do Rio havia proibido o especial, atendendo ao pedido de uma associação católica, mas a decisão foi derrubada um dia depois por liminar do então presidente do Supremo, Dias Toffoli.





Bem-vindo ao Meio. A assinatura básica é gratuita, comece agora mesmo.



4 de novembro de 2020
Consultar edições passadas